Print Friendly

O perdão requer sair de si, tomar uma decisão

Em 2008 ingressei no tempo de formação chamado na Canção Nova de “discipulado” na cidade de Queluz (SP).

Quando cheguei, senti Nossa Senhora me dizendo que eu seria gestada no Carisma Canção Nova. Esta gestação se daria nas podas e curas do próprio Deus, durante aquele ano.

Vou relatar um pouco da minha historia para você entender:

Nossa SenhoraSou de uma família de origem humilde. Meus pais tiveram dez filhos: seis homens e quatro mulheres. Com o falecimento do meu pai, minha mãe precisou cuidar de tudo, se sentindo muito sozinha na época. Por falta de conhecimento, ela entregou os filhos para serem criados por outras famílias. Com cinco anos de idade, fui morar com um casal, mas sentia muita saudade da minha mãe… Era uma dor na alma viver na distância e sem compreender qual o motivo, pois eu era muito pequena. Depois de um ano morando com esta família voltei para casa com minha mãe e alguns irmãos. Foi um recomeçar!

A distância só me afastou da minha mãe, interferindo no sentido do amor familiar. Foram três anos vividos com minha mãe passando por muitas dificuldades financeiras.

Aos nove anos fui morar com outra família. Novamente recomeçar! Lá, vivi várias situações conflitantes, mas foi onde Deus me resgatou, mostrando todo Seu amor por mim. Vejo minha história semelhante a de José do Egito, da Bíblia: numa situação ruim, Deus sempre tem o Seu plano de amor. Através desta família, em Vitória da Conquista (BA), conheci a Canção Nova e depois de uma longa história de acompanhamento vocacional, me identifiquei com a missão e ingressei na Comunidade.

Não vivi uma experiência com Nossa Senhora antes de morar na Canção Nova. Penso que inconscientemente eu relacionava a Virgem Maria com a difícil convivência com minha mãe. Na Casa de Maria é que fui pedindo para Nossa Senhora curar o meu coração de todo ressentimento e falta de perdão, pois eu pensava que já tinha perdoado minha mãe… No entanto, eu não tinha atitudes, não ligava para minha mãe, nem manifestava carinho, afeto. O perdão requer sair de si, tomar uma decisão.

Na nossa “capela  grande”,  da Casa de Maria em Queluz – SP,  há uma imagem de Nossa Senhora de Fátima [foto acima] e tantas vezes chorando, eu pedia à  Ela que curasse o meu coração… Num dia, fui tomada de compaixão e amor por minha mãe, pude compreender toda a sua história. Era Nossa Senhora vindo em meu auxílio, depositando em meu coração sentimentos por minha mãe, até então inexistentes.

Ozorina Azevedo - Comunidade Canção NovaSe você vive assim por alguma situação, tenha coragem de olhar para sua história sem medo! Peça a ajuda de Nossa Senhora, que é a portadora de todas as graças do Céu!

Eu recebi esta graça, e cada dia vou dando uma nova resposta para a minha história e Deus age! Hoje procuro ser presença na vida da minha mãe, aceitando o seu jeito simples, alegre de um coração bondoso e temente a Deus.

Deus abençoe você e suas novas decisões!
.

Ozorina Azevedo [ @ozorinacn ]
Missionaria – Frente de Missão CN em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *