Escolher amar a Deus e nunca a si próprio e aos próprios pensamentos, sentimentos, conclusões e desconfianças negativas: tudo isto faz parte da vaidade do pecado.

O desejo de Deus é um sentimento inscrito no coração do homem, porque o homem foi criado por Deus e para Deus. Deus não cessa de atrair o homem para Si e só em Deus é que o homem encontra a verdade e a felicidade que procura sem descanso:

«A razão mais sublime da dignidade humana consiste na sua vocação à comunhão com Deus. Desde o começo da sua existência, o homem é convidado a dialogar com Deus: pois se existe, é só porque, criado por Deus por amor, é por Ele, e por amor, constantemente conservado: nem pode viver plenamente segundo a verdade, se não reconhecer livremente esse amor e não se entregar ao seu Criador».

De muitos modos, na sua história e até hoje, os homens exprimiram a sua busca de Deus em crenças e comportamentos religiosos (orações, sacrifícios, cultos, meditações, etc.). Apesar das ambiguidades de que podem enfermar, estas formas de expressão são tão universais que bem podemos chamar ao homem um ser religioso:

Deus «criou de um só homem todo o género humano, para habitar sobre a superfície da terra, e fixou períodos determinados e os limites da sua habitação, para que os homens procurassem a Deus e se esforçassem realmente por O atingir e encontrar. Na verdade, Ele não está longe de cada um de nós. É n’Ele que vivemos, nos movemos e existimos» .

Fonte: Catecismo da Igreja Catolica,27-29.

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s1c1_26-49_po.html

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A alma que canta louvores esprime em teoria a alegria de estar em Deus

 Somente de uma alma que ama brota o louvor.

Este è como o correr das águas dos rios que nunca cessam em seu fervor de fazer derramar agua no mar. A alegria è o distintivo de quem ama e o distintivo de quem ama é o louvor, o cantar a Deus com o mesmo fervor das águas dos rios e dos mares.

A oraçao e a adoração levam a essa disponibilidade e amor para com Deus.
Deixe que seu coraçao transborde em louvor, deixe que Deus aja de uma tal maneira na sua vida ao ponto de fazer brotar o louvor espontaneamente.

O verdadeiro louvor è desinteressado e nao procura interlocutores a nao ser o proprio Senhor, a quem todo louvor è dado e todas as graças lhe são atribuídas pelo coraçao e pela alma, que generosamente reconhece que dele somente nasce o bem que brota de dentro de voce, como o mesmo louvor. Todo o resto, deve ser causa ou consequência desta atitude de adoração a Deus.

Até mesmo os mais belos e conhecidíssimos cantos de louvor, tem seus méritos somente em Deus. È por isso que nao pode-se atribuir a si o que è e vem de Deus, de seu coraçao, de sua magnanimidade. Todo louvor, toda açao e obra de louvor provém do coraçao de Deus e portanto nada è nosso. Tudo vem de Deus, e a ele tudo pertence.

Por que è o mesmo Espírito Santo que faz nascer todo o bem que manifestamos humanamente com a nossa linguagem, com nossas ações, com nossa vontade. Quando queremos tomar para nós o que é de Deus e faz propriedade nossa, recebemos ja o pagamento, a recompensa aqui na terra já, da nossa “obra de arte”. Saiba porém discernir, o que é e o que não vem do coração de Deus.

Quando se ouve dizer, este ou aquele louvor è meu… a vaidade ali, ja tomou posse. Musicos e verdadeiros louvadores, não os encontramos em qualquer lugar nem a toda hora pois sao ministros em ordem de batalha, nao sei deixam tomar pelo nosso “humano demais”.

Seja um servo como a palavra de Deus pede que voce seja, sejamos homens e mulheres que generosamente dão o que è de Deus e assim seremos autenticamente e em verdade ministros do Senhor.

Que Jesus nasça e renasça em nós, em nossas vidas!

UM SANTO NATAL!

Agradeço a Deus que, por mais um ano nos dá a oportunidade de desejarmos esta saudação uns aos outros: Um Santo Natal!

Para nôs isto quer dizer: que Jesus nasça e renasça sempre dentro de nós, em nossos corações, nas nossas casas, entre nós, nas nossas comunidades. È maravilhoso pensar nisto e mais ainda saper que é de verdade assim: Jesus vem, mesmo se não temos qualidades para recebe-lo, piores do que a o abrigo dos animais onde ele nasceu, mesmo se frios piores que o mais duro inverno.

Mas é justamente por isso que jesus vem, atraido por nossas misérias e sofrimentos. E Ele traz consigo o céu, o paraiso, a sua paz! Seguindo-o, entro em sua casa, para te abraçar, para te dar certeza que vivo aquilo que voces vivem e compartilho cada uma das situações e sentimentos.

Obrigado por aquilo que voces representam para mim e para a minha vida. Somente no céu poderei plenamente na graça de Deus agradecer a todos adequadamente. Voces estão presentes em minhas simples orações todos os dias no ato de oferecimento.

Mais uma vez, um Santo Natal e que Jesus esteja sempre no meio de nós!

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

 

Maria revoluciona a humanidade e se diz: é a mais bela entre todas as mulheres!

Dela, nunca se disse o bastante. A infinita grandeza do seu ser faz dela a mais bela mãe, a maior e agraciada entre todas as mulheres. Como seria a humanidade sem a presença desta pessoa imaculada e dada totalmente a Deus, disponível para que Ele fizesse em sua vida a sua santa vontade! e o mundo não a esquece e nunca a esqueceu.

Todos os homens de todos os tempos, dos mais santos e misticos disseram e dirão sempre pouco desta pequena-grande criatura divina: nada mais nada menos que a Mae! a Imaculada Virgem Maria de Deus!

Mas nem menos os mais perfeitos artistas plásticos e escultores da história, cansaram-se di tentar desenhar e esculpir a simplicidade de seu rosto. Mas Certamente, pois a graça de Deus na vida de uma pessoa não  é qualquer coisa de humanamente decifrável.

Ah! se podéssemos e se nos esforssássemos a cada instante, em uma tensão constante no  dizer ou fazer cada coisa com um olhar de contemplacao, oferecessemos a Deus cada ação:  tudo o que dizemos e fazemos, pensamos e desejamos! Então sim que saberiamos o valor e o que é de verdade a oração e a contemplação.

Ela, Maria, é por tanto chamada, “A imaculada”, por ter sido escolhida por Deus, e se tornou então, a Mãe das mãss da terra.

Também nós podemos nos esforçar assim! para sermos como pequenas marias de nosso dia-a-dia, levando desse jeito Jesus, a quem ainda não experimentou da sublimidade de sua presença em sua própria vida.

Paz e Bem,

Padre Antonio Lima.

 

A razão e o cálculo atrapalham a graça de Deus no louvor

Cantavam um cântico novo, dizendo: Tu és digno de receber o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste imolado e resgataste para Deus, ao preço de teu sangue, homens de toda tribo, língua, povo e raça; e deles fizeste para nosso Deus um reino de sacerdotes, que reinam sobre a terra. (Ap 5,9)

Saber louvar é um dom de Deus, para quem vai em busca dele lá onde ele se encontra e lá, deixa o Espirito Santo agir, Ele age quando não nos prendemos, nem com a razão, com o raciocinicio, nem com moldes. Quando rezamos ou cantamos louvando a Deus, nos alinhamos, nos conectamos: o tempo da terra com o tempo dos céus, e assim manifestamos em forma de cânticos a alegria da presença do Senhor.

E assim cantamos ao Senhor um Cântico novo, visualizamos o céu e “percebemos” que o Senhor quer fazer algo novo em nossa vida.

Vi muita gente voltar-se a Deus de uma vida desregrada e indiferente para as coisas do alto, descobrindo por meio da liberdade interior na oração no louvor e na adoração, o sentido e a riqueza de ser amigos de Deus além de filhos.

O hábito, os moldes e o louvar mecȃnico e calculado não deixam que o Senhor trabalhe e faça a sua obra em nós e voltamos para casa como saimos, com os mesmos sentimentos pensamentos, preocupações e sem esperanças, Achando que servimos a Deus. Precisamos saber quando deixamos realmente que o Senhor faça algo novo em nossa vida, o nosso jeito de viver se transforma, como aqueles tantos servos e profetas que nos deixaram seus testemunhos por terem cantado por toda a vida, o cȃntico novo de Javé. Quando nos preocuparmos com o velho cântico, não estaremos prontos para ouvir o novo!

“Cantavam um cântico novo, dizendo: Tu és digno de receber o livro”…

Não podemos desprezar o velho, mas neste tempo precisamos tomar cuidado para não nos prendermos ao velho, que já não tem mais uma utilidade para o tempo presente.

Precisamos aprender a cantar um verdadeiro Cantico ao Senhor, não para nos mesmos, deve ser cantado para ele e neo tão pouco para nos sentirmos bem, e nos sentimos bem também porque cantamos e louvamos a Ele! certamente!

“Cantavam ao Senhor!”

E quando buscamos cantar para nós mesmos, e para estarmos bem, desviamos e desvirtuamos o que precisamos fazer para o Senhor, o que nos deixa estéris, sufocados, pois não o servimos bem e assim cobrimos a graça dele em nossa vida.