Neste dia quero trazer a reflexão sobre como é impossível ficarmos em pé sem raízes. Quando visitamos a Terra Santa, sabemos que na Judéia o cenário é de deserto, por isso as árvores são baixas, pois têm pouca água e pouca Raiz. Assim pode ser nossa vida, se buscarmos lançar nossas raízes em lugares onde pouco se pode aprofundar.

                  Nós vivemos hoje um tempo único. De muitas formas, uma idade marcada por uma disposição em direção da hesitação, do vacilo, da falta de compromisso.  Um em que as convicções e crenças são rapidamente e facilmente descartadas sempre que elas se tornam inconvenientes. Porém os Cristãos devem ser capazes de resistir. Para isso os discípulos de Cristo devem buscar lugares para serem testados: – O Deserto, o Coração a Raíz.

                  Arthur Neville Chamberlain, primeiro Ministro do Reino Unido nos anos 30 (1937-40), ficou conhecido mundialmente pela sua Política de Apaziguamento e em particular, por ter assinado o  Acordo de Munique com Hitler mesmo dizendo que Hitler agia apenas com Violência. Isso foi  em 1938, o qual concedia a Região dos Sudetos da Checoslováquia à Alemanha.  Infelizmente em 1939,  o Reino Unido declarou guerra à Alemanha depois que ignorando o Acordo invade a Polônia , e por 8 meses liderou o Reino Unido na Segunda Guerra Mundial. A figura de Chamberlain sempre entre os historiadores permanece controversa, ao contrário de Churchil seu sucessor, foi tido como frouxo o outro como herói.

                  Estamos num tempo de Frouxidão, mas não parece que as pessoas estão capacitadas hoje para compromissos. Em frente a uma Guerra a impressão que se tem de muitos países inclusive o nosso, é que iremos capitular, ou seja nos render, vacilar.

                  Tomamos a nossa reflexão da semana anterior, onde estamos discutindo sobre ir além da superfície, ir mais profundo do que a pele, buscar o interior, buscar águas mais profundas dentro de nós.

                  Dentro do nosso interior, na nossa Raíz, dentro do nosso coração  ESTÁ quem realmente nós somos. Então para começar temos três figuras metafóricas: – O Deserto, a Raíz e o Coração. O que estas três figuras a principio distantes tem em comum? O que têm em comum é um lugar de TESTE!

                  Nas Escrituras quando o povo de Israel esteve no Deserto, o que eles se revelaram?  Eles se revelaram quem eles realmente eram, e que eles pertenciam a IAWEH ( Javé). A Raiz é o significado da profundidade e da vitalidade, quanto maior a Raiz, maior é a vitalidade da árvore e quanto mais profunda também. A Raiz é um fator determinante importante na qualidade da árvore e por último o Coração, um local imenso de Teste. O coração é o lugar onde nós moramos, é o local onde batalhamos, lutamos, duelamos, nos comprometemos ou desertamos. O coração é o centro energético, a fonte de calor de cada um de nós. No Evangelho que lemos na Quarta de Cinzas, diz que Jesus nos ensina a irmos rezar no quarto fechado, o que significa este lugar de isolamento?  Significa o profundo do nosso coração, onde somente habita o que realmente somos e Deus através do seu Espírito Santo. O coração é o lugar de decisão, o lugar onde escolhemos VIDA OU MORTE. O coração é o lugar onde encontramos quem nós realmente somos.  Por fim o Coração  é o lugar da VERDADE e do compromisso!

                  Viver nesta época de mornidão ajuda a   tocar no meu medo. O meu medo de que eu não esteja levando as pessoas, para serem realmente envolvidas como discípulos. Ser assim é  apenas escolher Jesus quando é fácil fazer isso, e não quando é dentro de um martírio. Que nós estejamos acostumando as pessoas a se tornarem frouxas, hesitantes, prontas para desertar, quando a missão os convocar.

                  Refletindo sobre as tentações de Cristo após seu batismo Ele é conduzido pelo Espirito Santo para o Deserto. Após 40 dias Ele foi colocado em teste: As três tentações se iniciam pela primeira onde Jesus é tentado no Prazer ( transforme estas Pedras em Pão). Nós somos tentados continuamente sobre nossas fraquezas em paixão e prazer.  Na Segunda tentação o Inimigo conduz Jesus ao Pináculo, ou seja, o ponto mais alto do templo e o faz para e tenta-lo sobre FAMA. A última e terceira é o PODER.

                  Como Jesus responde as três tentações e nos ensina como fazer?  As três tentações são combatidas pela Palavra de Deus ( Jesus responde com a Palavra com os Sacramentos com a Fé e Oração). Todas tentações convergiriam para uma só: – Jesus você desertaria sua missão, você desistiria de tudo isso?  Você se tornaria um ser vacilante?  Você tiraria Deus do Centro de tudo isso e me colocaria? Isso não é exatamente o que eu e você temos feito muitas vezes em nossas vidas?  Estamos comprometendo os planos de Deus em nossas vidas, seja no campo do prazer, seja na Fama e seja na busca do Poder!

                  Jesus em todo o tempo demonstra a Satanás que Ele não desistiria, que ele não falharia, que ele se comprometeria até o fim, que Ele não vacilaria em sua Missão que era fazer tudo para a Glória do Pai! Jesus jamais ficou na superfície, na pele, mas muito mais profundo dentro de seu coração.

                  Vocês jovens, hoje deveriam  dizer com após terem experimentado um Encontro Pessoal com Jesus: –  Eu escolho Jesus e mesmo terminando meus cursos Universitários eu continuarei buscando estar nos caminhos de Deus o tempo todo, nada  me separará do Amor de Deus.

                  Estamos em plena Quaresma e precisamos estar batendo no peito e dizendo: Eu sei quem eu sou e a quem eu pertenço. Neste tempo quaresmal eu quero dar todo o Acesso a Deus no meu coração! Eu quero estar com o Salmo 1: Estar ao lado das águas correntes e dando frutos continuamente. Como? – Palavra de Deus continuamente, Oração e Sacramentos faz com que nossas raízes estejam continuamente na Fonte que não seca, que é Cristo!

                  A maioria das pessoas hoje em dia não consegue ficar sozinho consigo mesmo. Eu desafio você nesse tempo, pelo menos por 1 hora sozinho, em silêncio com você mesmo! Você deve permanecer lá.

                  Pascal dizia que : Todos os problemas dos homens estão ligados a inabilidade do ser humano a estar sentado uma hora dentro de um quarto consigo mesmo!

                  Eu desafio você para neste tempo confirmar que se ficar por uma hora sozinho consigo, em silêncio completo e sentir em paz, sua vida estará em paz. Quando isso não acontece e aparecem pensamentos estranhos, sentimentos de agressividade , de agitação, de terror, e a primeira pergunta que vem para nós é : Será que Jesus está me enviando tudo isso?  Claro que não. Tudo isso estava aí dentro, mas as confusões, os barulhos , as distrações estavam tirando o foco daquilo que é importante ser revelado para ser sanado. Tudo isso precisa ser apresentado ao Senhor Jesus, que sendo apontado as raízes destes sentimentos poderá libertar e Curar a toda aflição. Como Ele nos ensina: Manso e Humilde de coração, Vem a mim todos vós que estais aflitos e Eu vos aliviarei!

                  O que ainda está escondido em meu coração. Muitos colonizadores quando chegaram ao mundo ocidental, viram campos fantásticos para cultivar, mas tiveram de tiras as pedras dos terrenos férteis. Assim é o nosso coração. Precisamos rolar as rochas que ainda obstruem a Presença de Deus. Quantas rochas de fraquezas, de vacilos, de sentimentos de indignidade, de sentimentos de baixa estima, prontas para nos induzir às falhas. Por isso não acabamos o que começamos e ficamos irritados conosco, mas não sabemos porquê.

