(continuação)

Chegamos a São José. Uma comunidade que está em construção, mas bem fervorosa. Mais uma vez otimamente acolhidos. Atendi várias confissões e seguimos com a Missa.

Não nego que na segunda missa do dia já fico mais cansado, pois as missas duram de duas a três horas, mas busco celebrar com o mesmo ou maior ardor que a primeira, porque o povo merece o melhor.

Mais uma vez um lindo coral, parece um vai superando o outro. É coisa linda ver estes grupos corais de camponeses cantando afinadíssimo, as vozes em harmonia. Alguns com suas roupas surradas, outros de pés descalços. Cantando a Deus com toda alma e não deixando nada a desejar aos grandes corais pelo mundo.

Terminamos a Missa com muita alegria e enquanto esperávamos o almoço. Saí para visitar as casa e as famílias da aldeia. Que experiência maravilhosa!

A maioria ali nem cristãos eram, saudava a todos, e percebia a alegria deles em me acolher, deixando entrar em suas palhotas para abençoa-las. Ganhei muitos presentes destas pessoas: batata, milho, mamão, cebola e etc. Que maravilha, corações agradecidos!!!

Almoçamos ali mesmo na capela junto com o povo, uma boa xima, arroz, frango e carne de cabra.

Depois ainda segui para atender um doente da comunidade que mora próxima da capela. E por fim, seguimos nossa viagem para Zobuè com o coração feliz e realizado com mais uma santa experiência de missão cumprida.

 

Deus abençoe a todos.

Até a próxima…

 

Padre Ademir Costa

Missionário em Moçambique

Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *