charlie73424

Diante dos últimos atentados terrorista em Paris por extremistas jihadistas, a Revista Charlie Hedbo comoveu “todo o mundo”…

Desde já afirmo que sou contra a toda barbárie contra inocentes. Isto é injustificável! Portanto, não ao extremismo religioso e aos ataques terroristas. É bestial justificar ataques terroristas em nome de Deus. Isto deve ser combatido!

Como também sou a favor da defesa da liberdade de imprensa… A liberdade de expressão é uma grande conquista do homem contemporâneo depois de muitos países no mundo passarem por ditaduras que silenciavam a imprensa, muitos morreram por exporem as verdades de seus países.

Mas sou contra a libertinagem de imprensa. Digo isto porque houve uma grande comoção com o ataque a Revista Charlie Hedbo. Mas a mesma revista, há muito tempo, se coloca acima de tudo e de todos, fazendo charges que fere, ofende e desrespeita as religiões e seus símbolos sagrados – não somente Maomé, mas também Jesus Cristo, o Espírito Santo, Nossa Senhora, Papa e etc… -, como também promovem charges racistas contra políticos, chefes de estados, líderes religiosos e etc… Procurem no Google e vejam com os próprios olhos as publicações dos caras, não tenho coragem de colocá-las aqui. Eles perderam o senso da liberdade de imprensa.

Volto a dizer, nada justifica os insanos ataques terroristas… Inclusive o que vem acontecendo na Síria e no Iraque em uma escala infinitamente maior, na qual a imprensa pouco se mobiliza, limitando-se a dar notícias frias ou simplesmente se omitindo. Omitindo sim! Como é o caso dos muitos ataques que cristãos sofrem na Nigéria e em outros países da África…

É justificável e compreensível uma classe como a imprensa se mobilizar para defender-se de um ataque terrorista. Mas precisamos ter consciência porque as coisas tomaram estas proporções.

Como disse: sou contra aos ataques terroristas, dos quais devem ser combatidos com toda a força em todo mundo, tanto na França como e em todos os países; como também sou a favor da liberdade de imprensa. Mas sou totalmente contra a ofensa as religiões e com aquilo que cada uma tem como Sagrado. Algo que a Revista Charlie Hebdo ofende discriminadamente em suas charges. Não fazem comédia ou crítica… fazem ofensa!

A tragédia acontecida em Paris foi consequência daquilo que eles mesmos plantaram. Colheram aquilo que plantaram durante anos…

Desculpem-me! Mas não vou na onda da imprensa que exalta esta revista, mas relativiza os assassinatos diários de centenas de cristãos e pessoas inocentes por extremistas no Oriente e na África.

Aqui deixo os meus sentimentos e orações pelas almas dos “inocentes” assassinados na Revista e os inocentes assassinados no mercado judeu.

Nada justifica a violência e os assassinatos em Paris…

Mas me desculpem: EU NÃO SOU CHARLIE! … JE NE SUIS PAS CHARLIE!

Ademir Costa

faixa_de_gaza-2413329

Meus irmãos, vemos em muito lugares do mundo um verdadeiro caos. Guerras na Faixa de Gaza, entre Israel e a Palestina; na Ucrânia, entre forças separatista contra o governo ucraniano; também tanto países da África enfrentando guerras civis; como ainda o injustificável massacre dos jihadistas contra cristãos e outras pessoas inocentes no Iraque, e muitos outros fatos que faz-nos perguntar: o fim do mundo está próximo?.

A palavra de Deus nos fala:

“Vocês vão ouvir falar de guerras e rumores de guerra. Prestem atenção, e não fiquem assustados, pois essas coisas devem acontecer, mas ainda não é o fim. De fato, uma nação lutará contra outra, e um reino contra outro reino. Haverá fome e terremotos em vários lugares. Mas tudo isso é o começo das dores.” (Mt. 24, 6-8)

Assim, vivemos um momento como este, mas não sabemos a hora exata da volta do Senhor. A nos cabe a esperança. Fiquem atentos, e rezem todo o tempo, a fim de terem força para escapar de tudo o que deve acontecer, e para ficarem de pé diante do Filho do Homem.” (Lc. 21, 38). Viver com o coração e a vida sempre na expectativa da volta do Senhor. Mas se o Senhor não vir, uma coisa é certa, nós iremos a Ele.

