Recentemente, um fato muito triste aconteceu ao mesmo tempo que houve a explosão em Manchester ( Inglaterra) e pouco foi noticiado. Mas este fato nos leva a refletir seriamente sobre nossas próprias vidas e nossa existência. O que aconteceu há um mês atrás quando um ônibus no sul do Cairo(Egito), repleto de  Católicos peregrinos que peregrinavam em direção a um Mosteiro histórico e foram abordados por extremistas islâmicos. Vinte e nove pessoas foram colocadas para fora e uma por uma foram questionadas decidindo sobre vida ou morte. Primeira pergunta: – Você é Cristão? E a segunda pergunta: – Você está disposto a negar Jesus Cristo agora e se tornar Muçulmano?

Todos foram tentados a salvar suas próprias vidas, mas não negaram e todos morreram martirizados.

O ocidente quando olha para este fato diz: – Isso é o oriente médio, não vá para lá! Ou pior: – Onde estavam os parentes dessas pessoas que deixaram que elas dessem a vida por Jesus? – E seguem os comentários : – Por aqui não é assim, nós não temos este tipo de decisão! Mas pensar assim é um grande engano. Estamos hoje aqui para falar não apenas sobre os executores destas pessoas, mas do Mal. Na ultima frase do Pai Nosso temos o Mal como uma pessoa,  por isso é maiúsculo!

Todas as manhãs somos perguntados: – Por quem nos estamos vivendo hoje? E a noite: por quem nós vivemos hoje?

No momento da escolha, nós normalmente fazemos a opção errada. Todos nós. Esaú e Jacó (Gen 25) eram irmãos onde Esaú era o primogênito, grande caçador, vivia pelas aventuras  e tinha o apreço de Isaac seu pai, enquanto Jacó vivia perto de Rebeca sua mãe. Ser primogênito era herdar tudo do pai, assim como Isaac herdou tudo de seu pai Abraão.  Um dia Esaú chegou da caçada, cansado e ao ver um sopa de lentinhas de Jacó disse: – Me dê isso aí vermelho pois estou morrendo de fome!  Jacó disse: – Esaú, me dê sua primogenicidade por este alimento. Esaú  respondeu: – Sim, e fez o juramento de passar aquilo que é o mais precioso em família de Deus, a primogenicidade, pois desde Abrãao o filho mais velho é consagrado ou  oferecido ao Senhor. Este foi o preço de Esaú.

Bernard Shaw contava um dia que diante de uma Lady muito sensual atrevidamente perguntou: – Por cinco milhões você faria uma coisa inapropriada comigo? – Ela respondeu : – Bem, por cinco milhões, talvez. E ele seguiu :- E por cinco reais?   Enfurecendo-se ela responde :- Como assim, que tipo de mulher você acha que eu sou? – Bernard disse: – Isso já não está mais em discussão, agora estamos acertando apenas o preço.

Qual é o seu preço hoje?

Quantas vezes estamos tentando viver uma vida em Cristo e acabamos  por fazer coisas que nos compromete como Cristão, ou seja, negamos o Senhor!

Todos nós hoje somos Esaú! Para Deus todos somos primogênitos. E com tanta facilidade nós abrimos mão dessa posição de Primogênito!

Nós dizemos que somos cristãos, a menos que estivermos em casa, e lá ninguém vive na fé, então eu nego minha fé lá. Ou no trabalho, como sermos profissionais de saúde e chegando lá teremos que decidir se vamos ou não negar Jesus:- Quando chega o assunto de contracepção, esterilização, aborto, eutanásia.

Outros negam Jesus assistindo Programas de TV e filmes que negam Cristo, ou seja negamos por entreterimento, porque é divertido. Nosso preço é a conveniência! Estou disposto a negar Cristo por conveniência, diante de todos antes de me alimentar, por respeito humano, não faço meu agradecimento! Para não chamar a atenção eu nego a Cristo. Eu não testemunharei Jesus se isso for inconveniente. Eu não vou fazer alguém se sentir estranho, eu fico com medo do que os outros vão pensar de mim…E Jesus no último domingo começa nos falando em Mt:10 – Não tenhais medo!

Não é porque uma pessoa vive no pecado, vive em outra religião, vive em relacionamento de mesmo sexo, ou na infidelidade ou ainda em marginalidade, não é por tudo isso que estas pessoas são nossos inimigos. O inimigo real é aquele que pode destruir nossa alma, e de certo até os islâmicos que mataram os vinte nove cristãos não são nossos inimigos.

Estamos em batalha todos os dias contra o inimigo que quer nos destruir todos os dias. Temos nosso grande General que é Cristo ao nosso favor e seus Anjos. Não há exceção nesta vida, todos estamos em guerra, dá pra entender! Muitos estão no meio desta batalha, vestidos com roupa de festa, sem estar em posição de ataque, prontos para serem abatidos pelo inimigo que não tem misericórdia. Estar preparado todos os dias é se colocar em posição de combate e combater o bom combate.

Há um livro sobre a Arte da  Guerra de Sun Tzu, grande general japonês, que diz: Se você conhece seu inimigo e conhece você mesmo, você nunca temerá nem mil batalhas. Você saberá como combater e nunca perecerá. Mas se você não conhece seu inimigo ou você mesmo, a derrota é iminente, e ainda mais, se você não conhece nem um nem outro, você já está derrotado.

Todos os dias a pergunta deve ser feita: Por quem eu luto todos os dias?  Estratégia, Táctica. Eu conheço minhas fraquezas e clamarei o Senhor que fortaleça minhas fraquezas para a vitória. A segunda pergunta é tão importante: – Por quem eu combati hoje? E se neste dia não combatemos tanto assim com o Senhor, olhe para Ele com sinceridade de coração e se arrependa, e você escutara´: – Amanhã recomeçaremos, pois você vale muito mais para mim do que milhares de pardais(Mateus 10)!

Pois os que confiam no Senhor, são como os montes de Sião que não se abalam, combaterão e não cairão. Confie no Senhor pois somente Ele renova as nossas forças, Ele nos dá todos os dias Asas de Águia ( Isaias 40)!

Convido a todos hoje neste final de Semana que assistam o primeiro filme da série As Crônicas de Nárnia! Observe todos os diálogos aos olhos da fé, esta é uma Aula de C.S.Lewis para cada um de nós, sobre que batalha estamos travando no dia de hoje! E quem fez o maior de todos os Sacrifícios por cada um de nós! E Ele venceu! O Leão de Judá!