História do Deus Imenso

Certo dia, padre Aluísio Ricardo foi até Osaco (SP), na Paróquia de seu amigo padre Nelson. De lá trouxe emprestado para a Casa de Maria em Queluz (SP), um ostensório muito grande, normalmente usado nas procissões de Corpus Christi. Quando o padre Aluísio retornou para casa, já era noite e havia no céu uma lua linda. Quem conhece a Casa de Maria, em Queluz, sabe como é lindo ver a lua da escadaria. O padre chegou trazendo o ostensório tão grande e tão pesado que, no seu caminho para a sacristia, fez uma parada na escadaria. Ivonise (Nise), vendo o ostensório grande, riu e com seu jeito bem-humorado me chamou, dizendo “Márcia, venha ver o Deus Imenso!” Rimos ali nós três, conversamos um pouco e fomos cada um para o seu quarto dormir.Deus ImensoNa manhã seguinte, à mesa do café, voltamos ao assunto do ostensório grande. Conversamos muito, porém não usamos mais a expressão “Deus Imenso”. Nesta conversa, eu senti meu coração pulsar rapidamente. Senti também como se algo me queimasse por dentro e uma alegria pareceu invadir-me inteiramente. Saindo dali, fui para a capela viver meu momento de adoração e orações pessoais. Neste momento, voltei a sentir as mesmas sensações e me pus a rezar, para compreender o que Deus estava me dizendo. Ali, comecei a cantarolar a música de Walmir Alencar “Deus Imenso”. Os sentimentos interiores e aquelas sensações que já falei avolumaram-se e eu silenciei. Não compreendi, mas permaneci atenta, vigilante, certa de que o Senhor queria me fazer entender alguma coisa.

Durante mais ou menos 3 ou 4 dias, isso se repetiu nos meus momentos de oração. Percebi que em nossas conversas na casa sempre nos referíamos ao ostensório grande com a expressão “o Deus Imenso”. Observei, também, que isso não soava aos ouvidos como uma brincadeira, mas era uma expressão do que Deus queria nos fazer entender. Rezei muito, mas de início não comentei com ninguém.

Num outro dia, também n o café da manhã, começamos a conversar e desta vez falávamos de adoração ao Senhor, de Cerco de Jericó. Foi quando contei ao padre Aluísio e a Nise sobre esta experiência que eu havia vivido em Cuiabá (MT): em 1997, padre Paulo Ricardo me disse para fazer, em preparação para a Festa de Pentecostes, 50 dias de adoração; pois o papa João Paulo II tinha decretado 3 anos dedicados cada um a uma Pessoa da Santíssima Trindade. E assim fizemos. Porém, quando faltava pouco mais de uma semana para a Festa de Pentecostes e, então, encerraríamos os 50 dias de adoração, tivemos de pará-la, de maneira que não foram completados esses 50 dias. Ao narrar este fato, senti-me profundamente emocionada e todas aquelas sensações voltaram ao meu coração. More »

Ouça esta canção e contemple a espiritualidade do “Deus Imenso”

A música “Deus Imenso” de Walmir Alencar está intimamente ligada a inspiração dos 50 dias de adoração que acontecem na Casa de Maria em Queluz em preparação para a Festa de Pentecostes.

Não sou nada, eu bem sei
Tão pequeno, um grão de areia em suas mãos
Barco a vela, que se abandona
Segue o rumo e vai buscando o alto mar
Assim me encontro diante de ti
Um Deus imenso que por amor se deixa alcançar
Te adorarei meu Deus enquanto eu existir
Proclamarei as maravilhas que fizeste em mim
O teu calor me envolve
O teu olhar me acalma
E em teus braços o teu amor inflama a minha alma
Que posso mais dizer se o coração já disse
Te amo

Veja também:

.: Começaram os 50 dias de adoração ao Deus Imenso
Fotos e testemunhos

.: Carta convite: “Seja um adorador permanente”
por padre Aluísio Ricardo

.: Tudo o que já foi postado sobre o “Deus Imenso”

Nossa harmonia é o Nome de Jesus

Por inspiração Divina, a Canção Nova – Casa de Maria – vive hoje, 2 de maio, um dia especial de adoração ao Deus Imenso. Por iniciativa e revelação Dele, assim como um violão é afinado, Deus afina a Canção Nova às batidas do Seu coração. Ele descongela corações, harmonizando-os  com as batidas do seu proprio coração.

Adoração - restituição da Canção NovaPela fé, hoje a Canção Nova (obra, membros, sócios, missões) experimenta o poder ressuscitador de Deus. Ondas do Espírito Santo derrubam muralhas. O Espírito Santo sopra uma unção nova. Nos “lábios da Canção Nova” surgem brasas ardentes para o louvor a Deus: é tempo de louvor que atrai o olhar de Deus. Perto Dele encontram-se marcas de eternidade.

A partir do Santuário do Carisma Canção Nova, o Senhor restitui vocações a esta obra que foram perdidas ou roubadas. “Profetizem – diz o Senhor – e a medida que profetizarem a restituição acontecerá“.

“Mudarei a sorte de Israel e de Judá, vou reconstruí-los como antigamente.
Vou purificá-los dos pecados que contra mim cometeram,
perdoar as perversidades que contra mim praticaram e
o fato de me terem desprezado.
Serão para mim motivo de fama, de alegria, de louvor e festa
por entre todas as nações da terra que
ouvirem falar de tudo de bom que lhes faço.
Elas hão de estremecer e comover-se diante de todo o bem
e felicidade que darei a Israel e Judá.
Assim diz o SENHOR: Neste lugar que dizeis abandonado,
sem gente e sem animais, nos povoados de Judá e
nas ruas de Jerusalém, vazias, sem gente, sem moradores,
sem animais, aí novamente se ouvirá o som da música,
o rumor da alegria, o sussurro dos namorados,
e também a voz dos que levam o sacrifício de louvor
ao templo do SENHOR
cantando:
‘Louvai o SENHOR dos exércitos, porque o SENHOR é bom,
eterno é seu amor’
.
Sim! Mudarei a sorte deste país, assim como era antes, diz o SENHOR.”
Jer 33, 7-11

.

Tome posse da graça de Deus para você hoje!

Outros vídeos desta adoração:
.: Cantai ao Senhor Deus uma Canção Nova
.: Cantemos o Nome de JESUS