No mundo antigo, mas precisamente no Império Romano, entre o primeiro e segundo século quando um casal tinha uma criança, era obrigado a apresentar a um especialista em analisar algum tipo de defeito importante. Caso fosse defeituoso por alguma razão era abandonado até a morte, e isso significava que aquele homem era bom, pois seguia o politicamente correto.

Naquela sociedade você tinha que tomar conta de você e não dos outros. Outra coisa daquela época foi uma praga que tomou Roma, e se você tinha alguém com a praga em sua casa, para ser de acordo com a sociedade você deveria tirar a pessoa da sua casa e abandonar em uma praça para morrer e mais de 5mil pessoas morriam por dia naquele lugar. E você seria muito bem reconhecido como alguém bom, que fazia as coisas de acordo com a sociedade e tomar conta de si mesmo era a regra e você vivia na regra.

            Tomando para o hoje, o que realmente importa nos dias de hoje é como medimos o que fazemos. É na verdade o que pensamos que nos leva a fazer as coisas. Discípulo de Jesus não é ser boa pessoa. O desafio do discípulo de Jesus, não basta ser bonzinho, mas ser diferente. Ser Cristão é se parecer com Jesus. Vendo você, estarão vendo Jesus. Para isso temos que fazer algo a mais, e faremos nas próximas semanas sobre esta formação.

            Para começar, temos que iniciar vendo as coisas como Jesus e pensando como Jesus, então as coisas sairão como verdadeiro discipulado. As leituras deste tempo nos ajudarão a saber como Jesus se parece. Começamos por São Paulo aos Filipenses Capítulo 2, onde São Paulo descreve Jesus, como Ele se parece. Não há nada melhor do que o outro interessa e não o que eu me interesso, o importante é se colocar no local do outro, por isso é ser bom, é se colocar no lugar do outro. Do jeito que nós pensamos no mundo é a exata maneira como nos colocamos, nos posicionando no mundo. Ter a mesma perspectiva, mesma visão que Jesus tinha e tem.

            O mundo pensa de uma forma muito diferente de nós. Quando estamos por exemplo em uma Universidade onde temos a chance de morar no campus o exemplo do que vemos hoje se aplica perfeitamente. Como diz o Papa Francisco, vivemos a prisão da auto- referência. Não basta nestes ambientes de estudo apenas estudar para ser muito especialista naquilo, porque isso não é o suficiente. No mundo destes relacionamentos, anônimo e autônomo é viver a parte de tudo, nisso o Papa diz impaciência auto referencial. Perguntamos a todos a nossa volta: – Como eu estou indo, ou eu estou indo bem? E tudo vai ser referenciando neste narcisismo que por sua vez através deste caminho, faz você ir se tornando Desconhecido e Mal-amado.

            A grande pergunta é: – Como eu deveria cuidar dos outros? Quando você está dirigindo, se for como Jesus, pare de reclamar, pense que todo mundo tem um lugar para onde estão indo. Nossa pressa faz de nós anticristãos, pressionando, gritando, buzinando, mas a verdade que está em cada carro não temos a menor ideia do que estará acontecendo, da verdadeira história. É como olhar para cada um ao nosso redor e através dos olhos está uma grande história. Olhar para si mesmo, com um olhar narcisista não nos ajudará nada. Pois Jesus morreu por cada um que está em nossa volta. Deus se humilhou para morrer por cada um de nós. Jesus te olha, te fala e te revela que você na sua morte de Cruz o faz maior que Ele. Deus acredita que nós somos importantes por isso um Discípulo de Jesus, não elimina os outros quando estão doentes, mas cuida deles. Discípulo de Jesus, consegue, como ocorreu neste Furacão recente, que pessoas que acabavam de ser resgatados, assim que se recuperaram, voltaram para ajudar a todos os que estavam necessitando. Discípulo de Jesus se preocupa em como poder ajudar outra pessoa. Quando visitamos orfanatos, acolhemos os desvalidos, cuidamos de indigentes, estamos sendo Jesus para eles, mas as vezes é mais fácil fazer isso do que cuidar dos nossos mais preciosos, em nossa própria casa. Discípulo sabe que cada pessoa neste mundo merece nosso respeito, nossa reverência e nosso acolhimento. A mensagem de um Discípulo ao outro é convencê-lo de que se houver alguma necessidade você estará ali para ajudá-lo, sem condições.

            Uma pessoa por pior que seja para nós, que tenha encolerizado conosco, merece nosso cuidado. Muitos de nós, ao invés de falar com a pessoa que nos causa problema fala com todo mundo menos com a pessoa do problema. Ou ainda porque você se desapontou com aquela pessoa já exclui ela da sua vida. Isso é ser hipócrita e não Cristão.

            Discípulo de Jesus também compartilha sua fé. Muitas pessoas têm este comportamento ridículo do respeito humano e daí não dizem o que Jesus fez em suas vidas. Não importa se a pessoa vai gostar ou não, porque o Espirito Santo poderá estar agindo no coração daquele ateu e você é o caminho. Caminho era o nome da nossa Religião assim que Jesus Ressuscitou. Não podemos esquecer esta Palavra de poder e convencimento. Mas muitos preferem ser legais, não invadir o outro, não se mostrar, ser politicamente correto. Há uma história de um famoso artista americano do humor ( BJ), que era assumidamente Ateu, e que um dia foi visitado após um show em seus aposentos por  um homem bem vestido, educado, que se aproximou dele e  lhe deu uma Bíblia, com uma mensagem na capa e lhe disse que acolhesse o presente. Também disse que Jesus tinha mudado a vida dele. E para sua surpresa o artista se virou e disse: – Eu respeito pessoas que mostram sua fé. Que falam de Jesus! Não importa a quem.  Quanto você tem que  odiar uma pessoa para não dizer a ela que Jesus é o Caminho! E também não é só odiar, mas ignorar, pois o avesso do Amor é a Indiferença. E aquele evangelizador saiu daquele lugar recebendo uma aula de Teologia de um Ateu!

            Deixe no dia de hoje de ser anônimo e autônomo e passe a se incomodar com os outros no sentido de estar a disposição para as necessidades dos outros, pois é do ser humano querer ser amado e querer ser aceito. Com Jesus, as duas coisas estão garantidas.

            Portanto enquanto acharmos que somos nós que fazemos as coisas, não vamos a lugar algum, mas se somos dóceis aos sopros de Espirito Santo, podemos ser melhores Cristãos e Ser Cristão é ser Jesus para os outros.

 

Oremos: Senhor, dá-me o dom da Ousadia neste dia, retira de mim todo o sentimento de autonomia e anonimato. Me faça ir ao encontro, como o Papa Francisco nos convoca, a Teologia do encontro. Que Maria aquela que foi ao Encontro de Isabel nos ensine cada vez a acolher a todos que Jesus através do Espirito Santo nos direciona aos que neste momento necessita da nossa presença e da nossa atitude! Amém!