                  Nós temos estas rochas de frouxidão em nossos corações e temos          que removê-las. Muitos de vocês já devem ter assistido o filme de Martin          Scorcesse chamado de o Silêncio.  A inspiração é o livro “Chinmoku” (“O Silêncio“, 1966), do escritor católico japonês Shusaku Endo. Este livro retrata a história dos missionários jesuítas que foram ao Japão e servem para nossa geração entender a palavra : 1 Timóteo 5:8. “ Negar a fé e pior que ser um incrédulo”. Essa história narra o martírio e as torturas que passaram os japoneses que não negaram a fé, dos religiosos que sustentaram a fé mesmo diante de sofrer horrores ou os seus servindo como testemunhas. E por outro lado mostra a apostasia, quando alguém como religioso nega a fé e como isso o faz ser acusado em sua consciência continuamente pelo Tentador, que o levou a negar. Tudo exige um grande SIM! Sim para Deus é o sim para a liberdade, mesmo diante de tanta crueldade. Sim para o Inimigo de Deus é o sim da escravidão e da acusação contínua.

            Vivemos neste momento num momento onde estamos super confortáveis na Fé, e por outro lado quão facilmente hoje estamos negando a nossa fé! Mesmos sem nenhuma tortura, por simples falta de garra para assumir o que cremos!  O DESCOMPROMISSO! Dias virão onde necessitaremos estarmos treinados para manter a fé, mesmo diante de tanto sofrimento.

            Nós hoje temos testemunhos dos nossos irmãos no Oriente Médio e em outras locais da Ásia sendo martirizados  por não negarem  ou renunciarem a fé! E o que eu estou fazendo negando a minha fé por nada. Estou vacilando, estou afrouxando o meu testemunho, eu estou obstruindo outros da minha casa e do meu convívio de ter uma experiência verdadeira com Jesus o Ressuscitado, pela minha mornidão, por eu estar capitulando, por eu estar desertando, por eu estar deixando que as tentações de prazer, fama e poder me ceguem do verdadeiro sentido desta vida, que é fazer a Vontade do Pai.

            Chamberlain buscou uma paz, em 1938 com o Inimigo ( Reich) que não queria Paz, apenas tempo para prosseguir sua devastação. O povo Inglês suplicava por paz pois não queria mais o horror da Guerra sofrida anos antes, mas vem Churchill em 1940 e convoca seu povo, suas famílias, seus trabalhadores, seus militares, seu irmãos e irmãs para defenderem a Ilha até o fim.  Nesta vida não temos como achar que podemos viver apenas apaziguando a superfície e deixando nosso coração em guerra. O coração em paz mas a minha vida em constante batalha!

            Quando encontramos estas rochas no nosso coração o que fazer?  – Tome a decisão de lutar, tome a decisão de estar em pé, limpe o terreno. Afaste de tudo que te possa levar a Idade da Mornidão, da Frouxidão, da Alienação. Prepare-se para a Guerra todas as manhãs e combata o seu bom combate. As Guerras sempre começarão dentro dos nossos corações e depois contaminaremos o mundo. Apazigue seu coração, e batalhe diariamente para permanecer no Amor, e nos planos de Deus, sabendo que essa é a batalha que deve ser travada, diariamente até o dia do Chamado de Volta para a Morada Eterna!

 

 

                 

 

 

 

 

Oremos: Abbá (Pai) Amado, eu te peço hoje, o dom da Perseverança, do compromisso, do entendimento de que a vida é uma batalha mas o meu coração precisa estar sempre no Senhor que é a Paz! Senhor me ajuda a não desertar, não capitular, não negociar com o Inimigo, não renunciar à minha Profissão de Fé!. Renova em mim Senhor todo o fogo do meu primeiro Encontro com o Senhor, que me tirou de todo medo, de toda dúvida, de toda incredulidade e me fez discípulo. Senhor nesta Quaresma eu quero tirar sempre uma hora para estar com o Senhor em Silêncio distante de todas distrações e focando no seu olhar que me Cura, que Me liberta, que me Revela, que me faz trazer todo o meu autoconhecimento e assim ser cada vez mais firme e estável na fé! Neste dia Quaresmal, derrame sobre mim a sua Unção dobrada do Espirito Santo para que eu leve o Seu Nome  a todo coração que ao meu redor queira declinar da fé. Que as pessoas  que cruzem meu caminho sejam envolvidas pela Sua presença em mim, exalando seu cheiro Jesus!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém