Nossos Princípios de Vida: Viver Reconciliado

Viver reconciliado é uma disposição de coração que se traduz num modo de vida. É um contínuo perdoar e ser perdoado! (Mons. Jonas Abib)

No início do nosso convívio percebemos que tínhamos diferenças muito grandes. Era preciso nos reconciliar. Essa era a única maneira de sobreviver. Percebemos que precisávamos fazer isso praticamente todos os dias, assim como todos os dias tínhamos que tomar banho.

Entre mim e meu irmão está Jesus. Ele continua a defender cada filho Seu, como defendeu a mulher adúltera: “Se você nunca pecou, atire a primeira pedra” (Cf. Jo 8,9). Deus deve estar sempre em primeiro lugar, depois, o irmão; esta é a fonte do verdadeiro perdão: Tudo que passa primeiramente por Deus se santifica, do contrário, é um mero ato humano, que traz simplesmente alívio e acomodação humana; o verdadeiro perdoar e ser perdoado gera vida nova e comunhão de coração.

A comunidade é formada de pessoas humanas, erros e pecados vão ser a realidade com a qual vamos lidar continuamente. Por isso o exercício do perdão é fundamental. Cada um precisa aprender a pedir perdão e a receber perdão. A comunidade sobrevive não quando desaparecem os erros e pecados de uns contra os outros, mas quando cada um aprende a perdoar setenta vezes sete.

Nosso Princípio de Viver Reconciliado

Viver Reconciliado

Não se ponha o sol sobre o vosso ressentimento (Ef 4, 26b). É preciso terminar o dia reconciliado com todos, pois é o Senhor quem nos diz: “Se te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão” (cf. Mt 5, 23-24). O compromisso de reconciliação diária é fundamental para a nossa vida fraterna: é o viver reconciliado

Leia também: 

:: Nossos Princípios de Vida: Viver da Providência

:: Nossos Princípios de Vida: Sadia Convivência

:: Livro – Canção Nova: Uma obra de Deus, página 65

A exemplo de Jesus, que vive sempre reconciliado: Ele foi crucificado, mas mesmo assim se reconcilia com o homem. Do alto da cruz Ele diz: “Perdoai-lhes porque não sabem o que fazem” (Lc 23,34).

“Visto que sois eleitos, santificados, amados por Deus, revesti-vos dos sentimentos de compaixão, benevolência, humildade, doçura, paciência. Suportai-vos uns aos outros, e se alguém tiver algum motivo de queixa contra o outro, perdoai-vos mutuamente; assim como o Senhor vos perdoou, fazei o mesmo, também vós. E, acima de tudo, revesti-vos do amor: é o vínculo perfeito” (Cl 3,12-14).

 

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova