Diante das realidades difíceis que nossa nação tem vivido elevaremos a Deus um grande clamor de intercessão e de jejum.
É uma CONVOCAÇÃO para unir o maior número de pessoas nessa causa vivendo 21 dias de clamor e o jejum de Daniel pela nossa nação. Ninguém é bom sozinho e precisamos está unidos como os dois servos que seguraram os braços de Moisés: Quando os braços de Moisés ficaram cansados, Arão e Hur pegaram uma pedra e a puseram perto dele para que Moisés se sentasse. E os dois, um de cada lado, seguravam os braços de Moisés. Êxodo 17. 12

Nessa convocação unamos o maior número de cristãos na certeza de que estaremos intercedendo pela nossa nação. Trago um breve histórico sobre o Jejum de Daniel e o roteiro para esse nosso tempo de intercessão.

Naqueles dias eu, Daniel, fiz penitência durante três semanas. Não provei alimento delicado algum: não passou em minha boca nem carne nem vinho, não me ungi de óleo absolutamente durante o transcurso dessas três semanas.” (Dn 10, 2-3) Temos o exemplo clássico de um “jejum parcial”, realizado em meio às atividades do dia-a-dia, com o propósito de alcançar de Deus a graça oportuna. Os demais versículos deste capítulo de Daniel, mostra o culminar deste jejum. O anjo do Senhor visita Daniel com uma revelação indispensável a respeito das batalhas que se travam nas regiões celestes (versículos 13-22).

O próprio Senhor, em sua visita, assegura com palavras encorajadoras a eficácia de seu jejum e penitência:
“Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste teu espírito a compreender, e em que te humilhaste diante de teu Deus, tua oração foi ouvida, e é por isso que Eu vim.” (v. 12). Daniel dedicou três semanas completas (vinte e um dias) ao jejum e à oração. O tempo dedicado ao jejum é reservado para buscar o Senhor, mesmo em meio às atividades cotidianas. Somos convocados a intensificar nossa comunhão com o Senhor.
Precisamos ter atenção também que um jejum sem propósito definido é como vagar num túnel escuro, sem se saber de onde vem ou para onde vai. Assim, de maneira especial nesse tempo estamos pedindo o Avivamento das Famílias além é claro das suas intenções particulares, pois Deus não se deixa vencer em generosidade.
Como faremos nosso Jejum?
Por três semanas (vinte e um dias), somos convocados a um jejum parcial.
Será um tempo de maior oração e dedicação ao Senhor.
Durante este tempo, evitaremos alimentos pelos quais buscamos mais saciar nosso gosto do que as necessidades reais do nosso organismo (doces, refrigerante, excesso de frituras ou outros alimentos que constituam hábitos alimentares aos quais estejamos apegados).
Pode-se escolher duas opções: ou iniciar a alimentação diária só a partir das 12h, ou simplesmente cortar uma das refeições do dia. Aqui faço uma observação básica, não podemos descontar na próxima refeição o que oferecemos na anterior.

Roteiro para a oração pessoal nos dias de jejum:

1° Dia: Eclo 18, 7-14 (reconhecimento da nossa maldade e presunção em querer o auxílio de Deus sem Sua providente ajuda);
2° Dia: Joel 2, 12-14 (chamamento ao arrependimento);
3° Dia: Joel 2, 15-18 (convocação para oração e êxito do propósito);
4° Dia: Zacarias 13, 1-9 (jorrará uma água que lavará nossos pecados, impurezas e mentiras e o fogo nos purificará e nos provará para voltarmos a ser o povo de Deus);
5° Dia: II Crônicas 7, 13-18 (promessas de bênçãos se os requisitos forem preenchidos);
6° Dia: II Crônicas 7, 19-22 (promessas de ruínas, desgraças se desviarmos da vontade do Senhor);
7° Dia: Apocalipse 2, 1-7 (diante de um declínio espiritual, mediante ao arrefecimento do primeiro amor, Deus nos exorta a voltar às primeiras obras);
8º Dia: Ezequiel 22, 1-16 (ataque a violência e a idolatria da cidade sanguinária);
9º Dia: Ezequiel 22, 17-22 (descrevem Israel como escória, algo desprezível e sem valor);
10º Dia: Ezequiel 22, 23-31 (condena os erros dos profetas, sacerdotes, os chefes, e o povo da terra que adotou modos pecaminosos. Assim, a destruição de Jerusalém é inevitável, devido à corrupção geral da cidade);
11º Dia: Ezequiel 18, 25-32 (Deus não sente prazer com a morte de ninguém, deseja, antes, a conversão do seu povo);
12º Dia: Isaias 59, 1-3 (o obstáculo a ser removido é o pecado);
13º Dia: Oséias 10, 12 (enquanto tiver maldade encoberta, Deus não vai operar);
14º Dia: Isaias 64, 1-4 (é hora de pedir a manifestação dos céus sobre a terra);
15º Dia: Jeremias 33, 2-3 (para que o Senhor responda, precisa, antes, ser invocado);
16º Dia: João 14, 12-14 (aquele que crê no Senhor, fará grandes obras);
17º Dia: Lucas 16, 19-31 (Deus não quer o remorso do seu povo, Ele deseja a verdadeira contrição por meio do arrependimento);
18º Dia: Provérbios 28, 13 (há recompensas especiais para quem confessa seus pecados);
19º Dia: 1Coríntios 11, 23-34 (o cuidado em examinar a si mesmo);
20º Dia: 1Pedro 4, 12-19 (o julgamento começará primeiro pela casa de Israel);
21º Dia: Daniel 9, 4-19 (faça um exame de consciência minucioso em cima dos 10 mandamentos e os 7 pecados capitais e faça uma confissão escrita, a exemplo do profeta Daniel, pois os profetas não somente exortavam os outros a que orassem e confessassem, mas eles mesmos se dedicavam a fazer).

Nos encontramos diariamente na oração.

Deusbençoe muito o seu propósito!

Veja também:

O aborto do Espírito Santo

Oração Contra o Malefício

Oração de Libertação

O medo é uma arma do demônio

Follow @ax_cn

 

Comments

comments

2 Comentários

  1. Maria Gorett fraguas

    Se eu orar, se eu clamar, as muralhas não resistirão ao poder de meu Deus!!! Senhor misericórdia de nosso País , de nossas famílias.

    Estamos juntos nesse clamor, nessa batalha!!!! Amém!

  2. Maria de Fátima Morais Szaboszlai Franco

    Unidos em oração nesta batalha ! JESUS, TEM MISERICÓRDIA DAS NOSSAS FAMÍLIAS E DO MUNDO INTEIRO! OBRIGADA, JESUS POR NOS AJUDAR, EU CREIO E CONFIO EM VÓS! AMÉM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *