Nada tem acontecido do momento da nossa concepção até este momento que tenha sido um desperdício. Jesus chamou seus primeiros discípulos para segui-lo e dar livre acesso a Ele para transformá-los em homens NOVOS. Ao invés de querermos saber como Deus irá nos transformar no futuro, nós podemos olhar para trás em nossas vidas e perguntar: – Como Deus tem nos conduzido no passado? O quê ele está nos chamando agora? Quais são as redes que hoje Ele está me pedindo para largar? E o que eu tenho que agir imediatamente?

Uma Palavra muito importante para que meditemos hoje é a palavra: IMEDIATAMENTE! Esta é a base de ser Discípulo! Para que possamos ser discípulos e ir além do que  são apenas nossas limitações devemos agir.      

Quando você deseja que todos os sonhos de Deus se realizem em você, eis aqui um bom começo para que se torne um bom discípulo. Isso significa que você deseja ser preenchido por este amor que te fará não um seguidor de uma doutrina, um fã de Jesus Cristo, um seguidor de uma filosofia, um modo de viver, mas muito mais do que isso tudo, um Ser NOVO! Quando Jesus assume sua vida pública e diz: – Eis que se cumpre as Escrituras, Eis o tempo favorável, hoje assim como em Nazaré quando Jesus entrou na Sinagoga e depois de ler o livro de Isaías respondeu! -Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir! Lucas 4-21. Completou-se o tempo, ou seja, Jesus proclama que toda a Lei todo o Velho Testamento se concretiza Nele! O que significa então para cada um de nós quando temos um verdadeiro encontro pessoal com Jesus, como São Paulo, o que significa ser pleno na Graça, significa que a partir daquele instante nós nos tornamos aquele que deveríamos ser desde a nossa concepção. A isso chamamos de História da Salvação, para cada um de nós e para todos.

                  Jesus caminha ao lado do Mar da Galiléia e vai chamando os discípulos, pescadores de peixes para se tornarem pescadores de Homens. Ser Discípulo então neste momento se transforma não em uma pessoa legal, uma pessoa boazinha, que lê a Bíblia que faz uma ação de caridade, Jesus não os chamou para ser uma pessoa legal, mas para serem  pessoas NOVAS, ou seja, pessoas que deveriam ser conforme o Plano de Deus, Seu  plano original.

                  Não deveríamos desejar como discípulos que as pessoas digam que somos legais, mas que fiquem estarrecidos como é possível testemunhar o que testemunhamos. Como manter a Alegria em meio a tanto sofrimento! Nossa fé é testada no fogo. Como um filho em Unidade Intensiva, permanecermos em pé, significa que sabemos em Quem confiamos. Por que fomos transformados por Jesus.

                  O que significa ser Pescador? E agora aplicamos a Pescador de Homens: – Significa ser paciente, significa saber que há dias bons e dias não tão bons. Significa que em tudo é preciso coragem e prudência. Significa que se não buscarmos águas mais profundas não apreenderemos o que significa abandono e confiança. Com os irmãos as mesmas características se aplicam.

                  Rei Davi era pastor, para defender, guardar seu rebanho. Deus o chama para defender e guardar e alimentar e governar o Povo de Israel.

                  Saulo de Tarso era uma pessoa extremamente inteligente e ávido por cultura e teologia. Devorava as Escrituras e era discípulo de Gamaliel. Passou metade de sua vida em um lado do entendimento até encontrar Jesus, e ser completado todos os seus vazios e acalmado seus tormentos e assim ele ficou durante oito anos mergulhando na Graça para depois sair e fazer de suas pregações a difusão do Cristianismo no mundo pagão, pagando o preço com o  seu martírio, porém Feliz, dever cumprido. De Saulo passou a se chamar Paulo, do velho ao NOVO, e não se cansava de repetir:-Ele faz Nova todas as coisas, inclusive a mim que sou a mais vil das criaturas, quanto mais em você se pedir o Espirito Santo para que sejais renascido em Cristo, tudo o que é velho passou, Eis que faço nova Todas as coisas!

                  Não há em sua vida desde sua concepção até hoje que tenha sido desperdiçado. Nada, nada foi em vão mas em preparação para o que será feito na sua vida. Hoje o Senhor diz a você, hoje é o dia onde completam as Escrituras em você! Eu não vou começar, mas continuar o Meu Plano em sua vida!

                  Primeiro você deve olhar para seu passado hoje, entrega-lo a Jesus toda a sua historia e começar o Caminho! Para isso consagre 30 minutos para estar com Jesus todos os dias a partir de hoje! Em pouco verá o que Ele já estará realizando na sua vida! Tudo começa agora, imediatamente! O que Jesus hoje está te pedindo para largar sua rede, o que está na sua rede? Vá deixando tudo isso para trás. Depois de entregar, entregue seu coração a Jesus! Assuma em sua vida oração, jejum e penitência e em pouco tempo verá os resultados.

                  Por quê todos os discípulos ao serem chamados IMEDIATAMENTE largaram tudo e seguiram Jesus? Porque obediência tardia é desobediência! Porque quando contemplamos a Verdade, não precisamos de nenhum argumento para querermos outra coisa, como diz a canção:- Só quero a Ti!

                  Certo dia, um estudante universitário de nome Paul,  em uma Universidade Americana,  Católico por criação mas longe das coisas de Deus por um tempo tem uma experiência incrível. Porque ele se interessa por uma colega, aceitou um convite para ir a Missa Dominical! Naquele dia ele estava radiante poder estar ao lado de uma garota tão incrível. No momento que eles iam entrar na Igreja, ela conhecendo este rapaz e suas derrotas disse: – Antes de mais nada, por favor, faça uma Boa Confissão para receber a Eucaristia. Muito confuso, mas querendo agradar aceitou o conselho e foi se confessar! Ele nunca revelou o que houve, mas ao sair do confessionário e receber Jesus foi para casa diferente. Enquanto outros buscavam o que ele vivia buscando entre tantas drogas e noitadas, ele buscava os livros que falavam sobre o Encontro, o chamado, o milagre da Conversão. E foi assim que no meio de suas férias, ligou para um Sacerdote amigo e disse: – Padre eu estou entrando no Seminário, o que mais desejo é ser Sacerdote e poder levar Jesus a toda a criatura! Inacreditável para quem o conhecia, e assim se deu! Hoje é um dos Padres mais atuantes junto aos jovens Universitários americanos, e abandonou a Universidade faltando um ano para o final de seu curso. Perguntado ele respondeu: – Quando se recebe um chamado, não se responde a não ser com uma ação Imediata, pois Obediência tardia é desobediência.

                 

                 

                 

                           Oremos: Abbá (Pai) Amado, eu te peço hoje , uma conversão generalizada na Juventude. Peço uma conversão generalizada nos adolescentes. Peço uma conversão generalizada aos educadores. Peço Senhor que o Senhor inspire cada vez novos Profetas que tenham ousadia de te proclamar como único caminho que merece ser seguido. Que não há salvação longe de ti. E que a única maneira de irmos ao Pai é através do Senhor! Aumente as vocações nas famílias, pois as famílias são os berços das conversões!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Restaura-me Senhor!  Amém

 

 

FUTILIDADE! VOCÊ É CONVIDADO(A) HOJE A NÃO VIVER MAIS ASSIM! DEIXE-SE LIBERTAR DO QUE TE APRISIONA!

 

Ao meditar sobre este tempo em vivemos, parece que vivemos uma nebulosa, ou seja todos os pensamentos de uma vez só em nossa mente. Parece que estamos sendo dominados por muitas coisas, não importa se já somos adultos e estamos vivendo a situação política brasileira e econômica em meio às dívidas, aos compromissos, aos filhos. Ou se somos jovens em meio a final do semestre ou do ano letivo, onde estamos em provas, testes, estágios, formaturas, crise vocacionais, enfim. Tudo isso ainda mergulhado nas mídias sociais que ainda ajudam a piorar as coisas em termo de solicitação, informação e contribuição para aumentar ainda mais esta Nebulosa em que nos encontramos. Pense você que está terminando seu curso, e faltam duas semanas, neste momento tantos trabalhos de conclusão, provas e para onde ir depois. Pense que daqui a duas semanas tudo isso acabou! O que virá depois que vai te dominar? E te fazer ficar com um monte de coisa na cabeça, como uma espessa neblina, totalmente embaçado.

Assim é a vida, é uma nebulosa. A gente pensa que terminando este período tudo vai acabar, mas não é assim. Somente mudaremos para outras coisas que dominarão nossa mente, nossa atenção, nosso tempo, ou seja, tudo isso é embaçante! Ou seja, nós mudamos de uma coisa para outra. A esse fenômeno os antigos chamavam de CONDUTA DE FUTILIDADE! O que quer dizer? – Isso quer dizer, INCAPACIDADE DE PRODUZIR UM RESULTADO! Especialmente o resultado que você deseja!

Como é a vida baseada em futilidade: Você acorda, se levanta, vai para o trabalho, volta para casa, come alguma coisa e vai dormir! Isso é assim, todos os dias todos os dias de nossa vida, da vida do Presidente do país, da vida do Papa, da vida de qualquer pessoa deste planeta: Acorda, se levanta, vai para o trabalho, volta para casa, come alguma coisa e vai dormir! Assim é o exercício de futilidade. O que fazer para dentro de tudo isso para alguma coisa me preencher, me realizar? Eu posso olhar para meu relacionamento, para minha vida de trabalho, sempre é assim. Esta é a má noticia!

Qual é a boa noticia! Citarei a Leitura da Carta de São Pedro lida no último domingo: 1 Ped 1,17-21. Sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata e o ouro, mas pelo Precioso Sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito.

As coisas fúteis todas têm um fim em si mesmo! Não são capazes de preencher o nosso coração. Como viver diferente disso? Viver com Reverência! Reverência significa (veneração pelo que se considera sagrado ou se apresenta como tal)

Reverência também quer dizer vida com ATITUDE, ser ATIVO, ACORDADO, tratar cada momento com o valor apropriado de cada momento. Vá para um Formatura seja reverente, vá um casamento seja reverente, vá a um velório e seja reverente dê o valor que este momento merece. Muitas vezes encontramos uma pessoa, que seria a última vez nesta vida. Quantos jovens ficam com uma outra pessoa de qualquer jeito, e no dia seguinte sequer lembra do nome daquela pessoa! Ser reverente é viver com valor! Ser fútil e estar quase sempre dominado pelo pecado.  Jesus nos salvou de coisas que nós jamais poderíamos se livrar sozinhos. Esta é a boa noticia!

Os discípulos de Emaús que ouvimos no último domingo, andavam cabisbaixos, tristes e chocados, mas Jesus se aproxima e com muita pedagogia explica para eles toda a história da salvação, anda com eles, deixa que eles o convidem para ficar, e depois parte o Pão resumindo tudo o que é a Missa, e somente ali eles reconheceram que era Jesus o Ressuscitado. Quantos de nós estamos assim, não reconhecendo que Ele está caminhando ao nosso lado, que é um Deus ativo, que importa com os mínimos detalhes da nossa vida. E nós não o reconhecemos, pois vivemos uma vida baseada na Futilidade. Não vivemos com Reverência.  Desde o inicio Deus tem tentado chamar a nossa atenção, nos ensinar, nos alimentar, nos resgatar das garras deste mundo fútil. Porque nós não reconhecemos isso, nós vivemos na Nebulosa.

Por isso necessitamos ter vida Reverente. Como receber continuamente esta força motriz. Eu convido cada um de vocês reviver o Caminho de Emaús, venham a Missa todo Domingo até o fim da sua vida. Por que? Por que se você vier a Missa todo o Domingo esperando que Deus vai falar contigo lá, seja bem-vindo! É o que Deus mais gosta de fazer. Falar com todos os seu filhos! Se você não vai à Missa esperando que Deus fale contigo, que não creia que Ele quer falar, realmente a Missa para você é futilidade, não vai te mudar! Mas se você entra pela porta da Igreja esperando que Deus fale contigo, que seja ativo na sua vida! Ele certamente se manifestará a você como se mostrou a todos desde sua Ressurreição e os dias de hoje e para sempre.

Eu te convido a vir no próximo Domingo à Missa e traga um papel onde vai escrever nele: QOOQ

  • Quem é Deus? Defina o que Ele é para você naquele dia (Deus poderoso, Deus forte, Deus imortal, Deus perto, Deus que eu não vejo, Deus Pai, Deus amigo, Deus meu, Deus tudo…Isso é louvar a Deus!
  • Onde? Onde está Deus na sua vida hoje! Reconheça onde Ele esteve hoje, onde Ele está
  • O que queima no seu coração? Diga ao Senhor, uma prova, um emprego, falta de dinheiro, relacionamento difícil, Vício, injustiça, ferida, doença…
  • Qual a Palavra que Ele está falando agora para você: Seja no panfleto da Missa, seja na Bíblia que você poderá levar a toda Missa que você for, seja nas Palavras do Sacerdote, seja na Música ministrada! Escreva não apenas no papel, mas no seu coração! Grife, se é uma Passagem da Bíblia, sublinhe, coloque a data na sua Bíblia, pois naquele momento, naquele segundo Deus falou. O Senhor se lembra sempre da sua Aliança.

 

Dicas, não seja profundo quando está escrevendo. Somente confunde mais as coisas. Seja prático. Você continuando verá que cada vez ficará mais espontâneo.  Não seja repetitivo, tente transformar as coisas com Jesus em coisas concretas e não subjetivas. E não tenha vergonha do Senhor pois Ele nunca teve de você.

Este é um grande Exercício Espiritual, que o retirará de tudo que te domina, e Ele o faz por causa da Eucaristia, por causa da Ressurreição de Jesus, de tudo que nos mata. Ele é ativo, Ele nos alimenta, Ele nos fortalece. Estamos neste mundo, mas não somos deste mundo. E tenho certeza que você se tornará aquilo que Deus sonhou quando te formou no ventre da sua mãe. Viva com Reverência, porque somente assim chegaremos a dar os frutos que o Amor espera de nós. Santo Inácio de Loiola dizia que Devemos fazer todas as coisas como se fôssemos os únicos responsáveis, cobre menos dos outros e mais de você!

 

Salve Maria!

No mês de setembro completei meu primeiro ano de conversão. Se eu era ateia, protestante ou budista? Definitivamente não, talvez fosse o tipo mais difícil de converter: eu era católica. Fiz uma experiência muito forte do amor de Deus. Quero contar o que me aconteceu e especialmente destacar o papel do Padre Paulo Ricardo em tudo isso.

Em 2012, fui morar no Rio de Janeiro: o emprego dos sonhos, lá teria a minha casa, muitos ideais na cabeça, coração batendo forte e desejoso de aventuras e novas histórias… Quando lá cheguei foi tudo BEM diferente. O dono do escritório começou a rivalizar pesado comigo e me demitiu exatamente um mês depois, sem conseguir apontar meio motivo razoável. Ao mesmo tempo meu namoradinho carioca, lindo, inteligente, que tocava violão erudito pra mim em noites de lua cheia com vista para o Pão de Açúcar também resolveu me chutar.

De alegrias tropicais minha vida passou a um inferno dos mais dantescos. Fui para casa, comprei os acessórios, enchi a despensa, posicionei as plantas… Aquela cena que se ensaia mil vezes desde a infância, mas eu pensava que teria um gosto diferente, que estaria em segurança, tudo daria certo e eu seria feliz. Mas o gosto era TÃO AMARGO… Não se parecia em nada com a doçura que essas ideias românticas de felicidade prometem.

Então, o vazio tomou conta de mim de forma avassaladora.

Meu coração ardia de vontade de me confessar. Procurei o pároco da linda Igreja de São José, o Revmo. Padre André, sacerdote jovem que tinha acabado de voltar dos estudos em Roma. Sentei-me no banco, nem o conhecia, e comecei a contar meus pecados de estimação. Só que dessa vez, irritada por tantas coisas impalatáveis e que eu já não entendia, disse ao Padre num surto de sinceridade que eu não me arrependia porque “eu não concordava”. O Padre calmamente me disse: “Minha filha, então eu não posso te absolver. Sem o arrependimento sincero e o compromisso de não buscar mais esses caminhos de nada vale a confissão. Quer um conselho? Pare de sofrer. Saia da Igreja já que ela não te satisfaz, mas não selecione apenas as partes que te agradam e ainda diga que é católica. Não existe isso de não concordar e fazer o que se quer, seja honesta e saia. Outra opção é você buscar a respostas de suas dúvidas no Catecismo e obedecer ao Papa. Desta forma você vai ser de fato uma católica. Como está você não o é“. Eu fiquei atônita. NUNCA tinha ouvido UM Padre sequer dizer aquilo. Ele disse mais outras coisas específicas pra cada pecado que eu havia cometido e especialmente para aqueles dos quais que eu não me arrependia.

Foi TÃO CLARO que não teve jeito de eu defender minhas ideias, era óbvio que eu havia construído um muro de retórica pra me defender e legitimar minhas más escolhas e vícios.Até aquele ponto havia vivido como a maioria, de um jeito muito simplista: se eu extinguisse a culpa, o erro não seria meu. De um jeito que eu não sei explicar eu disse ao Padre que eu me arrependia. E eu disse isso com toda a minha alma e entendimento. Recebi ali uma cura incrível que jamais vou conseguir explicar. Passei a amar o Papa com TODAS AS MINHAS FORÇAS e fiquei muito curiosa em relação ao Catecismo e aos Evangelhos, parecia que havia passado muito tempo exilada, sentia saudade da Vida porque estando tão distante de Deus eu tinha me afastado de mim mesma e esquartejado corpo, alma e espírito em pequenas e indecifráveis partes que não faziam sentido por elas mesmas ou em conjunto. Eu tinha desenvolvido um soberbo exoesqueleto de pretensa “razão” e por ele me sustentava. Meu corpo físico e místico estava em frangalhos dentro daquela dura casca de superficialidade.

Depois disso voltei aos Sacramentos, às Missas Dominicais, à Adoração… Mas, quase não conseguia levantar da cama, fiquei doente e sem forças por muitas semanas. Eu só me levantava pra comprar comida às vezes e pra ir até a Igreja. Levantar um braço doía muito. Eu não quis contar pra minha família ou amigos o que tinha acontecido. Sentia uma mistura de choque, medo, raiva, tristeza, indignação, revolta, pânico, culpa, vergonha…

Tive anorexia. Anemia. Problemas estomacais. Infecções alimentares. Dores fortes no corpo todo. Depois de uns dois meses consegui sair de casa pra fazer esportes. E adquiri o hábito de caminhar na Lagoa rezando o Rosário. As pessoas olhavam curiosas achando engraçado uma moça com visual moderninho de roupa de ginástica caminhando com o Terço nas mãos. Eu queria lembrar as pessoas de que sempre há tempo para o Rosário. Não existe desculpa.

Então passei a participar do dia-a-dia da Igreja e fiz novos amigos, já que os primeiros, do escritório, jamais me ligaram nem pra saber se eu estava viva ou precisando de alguma coisa. E o tal namoradinho ainda fez questão de me esfregar outra garota na cara o mais que pôde. De que tinha valido tanta lua cheia, violão e romance? Nem respeito por mim ele conseguia ter! Naquela solidão radical eu fiquei pensando no que eu tinha por valores, quanto tempo eu gastava dando satisfações às outras pessoas, por que eu superestimava ser a “fofa, querida, gracinha” na boca dos outros e de que isso me valia no final das contas… Qual era o sentido da minha vida, afinal? Meu dinheiro estava no limite. Às vezes eu tinha de racionar pão. Tudo estava muito estranho… Tudo em que eu acreditava tinha se transformado em fumaça. Nenhuma das minhas velhas teorias poderia explicar ou me socorrer naquela nova situação.

Mas eu fiquei doente por mais muito tempo, sempre alternando “estiagens” e vontade de fazer as coisas. Nessas minhas temporadas na cama eu buscava coisas pra ver, pra me encorajar… Já que eu não queria conversar com as pessoas e ter de explicar o que nem eu mesma compreendia. Foi numa dessas, naqueles vídeos relacionados que eu achei o Padre Paulo Ricardo. Vi um vídeo, gostei, mesmo que ele me parecesse “duro demais” e até mesmo fanático. Mas existia algo diferente naquele Padre: ele tinha AUTORIDADE. Digo isso não somente pelo incrível domínio teórico e por citar as fontes e documentos oficiais com precisão, mas era outro tipo de autoridade, aquilo só poderia ter sido dado pelo próprio Deus. Eu entendi isso com a alma, mais que apenas com a razão, por isso ele me convenceu. Em pouco tempo via playlists inteiras e aquela musiquinha inicial já me aquecia o coração. Sou muito grata a Deus também por ter enviado o Padre Paulo para ajudar a mim e a muitos como eu. Nós só amamos verdadeiramente aquilo que conhecemos, então este Padre tem o carisma de alimentar nossa fé através do conhecimento. Muita gente se prende apenas ao plano teórico e continua a ser um descrente com muitas informações. Discutem, se posicionam, mas não amam ou vivem aquilo de que falam. É importante usar o conhecimento como uma poderosa ferramenta vivificadora da fé. Às vezes é preciso ver uma foto para entendermos uma determinada situação, o Padre Paulo nos revela através de “imagens teóricas” aquilo que vemos com pouca definição. Hoje rezo com mais fé porque entendo que isso tem real importância e valor, mesmo com meus limites. Também sinto mais paz e segurança porque esse conhecimento otimizou meu tempo de oração: entendo o que devo temer e o que não, isso muda muito o foco.

Passei cinco meses sem trabalho, e finalmente voltei pra minha casa. Vivi um tipo de retiro espiritual onde eu menos poderia imaginar… Voltei outra, menos ruidosa, mais obediente, estudiosa, centrada, de olho nas necessidades alheias e sobretudo FELIZ! Eu entendi que o Amor é a origem da própria vida, ou seja, é a alma do próprio Deus. O amor humano é sua imagem e semelhança. Felicidade é uma escolha definitiva pelo Amor. E a alegria é a consequência de tudo isso!

Hoje eu consigo trabalhar melhor que antes, viver minha vida e sonhos com a certeza de que Deus sonha e realiza tudo comigo. Ajudo e amparo muitas pessoas com essas coisas que aprendi estudando, sofrendo e rezando. Aprendi o valor da penitência, intercessão, fé e, sobretudo, da obediência.

Pra ser livre é preciso ter regras. Se não as tem você é escravo dos seus sentidos e ignorância. A santa obediência ensina muito aos que buscam a humildade e a ela se submetem. Vejo que muitos dos meus amigos inteligentíssimos não compreendem a Deus porque seus ricos vasos estão sempre cheios, e dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Deus espera que nos esvaziemos de nós mesmos pra poder entrar. Ele não nos invadiria nem para nos salvar. Este é o verdadeiro sentido da liberdade que Ele nos deu.

Uma profunda fé em Deus coloca TUDO em justa perspectiva. Depois que o centro se alinha as coisas tomam seus devidos lugares e proporções.

 

Precisamos lutar buscando o caminho da santidade

Doutor José Augusto Nasser
Foto: Wesley Almeida

”E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração. A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor. E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos” (Lucas 4,16-21).

O que irá acontecer hoje? A nossa conversão. E hoje é o único dia que temos para nos converter.

Deus nos revela, por meio dessa passagem, que Ele quer nos tocar e colocar para fora quem realmente somos. Primeiramente, Ele quer nos mostrar que estamos presos às nossas ilusões afetivas e intelectuais. Estamos vivendo como num cativeiro, cheios de ilusões, porque ainda não encontramos a pessoa de Jesus Cristo. Estamos muito interessados nos propósitos do Reino, e a conversão não passa apenas pela ilusão e emoção sentimental, pois, muitas vezes, não queremos abrir mão do homem velho.

“As pessoas ficam na ilusão de seguir outras pessoas, mas precisam seguir Jesus.”
Foto: Wesley Almeida

O segundo passo para nossa conversão é dizermos ao Senhor que vamos viver um caminho de santidade. A partir desse momento, não podemos ficar em cima do muro, porque o mundo tem muita coisa gostosa para nos oferecer. Temos de dizer a Deus que precisamos dEle. As pessoas querem servir os dos lados: o mundo e a Igreja.

O inimigo trabalha vinte quatro horas, mas existe um caminho que se chama santidade. Precisamos pedir ao Senhor que Ele cuide de nós e dos nossos; pois, muitas vezes, não mostramos nossa fé nas coisa que falamos, mas através das nossas obras. As pessoas ficam na ilusão de seguir outras pessoas, mas precisam seguir Jesus!

Quando o Senhor nos coloca no Mar Vermelho, é como se fossemos para o deserto e vivêssemos as provações. No entanto, a partir do momento que falamos para Deus que queremos segui-Lo, o mundo já não nos atraí mais e o homem velho vai sendo desestruturado. Se não buscarmos o Senhor, teremos saudades do mundo. Quando estamos no deserto, Deus quer nos provar!

Precisamos lutar e buscar o caminho da santidade! Se não passarmos pelo processo da conversão, não conseguiremos mudar nossa vida nem a de ninguém. Quando alguém lhe oferecer algo anticristão, tenha forças para negar.

Quando Deus se aproxima de nós no deserto, Ele chega através de uma brisa leve, toca em nossa raiz e em nossa intelectualidade. Ele nos olha como um filho, pois é um Deus apaixonado. O Senhor nos criou, e mesmo que estejamos numa família desestruturada, Ele nos ama. Não podemos reclamar; precisamos olhar para frente para que possamos ter uma conversão verdadeira, na qual poçamos ser tocados pelo Senhor.

Deus quer nos tirar do deserto e nos reestruturar, pois a reestruturação preenche e ordena todo nosso coração. Na adoração, nos ordenamos e reestruturamos nosso coração para que posssamos ser chamados amigos de Deus, servos do Senhor e filhos dEle.

O Senhor nos chama para um caminho de conversão. Somente Ele pode nos transformar e tirar os problemas que existe em nossa vida. Ele não nos abandona nas trevas. Se permitirmos, Ele caminha ao nosso lado. Precisamos dizer para o Senhor que venha em socorro de nossas fraquezas e de tudo o que nos afasta de Seu Reino. A Palavra de Deus tem o poder de transformar e restaurar nossas vidas.

Transcrição e adaptação: Thaís Rufino


Adquira essa pregação pelo telefone
(12) 3186-2600


Conheça mais do

CANNES, França, 22 Mai 2010 (AFP) -O filme “Des hommes et de Dieux” (Dos Homens e de Deus), do francês Xavier Beauvois, que conta os últimos dias de monges católicos vítimas da violência na Argélia, ganhou neste sábado o Prêmio do Juri Ecumênico do Festival de Cinema de Cannes.

“Des hommes et de Dieux”, que compete pela Palma de Ouro, é baseado nos últimos meses de vida de monges cistercienses de um mosteiro nas montanhas Atlas, na Argélia.

O Juri Ecumênico, composto por jornalistas, críticos e cineastas, em geral membros de igrejas cristãs e procedentes de diversos países e culturas, distingue obras por suas “qualidades humanas que envolvem a dimensão espiritual da existência”.