Precisamos ter confiança em Deus em tempos de pandemia

Em tempos de pandemia, precisamos confiar plenamente que o Senhor está conosco.

“Não tenhas medo… porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence” (Atos 18,9-10).

Se você pertence a Deus porque temer? Mas, se temer, não se desespere. Continue a rezar, pois o socorro virá. Jesus está conosco permanentemente porque somos sua pertença e propriedade. Ele é nosso Bom Pastor e cuida de nós. Entretanto, não podemos nos negar a viver o sofrimento se bate à nossa porta. Seria indigno do nome de cristãos. O discípulo de Cristo divide com ele alegrias e dores sem nenhum temor.

“Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja”(Colossenses 1,24).

Irmãos devemos guardar em nossos corações a certeza de que “por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus. Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência,a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” (Romanos 5,2-5).

Essa pandemia com seus efeitos (isolamento social, igrejas fechadas com celebrações virtuais, estabelecimentos fechados, pessoas internadas e inumeráveis mortos, entre outros), é um desafio à fé e talvez nos leve a perguntar: “Onde está Deus em tudo isso? “Contudo, nunca devemos nos esquecer que “sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios.” (Romanos 8, 28). Assim “tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada.”(Romanos 8,18).

Por isso, amparados pela Palavra da Vida vivamos esses dias acreditando que tudo passa e não demorará. Mas, se demorar, peçamos a Deus Pai a certeza de que ele nunca nos abandonará.

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?…Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou. Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades,nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura [podemos até acrescentar: nem mesmo o novo Corona Vírus] nos poderá separar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8, 35-39).


Que o Senhor te abençoe sempre e leia a Bíblia! Paz e bem.

Diácono Jorge – Segundo Elo
Comunidade Canção Nova 

Plug-ins Sociais