NatalNo artigo dessa semana queria falar sobre o Natal.

Estamos vivendo um tempo que se fala muito de Natal, Natal e Natal… Presentes, lembranças, férias, onde vamos passar o Natal… Vamos viajar… Onde vou gastar meu 13º e outras coisas mais. Sempre, ou muitas vezes, falamos no sentido material da questão, mas não no sentido que deu origem e é o verdadeiro sentido do Natal, que é o nascimento de Jesus.

Vejo um materialismo presente, tentando penetrar na Igreja, tentando desvirtuar nossa atenção do sentido original de Natal. Não temos como negar que vivemos numa época onde o materialismo está MUITO presente. Tudo é para comprar, vender, descartar, jogar fora, trocar e outras coisas mais. Mas e o Natal?

Fui procurar no dicionário informações sobre a palavra Natal e encontrei, por incrível que pareça, a frase “Dia em que se comemora o nascimento de Cristo (25 de dezembro).” Impressionante! Até no dicionário encontrei o real sentido do Natal, mas vejo que muitos corações já esqueceram. Muitos pensam no Natal como um momento para ficar triste, melancólico, deprimido…

Assim como há 2000 anos atrás, vejo muitos negarem um local para Jesus nascer. Vejo muitos não aceitarem a chegada de Maria, grávida, com José em sua casa. Não estão encotrando um quartinho para receber Jesus. Assim como naquela época, muitos nem sabem quem vai nascer ou sabem, mas nem ligam.

Onde será que, 2000 anos depois, veremos Jesus nascer? Ele encontrará lugar? Ou novamente numa manjedoura ele nascerá?

Fiquei me questionando se estou me preparando, preparando minha casa, preparando meus filhos e esposa para esse nascimento. E que nascimento, não é verdade? O menino Deus, frágil, sensível, mas Deus, está para nascer e não posso ficar preocupado somente com o material. Se tiver que ter alguma preocupação, que seja com o AMOR que está por nascer. Sua simplicidade veio para vencer o mal, para abrir as portas do céu, para remir os meus e seus pecados… Olhando-me vejo que não merecia tudo isso, mas sabe de uma coisa? Tudo isso foi feito gratuitamente. Seu nascimento, crescimento e morte foram gratuitos. Apesar de não ter sido bem acolhido em seu nascimento, nasceu, amou, e amou até o fim. Deu-se gratuitamente. Que presente!

Preocupem-se em dar, nesse Natal, o principal presente, que é gratuito, mas Salvador: JESUS.

Ele sim, é um presente duradouro, que pode ser repassado para outros. Quem dá fica feliz em dar e quem recebe, fica feliz em receber. E é gratuito.

JR/CN

Comments closed.