A partir do momento que Pedro confessa, “Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo”, Jesus mostra aos discípulos a sua glória divina por meio da Transfiguração.

Quando Jesus começa a falar de sofrimento, de morte e ressurreição, Pedro recua ao anuncio, e os discípulos não compreendem.

É neste contexto que situa o episódio da Transfiguração, com Pedro, Tiago e João. Na Transfiguração, Jesus mostra a sua glória, confirmando a confissão de Pedro e mostra que para entrar no céu precisa passar pela Cruz de Jerusalém.

Primeiro Pedro confessa e acredita que Jesus é o Messias e logo depois Jesus revela seu plano de amor, de sofrimento e salvação para conosco. É por meio da Cruz que vem a ressurreição, e todos nós fazemos parte deste plano.

Basílica da Transfiguração - Terra Santa

Basílica da Transfiguração – Terra Santa

Exterior da Basílica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo acontece como vontade do Pai e o Filho age como servo de Deus.

Seis dias depois, Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os fez subir a um lugar retirado, numa alta montanha. E foi transfigurado diante deles: seu rosto brilhou como o sol e suas roupas ficaram brancas como a luz. Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. Pedro, então, tomou a palavra e lhe disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias”. (Mt 17, 1-4)

Pedro gostaria muito de fazer tendas para permanecer com Jesus, mas ele não havia compreendido que tudo isso
era reservado após a morte com Jesus: “Ele reservou
te isto Pedro, para depois da morte. Mas agora Ele mesmo diz: Desce para sofrer na terra, para servir na terra, para ser desprezado, crucificado na terra. A Vida desce para fazer-
se matar; o Pão desce para ter fome; o Caminho desce para cansar-se da caminhada; a Fonte desce para ter sede; e tu recusas Sofrer?”

Assim como Pedro, gostaríamos muito de permanecer no Monte Tabor mas nos colocamos nos planos de Jesus para fazer
a sua vontade.

Entendemos a experiência de Pedro na Transfiguração, quando ele nos diz:
“Caríssimos, não estranheis o fogo da provação que lavra entre vós, como se alguma coisa de estranho vos estivesse acontecendo.
Pelo contrário, alegrai-vos por participar dos sofrimentos de
Cristo, para que possais exultar de alegria quando se revelar a sua glória.
Se sofreis injúrias por causa do nome de Cristo, sois felizes, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós”. (I São Pedro 4,12-13).

Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, no Cristo Jesus,
vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros. (I São Pedro 5,10)

Aqui ele diz sobre um pouco de sofrimento, repito, um pouco, logo ele nos restalecerá, pois no céu gozaremos da alegria de estarmos na presença de Jesus.

A transfiguração dá-nos um antegozo da vinda gloriosa do Cristo “que transfigura nosso corpo humilhado, conformando-o ao seu corpo glorioso” Fl 3,21. “Mas ela nos lembra também que é preciso passarmos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus” At 14,22.

Neste texto fomos enriquecidos com trechos do Catecismo da Igreja Católica § 555 e 556.

“A foto a cima foi tirada do alto do Monte da Transfiguração”.

Igreja da Transfiguração - Monte Tabor

Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Um dia em que conduzira o rebanho para além do deserto, chegou até a montanha de Deus, Horeb.
O anjo do Senhor apareceu-lhe numa chama (que saía) do meio a uma sarça. Moisés olhava: a sarça ardia, mas não se consumia.
“Vou me aproximar, disse ele consigo, para contemplar esse extraordinário espetáculo, e saber porque a sarça não se consome.”
Vendo o Senhor que ele se aproximou para ver, chamou-o do meio da sarça: “Moisés, Moisés!” “Eis-me aqui!” respondeu ele.
E Deus: “Não te aproximes daqui. Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que te encontras é uma terra santa.
Eu sou, ajuntou ele, o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Moisés escondeu o rosto, e não ousava olhar para Deus.
O Senhor disse: “Eu vi, eu vi a aflição de meu povo que está no Egito, e ouvi os seus clamores por causa de seus opressores. Sim, eu conheço seus sofrimentos. (Ex 3,1-7)

O Senhor se manifesta a todos, Ele fala ao nosso coração e quando vivemos em comum, seja na família, na paróquia, na comunidade, enfim quando nos reunimos, Ele também se manifesta.
Ele não escolhe ou um ou outro, ele fala com todos, simplesmente por causa da nossa liberdade, nós é que correspondemos ou não o seu chamado. Eu escolho ou não ouvi-lo, aceitá-lo, fazer o que ele me pede.
Assim como aconteceu com Moisés, o Senhor o-chamou e ele respondeu “Eis-me aqui Senhor”. Ele que apascentava um rebanho, foi dócil a manifestaçao de Deus.
Aonde é que o Senhor está te chamando? Você está escutando a sua voz?
Todos os dias Ele se manifesta, numa folha que cai, no dia que nasce, na pessoa que está ao seu lado, numa frase que você lê. Ele está falando com você.
Moisés foi chamado por Deus para fazer parte de seu plano, para libertar o povo que estava no Egito, que estava sofrendo. Quando estamos em Deus saímos dos nossos planos pessoais, dos nossos desejos e vamos em direçao ao plano de Deus.
Não colocamos Deus em nosso plano, e sim nos colocamos nos planos de Deus. Ele precisa de nós e há um povo que precisa ser salvo, que precisa de Deus.
O Senhor quer te dizer hoje para você, eu ouvi os seus clamores, eu ouvi as suas aflições, sim eu conheço os seus sofrimentos.
Caminhamos para um foco em nossas vidas, seja por algo material, algo passageiro, mas Deus deve ser o nosso foco, não podemos tirar os olhos dele, só se encontra pessoas com o mesmo foco. Aqueles que são e estão em Deus se encontrarão para assim fazer a sua vontatde.
Irmãos, correspondamos aquilo que Deus está nos dizendo, faça a sua experiência!

Betânia

 

Em Betânia não é possível identificar as casas frequentadas por Jesus. O túmulo de Lázaro tornou-se tradição de fé, testemunho da divindade de Jesus que alimentou até a sua ressurreição.

Jesus precisou ressuscitar Lázaro para então ressuscitar. A ressurreição de Lázaro foi o maior milagre realizado por Jesus.

Betânia é uma aldeia que fica próximo ao Monte das Oliveiras, em Jerusalém.

Foram realizadas escavações nos anos de 1949-53. Estas dizem respeito a medida da área da igreja franciscana e do túmulo de Lázaro. Nelas foram descobertas três igrejas sobrepostas, construídas mais tarde e em momentos diferentes, e em torno das igrejas existem muitos túmulos esculpidos na rocha.

Nesta aldeia existem armas de pressão, tanques, silos e uma grande quantidade de cerâmica.

Recordamos o episódio de Maria (a irmã de Lázaro) que entra na sala e derrama sobre a cabeça e aos pés de Jesus um perfume muito caro.

“Maria, então, tomando meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os cabelos. A casa inteira encheu-se do aroma do perfume.” Jo 12,3

Jesus ressuscita Lázaro. Imagem da Igreja de Bethânia, casa de Lázaro.

Jesus ressuscita Lázaro. Imagem da Igreja em Bethânia, casa de Lázaro.

A caridade para com os necessitados é um ato altamente religioso, Jesus também tem a unção como um sinal profético de seu sepultamento.

Jesus era recebido na casa por seus amigos, Marta, Maria e Lázaro.

Nos deparamos com o episódio, onde Jesus diz a Marta: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas. No entanto, uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada.” Lc 10,38-42

 

No evangelho temos várias situações sobre os amigos de Jesus. Jesus passava por ali, foi onde descobriu que Lázaro já estava quatro dias no túmulo. Muitos judeus visitavam Marta e Maria para consola-las.

 

“Quando Jesus a viu chorar, e os que estavam com ela, comoveu-se interiormente e perturbou-se. Ele perguntou: Onde o pusestes? Responderam: Vem ver, Senhor! Jesus derramou lágrimas. Os judeus então disseram: Vede como ele o amava! Alguns deles, porém, diziam: Este, que abriu os olhos ao cego, não podia também ter feito com que Lázaro não morresse?

