A Virgem Maria caminha conosco.

Na Canção Nova nutrimos um profundo amor e devoção à Virgem Maria e costumamos afirmar com toda a confiança: É Ela quem tudo faz! Mediante às nossas necessidades espirituais e materiais somos todos os dias agraciados pela sua proteção materna que sempre nos auxilia.

Como missionária da comunidade Canção Nova, há 10 anos moro em Fátima/Portugal e aqui fiz e faço a bela experiência de caminhar com a Virgem Maria. Estabeleço um relacionamento de amizade com Ela. Com Maria todos os dias posso contemplar a ação misericordiosa de Deus em minha vida e na vida de tantas pessoas que fazem parte da minha vida. Ela é a onipotência  suplicante e medianeira das graças celestes.

A Beata Jacinta, pastorinha de Fátima, disse certa vez à irmã Lúcia sua prima: “Diz a toda a gente que Deus nos concede as graças por meio do Coração Imaculado de Maria; que lhas peçam a Ela.” (Memórias da irmã Lúcia.)

Partilho uma graça particular que recebi estando na missão da Canção Nova em Fátima, terra de santa Maria: Desde os meus 16 anos trazia um desejo de me consagrar totalmente ao Senhor. Entrei para a comunidade aos 20 anos e aos 28 assumi o meu primeiro compromisso temporário como virgem consagrada na Paróquia de Fátima. Nossa Senhora e os pastorinhos, foram nutrindo em minha alma um profundo amor pela Mensagem de Fátima e esta experiência levou-me a assumir o seguinte lema com a ajuda do meu diretor espiritual: em tudo reparar o Imaculado Coração de Maria.

Aos 31 anos fiz a minha consagração definitiva como virgem consagrada na nossa Casa de Maria em Queluz no dia 08/09/2011, precisamente no dia da natividade da Virgem Maria. Portanto só posso afirmar: na minha vida foi Ela quem tudo fez e faz!

Estando em retiro na Casa de Maria nos dias que antecederam a minha consagração, pude perceber todo o carinho e auxílio de Nossa Senhora, preparando-me para ser desposada por seu Filho Jesus. Na celebração da minha consagração especialmente ao ler a fórmula, fui tomada pela graça de Deus, de uma maneira muito peculiar. Nosso Senhor aceitou a minha entrega e concretizou o desejo que há tanto tempo eu trazia no coração.

Sempre que lembro desta experiência, sou tomada por uma profunda gratidão à Deus, por me ter concedido dom tão sublime. Como não ter também o coração grato aos meus irmãos de comunidade e familiares, por todo apoio e presença, por serem sinais do amor de Deus para comigo!

Para mim e para a minha família foi muito gratificante ver todo o carinho e apoio dos irmãos da casa de Maria que tanto trabalharam para que tudo corresse bem, nomeadamente a equipe de formação e a turma de discipulado que estava presente.

Com a Virgem Maria, nossa Mãe tão terna e atenta, caminhemos sempre com os olhos fixos em Seu Filho Jesus, pois Ela tudo faz para que tenhamos a nossa vida centrada NELE!

.

Áurea Maria
Missionária CN – missão de Fátima/Portugal

Veja também:

.: Celibato, uma resposta de amor

Estar na Casa de Maria é voltar ao colo da Mãe

Tive a graça de morar na Casa de Maria em 2009, em meu segundo ano de formação inicial da Canção Nova, o Discipulado.

Começo aqui com minha primeira experiência na casa de Maria: Assim que cheguei aquela casa para iniciar o meu discipulado, no primeiro momento que pisei aquele solo, Deus já foi me surpreendendo.

Cheguei num domingo à tarde e fui subindo a escada em direção a Capela. Enquanto subia, sentia a presença do nosso Fundador Monsenhor Jonas Abib caminhando comigo em cada degrau. Falava-me: “Aqui você será feliz, aqui é a casa de Maria, portanto, a sua casa. Foi a Virgem Maria quem lhe trouxe para cá, estou feliz porque ela lhe trouxe para viver esse tempo. Aqui você será formada”.

Fiquei muito tocada com aquele sentimento e não entendia o porquê, visto que o fundador já não morava mais ali. Guardei no coração.

Depois de algum tempo, em uma das formações comunitárias, nossa mestra da época (Maria Cristina) partilhou que um dos padres da nossa comunidade que estava visitando a Casa de Maria constatou que é possível perceber naquela casa, muito fortemente, a presença do fundador. Naquela hora entendi a mística que existe na Casa de Maria. É o lugar do encontro. Encontro com Deus, encontro com a Virgem Maria, encontro com os irmãos e com o Carisma.

Morando naquela casa, ouvi muitas vezes dos meus irmãos de turma, as experiências que faziam com a Virgem Maria e eu sempre desejei também viver estas experiências. Num certo dia, enquanto o Padre Roger Luís celebrava a Santa Missa muitos de nós, senão todos, sentimos e percebemos durante a Missa a presença da Virgem Maria em nosso meio. Um após o outro foi confirmando esta presença com sentimentos, imagens, etc. Foi um momento muito forte que depois gerou grandes partilhas. Saímos todos muito tocados daquela missa, pois a Virgem Maria não somente nos visitou, mas permaneceu conosco.

Aprendi e toquei na realidade que a Casa de Maria é também a Casa da Acolhida e do Serviço. Somos servos da Casa de Maria.

Hoje morando em outra frente de Missão da Canção Nova, atualmente em São José do Rio Preto, retomo sempre: Sou serva da Casa de Maria. Em qualquer missão que eu me encontre, sou serva da Casa de Maria. Toda a Canção Nova é também a Casa de Maria.

Lembro-me que no período em que lá morei, aprendi com a Virgem Maria o caminho da capela, aprendi a não perder tempo para rezar. Foi ela quem me ensinou a viver o silêncio e a oração.

A Casa de Maria também é para mim o lugar do meu repouso e da retomada. Maria sempre me atrai à sua casa. Todos os anos, aproveito meu período de descanso para me refazer no colo da Mãe, para rezar, para encontrar-me com Deus e com os irmãos. Cada vez que eu vou é uma surpresa, uma experiência nova. Deus é criativo e Maria também é criativa. Lá me sinto à vontade, me sinto filha.

Quando lá eu chego, parece que nunca saí. Envolvo-me na dinâmica da casa, convivo com os meus irmãos. É muito bom estar na casa de Maria. Maria sempre atrai os seus filhos à sua casa, porque a casa da mãe é o lugar dos filhos.

Arlane Moreira
Canção Nova – São José do Rio Preto/SP

Veja também:

.: “Muitas vezes começar tudo de novo”
Post de Maurício Cataldo, da mesma turma da Arlane Moreira

Queira uma nova experiência com Nossa Senhora: ELA pode se manifestar a você!

Toda a minha vida foi marcada pela presença da Virgem Maria. É impossível falar da minha história sem mencionar o papel fundamental Dela. Desde a minha juventude, na minha vocação a Canção Nova, na minha missão de Mãe e esposa.

De maneira especial no ano de 1998, foi um tempo marcante da Virgem em minha vida: foi quando ingressei na Comunidade Canção Nova. Fiz meu noviciado (tempo de formação inicial) na CASA DE MARIA em Queluz/SP.

A Casa de Maria é o ventre gerador, onde somos gestados pela Virgem para “nascer” uma nova criatura, e comigo não foi diferente.

Eu tinha um grande anseio por ter uma experiência profunda com Maria naquela casa, pois nossa formadora sempre nos falava: “Maria caminha nesta casa”, e eu sempre pedia a Ela que se manifestasse a mim.

Em um determinado dia, enquanto fazia o meu Estudo da Palavra, eu fui levada a olhar para um quadro de Jesus crucificado, o mesmo que o Monsenhor Jonas Abib tinha passado pela experiência e ser convidado a ser as pernas e os braços de Jesus que estavam quebrados naquele crucifixo. More »

Oração Mariana que passa de geração em geração

Senhor, tende piedade de nós,
Jesus Cristo, tende piedade de nós,
Senhor, tende piedade de nós,
Jesus Cristo ouvi-nos.
Jesus Cristo atendei-nos.
Deus Pai do Céu, tende piedade de nós
Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós

Santa Maria, rogai por nós
Santa Mãe de Deus, rogai por nós
Santa Virgem das virgens, rogai por nós More »

Já provei que Nossa Senhora é a Onipotência Suplicante, consegue tudo…

Eu tive a graça de morar na Casa de Maria em 2009, o ano do meu Discipulado. Nesta Casa fui gerada para o Carisma Canção Nova, gerada para uma vida nova.

Experimentei concretamente que a Virgem Maria é boa. Ela é boa Mãe, boa amiga, boa mestra, boa intercessora, boa conselheira, boa em me surpreender com sua providência e boa também em me corrigir nos momentos certos.

Aprendi que a Virgem Maria é a onipotência suplicante. Ela nos assume diante de Jesus na Cruz: “Mulher, eis aí o teu filho.” Onipotência Suplicante quer dizer: aquela que consegue de Deus tudo o que pede.

Maria reclama para seus filhos a providência, junto ao coração de Jesus. Foi o próprio Deus quem a constitui assim. Ela recebeu a notícia de que seria a Mãe de Jesus e foi as pressas até sua prima Isabel. Foi para servir. More »

Um momento de ressurreição em minha vocação

Entre tantos lugares e tantos momentos que já vivi na Casa de Maria em Queluz nesses quase 9 anos de Comunidade Canção Nova, escolhi partilhar com você sobre uma experiência na pequena gruta na Casa de Maria; gruta esta que para chegar é preciso subir um pequeno morro, ou seja ter a disposição para estar com a Mãe.

Gruta de Nossa Senhora em Queluz

Estando ali sentada perto da imagem da Virgem Maria, vivi a experiência de fazer uma leitura da minha vocação dentro da Canção Nova, e junto com a Mãe fui sendo cuidada. Fiz a experiência de encontrar-me com a Virgem Maria como Jesus encontrou-se com Ela no Monte Calvário; fui acariciada e acolhida pela Mãe.

Nossa Senhora me permitiu tocar na minha história de vocação, nas situações vividas, nos desafios, nas vitórias, e fui percebendo o quando minha vocação é valiosa,e que Deus me chamou, me escolheu. Foi um momento de ressurreição na minha vocação.

Ana Lúcia MarcondesComo eu disse, para chegar à gruta é preciso subir um pequeno morro, ou seja, ter a disposição. Ali sentada com a Virgem eu precisei também ter a disposição de deixar que Maria, como mãe, cuidasse de mim, cuidasse da minha história. Valeu a pena!
Experimentei a graça de estar no colo de Maria e hoje a cada dia percebo que Ela caminha comigo e que zela pela minha vocação!

.

Ana Lúcia Marcondes

Missionária da Canção Nova

.

Leia também:

.: “Me tornei uma mulher livre

por Ritinha

.: “Mais próxima de mim do que eu imagino

por Bruno Franco

As minhas maiores experiência nesta casa foram feitas no decorrer dos dias, em que nossas rotinas de davam pelas famosas faxinas. Sim, eram faxinas de limpar, lavar, varrer, arrumar, colocar as coisas no lugar e retirar o que não fazia parte daquele local. Nunca tinha vivido essa experiência de limpar de forma tão profunda os locais que muitas vezes se mostravam limpos.

No decorrer de cada dia de limpeza sentia que a própria Virgem Maria me levava a também querer limpar todo meu interior e descobrir o que estava com mofo, poeira. Mexer em lugares sujos, lugares que pareciam limpos; retirar o que não fazia parte de mim e principalmente: encarar a verdade.

Quando penso em me retirar para colocar as coisas no lugar, o primeiro lugar que me vem à memória é a Casa de Maria, pois é Ela que coordena a faxina e nós vamos limpando os lugares que Ela aponta estar sujo: nada fica oculto aos seus olhos!

Assim é a Casa de Maria: lugar onde posso me encontrar comigo mesma e com o que tenho de sujo. Claro, que  com a ajuda da “dona da Casa” sempre posso fazer uma bela faxina para que Jesus nasça, viva e reine em mim.

Digo com toda convicção que a Casa de Maria é a casa da minha vocação. Todas as vezes que entro nela é isto que sinto: que cada parte dela faz parte de mim e que eu faço parte de cada espaço dela. No tempo em que vivi neste Santuário do Carisma CN fiz uma experiência em cada lugarzinho.

Quando volto à Casa de Maria, volto-me ao meu interior, que “a cada faxina”, é purificado novamente.

.

Roberta Rodrigues [ à esquerda na foto ]
Missionária CN na Casa do Bom Samaritano

Aprender a esperar, a ter paciência…

Nossa Senhora

.Na Casa de Maria em Queluz é impossível não fazer uma experiência forte com Aquela que tudo fez e faz na Canção Nova: Maria. Ela também tudo fez e faz na nossa vida.

Eu poderia partilhar com você várias experiências, mas vou me deter em uma vivência muito especial. Fiz uma grande descoberta: que Maria caminha devagar no Santuário do Carisma Canção Nova. Isso mesmo! Neste mundo onde tudo é correria, em que as pessoas fazem tudo muito rápido, querem resolver todas as coisas num piscar de olhos, onde tudo precisa ser ‘para agora’, ‘pra já’. Imediatismo, que cultivamos até na nossa espiritualidade. Rezamos e queremos que Deus nos atenda logo, que as graças cheguem ao nosso tempo, ou seja, “ontem”. É exatamente neste mundo, que a Virgem tem um olhar demorado em todas as coisas.

Fiz o meu discipulado em 2010, onde me empenhei para ser uma boa discípula de Jesus e muitas coisas fazia rapidamente para poder ficar mais tempo aos pés do mestre. Mas após seis meses morando na Casa de Queluz sofri uma torção no tornozelo e precisei andar devagar, para minha recuperação. E enquanto muitos irmãos passavam sempre correndo por mim, (coisa que vivia normalmente até então), na vontade também de ir correndo com eles, fui perguntando a Deus o que Ele queria me dizer com tudo aquilo, qual era Seu ensinamento para mim. Pois nesta casa aprendi que Deus tem um propósito para cada situação de nossa vida. O Senhor se vale de tudo, em tudo Ele age.Regiane Calixto perna engessadaE Deus falou forte ao meu coração “Maria caminha devagar nessa casa”. E comecei a então me perguntar o que significava esse caminhar devagar. Então percebi que quando caminhamos devagar reparamos em detalhes que antes não tínhamos percebido. Descobri que Maria caminha devagar na casa de Queluz para que nenhum detalhe fique sem ser visto More »

Experiências que me sustentam

Em 2000 tive a graça de viver na Casa de Maria. Desde que cheguei na casa de formação em Queluz-SP, junto com mais 45 jovens [alguns na foto abaixo], a formadora Márcia Louzada sempre dizia que Maria caminha nesta casa, como já dizia nosso fundador Monsenhor Jonas Abib.

Turma de Noviciado Canção Nova 2000Experimentei que Maria caminha pelos corredores, nos visita nos nossos quartos, está na sala nos nossos momentos de convivência, nos acompanha na cozinha e em nosso refeitório, e passeia pelo jardim. Desde o início, a Márcia nos conduzia para este encontro com a Virgem Maria. Ela dizia: “Você pode conversar com Ela, partilhar o que está vivendo, suas dores e suas alegrias. Peça a ajuda dela. Ela é sua companheira aqui e está sempre a sua espera para te acolher, ouvir e ajudar”.

Eu desejei fazer esta experiência com a Virgem Maria. Pedi a Ela que se revelasse a mim nesta casa como Ela já havia se revelado a tantas pessoas em aparições. Sei que era um pouco audacioso da minha parte, mas eu queria muito fazer esta experiência. Eu disse a Nossa Senhora que queria sentir que Ela estava comigo. Eu já sabia que Ela estava, mas queria fazer a experiência da sua presença real.

Um dia, caminhando perto dos alojamentos, na parte exterior da casa, olhei para as flores e as árvores do jardim e pedi mais uma vez a Nossa Senhora que Ela se revelasse a mim. Não demorou muito e senti uma brisa suave sobre mim e uma paz muito grande. Era como se eu estivesse em uma parte do céu. Olhei para meu lado e senti que Ela estava ali, mesmo sem vê-la, sua presença era muito real e tive a plena certeza que Maria realmente caminha conosco.

Daquele dia em diante meu relacionamento com a Virgem Maria mudou. Até o terço passou a ter outro gosto. Ela realmente entrou de uma vez por todas na minha vida para não sair mais até o meu encontro definitivo no céu.

Um pouco depois de ter morado na casa de Maria em Queluz, tive a graça de morar por 6 anos e meio na frente de missão da CN em Portugal, bem pertinho do Santuário de Fátima, onde aconteceram as aparições aos pastorinhos. Lá vivi muitas experiências maravilhosas com a Virgem Maria. Entre elas a cura da minha irmã e a intimidade com a Virgem, a ponto de, todas as vezes que eu ia visitar o Santuário, tinha a sensação de estar entrando na Casa de Maria para conversar um pouco com ela, e ali tomar um café e comer um pedaço de bolo que a Mãe havia preparado para mim. Era maravilhoso sentir esta acolhida da Virgem, eu me sentia no coração dela.

Depois fui morar na frente de missão da CN na Terra Santa, e tive a graça de visitar a Casa de Maria em Nazaré por diversas vezes. Ali é verdadeiramente um pedaço do céu na Terra. Aquela casa que subsistiu a tantos anos é como o amor de Maria por nós, nada poderá abalar, nem mesmo as ações do tempo. A casa dela é simples e pequena mas de uma acolhida enorme que nos atrai e nos faz querer ficar cada vez mais perto dela.

Hoje estou novamente no Brasil e mesmo depois de tanto tempo fora do país, nunca me esqueci daquele primeiro encontro com a Virgem Maria em Queluz. Ela me gerou, formou e preparou tudo o que eu iria viver. Ela hoje me acolhe aqui novamente em seu coração para me restaurar e amar.

Uniceia Canção Nova

Unicéia Salgado de Oliveira
Comunidade Canção Nova
fb.com/uniceia @uniceiacn

.

… do Baú: Turma de Noviciado ano 2000 FOTO1 FOTO2

A experiência que fiz na Casa de Maria foi a de ser filha, aluna em sua escola, uma aprediz. Na Casa de Maria servi os irmãos no café da manhã, no almoço, no jantar. Haviam dias que preparavamos o que comiamos. Nas quartas-feiras, dia da Providência, fazíamos os doces para vender e ajudar o Projetos Dai-me Almas nos acampamentos de oração em Cachoeira Paulista (SP).

Sempre colocávamos cada coisa em seu lugar, organizando cada ambiente da casa. Em todos esses afazeres quanto ensinamento! Deus falava em tudo: nos irmãos, nos acontecimentos do dia a dia, no arrumar da casa, no lavar o banheiro, encerar as capelas, tirar o pó… Trabalhavamos nas escalas sempre em dupla, e Maria, a mãe de Jesus e nossa, estava sempre presente.

Eu gostava de ir à capela e ficar olhando para aquela imagem de Nossa Senhora de Fátima [foto ao lado], que tem uma mão que abençoa e outra que parece estar nos empurrando para frente.

Sempre busquei saber como estava vivendo minha consagração, se estava na benção ou não. Buscava meus formadores para uma direção e muitos deles eram essa presença de Maria que me empulsionava a dar passos naquilo que estava sendo difícil no momento.

Na Casa de Maria fiz a experiência da alegria, de viver a sadia convivência com os irmãos.

Como foi bom aprender fazer o Estudo da Palavra comunitariamente, rezar o terço mariano, buscar os irmãos para concluir o Rosário e durante as formações, tocar no Carisma Canção Nova fazendo a experiência com os escritos do nosso fundador, monsenhor Jonas Abib.

Os toques do sino para nos avisar sobre nossas responsabilidades com Deus. Hora da Missa, Adoração ao Santíssimo, escalas de trabalho, almoço, hora de dormir e outros os afazeres do dia a dia.

Gostava de me retirar muitas vezes e ficar com Maria na gruta onde se encontra uma Imagem de Nossa Senhora de Loudes. De lá se pode ver as montanhas, o rio Paraíba, a via Dutra… Essas coisas me falavam de Deus. O rio me fazia pensar: há um caminho a seguir.

Deus usava até da escada para falar comigo. Eu gostava de cantar a música abaixo, que sempre tocava na Rádio Canção Nova:

”Entronizado está na minha vida,
encorajando-me a lutar,
testemunho fiel
a cada dia subir degraus
para vitória alcançar”.

Ainda na escada, ao subir cada degrau, eu olhava para o céu e cantava: Óh mãe santíssima me leva a Deus e para sempe cantarei … Maria Tú que és porta do Céu.

Na Casa de Maria se faz experiência de Céu.

Hoje, sou casada, missionária desde 1998 e as experiências que vivi no Santuário do Carisma Canção Nova me impulsionam a consumir minha vida pela Igreja, sem tirar os olhos de Jesus.

Angélica Maria de Assis Antonio Camara
Missionária CN nos bastidores da TVCN, em Cachoeira Paulista/SP
@angelfcn

.

Edição do texto: Aldenir Aldo e Ingrid Carine (Atualmente Discípulos CN)