Oferecendo nossos primeiros frutos revela e aumenta a profundidade da nossa confiança. A tentação de experimentar uma adoração vazia, sem graça é universal. A solução divina para os nossos corações é ofertar a Deus os nossos primeiros frutos. Sacrifício que sejam intencionais, sejam consequência de um propósito, e ser algo que representa o que temos para oferecer. Essas características têm o poder de transformar nossos corações e preencher o que seria uma adoração vazia ou oca.

                  Um exemplo histórico sobre criar uma demanda é a indústria de diamantes. Diamantes era para mundo uma raridade com alguns lugares na Índia que possuíam jazidas. Isso até a metade do século dezoito. Após os Ingleses descobrirem inúmeras jazidas na África do Sul o valor desta comodide foi quase a zero. A empresa que detinha as reservas, De Beers Diamond Consolidated Mines Limited ( 1888), tiveram uma idéia espetacular que serve de modelo nas Escolas de Negócio até hoje. Eles limitaram a circulação de diamantes. Em seguida eles criaram em Nova Iorque uma campanha de que para consolidar um noivado apropriadamente deveriam os noivos ter como um símbolo o Diamante. O símbolo do verdadeiro amor, pois Diamantes são para sempre! Eles passaram a presentear as pessoas que formavam opinião, além da realeza com diamantes, inclusive o Japão que ninguém usava diamantes como símbolo, hoje quase todo noivado no Japão e no mundo é selado com anel de diamante.

                  Todos nós sabemos que é somente mais uma pedra, mas para o noivado nós compramos o melhor que podemos para nossa noiva. Hoje se tornou um símbolo do amor. Quanto mais caro menos vazio ele é. Ele sempre vai ser completado pelo Amor. O Sacrifício preenche tudo que é vazio.

                  No campo da fé, vamos à Missa e muitas vezes nos sentimos vazios, sentimos nada nessa adoração. Abrimos nosso coração à Deus e Deus vem com sua Palavra nos fortalecer. Na Carta aos Hebreus 9:24, lida essa semana, o autor descreve que o Sacerdote vem ao Altar com o sangue que não é dele, não custou nada a ele, por isso muitos Padres se sentem vazios. Contudo não era assim com alguns Sacerdotes da história da Igreja, principalmente com o Santo Padre Pio. Ele participava diretamente através de seus estigmas, o preço do Sacrifício do Senhor pela humanidade. Ele sangrava copiosamente no momento da Consagração participando diretamente da Paixão de Nosso Senhor.  O povo de Israel no Antigo Testamento, traziam para não se sentirem vazios, os seus primeiros frutos, sejam das colheitas, sejam do rebanho. Pense nisso, se nós oferecêssemos ao Senhor os primeiros reais do nosso salário, antes mesmo dos descontos, os primeiros dez % do que ganhamos, isso significa na verdade a profundidade da nossa confiança. Pois se recebemos é Dele que recebemos. Deus não precisa nada disso de cada um de nós, mas nós é que precisamos, pois quando ofertamos dessa maneira, nós sentimos menos vazios.

                  Dar ao Senhor o que sobra é o que fazemos. Muitas vezes nós damos ao Senhor nosso tempo, quando já fizemos tudo antes. Damos o que sobra do salário. Nossa adoração, nosso louvor se torna vazio. Deus me chama para rezar e eu rezo nos momentos que me sobra. Eu dou esmola do que não me serve.

                  Deus me solicita meus primeiros frutos e eu não faço isso ao Senhor. Apenas quando me sobra tempo. Deus me mostra os pilares para serem Primeiros Frutos: – Deve ser Intencional, representacional  e  consequencial. Intencional não pode ser nada que não seja planejado. Muitas pessoas doam seus cabelos para Institutos do Câncer, isso é primeiro fruto. O contrário é fazer as coisas depois que as pessoas falaram. Algumas vezes você planeja fazer essa entrega dos primeiros frutos (intencional) e você pode não sentir nada no momento, mas mais adiante virão os frutos.  Essa é diferença entre dar as sobras e dar os primeiros frutos. Quando é consequência de algo, é porque custou alguma coisa. Primeiros frutos está ligado ao Risco, eu não vou ter isso de volta nunca mais. O que isso representa significa eu estou dando meus primeiros frutos e eles representam o meu coração.

                  Jesus está observando todos os que estão doando no templo e ao ver a viúva que oferece as duas moedas ele exclama: – Essa mulher deu tudo o que ela tinha. No momento em que ela doava, Jesus viu que não somente as moedas eram suas ofertas, mas todo o seu coração. Sacrifício parcial diz respeito a uma substituição, eu dou algo ao invés de mim, o que não foi o caso da viúva que se deu por inteira.

                  São Tomas de Aquino contempla a cruz e aponta que não é o quanto Jesus sofreu na cruz que nos salvou, mas o quanto ele nos Amou na Cruz que nos salvou e nos salva. Não é substitucional mas Representacional. Não é ao invés de, mas em nome de , Ele nos representa.

                  Na Consagração o Sacerdote está oferecendo Jesus em nome de cada um nós. Estamos na Missa para em nome de todos que nos pedem oração oferecer ao Senhor, representá-los na Missa, no Sacrifício. Por isso não estamos aqui para assistir, mas para adorar e louvar.

                  Voltamos ao anel de noivado. Não é tome esse anel ao invés do meu amor, mas como sinal do meu amor, como a minha própria vida. Meu coração agora é seu. Por ele eu selo minha fidelidade. Fora disso, se torna vazio e sem graça, oco.

                  Quando damos nossos primeiros frutos ao Senhor isso revela nossa confiança e também revela nosso compromisso. Saímos do assistir para o adorar. Todas as vezes que adoramos, que damos nosso coração, nós transformamos o Sacrifício em nosso Sacrifício ao Senhor.

                 

                 

                 

        

                  Oremos: Abbá (Pai) Amado, hoje eu quero me entregar de corpo e alma como um sacrifício de agradável odor. Sim Senhor, eu quero renovar minha aliança com o Senhor, me oferecendo de todo o meu coração, em louvor e adoração. Sim Senhor, tu és o centro da minha vida e da minha existência. Preciso ir até o altar demonstrando que os meus primeiros frutos são e serão sempre do Senhor! Não quero mais dar ao Senhor as minhas sobras, mas o que me é precioso, pois se tenho recebi de ti, oh Senhor.

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Restaura-me Senhor!  Amém