De novo, Jesus ficou interiormente comovido. Chegou ao túmulo. Era uma gruta fechada com uma pedra. Jesus disse: Tirai a pedra! Marta, a irmã do morto, disse-lhe: Senhor já cheira mal: é o quarto dia. Jesus respondeu: Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram então a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o alto, disse: Pai eu te dou graças porque me ouviste! Eu sei que sempre me ouves, mas digo isto por causa da multidão em torno de mim, para que creia que tu me enviaste. Dito isso, exclamou com voz forte: Lázaro, vem para fora!  O morto saiu. Ele tinha as mãos e os pés amarrados com faixas e um pano em volta do rosto. Jesus, então, disse-lhes: Desamarrai-o e deixe-o ir!” Jo 11, 32-44

Por isso, quem crê na vida eterna não temerá a morte.

Aquele que acredita no Filho de Deus, viverá. Morrendo crendo nele, morre para este mundo e vive para a vida eterna.

[Tweet “peregrinacoesom”]

Um passeio à Betfagé

O Domingo de Ramos teve início neste lugar.

Estava chegando a Páscoa e Jesus morava em Betânia. Ele ia todos os dias à Jerusalém, nas encostas do monte das Oliveiras.

Foto da Igreja de Betfagé - Hosana ao Rei Jesus

Foto da Igreja de Betfagé – Hosana ao Rei Jesus

Era domingo e ao aproximar-se a aldeia de Betfagé, Jesus mandou dois discípulos trazerem um jumentinho para que ele montasse na cidade.

E assim se cumpre a profecia, “Eis que o teu Rei aí vem, manso, e assentado sobre uma jumenta, e sobre um jumentinho, filho de animal de carga”. São Mateus descreve a profecia do Antigo testamento em 21,1-12.

Entrar na cidade montado em um jumentinho mostra a realeza de Jesus, marcada por sua humildade.

A igreja de Betfagé é simples, pequena, porém muito linda trazendo a imagem de Jesus montado no jumentinho, nela encontramos a “pedra de montar”, mencionada pelos primeiros peregrinos sendo a pedra utilizada para subir no animal.

Na peregrinação, após sair desta igreja, cantamos como o povo daquela época, “Hosana ao Rei, Cristo é nosso Rei”.

Hosana era o grito da Festa dos Tabernáculos, para fazer memória do exôdo, 40 anos vividos no deserto, antes da entrada triunfal a Terra Prometida.

As pessoas saíam com os ramos de palmeiras nas mãos, falando Hosana.

Mas essa procissão não se limita somente a esta festa, é também o grito de libertação dos massacres sangrentos vividos anteriormente.

Montado em um jumento, Jesus sai de Betfagé onde se inicia a Semana Santa

Montado em um jumento, Jesus sai de Betfagé onde se inicia a Semana Santa

Igreja de Batfagé - onde Jesus foi a Jerusalém montado em um jumentinho

Igreja de Batfagé – onde Jesus foi a Jerusalém montado em um jumentinho

Bethânia é uma aldeia que pertence a Judeia, significa lugar dos figos verdes ou casa dos pobres, casa de Lázaro, Marta e Maria.

No final de sua vida pública, Jesus estava morando em Bethânia e passava por Betfagé para ir à Jerusalém.

Betfagé é uma estrada a caminho de Bethânia, próximo ao monte das Oliveiras.

Era páscoa e Jesus mandou dois de seus discípulos a Betfagé para trazerem um jumentinho.

Jesus e seus discípulos aproximavam-se de Jerusalém e chegaram aos arredores de Betfagé e de Bethânia, perto do monte das Oliveiras. Desse lugar Jesus enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: “Ide à aldeia que está defronte de vós e, logo ao entrardes nela, achareis preso um jumentinho, em que não montou ainda homem algum; desprende-o e traze-mo. E se alguém vos perguntar: Que fazeis? dizei: O Senhor precisa dele, mas daqui a pouco o devolverá.” Mc 11,1-3

Comemoramos nesta Igreja a entrada de Jesus em Jerusalém, era um momento de alegria para os discípulos e toda a multidão onde proclamavam – Hosana ao Rei!

Jesus entrava em Jerusalém como Rei montado em um jumentinho, assim se confirmou a profecia – A maior motivação para montar em um jumentinho era para expressar a marca de Jesus, a humildade.

Quando o Rei Davi estava para morrer e ele deu uma ordem a Salomão para que fosse levado a Gihon para ser ungido, montado em sua própria mula – I Reis 1,33.

E assim cumpria a profecia do antigo testamento.

