Na Canção Nova, desde o início, Deus nos deu a graça de experimentar a riqueza do masculino e do feminino vividos juntos. Homens e mulheres vivendo juntos, trabalhando juntos, realizando juntos o Carisma, se aventurando juntos na missão. É uma riqueza! O masculino e o feminino vividos juntos numa sadia convivência.

O nosso primeiro chamado é viver em comunidade. Todos têm necessidade do amor puro de seus irmãos para o seu equilíbrio afetivo. Por isso todos os chamados a viver em nossa comunidade são também chamados a viver a castidade dentro do seu próprio estado de vida.

Esta é a razão a mais para que todos vivam a castidade, dom e fruto do Espírito Santo.

Os chamados ao celibato assumem viver a castidade perfeita. Os casados vivem a castidade matrimonial própria da santidade do matrimônio cristão. Ela se apresenta numa dupla dimensão: viver castamente a própria vida sexual e assumir fielmente a fidelidade conjugal. Os jovens assumem viver uma serena e profunda castidade nos pensamentos, nos sentimentos e nas atitudes. Em se tratando de jovens em pleno despertar da sexualidade e de sua vida afetiva torna-se importantíssimo o mútuo respeito.

Leia também:
:: Nossos Princípios de Vida: Viver da Providência

:: Livro: A cura da nossa afetividade e sexualidade

:: Livro: Canção Nova, uma obra de Deus – página 81

Os casais da comunidade, porque assumiram uma vida consagrada, se comprometem a seguir fielmente a doutrina da Igreja expressa principalmente nos documentos Humanae Vitae de Paulo VI e Familiaris Consortio de João Paulo II, contrapondo-se assim à mentalidade do mundo sobre a vida sexual e à transmissão da vida.

A pedra preciosa que temos na Canção Nova, carisma especial que nos foi concedido, é  “o masculino e o feminino vividos em sadia convivência: nossa maneira de viver a castidade”.

 

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *