A força do “sim” de Maria

“O ‘sim’ e o desejo de servir foram mais fortes do que as dúvidas e dificuldades”

A fase da juventude é aquela que gosta de desafios, que tem a disposição para viver aventuras, que traz a força e a vitalidade dentro de si, que são movidos pela busca incessante de felicidade, que não tem medo de arriscar-se por aquilo que acredita e se dá inteiramente ao que ama.

Na História da nossa Salvação, a fidelidade, a pureza, a força e a simplicidade da Jovem de Nazaré atraiu o olhar amoroso de Deus, e Este lhe confiou a missão de ser “A Mãe do Senhor”. Diante do maior desafio da história da humanidade, a Jovem de Nazaré disse “sim”, submetendo seus planos, sua vida, seu futuro a Deus.

Maria é o rosto jovem da Igreja de Cristo, que nos ensina a seguir seu Filho sem reservas, sem medo. “Maria não comprou um seguro de vida! Maria embarcou no jogo e, por isso, é forte, é uma “influenciadora”, é a “influenciadora” de Deus! O “sim” e o desejo de servir foram mais fortes do que as dúvidas e dificuldades” (Christus Vivit – nº 44).

Arquivo: TV Canção Nova

“As dificuldades não eram motivo para dizer ‘não’ “

Foi  o ” ‘sim’ de quem quer comprometer-se e arriscar, de quem quer apostar tudo, sem ter outra garantia para além da certeza de saber que é portadora duma promessa. Pergunto a cada um de vós: Sentes-te portador duma promessa? Que promessa trago no meu coração, devendo dar-lhe continuidade? Maria teria, sem dúvida, uma missão difícil, mas as dificuldades não eram motivo para dizer ‘não’. ” (Christus Vivit – nº 44).

Você já parou para refletir quantos desafios e dificuldades viveu a Mãe de Jesus? Estava com tudo “pronto” para o casamento com José e concebeu pelo Espírito Santo (Lc 1,26-38), quando teve que viajar grávida para o recenseamento a mando do Imperador  e sem encontrar lugar para hospedar-se com José deu à luz seu Filho numa estrebaria (Lc 2,1-7),  fugiu para o Egito para salvar o Menino Deus das garras de Herodes (Mt 2:13-23), viveu a angústia de “perder-se” do Filho em Jerusalém (Lc 2,41-52), seguiu o Cristo em todos os momentos de sua vida pública, seja auxiliando no primeiro milagre nas bodas de Caná (Jo 2,1-12), seja como exemplo dos discípulos de Jesus: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 8,21).

No calvário, na crucificação, na morte, na expectativa pela Ressurreição, no derramamento do Espírito Santo em Pentecostes… Maria é presença viva e ativa na Igreja e na vida daqueles que seguem a Cristo e desejam a santidade.

Fiz questão de citar os fatos da vida e da missão da nossa amada Mãe, para que você perceba que a sua vida não é muito diferente da dela, todos nós passamos por diversas dificuldades, enfrentamos desafios, mas aqueles que estão intimamente unidos a Deus superam tudo.

Leia também: 

:: “Minha primeira experiência do amor de Deus foi por meio de Maria”

:: A juventude do Ressuscitado ilumina a nossa juventude

 

A “Canção Nova, é a casa de Maria”

O nosso fundador, Monsenhor Jonas Abib sempre nos diz que a “Canção Nova, é a casa de Maria”, que “Somos a descendência de Maria. Somos a raça de Maria. Somos da sua estirpe. Pertencemos à sua linhagem. Na Canção Nova foi ela quem fez tudo. Ela está na origem de tudo. Constatamos sua presença de mãe e de mestra sempre e em tudo. Ela é a mãe e a educadora da Canção Nova” (Nossos Documentos – nº 17).

A Vocação Canção Nova é fruto do “Sim” de Maria, é o desdobrar desse compromisso assumido por amor. Dentro da Comunidade, Ela tem um papel fundamental. Tudo o que vivemos e fazemos está sob seus cuidados. Vivemos em sua Casa, pois é nela que somos diariamente formados para sermos cada vez mais a imagem e semelhança de seu Filho. Tudo começou com um “SIM”. Diante do desafio que o Senhor tem te feito o que você diz? Qual é a sua resposta?

 

 

Patrícia Coêlho Costa

Comunidade Canção Nova