Hosana, Hosana ao Rei, mantos e palmas espalhando vai

O povo alegre de Jerusalém, lá bem ao longe se começa a ver

O Filho de Deus que montando vem, enquanto mil vozes ressoam por aí

Hosana ao que vem em nome do Senhor, com um alento de grande exclamação

Prorrompem com voz triunfal!

Pedra cúbica pintada no tempo dos Cruzados

Pedra cúbica pintada no tempo dos Cruzados

Jesus sai de Betfagé montado em um jumentinho até a entrada de Jerusalém, o povo vai atrás com suas palmas e ramos nas mãos proclamando “Hosana ao Rei”.

A multidão sai gritando “Hosana” balançando ramos, conforme o costume judaico. Esta palavra hebraica significa, por “favor, salva-nos”.

A celebração do Domingo de Ramos abre a celebração da Semana Santa para os cristãos.

Da Igreja de Betfagé a procissão se inicia e nela encontramos a “pedra de montar”, usada por Jesus para subir no jumento.

Há também uma pedra cúbica cercada dentro da Igreja, pintada no tempo dos Cruzados que ilustra Jesus montado no jumento e a ressurreição de Lázaro com a inscrição em latim Betfagé.

Foi também neste lugar que Jesus encontrou Marta e Maria antes da ressurreição de Lázaro.

“No dia seguinte, uma grande multidão que tinha vindo à festa em Jerusalém ouviu dizer que Jesus se ia aproximando. Saíram-lhe ao encontro com ramos de palmas, exclamando: “Hosana, bendito o que vem em nome do Senhor, o rei de Israel!”

Tendo Jesus encontrado um jumentinho, montou nele, segundo o que está escrito: Não temas filha de Sião, eis que vem o teu rei montado num filho de jumenta (Zac 9,9). “Os seus discípulos a princípio não compreendiam essas coisas, mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito a seu respeito e de que assim lho fizeram.” Jo 12,12-16

20151124_132214

O roteiro de peregrinação à Terra Santa, trás uma novidade, a visita a cidade de Magdala. Ela foi recém descoberta.

Esta foto expressa o encontro com a mulher hemorroíssa, e quer representar o papel das mulheres entre os seguidores de Jesus.

A Capela Encontro está na parte inferior da Igreja. Observe como a orla do manto de Jesus é tocada. (Mc 5,25-34)

Este era um lugar de venda de mercadorias, muitos queriam vender os seus peixes para serem exportados à Roma. E Jesus se mistura a esta multidão, podemos trazer esta realidade para os nossos dias, imaginemos que Jesus estava na 25 de Março às vésperas do Natal, ou então em um metrô lotado. Era um mercado onde todos se esbarravam uns nos outros.

Nesta situação Jesus é tocado pela mulher hemorrágica. Como narra o Evangelho, ela ouviu falar de Jesus e entrou no meio da multidão, dizia ela consigo: Se tocar, ainda que a orla do seu manto, estarei curada. Mc 5,28

Jesus percebeu imediatamente que uma força saíra dele e perguntou, quem tocou minhas vestes?

Foi em meio a esta multidão que Jesus cura a mulher hemorroíssa e também atrai para si a atenção do povo de que ele a curou.

Ali muitos se tornaram testemunhas do milagre realizado.

A mulher se lança a seus pés e conta toda a sua história.

Magdala foi uma pequena aldeia, situada na Galileia, local  do nascimento de Maria Madalena, conhecida como Madalena ou Maria de Magdala. E Maria era um nome muito comum daquela época.

20151124_104931

Nos Evangelhos não encontramos referências falando diretamente que Maria de Magdala era uma prostituta, ou quais foram os pecados cometidos.

São Gregório Magno, faz referencia destes sete demônios, sendo os sete pecados capitais. “Maria chamada Madalena, da qual saíram sete demônios” texto bíblico extraído de Lucas 8,2.

Provavelmente foram cometidos muitos pecados graves e os evangelhos preferiram deixar ocultos, da mesma forma em que é realizada uma confissão sacramental a um sacerdote.

A Igreja de Magdala nos convida a entrar mar a dentro e olhando para o mosaico, vemos alguns demônios e a própria serpente tentadora, significam os sete demônios que são expulsos por Jesus.

20151124_131809

 

Suas vestes são da mulher nova, não mais de uma mulher sedutora.

Jesus teve compaixão de Maria de Magdala, olhou em seus olhos diferentemente como outros homens a olhavam, com cobiça.

Não era um olhar de condenador, sedutor, era um olhar misericordioso o qual Maria se apaixonou mas com pureza.

Jesus aponta o dedo a Maria Madalena com amor mostrando-lhe as várias dimensões do amor que cria, cura, liberta e chama.

20151124_131244

 

O nome de Maria Madalena é citado várias vezes na bíblia:

Mt 27,61 Maria Madalena e outra Maria estavam assentadas ali, em frente do sepulcro.

Mc 15,47 E Maria Madalena e Maria, mãe de José, observavam onde o punham.

Mc 16,1 Quando terminou o sábado, Maria Madalena, Solomé e Maria, mãe de Tiago, compraram especiarias aromáticas para ungir o corpo de Jesus.

Mc 16,9  Quando Jesus ressuscitou, na madrugada do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, de quem havia expulsado sete demônios.

 

 

20150212_085442

Lc 8,2 e Também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e doenças: Maria, chamada Madalena, de quem haviam saído sete demônios.

Lc 24,10 E eram Maria Madalena e Joana e Maria, mãe de Tiago, e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.

Jo 19,25 E junto à cruz de jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena.

Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a seu mãe: Mulher, eis aí o teu filho.

Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

Jo 20,1 No primeiro dia da semana, bem cedo, estando ainda escuro, Maria Madalena chegou ao sepulcro e viu que a pedra da entrada tinha sido removida.

Jo 20,18 Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos: “Eu vi o Senhor!” E contou o que ele lhe dissera.

 

 

 

 

 

 

 

Maria de Magdala

Na companhia de Pe Sóstenes da comunidade Canção Nova, conheça Magdala. Cidade em que Maria Madalena ou de Magdala nasceu.

Ela foi uma das seguidoras de Jesus deixando sua vida velha para tornar-se testemunha de Misericórdia.

Magdala, uma novidade para aqueles que querem fazer uma peregrinação à Terra Santa.

A seguir o vídeo realizado em Magdala – Israel.

A fuga para o Egito é mencionada em um único evangelho o de São Mateus.

Um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito; fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para matar.”

José levantou-se durante a noite, tomou o menino e sua mãe e partiu para o Egito.

Ali permaneceu até a morte de Herodes para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta: Eu chamei do Egito meu filho (Os 11,1).

Encontramos esta passagem em Mateus 2,13-15.

Na casa da Sagrada Família encontramos alguns vitrais para homenagear São José e este é um deles. Neste sonho o anjo diz a José para receber Maria, pois "o que nela foi concebido vem do Espírito Santo (Mt 1,20)"

Na casa da Sagrada Família encontramos alguns vitrais para homenagear São José e este é um deles. Neste sonho o anjo diz a José para receber Maria, pois “o que nela foi concebido vem do Espírito Santo (Mt 1,20)”

O anjo lhe apareceu em sonho por duas vezes e ao meditar percebemos que o anuncio aconteceu a Maria e também a José.

Diante dos sonhos que ele teve houveram manifestações de Deus. Anúncios que aconteceram para que Jesus fosse protegido.

E foram de uma forma bem simples, pois José era um homem dócil a ação de Deus.

O Senhor se manifesta em nossas vidas, ele fala e nos chama.

E isto acontece de diversas formas, basta ouvi-lo.

Em uma geração tão imediatista, que precisa de sinais e respostas rápidas ao nos deparar com José sentimos uma serenidade e abertura em acolher a missão e chamado de Deus.

Esta docilidade o fez participar da história da salvação, realizando a missão de pai daquele que nos salvou.

É muito importante tirarmos um momento de meditação da Palavra de Deus para ouvi-lo, para que possamos ser orientados a realizar a vontade de Deus.

Mateus 6,6 nos dá um ensinamento muito rico, “quando orares entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.”

Coloque sua confiança no Senhor e ouça o que ele tem a lhe dizer, que a sua voz possa ecoar, acalmando trazendo paz e esperança a situação que você está vivendo.

Rogamos a São José para que nos ajude a ouvir a voz do Senhor, realizando sempre a sua vontade.

São José, rogai por nós!