Jesus nos salva de sermos órfãos ou abandonados.

 

            Eu fui salvo no meu Batismo. Eu estou sendo salvo. Eu espero ser salvo. O Pai Eterno nos adotou em Cristo. E Ele não pode voltar atrás. A propósito, nós vivemos como filhos  do Pai?

            Você é salvo? Tem certeza sobre isso? Já pensou sobre isso? É um excelente pergunta, mesmo que você tenha certeza, que bom é meditar sobre isso! Em todas as Missas nós testemunhamos que somos salvo justamente após o cálice ter sido levantado e consagrado. Pedro vai dizer, que em Nome de Jesus nós fomos salvos! Antes da Comunhão nós respondemos: – Senhor eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei um Palavra e eu serei SALVO! O nome de Jesus em Yeshua em Hebraico quer dizer : DEUS SALVA! Sim, nós somos Salvo pois fomos batizados. E devemos viver como pessoas que foram salvas.

            Dando sequencia a essa pergunta, Salvo do que? São Paulo vai esclarecer, Jesus veio ao mundo para nos salvar dos nossos pecados. Muitas pessoas pensam que isso não significa nada. Todos nós batizados sabemos pelo nosso Catecismo que a Palavra de Deus diz que todos nós somos pecadores e quem se diz não pecador é cego sobre si mesmo. Todos nós experimentamos pecado e necessitamos de salvação.

            Um dia em nossas vidas, um dia seja na adolescência, seja como adulto jovem, ou adulto ou até mesmo na velhice, nos depararemos com um momento de profunda experiência com Deus vivo. Neste dia onde experimentaremos um encontro pessoal com Jesus Cristo vivo e ressuscitado. A partir deste momento nosso coração se encherá de alegria do encontro e já não poderemos mais conter  de alegria e amor , desejando encontrá-lo mais e mais em cada Eucaristia,

Adoração ou momento de fé. No dia do encontro tomamos ciência da nossa condição de pecador e entendemos que Ele morreu na Cruz no nosso lugar, pelos pecados que nós cometemos , estamos cometendo agora e iremos cometer. E fica claro que necessitamos de um Salvador.

            A resposta Católica sobre se somos salvos:- Fomos salvos no Batismo e estamos continuamente sendo salvos pelo Senhor em cada Confissão e em cada Eucaristia. A Salvação foi um evento e permanece como um processo. É necessário continuarmos sendo salvos até o final.

            Salvação não é um cartão de libertação do inferno. Salvação é algo muito mais profundo. Salvação é ser livre de não se parecer com Jesus. Quando a Salvação começa a acontecer,  nós somos colocados no relacionamento de Deus com seu Filho , Deus Pai e Cristo.

            Nosso primeiro passo para este relacionamento, significa ser salvo de sermos abandonados, de não se transformar em alguém com perda da orfandade paterna. Deixar de ser escravo para ser Filho. Deixa de ser escravo para ser Filho Adotivo. Nós somos adotados e parece que não queremos morar na Casa deste Pai. Como se vê isso na Parábola do Filho Pródigo. Ele tem tudo, mas não quer viver na Casa do Pai. Todos temos em nosso coração este desejo de sermos só nós! Queremos experimentar viver a vida por nossa própria conta e responsabilidade.

            Como tudo isso é louco, nós queremos viver fora da Casa do Pai! Para ilustrar isso como o Pai nos vê e nos ama. Pense em um casal que resolve adotar uma criança e chega o grande dia, são chamados e de repente ao ver o bebê eles notam uma mancha feia no rosto do bebê e ficam em dúvida sobre se ficam ou não com um bebê, e um Padre ao ser chamado para aconselhar-lhos diz:- Puxa para mim este bebê é lindo. Em cinco minutos após os dois conversarem se vêem como o Pai Eterno os vê, como lindos não importando se eram ou não bonitos, e eles eram, aliás muito bonitos, e minutos depois estavam com o bebê nos braços para levá-lo para casa. Que alegria saber que o Espírito Santo vem em nós como São Paulo nos fala em Romanos : – O Espírito em nós fala: Abbá ( Papaizinho), Pai nosso que está no  Céu. 

            Muito importante sabermos que quem é adotado recebe tudo como  filho que está sendo adotado. Como se fosse uma criança naturalmente nascida. Na Lei Romana, se você tivesse um bebê natural e este bebê tivesse algum defeito , você poderia descartá-lo. Mas se você tivesse adotado, jamais poderia abandoná-lo.

            Nós somos adotados, como filhos, jamais seremos adotados. Nós fomos adotados para jamais sermos órfãos. Deus nos olha e diz : Eu jamais o abandonarei, jamais te deixarei. Deus me salvou quando me fez como seu filho. Continuamente Ele está me salvando. Um dia eu entrarei na Casa do Pai com Filho livre de todo pecado, pois: – “ por suas chagas fomos Salvos”. Lembre-se que Salvo e Curado em grego é a mesma palavra.

 

Oremos: Abbá (Pai) Amado, meu papai, meu papaizinho. Quero hoje me abandonar em seu amor e ser aquilo que o Senhor quer de mim, quero ser constantemente ser Salvo. Eu sei que quantas vezes o tentador me leva para fora da sua Casa e tenta me destruir como filho, que tenta me diminuir como filho, que tenta me convencer de que eu não sou filho e que não poderia ser salvo, mas O Senhor vem em Socorro das minhas fraquezas e sopra em mim o Espirito Santo que me defende, que  me ergue e me faz proclamar a minha filiação com o Pai Eterno.  Vem Senhor nesse dia me curar, me libertar com a sua infinita Misericórdia, pois eterno é o seu Amor, e eterna é a Sua Misericórdia

Amém

 

O que está por trás do sentimento de abandono

 

            Recentemente pudemos ler ou  assistir no cinema e agora no Netflix o filme  baseado no livro: Marte , livro de Andy Wheir. Acho que todos que assistiram ou assistirão terão um sentimento parecido. O que fazer quando você é deixado para trás? Além de ter sido deixado para morrer além disso ainda estava ferido. A lição que tiramos  desta experiência para refletir, enquanto estamos ali sofrendo com o autor naquela  situação dramática, é ver o possível. Este astronauta entende que para continuar vivo e ainda assim conseguir ser resgatado, deveria  se voltar para o passo a passo de tudo que precisava ser feito. Ele não olhava para o impossível e sim para o que era possível. Inicialmente tratar de sua ferida, tomar antibiótico. Depois como se alimentar neste tempo que poderia durar muito dias, meses ou anos.

Voltamos para o tempo de hoje, quantos acontecimentos no mundo. O mundo está louco, nosso país um manancial de informações a todo momento nos chocando e tentando nos paralisar. O que fazer? Bem, não paralise pelos acontecimentos, busque focar sua vida naquilo que você pode fazer e faça, não espere os outros fazerem. Não se canse de buscar todos os dias fazer o que tem que ser feito e fazê-lo bem. Precisamos buscar tomar as nossas decisões de forma correta e para isso saber bem o que fazer é um bom começo. Informação é a base de tudo.

