Você pode ser muito mais feliz tirando estes obstáculos do seu caminho
Tudo o que repetimos inúmeras vezes, com o tempo, pode ser entendido pelo cérebro como verdade. Somos responsáveis pelas coisas que repetimos.
A forma como falamos e pensamos e as coisas que fazemos afetam drasticamente a nossa vida.
Abaixo, segue uma lista de hábitos autodestrutivos que você deve se esforçar para deixar de fazer ainda hoje.
1- Culpar outras pessoas pela sua infelicidade
Ninguém está aqui para dizer que pessoas não te fizeram mal, mas a maneira como você segue e se reconstrói após situações ruins é o que definirá o seu futuro. É aquela velha história: não podemos mudar o que aconteceu, mas podemos mudar o nossos olhar com relação ao que aconteceu. Também é importante lembrar que perdoar não é ficar junto, perdoar é voltar a ser feliz e seguir em frente. Procure ajuda, faça terapia, mas não pare no tempo em que foi ferido(o). O caminho é para frente.
2- Repetir frases que te depreciam e generalizá-las:
Sou um completo fracassado;
Nunca vou dar certo na vida mesmo;
Nenhum namorado meu presta;
Tudo acontece comigo;
Todas são mais bonitas do que eu.
Perceba que, no uso dessas frases, além do conteúdo negativo, existem palavras que generalizam o comportamento: sempre, nunca, completo, todas, nenhum. Essas são palavras perigosas porque dizem ao seu cérebro que você não tem outra alternativa a não ser permanecer um fracasso, infeliz, solteiro e azarado (entre outras coisas). Preste muita atenção nessas frases e pare hoje mesmo de usá-las.
3- Buscar a perfeição
Deixe a perfeição idealizada em seu lugar dentro da filosofia de Platão. Na maioria das vezes, perdemos tempo demais em busca do inatingível, mas a única coisa que essa busca indica é o nosso medo de errar e de não sermos aceitos. Lembre-se de que “feito é melhor que perfeito” e diferencie em sua vida quais são realmente os aspectos que exigem maior esmero. Em geral, são poucas as profissões e hábitos que realmente exigem um resultado perfeito.
4- Procrastinar
Todas as vezes que postergamos a resolução de um assunto ou a execução de uma tarefa importante, criamos mais uma problemática que é a culpa por não ter feito o que devia ter sido feito. Lembre-se daquele sábio conselho de mãe: “faça primeiro o que gosta menos, aí você já fica livre para fazer o que quiser”. A princípio, o conforto de fazer o que se gosta mais é muito atraente, mas a sua paz posterior valerá a pena.
5- Não ter palavra
Não seja ingênuo de pensar que você não depende das pessoas. Não seja bobo de acreditar que seu crédito com quem gosta de você é eterno. As relações são baseadas na troca e no cuidado mútuo. Quem não tem palavra não é indicado. Quem não tem palavra não é respeitado. Se você disse que faria algo, faça. Se não puder fazer, ofereça uma excelente (e verdadeira) justificativa. Agora, se você não pode fazer, aprenda a dizer não!
[18:37, 21/4/2018] +55 21 99988-9102: 6- Sempre priorizar outras pessoas
No tópico anterior mencionei o “Aprender a dizer não” , pois ele é o o principal problema de quem tem medo de não ser amado e deixa de priorizar a si mesmo para priorizar as coisas do outro. Ser “bonzinho” demais também é uma atitude autodestrutiva se esse “bonzinho” envolver o sacrifício de si mesmo.
7- Mendigar afeto
Amor e afeto são coisas que não se vende, não se compra e muito menos se mendiga. Se você os está mendigando existe algo errado com você (ou com a outra pessoa) e é bom cuidar disso o mais rápido possível.
8- Não perceber seus próprios valores
O ser humano é um “bichinho esquisito” que sempre prioriza o que não tem em detrimento do que tem, logo, pode ter uma lista imensa de qualidades e passar a vida sem percebê-las ou valorizá-las.
9- Mudar de humor como quem muda de camisa
Todo mundo têm oscilações de humor e, para que elas sejam consideradas normais, elas devem ser consequência de acontecimentos que afetam o momento da pessoa (uma notícia ruim, um maltrato, um atraso, etc). É importante, porém, dar atenção a dois aspectos: 1- se o seu humor muda com frequência sem motivo aparente, isso pode estar relacionado a um transtorno de humor e você pode precisar de ajuda médica. 2- se você tem mudanças de humor e perde o dia e por causa de um acontecimento e não consegue se reequilibrar durante horas, também é indicativo de que precisa de ajuda de um profissional da saúde mental.
10- Vitimismo e autopiedade
As vítimas chamam a atenção das pessoas justamente por suas mazelas. São aquelas que os outros olham e chamam de “coitadinhas”. Entretanto, toda vitima recebe uma atenção derivada da sua desgraça e o perigo consiste na pessoa aprender a sobreviver baseada apenas nos ganhos secundários da atenção que recebe por ser um (a) sofredor (a). Todos têm o direito de sofrer e vivenciar as suas dores e lutos pessoais, mas é preciso cuidado para que a dor não se torne a principal marca de sua identidade.
11- Comprar mais coisas do que precisa
“Todo excesso revela uma falta”. Comprar demais indica uma tentativa de preenchimento de outros aspectos da vida que talvez não estejam tão bem e precisam de cuidado emocional. Outro problema do excesso de compras são as dívidas, pois normalmente quem gasta demais, gasta mais do que tem.
12- Medo da Mudança
Quanto maiores são a segurança e a estabilidade, menor é a liberdade. Liberdade envolve abrir-se para o novo, ousar, arriscar e sair da zona de conforto. Muitas pessoas passam suas vidas presas a coisas, pessoas e lugares porque têm muito medo da mudança. Quem não muda, paralisa. Quem paralisa, atrofia em vida, sonhos e criatividade. O medo da mudança talvez seja o “hábito” mais danoso que alguém pode carregar consigo.

Acho que com tudo isso dá pra fazer uma ótima reflexão pessoal!
JANasser

2 Comentários

  1. Ligia Kerlen Ferreira eu

    Eu precisava disso muito obrigada pela gentileza Deus abençoe

  2. Olá, Dr. Nasser.
    Uma amiga me mando o link dessa página e realmente parece que o texto está falando comigo. E eu concordo que temos mais danos com o hábito de ficar na nossa zona de conforto e não mudar do que arriscar e viver uma nova experiência. Eu comecei a levar pra mim o pensamento de que é melhor arriscar do que me arrepender de não ter tentado.
    Obrigada por ter escrito sobre esses hábitos, abriu meus olhis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *