A missão no Polo Educacional da Canção Nova

“Dai-me almas e ficai com o resto” (Dom Bosco)

Confesso que essa frase nunca teve tanto sentido em minha vida como a partir do momento em que passei a contemplá-la no meu dia a dia, de forma intensa no campo de missão que hoje estou exercendo o meu apostolado na Canção Nova.

Eu me chamo Saulo Macena, sou missionário da Canção Nova, desde 2009, casado e pai. Atualmente, exerço meu apostolado no Polo Educacional da Canção Nova onde trabalho com todas as realidades que envolvem a espiritualidade do Instituto CN e Faculdade Canção Nova.

Tenho me encontrado, no dia a dia, de forma pessoal com Jesus em cada criança, jovem e adulto que contemplo no meu trabalho. A evangelização que, de início busco realizar, começa concretamente em minha moradia com os meus, se estende no caminho para o trabalho e transborda desde o portão de entrada da escola, quando encontro os porteiros e monitores e depois os alunos e os professores. Impressiona-me como um simples ‘’bom dia’’ dado com sinceridade e com alguns minutos de carinho e atenção fazem a diferença.

O “Dai-me almas e ficai com o resto” não acontece somente e exclusivamente nos momentos de espiritualidade tradicionais e essenciais de nossa fé, que são propostos como a Santa Missa, adoração eucarística, atendimentos de oração, catequese de crisma e muitos outros, mas ainda mais tenho aprendido na prática que os jovens e crianças, que tanto foram amados e cuidados por Dom Bosco, existem no agora deste mundo e me são confiados. 

 

Capela da Educação Infantil – ICN/ Arquivo CN

.: Eventos e a missão de evangelizar

.:A sadia convivência nos fundamentos da Canção Nova

O amor em gestos concretos

Os mesmos “gritam” pedindo a graça de serem olhados não como números ou como simples indivíduos, e sim como pessoas amadas por Deus em mim e através de mim. Fico impressionado como que o simples fato de dar atenção a alguém pode conduzir a mesma ao encontro pessoal com Jesus na mesma eficácia e, às vezes, até mais do que um momento forte de oração de cura e libertação ou pregações e ensinamentos teológicos. Não quero dizer aqui que essas realidades não sejam importantes, mas sim que, em meio a tantos meios que possuímos hoje de forma atual, um deles Dom Bosco entendeu e, tomando posse do mesmo, se utilizou de forma intensa; AMOREVOLEZZA.

Em Dom Bosco o amor se traduz em amorevolezza: amor sobrenatural, impregnado de discernimento e compreensão humana, de ternura paterna e fraterna, que faz o educador viver a vida dos educandos. Família (ambiente de família) e alegria são os dois postulados da amorevolezza. Não existe educação sem amor, mas amor como amorevolezza. Não existe amorevolezza em concreto, sem um ambiente e um clima de família, de confiança cordial e afetuosa.

Confesso que, no meu apostolado diário, onde me coloco como servo de todo um povo confiado a mim na minha missão, sou muito mais beneficiado e alimentado pelo amor de Deus que se revela no sorriso, no olhar, no abraço e que tem como campo o “Pátio”, traduzido por Dom Bosco em sua vida e seu carisma salesiano da qual a Canção Nova faz parte.

O que partilhei aqui, de forma pessoal, desejo que também você possa viver na sua vida pessoal e na sua missão específica seja onde for.

Deus o abençoe!