Ninguém tem o direito de te roubar a esperança

Ainda que erres, poderás sempre levantar a cabeça e voltar a começar, porque ninguém tem o direito de te roubar a esperança. (Christus Vivit, nº 142)

Neste caminho que estamos fazendo com a Exortação Apostólica Christus Vivit, a carta aos jovens, chegamos ao capítulo V que traz como tema: Percursos de Juventude. Nele o Santo Padre, Papa Francisco, inicia o capítulo falando de algo que é muito característico na vida dos jovens: sonhos e opções.  

Como fase do desenvolvimento da personalidade, a juventude está marcada por sonhos que se vão formando, relações que adquirem consistência sempre maior e equilíbrio, tentativas e experiências, opções que constroem gradualmente um projeto de vida. Nesta época da vida, os jovens são chamados a lançar-se para diante, mas sem cortar com as raízes, a construir autonomia mas não sozinhos (Christus Vivit, nº 137)

É próprio da juventude sonhar, projetar a vida e quando se trata de servir a Deus, na maioria das vezes, aparecem os medos de que estes sonhos sejam interrompidos. Mas o que acontece é exatamente o contrário, nosso relacionamento com Deus nos leva a vivência cada vez mais completa destes sonhos, e a lugares que superam até mesmo as nossas expectativas. 

Ninguém tem o direito de te roubar a esperança

Devemos perseverar no caminho dos sonhos. Para isso, é preciso ter cuidado com uma tentação que muitas vezes nos engana: a ansiedade. Pode tornar-se uma grande inimiga, quando leva a render-nos, porque descobrimos que os resultados não são imediatos. Os sonhos mais belos conquistam-se com esperança, paciência e determinação, renunciando às pressas. Ao mesmo tempo, é preciso não se deixar bloquear pela insegurança: não se deve ter medo de arriscar e cometer erros; devemos, sim, ter medo de viver paralisados, como mortos ainda em vida, sujeitos que não vivem porque não querem arriscar, não perseveram nos seus compromissos ou têm medo de errar. Ainda que erres, poderás sempre levantar a cabeça e voltar a começar, porque ninguém tem o direito de te roubar a esperança. (Christus Vivit, nº 142)

Foto: pexels-photo-1062280

Jovem, eu te ordeno: Levanta-te!

Recordo de dois jovens ressuscitados por Jesus: o filho da viúva de Naim e a filha de Jairo, ambos envoltos em situações de morte, mas o Senhor vai ao encontro de cada um para devolver-lhes a vida, a esperança, a juventude: 

“Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: “Não chores!”. E, aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: “Moço, eu te ordeno, levanta-te”. Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe.”   (conf. Lc 7,11-17) 

“Enquanto ainda falava, veio alguém e disse ao chefe da sinagoga: “Tua filha acaba de morrer; não incomodes mais o Mestre”. Mas Jesus o ouviu e disse a Jairo: “Não temas; crê somente e ela será salva”. Quando Jesus chegou à casa, não deixou ninguém entrar com ele, senão Pedro, Tiago, João com o pai e a mãe da menina. Todos, entretanto, choravam e se lamentavam. Mas Jesus disse: “Não choreis; a menina não morreu, mas dorme.” Zombavam dele, pois sabiam bem que estava morta. Mas segurando ele a mão dela, disse em alta voz: “Menina, levanta-te!”. Voltou-lhe a vida e ela levantou-se imediatamente. Jesus mandou que lhe dessem de comer.” (conf. Lc 8, 49-55)

Mais sobre a Christus Vivit: 

:: Precisas de amor? Buscas intensidade?

:: O amor e a dor igualmente se “perdem” num abraço

:: O Amor de Deus supera a medida do amor humano

Entregai-vos ao melhor da vida!

Hoje o Senhor também te diz: Moço, Moça, levanta-te! Retorna a Vida! Tua juventude foi feita para manifestar a juventude do Cristo Vivo! Volta a sonhar! Tenha a coragem de recomeçar, pois o Senhor está contigo! Não sejais carros estacionados, mas deixai brotar os sonhos e tomai decisões. Ainda que vos enganeis, arriscai. Não sobrevivais com a alma anestesiada, nem olheis o mundo como se fôsseis turistas. Fazei-vos ouvir! Lançai fora os medos que vos paralisam, para não vos tornardes jovens mumificados. Vivei! Entregai-vos ao melhor da vida! Abri as portas da gaiola e saí a voar! Por favor, não vos aposenteis antes do tempo (Christus Vivit, nº 143)

 

Patrícia Coêlho Costa

Comunidade Canção Nova