Meus irmãos é tempo de rezar pela paz no mundo, para que Deus intervenha com seu amor e graça nos corações de todos estes homens que estão fazendo o mal e matando tanto inocentes nestes países em Guerra.

Uma coisa é certa, é perceptível ver o mundo em dores de parto.

Unidos em oração,

29600_441472769298434_1107379376_n

 

Ademir Costa – Seminarista Canção Nova

 

650x375_david-luiz-brasil-alemanha-copa-2014_1429124

Depois da derrota humilhante por 7 x 1 para Alemanha, o Brasil acordou em clima de luto, com um sentimento de derrota e humilhação. É certo que nem todos entraram no clima patriótico da Copa. Mas a maioria do povo brasileiro parou para assistir e torcer pela Seleção brasileira. Talvez estejamos sentindo os mesmos sentimentos que os americanos sentiram naquele 11 de setembro quando foram atacados dentro do próprio país naquilo que era o seu maior orgulho: a segurança. Ficaram com o orgulho ferido.

Um dos orgulhos do Brasil é o futebol. A derrota nos deixou o sentimento de ser humilhado e massacrado dentro do nosso próprio país. É algo muito diferente de quando um clube de futebol perde um campeonato; aqui entra o nosso senso patriota. Uma derrota como esta fere o orgulho de toda nação.

Como disse: Hoje estamos vivendo um clima de humilhação e luto! Mas o que podemos tirar de tudo isso?

Meus amigos, penso que as quedas, as derrotas, as humilhações em um primeiro momento nos derruba e nos faz ficar em clima de morte. Mas depois que “abaixa a poeira”, vemos que a humilhação nos faz humildes; faz-nos ver quem realmente somos; faz perceber nossas fraquezas e limites, para então nos levantar e recomeçar com um novo ânimo.

Que neste nosso levantar seja não só no futebol, mas em tudo aquilo somos como pátria, possamos seguir esta frase do David Luiz: “Eu só queria poder dar uma alegria ao meu povo. Para minha gente que sofre tanto com tantas coisas. […] Só queria ver meu povo sorrindo. Todo mundo sabe o quanto era importante para eu ver o Brasil inteiro feliz pelo menos por causa do futebol”.

É bola pra frente, que a vida continua cheia de vitórias e também de derrotas. Aprendamos a estar preparados para vitórias e derrotas nesta vida!

Até a próxima!

Ademir Costa

Seminarista da Comunidade canção Nova

29600_441472769298434_1107379376_n1.jpg29600_441472769298434_1107379376_n1.jpg29600_441472769298434_1107379376_n

 

Adeus Ano Velho, Feliz Ano Novo! É o momento de louvar a Deus pelo ano que passou na expectativa de um novo ano que começa…Sim este é um momento para olhar para tudo que vivemos e dizer mais uma vez vencemos. “Em Cristo somos mais que vencedores” (cf. Rm.8,37).

Mesmo que tudo não se realize no ano que vai nascer; mesmo que não se tenha muito dinheiro no bolso, nem saúde para dar e vender. Precisamos olhar à frente confiando a Deus pela fé em um ano de 2014 com muitas lutas e desafios, mas também de muitas superações e vitórias.

Um Feliz Ano Novo a todos

Que venha 2014!

Ademir Costa

 

 20131108-163117

Aconteceu na noite do dia 7 de novembro, as 18: 30 horas, a celebração de instituição ao leitorato e acolitato dos Seminaristas da diocese de Lorena a serviço da Comunidade Canção Nova, no Seminário Canção Nova, aos seminaristas do 2º ano de Teologia, sob a presidência de Dom Benedito Beni dos Santos, Administrador Apostólico.

A Instituição ao leitorato e acolitato são etapas importantes da formação do candidato ao sacerdócio que, depois de alguns anos de formação, gradativamente vai dando passos concernentes ao futuro exercício do ministério presbiteral. Isto não deve ser encarado como uma “burocracia eclesiástica”, mas sim passos significativos e aprofundados no compromisso que deve levar os seminaristas ao ministério ordenado segundo a graça de Deus.

As funções até então chamadas ordens menores e subdiaconato passaram a ser designadas como ministérios, reduzidos a dois para toda a Igreja Latina: Leitorado e Acolitado.

Os ministérios do Leitorato e do Acolitato podem ser conferidos a leigos, mas devem necessariamente ser conferidos aos candidatos às Ordens sacras, que os exercerão por algum tempo.

O leitor tem a função de proclamar a Palavra de Deus, ao passo que o Acólito serve ao altar, podendo distribuir a Comunhão em casos extraordinários.

Estes dois ministérios são conferidos pelo bispo ou, nos Institutos religiosos clericais, pelo superior Provincial ou Geral assim como pelo Abade, através de rito litúrgico próprio.

20131108-170142

A instituição de Acólito e a de Leitor, conforme a Tradição ficam reservadas aos varões, sem se excluir que tais funções temporariamente sejam exercidas por mulheres.

Seminaristas que receberam os Ministérios de Acolitato e Leitorato:

Ademir Costa
Alexsandro Freitas
Edilberto Carvalho
Edison de Oliveira 
Gilberto Duarte
Givanildo Xavier 
Halan de Melo
Leandro Couto

Meus amigos uma das coisas que me fez deixar tudo – pai, mãe, irmão, irmã, amigos, emprego, namorada e etc – para dar a vida pela causa do Evangelho na Canção Nova, foi o anseio de minha alma pela vida missionária.

E neste fim de semana fiz uma experiência maravilhosa missionária com os grupo do Jovens Sarados de Lavras. Um avivamento no carisma missionário que impulsiona minha vocação, um encontro pessoal com Cristo pelo carinho e acolhimento dos irmãos desta missão.

É impressionante como Deus cuida de tudo! Antes de sair para esta missão com meu irmão de comunidade – Ricardo Rodolfo – fiquei pensando o que eu faria nesta missão, pois não tinha nenhuma pregação para mim, faria somente companhia para o meu irmão. Mas parei para rezar, e Deus falava em meu coração: Vá e seja presença àqueles jovens! Tenho algo especial para você!

Fui dócil a voz de Deus e acolhi tudo em meu coração. Fomos para Lavras em Minas Gerais. Chegando lá, conheci o Padre Antonio que faz um lindo trabalho com uma Fazenda de Recuperação de dependentes químicos. No sábado, ele pregaria no encontro e ainda teria várias missas para celebrar, pediu-me para fazer a homilia da Missa deste dia. Prontamente aceitei!

No sábado fiz a homilia para o padre, foi muito bom. O interessante que depois percebi que foi a primeira homilia da minha vida. No meu coração de seminarista isto tem um valor sem medidas. Pois quero consumir minha vida no Altar da Palavra e no Altar da Eucaristia. Simplesmente maravilhoso e profético! E ainda no domingo tive a graça de reavivar o meu ser carismático conduzindo um momento de oração para os jovens do retiro. Foram coisas muito simples que inflamou o meu ser seminarista, missionário e carismático.

E para concluir posso dizer que tive um profundo encontro com Jesus Cristo na pessoa de cada servo daquela Missão do Jovens Sarados de Lavras. O carinho, a humildade, simplicidade, amor, o zelo desses irmãos marcaram profundamente meu coração. Vivi profundamente a graça desta “Cultura do Encontro” ensinada pelo Papa Francisco. Fui ao Encontro dos irmãos e foi eu que recebi tantas graças.

É difícil colocar no papel os tantos sentimentos de minha alma. Agradeço a Deus por me levar a tocar nas essências de minha vocação.

Obrigado Jovens Sarados de Lavras por terem sido instrumento do amor e da Providência Divina em minha vida.

Forte abraço,

Até a próxima!

Ademir Costa

Em nossos dias é essencial a formação de uma consciência reta sobre a informação. É necessário, sobretudo, que todos os interessados na utilização destes meios de comunicação formem retamente a consciência acerca de tal uso, em especial no que se refere a algumas questões acremente debatidas nos nossos dias. (Inter Mirifica, 5)

Alienação

A pessoa alienada não compreende que é o formador da sociedade e da política, e aceita tudo sem questionar, toma para si algo que não lhe pertence. Em nosso tempo, não se tem ética e nem escrúpulo em alienar a consciência do povo. Por exemplo, existem as agências de propaganda que sabem cientificamente como manipular a cabeça do povo mediante mensagens subliminares que age no inconsciente.

Imprensa tendenciosa

É perceptível que os veículos de comunicação – emissora de TV, Rádio, Imprensa impressa, Portal de internet e etc. – segue uma ideologia, segue uma linha política ou filosófica. Assim sendo, a informação sempre nos chegará a partir deste um foco ideológico peculiar de cada canal de notícias e informações. Com isso, surge as manipulações de consciência ou alienação.

Exemplos de alienação e manipulações de informações ou notícias:

Manifestações do mês de julho – Uma bonita manifestação democrática, porém um exemplo de como a “massa” está alienada. Não houve mudança de consciência no povo. Resumindo, foi um jogo de interesses políticos, maus explicados, que fizeram as pessoas irem alienadamente para ruas. Muitos nem sabiam a intenção de estar nas manifestações. Foram manipulados por grupos ocultos de pessoas mal intencionadas.

Lobbys sociais – Tendência geral da imprensa e da sociedade em incutir na cabeça das pessoas algo que não pertencem às suas consciências. Um prova disto, é que foram feitas algumas enquetes em sites e portais, que demonstraram que o povo é contra estes lobbys a favor do aborto, o casamento homossexual, liberação da maconha e etc. Mas mesmo assim é empurrado na consciência do povo, falsas verdades que se transformam em “leis”.

Ibope – O sobe e desce nos índices de aprovação dos políticos ou nas pesquisas de intenção de votos são produzidas mediante uma metodologia que manipula os dados em favor de “alguns”. Exemplo: Entre os muitos erros pesquisas nos últimos processos eleitorais, destaco a de prefeito de Curitiba, no qual o candidato que estava em primeiro lugar, segundo as pesquisas, nem chegou ao segundo turno. Um grande erro ou uma tentativa de manipulação?

Conclusão

Não podemos receber de forma passiva notícias e informações. Devemos ter uma consciência crítica, um filtro, diante de tudo que recebemos. Até mesmo na Igreja, em um curso de teologia, existem posições tendenciosas sobre seguimentos de linhas teológicas. Na dúvida fiquemos com o Magistério, com a voz do Papa, busquemos o verdadeiro pensamento da Igreja. Em tudo devemos ter uma reta formação de consciência para não ser mais um alienado na sociedade, e até mesmo dentro na Igreja.

Forte abraço,

Até a próxima…

Ademir Costa

A juventude vive um momento difícil em nossos dias, com a chamada liberdade total no qual quase tudo é permitido. Os jovens são conduzidos por uma consciência corrompida e alienada. Os jovens se perdem nos meios modernos que eram para servidos para o seu crescimento, educação e desenvolvimento humano. Surgindo, assim, os mais diversos tipos de relacionamentos sem compromissos nos quais desfiguram até mesmo seu gênero sexual.

Com isso, cada vez mais cedo, os jovens vêm mergulhando em uma vida sexual ativa e desregrada. Muitos se perdendo nos vícios das bebidas e das drogas. Os jovens têm perdido a sua personalidade, deixando-se conduzir pelas modas de momento. Não é fácil para o jovem não ser arrastados pelas correntezas do mundo.

Mas também é certo que por fruto de uma má educação dada por certos pais que mimam os seus filhos. Muitos pais se esquivam da educação de seus “bebês”, terceirizando a educação dos mesmos. A consequência disso é a juventude laxa de nossos tempos.

É preciso destacar também a débil educação institucional por parte do governo que por vezes incentiva situações antiéticas e imorais, como é o caso do governo brasileiro com o “Kit Gay” e a distribuição de camisinhas aos adolescentes nas escolas.

A formação humana destes jovens já está totalmente deformada e comprometida. Por isso, já vemos tantas pessoas com os seus 30 a 40 anos com a cabeça de um adolescente de 15 anos. Perderam o sentido antropológico daquilo que são como pessoas, consequência de  uma má formação na família e na sociedade.

Caminhamos para um futuro de idosos com cabeça de adolescentes… Eita mundo doido é este que vivemos.

Ademir Costa

Refletindo sobre a sociedade atual, é importante se aprofundar em pensar os meios de comunicação modernos. De um modo especial, a internet. Este meio que é um avanço tecnológico muito importante para o homem.

Hoje praticamente ninguém vive sem internet. É quase uma necessidade vital. Mas no âmbito de uma sociedade de pessoas carentes e sem sentido existencial, existe um grande risco das pessoas viverem uma vida totalmente virtual, uma fuga da realidade.

Em um mundo no qual as pessoas estão cada vez mais solitárias, os relacionamentos virtuais proporcionam oportunidades informais de relacionamentos. É certo que algumas pessoas tem feito bom uso destes meios, inclusive para ter relacionamentos sérios. Mas em muitas situações o uso da internet é para finalidade não idônea como para o sexo virtual e a pornografia. Além disso, muitas pessoas buscam a possibilidade de encontros reais para sexo casual. Surgem assim, os abusos de menores, estupros, traições e etc…

Pode parecer algo distante, mas a tentação no uso da internet para fins pecaminosos está bem próxima de todos e podem abalar e destruir famílias. Por isso, a Igreja sempre alerta para a importância da educação dos filhos para o bom uso deste meio, como também a vigilância pessoal, pois a tentação se transforma em pecado e a destruição pode vir apenas em um “click”.

Hoje, neste meio, mais que nunca devemos seguir a orientação de Jesus para os seus discípulos: “Vigiai e orai para não caírdes em tentação. O espírito está cheio de ardor, mas a carne é fraca” (Mt. 26,41).

Forte abraço!

@ademircn

Nesta sociedade capitalista e globalizada na qual o lucro é colocado acima da pessoa, o sexo e o prazer são dos seus instrumentos mais sustentáveis. Não tenho medo de afirmar, que o sexo é maior produto de venda deste sistema que rege o mundo.

Por isso, acontece mediante todos os meios possíveis, um incentivo subliminar ou direto ao sexo livre. Não importa a idade, todos são atingidos, desde crianças até idosos. Homens e mulheres são escravos da correnteza que empurra as pessoas a acreditarem que o sexo e o dinheiro são os ápices de um caminho para a realização pessoal. O ser humano se engana, pois um amor reduzido ao sexo e ao prazer desvirtua e reduz o homem aos seus instintos mais primitivos, chegando às vezes a igualar-se a animais irracionais.

O incentivo ao sexo livre tem como consequência todo o tipo aberração: como os estupros, a pedofilia, a pornografia, incestos, sexo com animais, swings, por fim todos os tipos de fetiches e patologias sexuais.

A atitude dos meios de comunicação é apelativo e imoral, fere a dignidade humana. Por meio de novelas, programas, seriados, desenhos, filmes, sites, propagandas, reality show e etc. Ao invés de apresentar um remédio para curar os sintomas das patologias sexuais, despertam as doenças, fraquezas e desequilíbrios de muitas pessoas.

É certo que existe um “sistema”, cabeças pensantes, que maquinam todas estas coisas. O que podemos fazer é denunciar e formar os fiéis cristãos a terem uma consciência crítica diante dos meios de comunicação.

A sociedade tenta excluir Deus de seu contexto ético sexual, mas se perde em seus princípios básicos, cedo ou tarde a natureza irá cobrar por esta rebeldia contra si própria. Como a simbologia bíblica apresentada narrada na destruição de Sodoma e Gomorra. Um amor reduzido ao sexo e prazer é uma ofensa à racionalidade humana. A sociedade capitalista irá colher, cedo ou tarde, os frutos de tal perversidade da alienação que impõe ao homem.

@ademircn

Em nossos dias, a pessoa usa a outra para satisfazer-se carnalmente. Muitas vezes pelo sexo sem compromisso. No qual a “carne” vai se acostumando e com o tempo não mais se contentará com este prazer físico oferecido pelo objeto de consumo – o homem ou a mulher.

A partir de então começa um efeito em cadeia que pode suceder-se da seguinte maneira: A pessoa passa do sexo desregrado e se dirige para o álcool, da dependência do álcool para o vício da maconha, da maconha para cocaína, da cocaína para o crack, do crack para heroína, da heroína para o vazio existencial, do vazio existencial para depressão profunda, da depressão profunda para o suicídio.

O Apóstolo Paulo nos fala: “O salário do pecado é a morte”(Rm.6,23a).  Não porque seja algo fulminante como um ataque cardíaco, mas porque é uma reação em cadeia. É como descer uma escada degrau a degrau para o “fundo do poço”: Os prazeres carnais nunca saciará plenamente um ser humano.

Não dá para preencher vazio com vazio, a sociedade vende uma falsa ilusão, vende uma mentira que gera a morte. Tudo consequência do egoísmo humano, alimentado por um mundo capitalista voltado para o lucro.

Como cristãos não podemos ser seduzidos e arrastados por essa correnteza do pecado que gera morte. Que Deus conceda a nossas famílias a graça do verdadeiro amor que satisfaz e realiza o homem plenamente no seu corpo e no seu espírito.

Sabemos que “… a morte é o salário do pecado, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Jesus Cristo, nosso Senhor.” (Rm.6,23)

Forte abraço,

Até a próxima!

@ademircn

Como vimos no post anterior, neste ambiente de egoísmo e individualismo, o amor conjugal torna-se objeto utilitarista do homem. Este é uns dos motivos da crescente quantidade de separações matrimoniais em nosso tempo.

O Amor conjugal, principalmente quanto ao ato sexual é tratado como simples objeto de prazer. Com isso, a criatividade sexual dos casais sai do natural para atos que vão contra a natureza e dignidade humana. Posso exemplificar o sexo anal e oral, a participação de “terceiros”, a utilização de diversos fetiches e objetos masturbatórios, reprodução dos atos sexuais feitos em filmes pornográficos… Tentam ser criativos por serem vazios!

E por fim, quando ambos estão esgotados da paixão, da atração, do prazer venéreo, simplesmente separa-se porque não existe um amor puro, e procura-se outra pessoa para servir como seu novo objeto utilitário. Assim, em nossos dias, troca-se de cônjuge como se troca de carro.

O amor conjugal reduzido a um objeto de consumo egoísta sempre terminará no vazio. A pessoa usada como objeto de consumo individual torna-se como uma latinha de refrigerante no qual depois de consumida no seu conteúdo, não serve para mais nada, você amassa a latinha e joga no lixo. Pode até se reciclar para uso de outro, mas vai chegar o momento que de tanta reciclagem o “objeto” não servirá para mais nada. As consequências desta atitude de pecado no homem sempre será o vazio existencial.

Os casais precisam ter Deus como centro de seu Matrimônio, para que não seja mais um casamento destinado a separação.

Forte abraço!

Até a próxima…

Ademir Costa

Meus amigos, oficialmente, neste dia 28 de fevereiro de 2013 às 20h00 (16h00 horário de Brasília) a Sede Papal ficou vaga pela renúncia de Vossa Santidade o Papa Emérito Bento XVI.

É tempo de colocarmos os joelhos no chão e orar para que o Espírito Santo conduza tudo o que envolverá o Conclave para escolha do novo Papa.

Neste momento, como bons católicos, devemos fugir dos sensacionalismos e especulações – fofocas – que surgirão por parte de pessoas más intencionadas. Tomar cuidado com os “profetas do apocalipse” que por sensacionalismos baratos, dizem que o próximo Papa será a besta do apocalipse ou coisas semelhantes. Esta é quase sempre uma atitude protestante que devemos ter cuidado.

Desculpem-me, mas preciso dizer que bobas são as pessoas que acreditam em “profecias manipuladas e idiotas”, colocando em dúvida a graça e ação do Espírito Santo que conduz a Igreja por mais de dois milênios.

Devemos ter a certeza que quem conduz a Igreja é o Espírito Santo, que guiará os Cardeais no Conclave à escolher o futuro Pontífice, seja ele de que nação for é o Espírito Santo que guiará a escolha.

Meus irmãos, como fiéis católicos, formamos o Corpo Místico de Cristo, a Igreja. Devemos vigiar e rezar, mas não desesperadamente, orar com sobriedade e esperança. Porque a promessa de Cristo é presente em sua Igreja: “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt.16,18)

Unidos em oração como Igreja neste tempo de Sede Vacante

Ademir Costa

Nas últimas semanas tenho assistido alguns documentários sobre a 2. guerra Mundial, tenho ficado impressionado com as barbaridades cometidas neste tempo contra o ser humano. Vendo as artrocidades do nazismo alemão e as bombas atômicas do EUA, fiquei pensando a que nível chega o ser humano para alcançar o “poder”. Foram mais de cinqüenta milhões de pessoas mortas.

Porém, dois fatos me indignaram profundamente, a insanidade e irracionalidade dos Campos de Extermínios nazista e as bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nakazaki. Isto me fez refletir muito, pois vejo a que ponto pode chegar o homem com o seu semelhante no respeito de sua dignidade humana de simplesmente sobreviver.

Amigos, hoje vivemos em uma aparente paz. Não temos guerras, campos de concentrações, não existe um eminente risco de guerra nuclear, claro que algumas guerras civis no Oriente Médio e na África, mas nada na proporção da 2. Guerra.

O que reflito é o seguinte, por mais que vivamos um tempo de aparente paz e solidariedade pela globalização que une o mundo. Estamos imersos em uma sociedade que continua colocando o homem em segundo plano ferindo sua dignidade. Os “campos de concentrações” e as “bombas atômicas” de nossos tempos continua aniquilando a dignidade humana fazendo-os escravos de uma sociedade ávida de lucro e poder. O genocídio da segunda guerra eram mais evidentes, hoje são genocídios subliminares. Crianças, jovens, adultos, idosos são colocados a margem como objetos inúteis em uma sociedade dominada pelo egoísmo e utilitarismo. A pessoa só vale se é útil.

Os nazistas faziam experiência que eram verdadeiras aberrações, como colocar a cabeça de uma pessoa em outro corpo, fazer autopsia com a pessoa viva, entre vários relatos documentados. A bomba atômica lançada pelo Estados Unidos no Japão fez com que milhares de pessoas desintegra-se no instante, sobrando somente as sombras das mesmas em razão do calor e irradiação da bomba. Os dois fatos se repetem hoje, pois a sociedade faz a pessoa pensar com a cabeça de outros, e muitos outros que estão a margem da vida são desintegrados por não servirem para nada na sociedade.

Neste pequena reflexão, penso: O que vale a vida humana em nossos dias?

Como Igreja devemos lutar para que a dignidade humana esteja sempre a frente de todos interesses mundano, não importa se seremos perseguidos por lutar pela verdade, não podemos deixar que milhões de pessoas continuem morrendo escravo de um sistema que coloca o homem em um segundo plano, a verdade é que o homem deve ter a primazia sobre todos os interesses dos poderosos que regem o mundo.

Forte abraço

Ademir Costa

“As bem-aventuranças respondem ao desejo natural de felicidade. Este desejo é de origem divina; Deus pô-lo no coração do homem para o atrair a Si, o único que o pode satisfazer”. (CIC 1718)

Todos trazemos em si este desejo natural de busca da felicidade, mas no mundo em que vivemos muitas pessoas desviaram-se de Deus e buscam saciar sua sede de felicidade nas coisas passageiras deste mundo.

Deus criou todas as coisas neste mundo para que estivesse a serviço do homem, mas o mesmo vem se tornando escravo das coisas afim de alcançar a felicidade. Na ganância pelo dinheiro e obtençao de lucro, na busca pelos prazeres carnais, no anseio de notoriedade e reconhecimento, faz-se qualquer coisa para alcançar estes objetivos, alguns até mesmo vendem a alma para o inimigo.

Muitos destes caem em um grande vazio interior, perdem o ânimo da vida, e escondem suas tristezas, frustrações e vazios em drogas, anti-depressivos e outros até no suicídio.

Meus irmãos: “Só Deus sacia”. Só Ele é capaz de saciar esta sede interior e natural de felicidade inerente ao homem, Deus é o único que o pode satisfazer.Devemos viver bem neste mundo com as coisas que o Senhor nos dá, mas nossa meta deve estar focado n’Ele, na Vida Eterna.

Por isso, devemos voltar a nossa vida para Deus, seguir os passos de Cristo para que digamos como Paulo: “Na verdade, julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor. Por ele tudo desprezei e tenho em conta de esterco, a fim de ganhar Cristo.” (Fl. 3,8)

Forte abraço,

Até a próxima

Ademir Costa