                       Fazendo um paralelo com as escrituras desta semana, vemos o profeta Isaías profetizando cento e cinquenta anos na frente  de seu tempo, narranod sobre o Rei Ciro  que prepararia o povo de Israel para voltar a sua terra e reconstruir o Templo. Jeremias um pouco mais a frente vai também falar sobre este tempo, Jeremias 29: Vocês podem não saber tanto o que estará acontecendo nesses tempos, mas casem, cultivem, tenham filhos, construam suas casas. O que nos paralisa neste momento, é querer garantias! Contra esse sentimento tenha por base a fé. Nós sabemos bem o que temos que fazer agora e assim nos será garantido o próximo passo, pois Deus estará cumprindo Sua Promessa. Por que então nós procrastinamos tanto assim para tomar as decisões. Dizendo melhor por que nós demoramos tanto para fazer as coisas? Muitas pessoas acham que procrastinam porque são preguiçosos, mas isso não é verdade, procrastinam por que elaboram um mecanismo de evitar o Estresse que isso causa em nós. Estranho não? Mas é verdade. Nós queremos evitar o estresse. Todo mundo sabe como lavar pratos e porque não lavam e mantem as coisas sempre limpas? Pense nisso em sua vida hoje? Nós procrastinamos não para evitar as tarefas, os deveres e os afazeres, nós fazemos isso para evitar o estresse que a tarefa nos impõe. Isso revela algo muito profundo. Nós não nos movemos porque temos medo de não sermos suficientemente competentes. O maior medo é de não  ser competente, capaz, hábil o suficiente para realizar. Daí vem esta grande ANSIEDADE. Em nenhuma época da história o povo se sentiu com tanta ansiedade como vemos no presente momento! Nós estamos nos sentindo abandonados, indefesos, sem possibilidade de sermos ajudados, socorridos. Uma das razões desta ansiedade é a Supervalorização do perigo e a desvalorização da nossa capacidade de defesa. Por isso eu me paraliso. Uma das razões de tudo isso é ao invés de buscarmos um Crescimento Interior para conquistar as coisas de fora, a sociedade como um todo vem buscando Realizações, Conquistas EXTERIORES. Infelizmente é isso que vem acontecendo. Neste desvio de objetivo, estamos errando o objetivo que constrói a sociedade justa. Quando focamos no crescimento interior, mesmo que não vençamos, continuamos nossa batalha para vencer. Mas quando o foco é conquista exterior, as vitórias e as derrotas não dependem mais da pessoa, e daí vem o sentimento de perda, de falha, de derrota. As pessoas como muito medo de falhar ficam constantemente em ansiedade que vai tomando conta dela, como ansiedade generalizada. Por isso que quando sua vida é baseada em crescimento interior, o não entrar em uma determinada famosa Universidade não parece ser o fim do mundo, mas para uma pessoa que estas coisas significam quase  tudo na vida da pessoa, o não ingresso significa uma catástrofe, assim foi provado pelo estudo realizado na Universidade de Dortmund, avaliando candidatos  a esta estimada Universidade (Ivy League) em suas reações quando eram informados de suas reprovações, devido ao fato de  suas notas não serem suficientes para alcançar a admissão. Mesmo na falha a pessoa está sob controle quem se baseia sua vida em crescimento interior. Porém os que baseiam sua vida em não falhar, quando falham paralisam e foi isso que este estudo demonstrou.

                       Tim Greg descreveu algo muito importante para o dia de hoje: – Nós não estamos preparando nossos filhos para resolver seus próprios problemas. Não estamos dando a oportunidade a eles de entrar em algo complicado e conseguir resolver por eles mesmos. Fazer as coisas corretas, sem monitoramento adulto. Eles precisam sabe que podem falhar e continuar vivos e reagir. Assim nós estamos com filhos de 18 anos, adultos, pedindo ainda ajuda aos pais para resolver seus problemas de adulto.

                       O primeiro dever dos pais não é resolver os problemas de seus filhos, mas encorajá-los a lutar pelos seus sonhos, mesmo diante de tantos desafios que o mundo apresenta. Jamais proteja seus filhos do mundo e sim os treine para os desafios de suas vidas.

                       Quantas vezes principalmente as mães, querendo estragar seus filhos, permitem por razões muitos estúpidas, dores indeterminadas, febrículas, ou mesmo cansaço, que os filhos faltem às suas aulas. Quão irracional é este ato, pois tirou dos seus filhos a habilidade de superar estas frescuras e sobreviver! Não devemos tirar dos nossos filhos nunca a oportunidade deles em tendo chance de dizer sim a preguiça dizer não e encarar a superação. Assim se fazem crescer adultos batalhadores, que não qualquer dor, ou febrícula ou indisposição que pode impedir o cumprimento de seus deveres.

                       Não me esqueço do diálogo entre um filho e uma mãe no corredor da morte por seus crimes no Estado do Texas. A última palavra deste filho à sua mãe foi culpá-la por ajudá-lo a estar ali, por ter criado ele com rédeas soltas, bem linguajar de texano. Nada aqui para defender um lado ou outro mas para demonstrar as consequências de se deixar nossos filhos que já sabem andar ficarem nos nossos colos.

                       Você pode encarar o que te desafia e vencer. Você vai saber que é mais poderoso do que pensa. Deus é um pai educador e nos suporta para tudo o que é bom, para o nosso crescimento. Ser competente é fazer as coisas bem mesmo quando nos sentimos abandonados. Você pode agir mesmo quando você não acha que é capaz para aquilo. Não importa quão gênio você é, a vida é maior.

                       O Senhor disse a seu povo de Israel por Isaías tempos antes acontecer a libertação do seu povo do reino Persa, que iria operar esta libertação através de um Rei que nem conhecia o Senhor dos Exércitos. Assim Ele hoje quer fazer na sua vida e na minha. Dar-te a certeza de que ao darmos as rédeas ao Senhor, ao darmos a permissão para a Sua ação em nossas vidas, em nossos problemas atuais e futuros, em nossas missões, em nossas vocações, com todo o nosso sim e ação, se for para o nosso bem, Acontecerá! Creia nisso, pois é Promessa de Deus para nós!

                       Jesus nos disse pela boca de João. Que neste mundo teremos muitos problemas, muitas batalhas, muitas provocações, muitos desafios, mas não tema Eu venci o mundo e estarei com vocês até o fim! Mateus 28-18.

                       Louis Zambrine, um grande atleta preparado para ser um vencedor na olimpíada. Contudo foi chamado para o Exercito na Segunda Guerra Mundial.  Lutando no Pacífico como piloto, foi atingido pelo inimigo e caiu no mar onde tinham dezenas de tubarões e o inimigo ao redor. Lutando para sobreviver, imóvel para não ser descoberto pelo inimigo e nem pelos tubarões agarrado ao resto da aeronave. Finalmente conseguiu sobreviver e  foi lançado pelas ondas a uma praia onde antes mesmo de pisar na areia, acabou sendo capturado pelos japoneses e levado a um campo de concentração, onde por dois anos foi torturado até a beira da morte. Então veio o resgate, a rendição e o envio do Louis para a América novamente. Ao chegar em sua casa, durante anos apesar de ser amado por sua esposa, tratava todos com severidade e agressividade. Até que um dia após muitos maus tratos, sua esposa finalmente o desafiou a vir com ela, como última gota a um Retiro de Cura onde ele relutou até o fim, mas ela mostrou que era a última gota, última chance, último recurso  e ele se pôs a acompanhá-la. Para surpresa de todos mal o momento de oração começou e Louis se viu aos prantos de forma tão copiosa como jamais se viu na vida daquele homem desde que voltou do terror da guerra e do campo de concentração. Naquele momento Jesus o curaria da Síndrome Pós-traumática, dando a Louis a chance de uma nova vida, agora no Poder de um Deus que veio habitar um coração que sempre fora seu. Louis se achava superpoderoso antes e durante a guerra. Mas voltou derrotado e devastado, dependente químico. E agora descobriu que o Poder e a bondade vem somente de Deus como diz o salmista. Quando Jesus , Ele é mais do que o suficiente na nossa Vida! Ele gritou ao final eu não sou poderoso Jesus, Tu és! Louis perdoou todos que o torturaram. E Jesus fez grandes coisas através de Louis a partir daquela noite e manteve sua família até o fim!

                       Jesus é mais do que o suficiente em nossa vida. Receba o Senhor Jesus em sua vida hoje, dizendo: – Vem Senhor em socorro, todos os dias das minhas fraquezas. Eu não sou capaz de vencer este mundo, mas O Senhor Já venceu e vence e vencerá em todos os dias da nossa existência!

                      

            Oremos: Abbá ( Pai) Amado, hoje eu preciso entregar minhas batalhas, meus desafios, minhas derrotas, meus medos, minhas misérias, minhas concupiscências, meus vícios, meus tormentos, minhas ingratidões, meus falsos desejos, minha indiferença, minha ganância, minha autossuficiência, minha vanglória, minha avareza, minha soberba, minha falta de fé, minha idolatria ao mundo, ao reconhecimento público, ao lugar da frente da assembleia, ao exagero, ao apego, a tudo isso que me escraviza e me atormenta em suas mãos.

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Restaura-me Senhor!  Amém!

Hoje a Palavra que Deus nos coloca e nos provoca neste dia é CONVERSÃO! Algumas palavras deste Evangelho também nos discerne pelo proprio SEnhor que todo o seu ensinamento vem dizer que nós temos sim, que buscar o tempo todo ser simples, que não coloquemos nos homens nenhuma expectativa mas em Deus. Aqui é daquelas passagens que diz claramente que somente temos esta vida, e temos de ter responsabilidade sobre tudo o que fazemos. Isto é muito importante . Que o Senhor esteja sempre a frente da nossa vida sendo nosso único Mestre, o Raboni. Então que este dia seja para nós momento de reflexão sobre a verdadeira mudança.
Dr Nasser
 
Evangelho segundo S. Lucas 16,19-31.

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho fino e fazia todos os dias esplêndidos banquetes.
Um pobre, chamado Lázaro, jazia ao seu portão, coberto de chagas.
Bem desejava ele saciar-se com o que caía da mesa do rico; mas eram os cães que vinham lamber-lhe as chagas.
Ora, o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.
Na morada dos mortos, achando-se em tormentos, ergueu os olhos e viu, de longe, Abraão e também Lázaro no seu seio.
Então, ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem misericórdia de mim e envia Lázaro para molhar em água a ponta de um dedo e refrescar-me a língua, porque estou atormentado nestas chamas.’
Abraão respondeu-lhe: ‘Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em vida, enquanto Lázaro recebeu somente males. Agora, ele é consolado, enquanto tu és atormentado.
Além disso, entre nós e vós há um grande abismo, de modo que, se alguém pretendesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo, nem tão pouco vir daí para junto de nós.’
O rico insistiu: ‘Peço-te, pai Abraão, que envies Lázaro à casa do meu pai, pois tenho cinco irmãos;
que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento.’
Disse lhe Abraão: ‘Têm Moisés e os Profetas; que os oiçam!’
Replicou-lhe ele: ‘Não, pai Abraão; se algum dos mortos for ter com eles, hão-de arrepender-se.’
Abraão respondeu-lhe: ‘Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas, tão-pouco se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dentre os mortos.’»

Da Bíblia Sagrada – Edição dos Franciscanos Capuchinhos – www.capuchinhos.org

Comentário do dia:

Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja
Discursos sobre os salmos, Sl 85; CCL 39, 1178

«Deus olha para o coração» (1Sam 16,7)

Terá o pobre sido recebido pelos anjos unicamente devido ao mérito da sua pobreza? E terá o rico sido enviado para o lugar dos tormentos apenas por culpa da sua riqueza ? Não: é preciso entendermos que foi a humildade que foi premiada no caso do pobre e o orgulho condenado no caso do rico.

Eis a prova de que não foi a riqueza mas o orgulho que levou a que o rico fosse castigado. O pobre foi levado para o seio de Abraão; mas as Escrituras dizem de Abraão que ele tinha muito ouro e prata e que era rico na terra (Gn 13,2). Se todos os ricos são enviados para o lugar dos tormentos, como pôde Abraão receber o pobre no seu seio? Acontece que Abraão, com toda a sua riqueza, era pobre, humilde, respeitador e obedecia a todas as ordens de Deus. Ele tinha a sua riqueza em tão pouca conta que, quando Deus lho pediu, aceitou oferecer em sacrifício o filho a quem destinava essa riqueza (Gn 22,4).

Aprendei, pois, a ser pobres e ter necessidades, quer possuais alguma coisa neste mundo quer não possuais nada. Porque encontramos mendigos cheios de orgulho e ricos que confessam os seus pecados. «Deus resiste aos orgulhosos», estejam eles cobertos de seda ou de trapos, «mas dá a sua graça aos humildes» (Tg 4,6), quer eles possuam, ou não, bens deste mundo. Deus olha para o interior; é aí que avalia, aí que examina.