Sao JoséO culto litúrgico a S. José é celebrado, pelo menos, desde o século IV, quando Santa Helena dedicou uma igreja a ele. Já no Oriente, a festa em honra a São José é celebrado a partir do século IX. No Ocidente o culto é mais tardio. No século XII, é celebrado entre os Beneditinos. No século XII, é celebrado entre os Carmelitas, que o propagam na Europa. No século XV, João Gerson e S. Bernardino de Sena são os seus fervorosos propagandistas. Santa Teresa de Jesus era uma devota fervorosa de S. José e muito promoveu o seu culto.

S. José, descendente de David, era provavelmente de Belém. Por motivos familiares ou de trabalho, transferiu-se para Nazaré e tornou-se esposo de Maria. O anjo de Deus comunicou-lhe o mistério da encarnação do Messias no seio de Maria, e José, homem justo, aceitou-o apesar da dura crise por que passou.

Ao adentrarmos na história da Igreja e na história da salvação de maneira mais profunda, e indo um pouco além na Sagrada Escritura, podemos perceber que a Solenidade de São José é de grande importância para a Igreja Católica, devido a sua importância na história da Igreja e na história da Salvação. More »

A Tradição católica ou a Tradição Apostólica é a autoridade e a ação contínua da Igreja Católica, que através dos apóstolos e da sucessão apostólica, transmite “tudo aquilo que ela é e tudo quanto acredita”, para todo o mundo ininterruptamente desde o advento salvífico de Cristo até a atualidade (Dei Verbum 8).

A Tradição Apostólica é a transmissão da mensagem de Cristo, realizada desde as origens do cristianismo, mediante a pregação, o testemunho, as instituições, o culto, os escritos inspirados. Os Apóstolos transmitiram a seus sucessores, os bispos, e, por meio deles, a todas as gerações até o final dos tempos o que receberam de Cristo e aprenderam do Espírito Santo[1].

A Tradição, por sua vez, pode ser oral e escrita.

Tradição Oral: é enraizada no testemunho dos Apóstolos que assumiram o mandato de levar o Evangelho a todas criaturas. A Sagrada Tradição, por sua vez, conserva a Palavra de Deus, confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito Santo aos Apóstolos, e transmite-a integralmente aos seus sucessores, para que eles, com a luz do Espírito da verdade, fielmente a conservem, exponham e difundam na sua pregação[2]. More »

O documentário traz à memória imagens do Programa Gente de Fé!

Confira:

Nossa Senhora Aparecida

São 298 anos de devoção à Padroeira do Brasil. Foi num outubro de 1717 que três pescadores acharam nas águas do Rio Paraíba, na cidade de Aparecida do Norte, interior paulista, os dois pedaços da imagem de Nossa Senhora: primeiro o corpo; depois a cabeça. Daí, então, a pescaria que antes não tinha rendido nada, deu de vento em poupa; João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia encheram as redes de lambaris, e os corações com a fé na imagem negra da Virgem Maria.

De lá para cá a sequência de milagres não parou e o número de devotos nunca mais deixou de crescer. O Brasil ganhava a sua padroeira. O decreto oficial veio apenas em 1930, com o Papa Pio XI. 50 anos depois, São João Paulo II consagrava a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, a maior basílica mariana de todo o mundo.

Neste dia dedicado à Virgem, unamos as nossas preces em favor do povo brasileiro, pedindo a Jesus, pelas mãos de Maria, que as nossas necessidades mais urgentes cheguem ao coração do Pai, tanto no contexto nacional (política, economia, emprego), quanto em nossas vidas em particular. Vamos rezar juntos a jaculatória?

Senhora Aparecida, milagrosa Padroeira, sede nossa guia nesta mortal carreira! Ó Virgem Aparecida, sacrário do Redendor, daí à alma desfalecida vosso poder e valor. Ó Virgem Aparecida, fiel e seguro norte, alcançai-nos graças na vida, favorecei-nos na morte! Amém!

 

     São-Jerônimo

     A Igreja celebra hoje, 30 de setembro, um dos santos mais importantes para a propagação do Evangelho e das Sagradas Escrituras: São Jerônimo. Presbítero e doutor da Igreja, foi ele o responsável pela tradução da Bíblia para o latim, língua oficial da Igreja, o que permitiu que mais pessoas tivessem acesso aos textos da Palavra de Deus! A edição ficou conhecida como Vulgata.

     A Igreja o escolheu padroeiro de todos os que se dedicam ao estudo da Bíblia e fixou o “Dia da Bíblia” no mês do seu aniversário de morte, 30 de setembro.

“Carne da minha carne e osso dos meus ossos”

     “Graças a Deus, não posso negar: a Bíblia faz parte de minha vida. Ela se tornou carne da minha carne e osso dos meus ossos. Eu comi, mastiguei, digeri, ruminei, assimilei a Palavra de Deus como um alimento. Hoje ela é como sangue que corre em minhas veias”. Essas são palavras de um homem apaixonado pela Bíblia: Monsenhor Jonas Abib!

jonas-abib-conhecer-e-viver-a-palavra-de-deus

     Monsenhor Jonas nos conta que muitas vezes as pessoas, ao mandar cartas ou bilhetes com pedidos de oração, acabava escrevendo “ao Pe. Jonas da Bíblia”, confundindo o sobrenome real do padre, Abib. Ele relata: “Foi a Palavra que fez em mim o que sou hoje. É a Palavra que me dá hoje a possibilidade de fazer o que eu faço. E tenho a certeza: ela tem muito ainda a fazer em mim. O que eu peço para mim, peço também para você. (…) Deixe que ela faça!”.

     A Palavra de Deus sempre esteve na história da Comunidade Canção Nova e de nosso fundador, Monsenhor Jonas Abib. Foi em um ‘encontro’ com a Sagrada Escritura, mais precisamente no capítulo 13 do Evangelho de São Mateus, que o padre teve o primeiro encontro pessoal com Jesus Cristo. De fato, a Bíblia não é apenas uma coleção de livros, mas o próprio Deus que se revela e nos orienta na direção de uma vida íntima e ofertada a Ele, através da busca da santidade.

Sem título

     A Palavra é nosso alimento sólido para a construção do homem novo. É nosso encontro diário com a voz de Deus para nossas vidas. Não à toa que o Estudo da Palavra faz parte das práticas de piedade da Comunidade Canção Nova. Nossa vida de intimidade com Deus é perpassada pela luz do Evangelho, nossa primeira regra de vida. Todos os dias temos esse encontro com o Verbo, seja na Santa Missa, pela liturgia da Palavra, seja na leitura orante da Bíblia, baseada no método que o próprio Monsenhor Jonas nos ensina: A Bíblia no meu dia a dia (para saber mais clique aqui).

     Peçamos o auxílio de São Jerônimo para que em nossos corações pulse um amor apaixonado pela Palavra de Deus!

“Ó Deus, criador do universo, que vos revelastes aos homens, através dos séculos, pela Sagrada Escritura, e levastes a vosso servo São Jerônimo a dedicar a sua vida ao estudo e à meditação da Bíblia, dai-me a graça de compreender com clareza a vossa palavra quando leio a Bíblia. São Jerônimo, iluminai e esclarecei a todos os adeptos das seitas evangélicas para que eles compreendam as Escrituras, e se dêem conta de que contradizem a religião Católica e a própria Bíblia, porque eles se baseiam em princípios pagãos e superticiosos. São Jerônimo, ajudai-nos a considerar o ensinamento que nos vem da Bíblia acima de qualquer outra doutrina, já que é a palavra e o ensinamento do próprio Deus. Fazei que todos os homens aceitem e sigam a orientação do nosso Pai comum expressa nas Sagradas Escrituras.

São Jerônimo, rogai por nós. Amém.”

Oração

Salva, Senhor, teu povo e abençoa a tua herança;
concede à Tua Igreja vitória sobre os inimigos
e protege, pela tua Cruz, este povo que é teu.

Cristo Deus, que voluntariamente foste levantado na Cruz,
tem compaixão do teu povo que traz o teu nome.
Alegra, pelo teu poder, os nossos fiéis governantes,
dando-lhes a vitória sobre os inimigos:
encontrem na tua aliança
uma arma de paz, um troféu invencível.”

A Cruz exaltada convida toda a criação
a cantar hinos à paixão imaculada
daquele que sobre ela foi erguido:
sobre a Cruz ele levou à morte
quem nos tinha dado a morte,
ressuscitou os mortos
e, tendo-os purificado,
em sua compaixão e infinita bondade
os fez dignos de viver nos céus;
alegremo-nos, pois, exaltemos seu nome
e magnifiquemos a sua extrema condescendência.

Erguendo os braços para o alto
e pondo em fuga o tirano Amalek,
Moisés te prefigurou, ó Cruz veneranda,
glória dos fiéis, sustentáculo dos mártires,
ornamento dos apóstolos, defesa dos justos,
salvação de todos os santos.
Por isso à vista da tua exaltação,
a criação se alegra e exulta glorificando a Cristo,

cuja extrema bondade reuniu, por teu meio,
o que estava disperso.

Oração para ser rezada no dia da exaltação da Santa Cruz

14 de setembro
“Mil vezes o Nome de Jesus”

Serão rezados 20 terços, assim:
· Início:Creio, 1 Pai-Nosso e 3 Ave-Marias

· Nos Pai-Nossos: Se na hora da minha morte, o demônio me tentar, de nada vai adiantar, pois no dia da exaltação da Santa Cruz, mil vezes eu clamei o Nome de Jesus!

· Nas Ave-Marias(dezena): Jesus!
Observação: Esta oração poderá ser rezada para outra pessoa que precisa de conversão, dizendo: Se na hora da morte de (dizer o nome), o demônio o tentar…

Olá, me chamo Josiane tenho 29 anos, sou natural de São Caetano do Sul-SP e estou hoje aqui, para partilhar sobre minha história vocacional.

“Antes de formar-te no seio de tua mãe, eu já te conhecia, antes de saíres do ventre, eu te consagrei e te fiz profeta para as nações. Eu respondi: Ah! Senhor Deus, não sei falar sou uma criança. O Senhor me respondeu: Não digas: Sou uma criança, pois a quantos eu te enviar irás, e tudo o que eu te mandar dizer, dirás. Não tenhas medo deles, pois estou contigo para defender-te .”  Jeremias 1, 5-8

Assim como Jeremias eu fui chamada por Deus a viver em missão muito jovem. Após minha primeira comunhão, quando eu tinha aproximadamente 10 anos, comecei a participar de um movimento da Igreja, chamado “Infância Missionária”, que tem como missão crianças evangelizando crianças. O lema era: “Por todas as crianças do Mundo- sempre unidas”, e foi quando tudo começou, nesta época sentia um desejo enorme de evangelizar as crianças do mundo inteiro, queria que cada uma tivesse a mesma experiência que eu tive do amor de Deus, então com 12 anos comecei a ser animadora da Infância Missionária (é como se fosse catequista) evangelizava as crianças e assim continuei por mais alguns anos, fui crescendo e o meu desejo de levar o outro ao encontro pessoal com Jesus foi crescendo também. Continuei com as crianças, mas fui percebendo a necessidade da evangelização também para os jovens e adultos, e assim comecei a ser catequista do crisma e da catequese de adulto, foi uma experiência rica, mas em meu coração Deus me pedia mais.

Deus me constituiu profeta das nações, só não sabia como se daria isso, pois não me sentia chamada a uma vida religiosa, achava que só poderia servir a Deus na minha paróquia como já fazia ou sendo religiosa. Nessa época não conhecia a Canção Nova, quer dizer até conhecia, mas somente como uma TV Católica, na verdade não conhecia a Comunidade Canção Nova. Fiz a descoberta no grupo de oração (Jovens Sarados) através de um acampamento realizado na Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP), quando cheguei lá fiquei admirada com toda a estrutura e Deus me inquietava para conhecer a comunidade, com isso descobri que existia pessoas leigas que dedicam a sua vida integralmente para a salvação das almas, isso era o que eu procurava desde criança mas não entendia.

Li o livro “Vocação: um desafio de Amor”, e decidi me aproximar da comunidade para descobrir o lindo chamado que Deus me fez. E aqui estou no meu 2º ano na comunidade Canção Nova. O que posso garantir para você, é que “Só é feliz quem realiza sua vocação”.

E você já encontrou o seu lugar? Não tenha medo de fazer as descobertas, será um processo lindo.

Josiane Teresinha de Sousa

As celebrações da Festa de Pentecostes que a Igreja celebra neste domingo, continua amanhã com adoração e Missa de encerramento do Deus Imenso na Canção Nova em Queluz (SP).

A casa de missão da Canção Nova em Queluz (SP), tem a alegria de convidar a todos os que estiveram unidos a nós em oração durante esses 50 dias de Adoração ao Deus Imenso, para o encerramento que terá inicio as 18 horas com Adoração ao Santíssimo Sacramento, Procissão em seguida a Celebração da Santa Missa as 19 horas desta Segunda-feira dia 25 de Maio de 2015.

É estado de graça poder se deparar com as próprias angustias. A gente encontra graça quando fica angustiado, tenso ou triste porque existe uma graça própria para este momento, mas também o contrário, existe uma desgraça que nós podemos viver se tentarmos fugir das nossas questões.

O Senhor, Ele traz (permite) a nossa vida algumas angustias, algumas tristezas para nós nos depararmos com as nossas limitações e com isso dependermos mais d’Ele. Mas podemos cultivar e construir dentro de nós um certo sofrimento, certas tristezas, angustias,  certos movimentos de intolerância a nós mesmos, exatamente para cultivar em nós um gosto de estar mau, não porque é legal mas pelo o efeito que o mal pode trazer, porque até as coisas más tem algum beneficio.

Hoje a gente consegue identificar que tem gente que gosta de ficar depressivo, porque os outros vão lhe olhar, vão lhe tratar melhor, vão cuidar de você, vão dar o carinho que você não teve. Outros vão gostar de ficar doente porque vão receber uma atenção maior e melhor. É o cumulo do absurdo, mas existe, pois tem gente que cria doença para ser olhado, amado, para ter um tratamento diferenciado.

Nós temos esta estranha mania de criar coisas ou de ignorar aquilo que Deus dá. Porque tudo o que passa pelo coração e que vem de Deus traz bom fruto, tudo, tristeza, angustia, agitações traz bom fruto, só que fruto não é da noite para o dia, nem é no mesmo dia. Você vai guardar essa angústia, porque você precisa centrar as coisas. As nossas fugas é da angustia, a gente quer correr de ter que pensar a vida, de ter que amadurecer as coisas, de ter que organizar o nosso interior.

A graça está em você deixar gerar dentro de você o barulho, para deixar colher de Deus o fruto. Colher respostas fáceis não amadurece a sua fé. Resposta fácil não amadurece o coração, alivia a cabeça mas não amadurece coração. O que amadurece o seu coração é o caminho que você constrói  com a sua angústia para descobrir lá dentro o que Deus quer responder. O interessante que a resposta de Deus é silenciosa! Quando a gente descobre no silencio esta resposta de Deus o coração se enche de alegria, não é a cabeça. Quando a gente busca resposta em pessoas a cabeça alivia, mas não tira a angustia do coração, a gente só acumula  e guarda para a próxima crise que virá.

Padre Aluísio

Comunidade Canção Nova

Todos nós possuímos bens e riquezas, sejam elas materiais ou não. A questão é: estou disposto a deixá-las para seguir Jesus? Essa foi a mensagem que Dom Henrique Soares da Costa , bispo da diocese de Palmares-PE deixou aos discípulos e juniores da Comunidade Canção Nova, em visita à Casa de Queluz na noite desta sexta feira, 17 de Abril de 2015.

O capítulo 10 do Evangelho de São Marcos foi a passagem usada para a meditação: o rico que desistiu de seguir Jesus por conta dos seus bens. Na Lectio, Dom Henrique nos motivou a compreender que a angústia daquele homem é também nossa. “O que eu devo fazer para ter a vida eterna?” Ou seja, o que nós precisamos fazer para que as nossas vidas “tenham sabor de eternidade; não sejam apenas um rosário de dia sem sentido, que muitas vezes nos angustia, nos deprime”, comentou Dom Henrique.

A resposta de Jesus é simples e ao mesmo tempo dura. A citação dos mandamentos da 2ª tábua da Lei, referentes ao próximo revela que a verdade do nosso relacionamento com Deus só pode ser comprovada se vivermos o amor ao próximo. “Não há como amar a Deus, sem honrar à sua imagem (…) A tua relação com o próximo vai dizer da verdade da busca com Deus. Uma procura de Deus que não passe pelos outros, que despreze os outros é mentira”.

Para Dom Henrique, Jesus ainda vai além. Ele sai da lógica do fazer, já que o homem já seguia os mandamentos desde a juventude, para a lógica do ser. O caminho é semelhante para nós: abandonar tudo e, em seguida, seguir Jesus. “Não é largar tudo e partir, seguindo a si mesmo. É preciso seguir Jesus”. É questão de deixar-se a si mesmo, os próprios bens, as seguranças e os próprios dons que nos “garantam” a salvação e os méritos de Deus. Perderemos os prestígios, os amigos, as seguranças. Ele (Jesus) desmancha os castelos de areia que construímos. Só assim se pode olhar o céu novamente porque se está livre”.

O grande segredo, segundo o bispo, é fazer de Jesus o centro de nossas vidas. Dando tudo, se perde tudo, mas se ganha o Tudo. Citando o frei Inácio Larrañaga: “quem assume o seguimento de Jesus adquire três grandes privilégios: a onipotência sem poder, a embriaguez sem vinho e a vida sem fim”.

A colocação de Dom Henrique foi uma graça de Deus a nós; providencial. As palavras trazidas pela Lectio Divina de Marcos 10 nos faz refletir: Quais os projetos de riqueza que possuo? Quais são os bens que podem me afastar de Deus e tirar Jesus do centro do meu coração? E você? Quais são as suas riquezas?

O segredo é Deixar e somente em Deus serei livre para Amar!

Dom Henrique Visita Casa de Maria Dom Henrique Visita Casa de Maria