O TÚMULO ESTÁ VAZIO

 

                  Muitas pessoas gostam de visitar túmulos e tumbas de personagens famosos no mundo, de Lincoln em Springfield a São Pedro no Vaticano. Nós sentimos uma sensação de paz ao redor desses lugares. Mas uma coisa que nós não esperaríamos em tais túmulos e cemitérios seria ação. É isso que nós encontramos no centro do Cristianismo, como São João narra hoje em Seu Evangelho Pascal.

         Todos os grandes personagens da história estão enterrados e se pode confirmar a presença dos restos mortais. Todo tipo de personagem, sejam militares, filósofos, músicos, artistas, políticos enfim, toda espécie de herói está enterrado e ali não existe mais ação, mesmo se a pessoa tenha sido extremamente  ativa.

         Após toda esta meditação sobre túmulos e história, vamos ao que ocorreu dois mil anos atrás. O túmulo deveria estar sereno, pacífico, calmo, mas ali não era nada calmo e sereno, havia um grande movimento. A primeira a chegar, trazendo   óleos, perfumes, talvez alguma coisa escrita, esta era intenção desta discípula, na verdade uma mulher. De repente a Pedra estava rolada, apesar do peso daquela enorme rocha, incapaz de ser movida por poucas pessoas. Dentro do túmulo está alguém dentro, alguém que se apresenta como um Anjo. Que tremenda sensação, esperar ver alguém morto e o que há é um vivo. Imaginem como os discípulos ficaram atordoados, quando experimentaram aquele acontecimento. O anjo proclama: – Aquele a quem vocês procuram não está mais aqui, vocês verão na Galiléia. Este túmulo é um local de choque, que amedronta as pessoas. Atingir este ponto, nós atingimos o Centro do Cristianismo. Por que os discípulos ficam com medo e saem correndo daquele lugar.

         Deus é o Inimigo da morte. Nós temos medo da morte. Ele nos mostra o seu Poder sobre a morte. Nossa mente odeia a morte. A Ressurreição mais aceitável para o mundo moderno, mostra que diferente dos outros túmulos, este túmulo traz uma ação incontestável. Neste local, Deus demonstra seu Poder.

         O túmulo de Jesus traz uma sensação de ação, pois está vazio. As pessoas não vão ao túmulo de Jesus. Ali se olha para a própria vida e toma direção da Vida Eterna, da Ressurreição.

         Finalmente, uma reflexão pertinente diz respeito ao homem que aparece no Getsêmani que corre nú, deixando a túnica para trás. Nesta passagem da Ressurreição temos esta mesma figura, que no momento da Verdade foge, ele vem com Pedro, mas não tem nome. Este personagem foge, deixando sua Sidonah (túnica) para trás. Quem é este?  Ele é cada um de nós, que precisa a partir da experiência do túmulo vazio, sair pelo mundo para anunciar a Boa Nova. Deixe ser transformado pelo Elã da Nova Evangelização. Ele Ressuscitou e está no meio de Nós! A pedra rolou, e a morte não tem mais poder sobre ninguém por Jesus Cristo! Aleluiah!

1 comentário

  1. Viviane Ganem Kipper de Lima

    Alegria! Alegria! Alegria! Jesus vive!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *