No 2 de fevereiro, dia da Apresentação do Senhor, celebramos de forma muito especial o dia da vida consagrada. Para Comunidade Canção Nova, este é um dia de festa e ação de graças, porque juntos, em comunidade, renovamos nosso compromisso com Deus neste Carisma que nasceu da vontade de Deus.

A partir do “sim” de um sacerdote que, conquistado pelo Senhor e movido pelo Espírito Santo, ousou fazer também um chamado aos jovens em 1977 para seguirem mais de perto a Cristo, nasceu a comunidade. Ao longo dos anos, muitos outros foram chegando, cada um a seu tempo e, junto aos primeiros, protagonizam esta linda história que completa 37 anos. More »

pescariaJá era tarde, o sol estava empolgado naquele dia! Como membro da Comunidade Canção Nova, eu me encontrava no período anual de descanso. Dentro do meu coração eu estava decidido a pescar com ele…

Já tinha pescado há muito tempo com ele, me recordo de poucas coisas. Mas, o tempo não foi capaz de me fazer esquecer a pessoa que me ensinou a pescar.

Penso que Jesus escolheu Pedro pescador, pelo simples fato do pescador ter hora para sair, mas não para voltar. Interessante, com ele não foi diferente, ele sempre agia assim: saia bem cedo antes do sol nascer e só retornava à noite, depois das estrelas.

Fico pensando: quantos rios ele já passou, quantos peixes já pescou. A arte da pescaria já proporcionou a ele muita coisa, além de ser um grande homem ele é um pescador.

Nesse dia estava ele, eu e mais ninguém. Não tinha espaço para outra pessoa, o tempo era nosso, o rio era nosso, tudo era nosso e de mais ninguém. No trajeto até o rio, surgiu uma partilha, não podia ser diferente. Dois pescadores juntos, só podia resultar nisso, nossa conversa foi sobre peixes, sobre quem pescou mais na vida.

Aprendi na Canção Nova que para chegar ao coração de uma pessoa, preciso falar daquilo que ela mais ama, preciso falar do seu sagrado. Jesus fez isso com Pedro, usou daquilo que ele mais amava, daquilo que ele mais sabia fazer, usou do seu sagrado, da pescaria.

Acho lindo quando Jesus dirigiu-se a Pedro e disse: “Segue-me e te farei pescador de homens” (cf. Mt 4,19)

Isso de alguma forma aconteceu comigo, deixei a pessoa que eu mais amava, a pessoa que me ensinou a pescar, para seguir Jesus, para poder pescar almas.

Minha gente, Jesus era um homem sensível, ele não tirou a pescaria de Pedro. Jesus fez diferente: deu qualidade à pesca de Pedro, deu sentido, significado. Tirou os peixes, colocou pessoas. Vem e segue-me e farei de vós pescadores de homens.

A forma que eu tinha para me aproximar dele era a pescaria, eu não podia deixar passar essa grande oportunidade, era minha única vara de pesca, era minha única isca. Era a pescaria mais importante de toda a minha vida. Meu coração queria ficar próximo ao dele, por meio da pescaria, eu olhava o seu semblante e pude presenciar a alegria estampada no seu rosto.

Confesso que a minha vontade nesse dia era entrar com muita discrição no seu coração, para poder saber o que estava passando por ali, mas não consegui. Então decidi usar do meu sagrado, da poesia, então recolhi no meu coração as suas palavras e alguns dos seus gestos simples que sobraram da nossa partilha até aquele instante. Organizei as palavras dentro de mim, despertou em mim, enfim, poesia.

A poesia tem o poder de entrar na vida do outro a todo instante sem que ele perceba. Então descobri o que ele estava pensando. Ele estava pensando em mim. Ele estava querendo entrar na minha vida da mesma forma que eu estava querendo entrar na dele por meio da pescaria.

Para isso acontecer nem foi preciso chegar até o rio. No caminho ele conseguiu e eu também consegui, nossos corações se encontraram. Então o que era para ser uma pesca de peixes, Jesus entrou e mudou, deu qualidade, deu vida. Significado. Virou pescaria de homens, de almas. Um pescou o outro. Agora já não eram duas pessoas e sim três: ele, eu e Jesus. Cumpriu-se assim a promessa feita a mim:

Ederson José, vem e segue-me e eu farei de ti pescador de homens (cf. Mt 4,19).

E foi assim a nossa pescaria, minha gente, não teve peixes, teve pessoas, teve significados. E o maior significado de uma pescaria não são os peixes, são as pessoas. Jesus, eu e ele: o meu pai.

São Pedro, pescador de almas, rogai por nós!

Éderson José

Discipulado 2014

CN Queluz

O segredo é ser livre!

“Um lugar de encontro”, assim começo contando minha experiência na Casa de Maria.

No tempo que vivi nesta Casa, tive o encontro da minha vontade com a vontade de Deus. Lugar onde Deus foi confirmando a cada dia, que era essa a Sua Vontade, que eu assumisse minha consagração “Para Sempre Canção Nova”.

Encontro da minha miséria com a misericórdia de Deus. Encontro com o amor incondicional de Deus que me escolheu, separou, e vê muito além das minhas misérias e feridas.

Faço parte da turma que ingressou na Comunidade CN em 1996. Nós vivemos um “noviciado” que descrevo no mínimo como extraordinário.

Deus nos convidava em cada momento a uma verdadeira fraternidade. Nós investimos nos relacionamentos, o que nos custou muito no final daquele ano, porque não queríamos nos separar. Queríamos que nossos responsáveis nos enviassem todos para a mesma missão, para continuarmos morando na mesma cidade, juntos. Foi como se estivéssemos nos separando dos membros da nossa própria família e de fato nos tornamos uma família.

O som deste lugar é um som de profundidade, de encontro.

Este ano que passei na Casa de Maria foi um ano de encontro da minha verdade com Aquele que é a Verdade.

Deus gritava aos nossos ouvidos todos os dias. Nós tivemos a graça que ter o monsenhor Jonas Abib todas as semanas conosco. Naquela época ele viajava o Brasil inteiro pregando sobre os fins dos tempos e quando chegava de missão se repousava na Casa de Maria, em Queluz/SP.

Creio que nenhuma turma de “noviciado” ouviu falar tanto da segunda vinda de Jesus como a nossa. More »

A tradicional Solenidade do precursor de Jesus foi motivo de celebração e festa na Casa de Maria na noite de domingo, 24 de junho. São João Batista é o único que, juntamente com a Virgem Maria, tem o aniversário natalício recordado pela liturgia da Igreja [ conheça sua história ].

Festa de São João Batista[ + FOTOS desta Festa Junina no fb.com/CNQueluz ]

Segundo o fundador da comunidade Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, os momentos de recreação e distração tem particular importância para a vida pessoal e comunitária. Eles ajudam a manter sereno equilibrio, alimentam a espontaneidade dos relacionamentos e retemperam as energias para o apostolado. Festa junina foi uma boa ocasião para isso.

Celebrar e festejar “São João” com os valores cristãos traduzidos na vida faz toda a diferença. Coloque você também sentido em seus momentos de festa. Eles podem revigorar você e sua família.

Veja também:

.: Papa dedica Angelus a João Batista

Assista:

.: Aula: Traga-me a cabeça de João Batista – Denis Duarte

.: Homilia: Solenidade da Natividade de João Batista – padre Paulo Ricardo

Vidas entregues a Deus


Absolutamente por inspiração de Deus nosso pai-fundador, monsenhor Jonas Abib, foi escolhido o dia 2 de fevereiro para os membros da comunidade comprometerem-se com Deus dentro do carisma Canção Nova”, foi assim que padre Wagner Ferreira iniciou a homilia da Missa de renovação da entrega a Deus de 6 membros definitivos da comunidade e outros 37 discípulos, na Casa de formação inicial da Canção Nova, em Queluz (SP).

Celebrante e formador geral da Comunidade CN, padre Wagner, também ressaltou que uma entrega a Deus é fonte de muitas graças e bençãos para um povo, e que a maior graça é a salvação, o céu. “Só não é feliz quem não quer, por que nossa felicidade está conquistada por Cristo na Glória definitiva do Pai”, enfatiza o sacerdote.

Oficialmente o compromisso de ingresso no discipulado comporta uma firme decisão em viver o Evangelho aplicado no cotidiano da vida em comunidade, e de forma especial nesta casa, onde é a Casa de Maria.

:::::::::::::Veja também:::::::::::::
:: Ser um consagrado é florir no deserto
:: Aprofunde-se: 2 de fevereiro, dia do consagrado
:: Vídeo produzido pela WebTVCN

37 discípulos sendo formados aos pés do Mestre e da Virgem.

A cada início de ano, os jovens que durante os últimos anos empenharam-se no caminho vocacional e identificaram-se com o jeito de viver da Canção Nova, são convidados a dar um novo ano de suas vidas para Deus – é a 2ª fase de formação inicial para quem sente-se chamado a ser um missionário Canção Nova.

Esse período, o discipulado, é vivido na 1ª casa da Comunidade, em Queluz (SP) onde o discípulo conhece e experimenta os princípios do carisma Canção Nova.

“É um tempo intensivo de formação onde o discípulo de distancia do próprio ambiente, dos estudos, trabalhos e até mesmo do namoro para aplicar-se unicamente à sua formação”, como escreve o pai-fundador Monsenhor Jonas Abib, que também diz: “É um tempo para exercitar a vida de oração, o estudo da Palavra, e a prática de todo o modo de vida da Canção Nova, num ambiente de treinamento intensivo da vida em comunidade”.

Você que também ama essa obra de evangelização, una-se em oração a esses 37 jovens que por amor a Deus e a evangelização querem responder a sua vocação, de doar a vida inteiramente ao Senhor.