Dando continuidade ao pensamento que estamos meditando neste tempo Pascal, gostaria aqui de enfatizar que ser Convencido por Jesus é uma coisa, ser convencido para tomar uma ação concreta nesta direção é outra. O CHAMADO é para conversão…para ser transformado…para Ser e Viver como Cristo. Isso já acontece no minuto seguinte quando nos colocamos na dimensão dos mandamentos como Mandamentos do Amor, e assim pela Graça de Deus termos o nosso Coração Transformado. Deste modo devemos ficar atentos ao AQUI E AGORA, para podermos estarmos prontos para o que vem a Seguir …

 

         Tente pensar sobre isso agora:- Se pudesse estar em qualquer lugar do mundo neste exato momento, onde você estaria? Quase todo mundo ao ser perguntado sobre isso tem a mesma resposta: – Em outro lugar fazendo outra coisa!

         Isso independente do dia da semana que  é perguntado! Interessante, em quase todo o tempo estamos desejando estar em outro lugar. O que falar sobre nossa vida, ou nosso coração? Por isso as pessoas hoje estão tão insatisfeitas com o que estão fazendo! Isso é um sentimento de FRAQUEZA, não ter poder nos enfraquece. Nós passamos muito tempo fora nessa realidade. Então há um claro erro existente neste momento em quem vive a vida para o que vem a seguir. As pessoas estão tão preocupadas com o que vem a seguir que se esquecem do AQUI e AGORA!

         No momento que eu vivo para o que vem a seguir e me torno escravo desses pensamentos preocupantes, eu me esqueço e na verdade eu não vivo o agora e pior, eu não ocupo meu tempo com o agora, porque estou repleto de pré ocupações que na maioria das vezes jamais acontecerão. E assim desperdiço o Aqui e Agora!

         Então neste tempo pascal, eu  estou convencido que Jesus é o que Ele diz o que é, então Ele está no Controle como eu leio nos Atos dos  Apóstolos em Atos 2, Pedro fala palavras poderosas sobre a verdadeira Redenção feita por Jesus e que todos eles deveriam a partir daquele momento tomar a AÇÃO.

         Convicção nos leva a agir pelo que fomos convencidos. Esta é a qualidade que todos nós que nos encontramos um dia em nossa vida com Jesus, a Pessoa de Jesus, e não uma idéia ou filosofia mas a pessoa de Jesus, somos convencidos e transformados.

         Aqui lanço a Palavra METANÓIA, que em grego significa SER TRANSFORMADO, mudado pela pessoa que nos convenceu. Agora não nos conformamos a frequentar a Missa apenas no Domingo, mas queremos fazer mais, queremos, desejamos ardentemente nos doar para esse chamado. Recebemos o Elã de ir ao mundo anunciar aquilo que experimentamos, assim foi com Paulo de Tarso, Lucas e tantos outros dos inicios da Igreja.

         Esta semana pude ter a graça de assistir o Filme: Paulo o Apóstolo de Cristo! Um filme muito bem feito, muito obediente ao que estudamos, e que mostra diante de toda a maldade do Imperador Nero, que queria culpar os cristãos por tudo o que acontecia no Império, queimava os cristãos nos postes para iluminar as ruas de Roma, lançava os Cristãos às feras nos circos, perseguia e torturava a todos e mantinha preso Paulo. Paulo o incomodava porque o Cristo que habitava em Paulo se difundia através os muros do Império, para dentro dos corações de todos os que se aproximavam do seu olhar e da Palavra de Cristo e do seu Testemunho! Todos viviam em comunidades e repartiam tudo, além de acolher os miseráveis das ruas, o que confrontava ainda mais o imperador. Paulo não cessa de transmitir o Amor, mesmo diante de tanta violência e neste enredo a figura de Lucas, transcrevendo Paulo e completando o seu livro : Os Atos dos Apóstolos. Não eram pessoas que apenas celebravam a Missa aos Domingos, mas eram pessoas que viviam por amor a Cristo, sendo Paulo a proclamar: Viver para mim é Cristo, morrer para mim é Lucro! Viviam o Aqui e o Agora, e não se preocupavam com o futuro, mesmo sabendo que, quase para todos, o futuro seria a morte. Mas a morte é a porta da Vida Eterna, jamais devemos como cristãos temê-la como São Paulo.

         O ser convertido, é o ser transformado. Como podemos saber se conhecemos Ele? São João diz que a maneira de sabermos que estamos sendo o fruto da conversão: – Os mandamentos se tornam para o convertido como seu próprio coração, em cada batimento pulsam os mandamentos! Os mandamentos não são de prisão mas, Liberdade.

         Em janeiro de 2009, um Vôo saiu do La Guardia em Nova Iorque com 155 passageiros, em 180 segundos, Sully o comandante perde suas turbinas  e tem que tomar uma decisão, sem poder alcançar algum local para pousar, pousa o Boeing sobre o Rio Hudson a oeste da ilha de Manhattan. Ninguém se feriu. Como ele tomou esta decisão? Vinte mil horas de vôo, desde que começou, então com 16 anos. Para Sully voar fazia parte do seu corpo e de sua alma, por isso ele não precisou consultar o livro de vôo para tomar a decisão, Ele era o próprio livro. Quando ninguém sabia o que fazer, ele sabia o que fazer.  Captain Sully disse que  durante estes anos todos de treinamento procurou fazer o depósito diário do aprendizado para um dia resgatar tudo num segundo só. Ele era preparado assim para o que viria a seguir porque sabia o que fazer Aqui e Agora. Mesmo quando não tinha controle , pois ninguém tem, somos humanos e não deuses.

          Jesus se mostra aos apóstolos, tudo o que eles estudaram a vida inteira sobre a Torah,  e Ele os faz ver que se concretizava Nele.

         Quantas vezes em nossa vida universitária ou pós-graduanda, no meio da aula abrimos nosso PC e fazemos outra coisa. Queremos estar em outro lugar fazendo outra coisa. Imagine se o médico na hora de atender, perdeu aquele conceito, pois  quando o foi ensinado, estava em outra media social. Pense, que desde  quando estamos nos preparando para o futuro, para sermos profissionais competentes e preparados, o mundo conta conosco para agora, com nossa preparação agora para o que virá a seguir.

         Deus está dizendo hoje para mim e para você agora: – Eu conto com você agora, para fazer agora aquilo que te preparará para o que virá a seguir. Assim seremos verdadeiramente transformados.

         Cuidados com certas coisas:  A primeira coisa é : Começamos bem este processo de conversão, vamos nos deixando nos transformar e de repente estamos fazendo como os que fazem dieta, começam bem cortando as coisas tóxicas e se mantém no saudável e de repente aos poucos, por seis semanas vão voltando ao anterior, deixando se corromper pelas pequenas coisas.

         Caímos sempre pelas pequenas coisas e não pelas grandes. Sabemos que estávamos ótimos e por pequenas coisas fomos vacilando. Ao invés de ser transformado pela dieta, pela conversão, voltam-se as coisas. Na fé é a mesma coisa. No início estão super-animadas com a ação do Espirito Santo e depois quando as provas vão acontecendo, vem as questões sobre doenças, maldades, perdas, começa-se então as perguntas: Boas perguntas são respondidas com desculpas ruins. E daí vai caindo na fé, vai começando uma fantasia de fé e não uma fé verdadeira e uma transformação verdadeira e não  um estado emocional.

         Grande exemplo para nós são os alcoólicos anônimos, quando eles dizem: Medidas pela metade são sem valor. Para romper com a escravidão é preciso medidas radicais. Eu preciso fazer o Aqui e Agora. Sempre o agora e o que vem a seguir será a transformação.

         Se você não sabe o que tem que fazer a seguir, porque não sabe o que faz agora.

         Muitos universitários nestes tempos estão finalizando para suas Profissões, e muitos não sabem o que fazer a seguir! Grande conselho, aprenda  com os Apóstolos: – Vá a uma Igreja e se coloque diante do Senhor, e a resposta virá mais rápido do que qualquer um possa imaginar. A pergunta, e seu Eu falhar? A resposta é: –  Você tem um DEFENSOR que vai a batalha por cada um de nós. Assim você saberá o que fazer agora. Comece com o que é possível e o impossível acontecerá. Não temais, sobre o que vem a seguir, temos a Marca da Vitória!

 

        

        

 

Oremos: Abbá (Pai) Amado, hoje estou aqui diante de Ti! Eu preciso assumir em mim a transformação da conversão e não uma conversão superficial. Senhor venha sobre mim com Seu Santo Espirito e lava-me, derrama sobre mim a Sua Unção Dobrada para que eu saiba em todo o tempo o que fazer agora, para então fazer o que virá a seguir. Tira de mim todo o medo de falhar, pois a Vitória está em suas mãos, mas não acontecerá sem que eu me dedique e me entregue de corpo e alma nesta jornada. Senhor eu sei em Quem Confio! Não serei desapontado!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém

Glória a ti Senhor nos mais alto dos Céus agora e para sempre, por todos os séculos dos Séculos. Amém!

 

 

Hoje chegamos ao nosso último capitulo deste tempo quaresmal onde fomos levados ao Deserto, e neste tempo de Deserto pudemos ser testados, pudemos ser provocados em nossas raízes. Nosso caminho ao nosso interior, guiados pela Luz de Cristo nos fez ir ao nosso mais íntimo e lá nos encontrarmos conosco, com nossa essência e principalmente com Deus. Hoje chegamos ao ápice deste encontro, ao clímax da nossa existência, inspirados pela Palavra da Semente do Grão de Trigo que cai na terra e precisa morrer para dar frutos, assim somos convidados a sermos transformados naquele ou naquela pessoa que realmente nós somos! O mundo espera a revelação dos filhos de Deus e para isso:

 

         –        Transformação é parte fundamental da nossa vida de Cristão. Estar no Deserto neste tempo é permitir a Deus que Ele nos faça da maneira com que Ele nos criou e nos chama a ser. E ainda, muitos de nós gastamos tempo focando nos Frutos que precisam ser mudados e não prestamos a atenção na Raíz do que precisa ser mudado. Nós podemos ser mudados de forma cosmética,  mas mudanças que perduram eternamente necessitam ser substanciais, na Raíz, na origem, no íntimo do nosso SER. Esta mudança atingindo a Raíz precisa ser conectada a nossa identidade. Isso precisa fluir do nosso relacionamento com Deus, o Pai Nosso que está bem próximo de nós.( João 12:20-33).

         Muitos de nós hoje gostamos de ver programas de TV, onde as pessoas redecoram casas e as tornam fantásticas após a decoração. Contudo quando acaba o show, ao menos que sejam pagas as mudanças tudo é retirado e volta ao que era. Feliz por um dia, coisas assim. Contudo há outros programas onde subitamente os construtores precisam intervir pelo perigo iminente de avaria.  O que é refeito é a casa e sua estrutura, mostrando tudo como era e como reformas substanciais podem alterar a construção e fazer daquela obra algo robusto e moderno e assim durar bastante tempo. Muitos olham e por não conhecerem bem o assunto, ignoram que a casa foi totalmente reformada, salva  e está preparada para durar muito. As mudanças substanciais e profundas não são notadas para os olhos comuns, mas são as mudanças que afetam o que foi refeito de forma permanente.

         Isso acontece com a nossa vida, quando encaramos a nossa vida e a construção que somos cada um de nós. Precisamos atingir não o fruto da Raiz mas a RAIZ. Não são mudanças que podem esperar e que ao serem transformados durarão para sempre.

         Insisto no conceito da  RAIZ, que vem a ser o que está abaixo da superfície, abaixo da nossa pele, que nos leva as profundezas do nosso Ser e do nosso Existir.

         Nestes tempos de Quaresma queremos mudar uma série de coisas em nós. Começamos nas Cinzas fazendo uma montanha de petições para mudarmos e agora quase ao final, por que não alcançamos as mudanças que peticionamos?

– Porque nós queremos os frutos das mudanças e não as raízes. Por isso nada muda. A pergunta é sempre: De onde isso vem? De onde esses atos nossos vêm? Muitas escolas cristãs tem uma prática com os jovens onde eles  vão para uma Igreja que necessita reforma e limpeza e fazem isso num final de semana e ao final tudo está muito expressivo. Mas quando a atividade é limpar o estacionamento e as árvores, por mais que se limpe tudo, ao final se não arrancar as raízes, em poucos dias tudo estará do mesmo jeito. Quando comparamos ao nosso coração, podemos limpar muita coisa durante a Quaresma mas ao chegar ainda durante o período Pascal tudo pode estar de novo dentro de nós, como se nada tivesse sido limpo ou transformado. Para retirar as raízes é preciso ERRADICAR, como fazemos com as doenças em forma de vacinas.

         Quando olhamos para nosso coração a respeito dessas raízes, chegamos ao final de todo este processo, onde encontramos os Pecados chamados de Raíz! Desde os primórdios da Igreja, com os Padres do Deserto, já era possível ouvir sobre de onde tudo vem, qual a raíz dos nossos atos, e então colocar nome em tudo aquilo que nós sentimos e queremos mudanças. São Três Pecados Radicais:

–        Orgulho: Transtorno que afeta, que está ligado a minha própria visão de excelência. Meu sucesso, minhas conquistas, meu lugar primeiro.

–        Vaidade: Transtorno ligado a aprovação dos outros. Eu necessito amor, necessito ser aceito pelos outros.

–        Sensualidade: Transtorno ligado ao prazer, a todo custo, seja comida, sono, tudo o que faz a vida ser fácil, enfim carpe diem( aproveitar a vida).

 

          Orgulho,  é me colocar em primeiro lugar na frente de Deus. Vaidade é colocar os outros na frente de Deus, sacrificar tudo para ser reconhecido pelos outros  e Sensualidade é colocar Conforto na frente de Deus, conforto e prazer na frente de Deus.

         Com este exame de consciência acho que poderá fazer da nossa preparação para a Páscoa muito mais profunda e muito mais frutífera, e nossa Confissão, algo como nunca fizemos antes. Como isso afeta nossas vidas.

         No orgulho a palavra que liga imediatamente é Perfeccionismo. Uma pessoa assim necessita de elogios constantemente, de vencer sempre, exige muito de si mesmo, de ser reconhecido o tempo todo, e também traz para a pessoa necessidade constante de Controlar. Por outro lado também leva a pessoa a ter uma atitude extrema de independência e individualismo. O orgulhoso assume uma postura constante de ser Critico e raivoso . Para ele todo os outros são idiotas, ninguém sabe nada, todo mundo é estúpido ou abaixo dele. Para se combater este distúrbio a palavra é GRATIDÃO.  Toda atitude de gratidão quebra o orgulho dentro de nós. Reconhecer todos os dias como que a  graça de Deus todos os dias tem  para conosco. Paciência é um grande remédio para isso pois assim Deus é conosco. Um grande exercício é todos os dias fazer um exercício de naquele dia ser paciente com aquela pessoa difícil para nós, pode ser um familiar, um colega de faculdade, de quarto, de trabalho.

Vaidade: Estar sempre buscando a aprovação dos outros. Não é a obsessão por quão bom você se pareça mas a obsessão por o quanto você não é tão bom quanto você deveria ser ou gostaria de ser. Preocupa-se o tempo todo com o que os outros pensam de você. Uma das características do vaidoso é a vergonha. Uma pessoa vergonhosa experimenta uma radical preocupação dos que os outros pensam dela, por isso se torna exageradamente controlada e guiada por esse senso errado. Por isso é uma pessoa quieta demais, é o falso humilde. Muitos se confundem e acham que a raiz do apelo  sexual é a sensualidade mas na verdade é Vaidade, é a exagerada preocupação que uma pessoa tem em se cobrar como aos olhos dos outros esta pessoa possa ser atraente, inclusive de maneira corporal! Como a vaidade demonstra a carência de Amor para aquela pessoa. Como combater isso? Através de Caridade. Talvez a Palavra onde o que  a mão direita faz a esquerda não deveria saber se aplica aqui. O exercício bastante eficaz é tentar em tudo, visualizar como Cristo está enxergando isso neste momento. Olhar como Jesus. A oração de São Francisco é um grande caminho para esta erradicação de vaidade que parece muitas vezes estar concretada dentro de cada um nós, e como para nós é tão difícil libertar disso. Outra maneira bastante interessante de combater a vaidade é reconhecer seus erros rapidamente e buscar ser redimir.

Sensualidade: ligação exagerada ao conforto, as facilidades e ao prazer. Dormir é bom então dormir bastante é melhor. Comer é bom então quanto mais melhor. Ficar horas em frente às redes sociais espiando é bom, então quanto mais melhor. Estar todo o tempo diante da TV, jogos e passatempo é bom então quanto mais melhor. Duas maneiras de atacar este distúrbio é a Temperança e Fortaleza. Sendo mais claro Temperança: FAZER AS COISAS BOAS, DO JEITO CERTO NA HORA CERTA. Quando eu preciso dizer não a mim mesmo eu preciso de Coragem, Fortaleza, e raça. Vencer a si mesmo é o maior desafio nos tempos modernos. 

         Muitas coisas que citei acima são boas, claro são boas, mas é preciso temperança para dar os limites certos para cada coisa. Infelizmente o povo brasileiro é dotado de uma enorme sensualidade, talvez por nunca ter que ficar reconstruindo as coisas após grandes catástrofes. Talvez porque os objetivos dos que vieram para cá era pegar as riquezas naturais que ainda tinha para ter prazer, ou ainda para usufruir de uma terra que em se plantando tudo dá, com pouco sacrifício. Não existe forjar um caráter sem sacrifício, é próprio de quem tem um caráter forte  ter sido experimentado no sofrimento e no sacrifício, por isso Deus nos corrige sempre, para que possamos ser combatentes e não sensuais, sermos fortes e não escravos do prazer, focados e não alienados.

         Combater esses distúrbios que geram tantos e tantos erros em nós é urgente em nossas vidas. Isso não pode ser apenas mudanças cosméticas em nós,  mas estruturais, substanciais que nos levarão a sermos o que fomos criados para tal. Lembrem-se do Livro Canção de Natal ou ( Christmas Carol) do famoso escritor inglês C. Dickens, quando o personagem se descobre um idiota, uma pessoa desfigurada, ao se ver o que ele havia se tornado. Ele acorda no dia seguinte e reconhece que a partir daquele dia ele seria uma nova pessoa, ele então toma a atitude que não poderia apenas mudar apenas suas ações mas sua IDENTIDADE, aí estava a Raíz.

         Quantos de nós na Quaresma tentamos mudar nossas ações e não mudamos nossa identidade, e por isso tudo vai por água abaixo. Quanto vemos programas de pessoas que desejam perder peso rapidamente, como eles perdem peso mesmo, e depois nos assustamos com a estatística, que 95% das pessoas que perderam peso voltaram a ganhá-los nos seguintes cinco anos. Eles não são pessoas ruins, mas o que estão atacando é o fruto e não a Raíz. A Raíz é a sensualidade que precisa ser endereçada, o prazer exagerado. Quando não mudamos a identidade não mudaremos a estrutura.

         Assim é a semente que precisa morrer quando cai no chão, não mais como uma semente mas com o que ela foi feita para ser.

         A partir de hoje Deus quer atingir sua identidade e sua Raiz. O que Deus quer que sejamos está aí. Precisamos mudar mais do que a nossa atitude e não apenas o exterior, mas o que está embaixo, a nossa identidade ( raíz).

         Para hoje comecemos um caminho de verdadeira mudança, diga comigo: Eu escolho ser salvo pelo meu Redentor e escolho a Temperança como a Virtude das Virtudes para que eu possa alcançar o que Ele quer de mim. Em segundo, eu escolho ser Filho de Deus, e por isso escolho Humildade, para servi-lo e fazer a Vontade do Pai e não as minhas. Como uma criança nos braços de Deus eu escolho Fortaleza.

         A MANEIRA COM QUE USAMOS AS PALAVRAS REALMENTE AFETA A MANEIRA COMO VIVEMOS A NOSSA VIDA!

         Um conselho bastante eficiente é evitar a frase : – Eu não posso e substitua por Eu não vou , ou não quero, ou não como , ou não acordo tarde, ou não bebo. Você quer torta de chocolate? Responda eu não como torta de chocolate ao invés de eu não posso! Porque na primeira fórmula, eu não posso significa que alguém te impede, alguém restringe sua vida. Eu não como, eu não quero, eu não durmo até tarde significa, EU TENHO IDENTIDADE! Então você passa a ser reconhecido como aquela pessoa que ora, que é saudável, que é casto, que é livre. Tire as coisas de fé assim também, Eu não faço isso porque Deus não quer? Não, Eu não faço isso porque Deus me ama, e eu não costumo contrariar meu amado!

         Tudo isso não é um evento, uma petição, isso é um Processo, que precisa começar hoje na minha e na sua vida! Muitas pessoas hoje não somente no mundo mas na sua casa estão precisando desta Palavra! Esta transformação, ir até a Raíz não pode ser apenas um evento, algo que acontece instantaneamente, é um Processo, necessita treino e exercício contínuo para se chegar a eliminar e erradicar tudo aquilo que me afasta de Quem realmente eu sou!. Para isso eu preciso aprender a Amar o Processo! Seja não somente para ir até a raiz, mas ser um grande atleta, um grande médico, um grande engenheiro, um grande músico, um grande professor, um  grande santo, eu preciso aprender a Amar o Processo!

         Todos conhecem Kelly Clarkson, a primeira cantora a  vencer o American Idol. Ela compôs uma canção onde fala de sua vida, chamada Peace by Peace! Kelly nunca escondeu  o fato dela ter sido abandonada por seu pai quando criança, e dizer a única coisa que eu sei do meu pai é que ele é um grande abandonador! Ela continua dizendo que tudo o que ele me deu foram feridas, lágrimas, fraqueza, insegurança e medo. Ela conta, como um pai abandonando uma criança pode causar tanta coisa. Quando ela canta essa música seja onde for, ela se expõe de forma muito diferente. Mas esta música não te a ver com seu pai mas sobre seu esposo.  Como pedaço por pedaço seu esposo reconstruiu a fé nela, e a fé nos homens e em Deus. Este homem mostrou a ela, dia após dia, em um longo processo, dia após dia, demonstrando seu amor, para reconstruindo seu abandono e mudando com Cristo sua identidade.

         Eu convido você hoje, revendo todas as formações da Quaresma, deste tempo de Quaresma, deste tempo de teste, deste tempo de buscar o mais profundo do seu e do meu coração, fazer uma experiência verdadeira com Jesus Cristo o Redentor, e entregar a ele tudo aquilo que em você hoje é distúrbio, erro, engano, exagero, fraqueza, FERIDA, idolatria, falsa doutrina, compulsão, obsessão, perversão, mutilação, impaciência, irritação, falsa humildade, preguiça, sensualidade, vaidade e orgulho, confesse e entregue. Busque hoje na sua Confissão desejar a mudança estrutural, a mudança substancial, a mudança qualitativa, e mudança decisiva para que a Identidade sua finalmente tome seu lugar e dê como a semente de trigo -FRUTOS cem por um!

         Feliz Semana Santa a todos os que seguem essas formações, compartilhem e não deixem a semente morrer! Amém!

Oremos: Abbá (Pai) Amado, hoje venho diante de ti, abrir meu coração. São tantos os meus traumas e minhas chagas, são tantas as minhas idiotices e minhas fraquezas, são tantas as minhas carências e misérias que neste dia estão sendo traduzidas em lágrimas, pois mal consigo falar. Mas eu sei Senhor, que tu sabes tudo, e sabes que eu Te amo, e sabe ainda mais, que eu Te amo mais do que aos outros, por isso Senhor tende piedade de mim! Combata em mim hoje Senhor toda Raíz do Orgulho, toda a Raíz da Vaidade , toda a Raíz da Sensualidade! Dá-me Senhor os dons da Fortaleza, da Temperança e da Humildade para com coragem, com raça, com resignação trazer para fora a minha Identidade verdadeira, aquele a quem o Senhor chama:  – Meu  filho amado  a quem eu ponho a minha alegria ! Eis me aqui Senhor, faça-se em mim segundo a Vossa Palavra!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém

Glória a ti Senhor nos mais alto dos Céus agora e para sempre, por todos os séculos dos Séculos. Amém!

 

 

 

                  Neste dia quero trazer a reflexão sobre como é impossível ficarmos em pé sem raízes. Quando visitamos a Terra Santa, sabemos que na Judéia o cenário é de deserto, por isso as árvores são baixas, pois têm pouca água e pouca Raiz. Assim pode ser nossa vida, se buscarmos lançar nossas raízes em lugares onde pouco se pode aprofundar.

                  Nós vivemos hoje um tempo único. De muitas formas, uma idade marcada por uma disposição em direção da hesitação, do vacilo, da falta de compromisso.  Um em que as convicções e crenças são rapidamente e facilmente descartadas sempre que elas se tornam inconvenientes. Porém os Cristãos devem ser capazes de resistir. Para isso os discípulos de Cristo devem buscar lugares para serem testados: – O Deserto, o Coração a Raíz.

                  Arthur Neville Chamberlain, primeiro Ministro do Reino Unido nos anos 30 (1937-40), ficou conhecido mundialmente pela sua Política de Apaziguamento e em particular, por ter assinado o  Acordo de Munique com Hitler mesmo dizendo que Hitler agia apenas com Violência. Isso foi  em 1938, o qual concedia a Região dos Sudetos da Checoslováquia à Alemanha.  Infelizmente em 1939,  o Reino Unido declarou guerra à Alemanha depois que ignorando o Acordo invade a Polônia , e por 8 meses liderou o Reino Unido na Segunda Guerra Mundial. A figura de Chamberlain sempre entre os historiadores permanece controversa, ao contrário de Churchil seu sucessor, foi tido como frouxo o outro como herói.

                  Estamos num tempo de Frouxidão, mas não parece que as pessoas estão capacitadas hoje para compromissos. Em frente a uma Guerra a impressão que se tem de muitos países inclusive o nosso, é que iremos capitular, ou seja nos render, vacilar.

                  Tomamos a nossa reflexão da semana anterior, onde estamos discutindo sobre ir além da superfície, ir mais profundo do que a pele, buscar o interior, buscar águas mais profundas dentro de nós.

                  Dentro do nosso interior, na nossa Raíz, dentro do nosso coração  ESTÁ quem realmente nós somos. Então para começar temos três figuras metafóricas: – O Deserto, a Raíz e o Coração. O que estas três figuras a principio distantes tem em comum? O que têm em comum é um lugar de TESTE!

                  Nas Escrituras quando o povo de Israel esteve no Deserto, o que eles se revelaram?  Eles se revelaram quem eles realmente eram, e que eles pertenciam a IAWEH ( Javé). A Raiz é o significado da profundidade e da vitalidade, quanto maior a Raiz, maior é a vitalidade da árvore e quanto mais profunda também. A Raiz é um fator determinante importante na qualidade da árvore e por último o Coração, um local imenso de Teste. O coração é o lugar onde nós moramos, é o local onde batalhamos, lutamos, duelamos, nos comprometemos ou desertamos. O coração é o centro energético, a fonte de calor de cada um de nós. No Evangelho que lemos na Quarta de Cinzas, diz que Jesus nos ensina a irmos rezar no quarto fechado, o que significa este lugar de isolamento?  Significa o profundo do nosso coração, onde somente habita o que realmente somos e Deus através do seu Espírito Santo. O coração é o lugar de decisão, o lugar onde escolhemos VIDA OU MORTE. O coração é o lugar onde encontramos quem nós realmente somos.  Por fim o Coração  é o lugar da VERDADE e do compromisso!

                  Viver nesta época de mornidão ajuda a   tocar no meu medo. O meu medo de que eu não esteja levando as pessoas, para serem realmente envolvidas como discípulos. Ser assim é  apenas escolher Jesus quando é fácil fazer isso, e não quando é dentro de um martírio. Que nós estejamos acostumando as pessoas a se tornarem frouxas, hesitantes, prontas para desertar, quando a missão os convocar.

                  Refletindo sobre as tentações de Cristo após seu batismo Ele é conduzido pelo Espirito Santo para o Deserto. Após 40 dias Ele foi colocado em teste: As três tentações se iniciam pela primeira onde Jesus é tentado no Prazer ( transforme estas Pedras em Pão). Nós somos tentados continuamente sobre nossas fraquezas em paixão e prazer.  Na Segunda tentação o Inimigo conduz Jesus ao Pináculo, ou seja, o ponto mais alto do templo e o faz para e tenta-lo sobre FAMA. A última e terceira é o PODER.

                  Como Jesus responde as três tentações e nos ensina como fazer?  As três tentações são combatidas pela Palavra de Deus ( Jesus responde com a Palavra com os Sacramentos com a Fé e Oração). Todas tentações convergiriam para uma só: – Jesus você desertaria sua missão, você desistiria de tudo isso?  Você se tornaria um ser vacilante?  Você tiraria Deus do Centro de tudo isso e me colocaria? Isso não é exatamente o que eu e você temos feito muitas vezes em nossas vidas?  Estamos comprometendo os planos de Deus em nossas vidas, seja no campo do prazer, seja na Fama e seja na busca do Poder!

                  Jesus em todo o tempo demonstra a Satanás que Ele não desistiria, que ele não falharia, que ele se comprometeria até o fim, que Ele não vacilaria em sua Missão que era fazer tudo para a Glória do Pai! Jesus jamais ficou na superfície, na pele, mas muito mais profundo dentro de seu coração.

                  Vocês jovens, hoje deveriam  dizer com após terem experimentado um Encontro Pessoal com Jesus: –  Eu escolho Jesus e mesmo terminando meus cursos Universitários eu continuarei buscando estar nos caminhos de Deus o tempo todo, nada  me separará do Amor de Deus.

                  Estamos em plena Quaresma e precisamos estar batendo no peito e dizendo: Eu sei quem eu sou e a quem eu pertenço. Neste tempo quaresmal eu quero dar todo o Acesso a Deus no meu coração! Eu quero estar com o Salmo 1: Estar ao lado das águas correntes e dando frutos continuamente. Como? – Palavra de Deus continuamente, Oração e Sacramentos faz com que nossas raízes estejam continuamente na Fonte que não seca, que é Cristo!

                  A maioria das pessoas hoje em dia não consegue ficar sozinho consigo mesmo. Eu desafio você nesse tempo, pelo menos por 1 hora sozinho, em silêncio com você mesmo! Você deve permanecer lá.

                  Pascal dizia que : Todos os problemas dos homens estão ligados a inabilidade do ser humano a estar sentado uma hora dentro de um quarto consigo mesmo!

                  Eu desafio você para neste tempo confirmar que se ficar por uma hora sozinho consigo, em silêncio completo e sentir em paz, sua vida estará em paz. Quando isso não acontece e aparecem pensamentos estranhos, sentimentos de agressividade , de agitação, de terror, e a primeira pergunta que vem para nós é : Será que Jesus está me enviando tudo isso?  Claro que não. Tudo isso estava aí dentro, mas as confusões, os barulhos , as distrações estavam tirando o foco daquilo que é importante ser revelado para ser sanado. Tudo isso precisa ser apresentado ao Senhor Jesus, que sendo apontado as raízes destes sentimentos poderá libertar e Curar a toda aflição. Como Ele nos ensina: Manso e Humilde de coração, Vem a mim todos vós que estais aflitos e Eu vos aliviarei!

                  O que ainda está escondido em meu coração. Muitos colonizadores quando chegaram ao mundo ocidental, viram campos fantásticos para cultivar, mas tiveram de tiras as pedras dos terrenos férteis. Assim é o nosso coração. Precisamos rolar as rochas que ainda obstruem a Presença de Deus. Quantas rochas de fraquezas, de vacilos, de sentimentos de indignidade, de sentimentos de baixa estima, prontas para nos induzir às falhas. Por isso não acabamos o que começamos e ficamos irritados conosco, mas não sabemos porquê.

                  Nós temos estas rochas de frouxidão em nossos corações e temos          que removê-las. Muitos de vocês já devem ter assistido o filme de Martin          Scorcesse chamado de o Silêncio.  A inspiração é o livro “Chinmoku” (“O Silêncio“, 1966), do escritor católico japonês Shusaku Endo. Este livro retrata a história dos missionários jesuítas que foram ao Japão e servem para nossa geração entender a palavra : 1 Timóteo 5:8. “ Negar a fé e pior que ser um incrédulo”. Essa história narra o martírio e as torturas que passaram os japoneses que não negaram a fé, dos religiosos que sustentaram a fé mesmo diante de sofrer horrores ou os seus servindo como testemunhas. E por outro lado mostra a apostasia, quando alguém como religioso nega a fé e como isso o faz ser acusado em sua consciência continuamente pelo Tentador, que o levou a negar. Tudo exige um grande SIM! Sim para Deus é o sim para a liberdade, mesmo diante de tanta crueldade. Sim para o Inimigo de Deus é o sim da escravidão e da acusação contínua.

            Vivemos neste momento num momento onde estamos super confortáveis na Fé, e por outro lado quão facilmente hoje estamos negando a nossa fé! Mesmos sem nenhuma tortura, por simples falta de garra para assumir o que cremos!  O DESCOMPROMISSO! Dias virão onde necessitaremos estarmos treinados para manter a fé, mesmo diante de tanto sofrimento.

            Nós hoje temos testemunhos dos nossos irmãos no Oriente Médio e em outras locais da Ásia sendo martirizados  por não negarem  ou renunciarem a fé! E o que eu estou fazendo negando a minha fé por nada. Estou vacilando, estou afrouxando o meu testemunho, eu estou obstruindo outros da minha casa e do meu convívio de ter uma experiência verdadeira com Jesus o Ressuscitado, pela minha mornidão, por eu estar capitulando, por eu estar desertando, por eu estar deixando que as tentações de prazer, fama e poder me ceguem do verdadeiro sentido desta vida, que é fazer a Vontade do Pai.

            Chamberlain buscou uma paz, em 1938 com o Inimigo ( Reich) que não queria Paz, apenas tempo para prosseguir sua devastação. O povo Inglês suplicava por paz pois não queria mais o horror da Guerra sofrida anos antes, mas vem Churchill em 1940 e convoca seu povo, suas famílias, seus trabalhadores, seus militares, seu irmãos e irmãs para defenderem a Ilha até o fim.  Nesta vida não temos como achar que podemos viver apenas apaziguando a superfície e deixando nosso coração em guerra. O coração em paz mas a minha vida em constante batalha!

            Quando encontramos estas rochas no nosso coração o que fazer?  – Tome a decisão de lutar, tome a decisão de estar em pé, limpe o terreno. Afaste de tudo que te possa levar a Idade da Mornidão, da Frouxidão, da Alienação. Prepare-se para a Guerra todas as manhãs e combata o seu bom combate. As Guerras sempre começarão dentro dos nossos corações e depois contaminaremos o mundo. Apazigue seu coração, e batalhe diariamente para permanecer no Amor, e nos planos de Deus, sabendo que essa é a batalha que deve ser travada, diariamente até o dia do Chamado de Volta para a Morada Eterna!

 

 

                 

 

 

 

 

Oremos: Abbá (Pai) Amado, eu te peço hoje, o dom da Perseverança, do compromisso, do entendimento de que a vida é uma batalha mas o meu coração precisa estar sempre no Senhor que é a Paz! Senhor me ajuda a não desertar, não capitular, não negociar com o Inimigo, não renunciar à minha Profissão de Fé!. Renova em mim Senhor todo o fogo do meu primeiro Encontro com o Senhor, que me tirou de todo medo, de toda dúvida, de toda incredulidade e me fez discípulo. Senhor nesta Quaresma eu quero tirar sempre uma hora para estar com o Senhor em Silêncio distante de todas distrações e focando no seu olhar que me Cura, que Me liberta, que me Revela, que me faz trazer todo o meu autoconhecimento e assim ser cada vez mais firme e estável na fé! Neste dia Quaresmal, derrame sobre mim a sua Unção dobrada do Espirito Santo para que eu leve o Seu Nome  a todo coração que ao meu redor queira declinar da fé. Que as pessoas  que cruzem meu caminho sejam envolvidas pela Sua presença em mim, exalando seu cheiro Jesus!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém

 

                  Neste primeiro Domingo da Quaresma de 2018, a Igreja nos convida a refletirmos sobre a Visão de São Marcos sobre os Quarenta dias no Deserto e as tentações de Cristo. São Marcos não é tão rebuscado nesta batalha quanto Lucas ou Mateus, ele costuma ir direto ao ponto e com uma mensagem bem poderosa também.

                  Marcos relata que o Espirito dirige Jesus ao Deserto. Por que? Olhemos não somente a sua origem Espiritual e também totalmente humana, e por isso é tentado. Através de suas tentações vemos a sua natureza humana demonstrando todas as nossas tentações. Outra figura importante no texto é que Jesus está entre a feras selvagens e o Anjos o servia! Segundo os Antigos Padres da Igreja, nós somos um microcosmo do Universo. Anjos ( imateriais) e animais selvagens ( matéria),traduzem este microcosmo em nós. Seres humanos são híbridos ambos matéria e espirito, corpo e alma. Nós necessitamos o tempo todo desta união e no nosso melhor, na nossa magistral harmonia representamos estas duas realidades em harmonia.

                  Quando ouvimos uma música com Coro e orquestra, sentimos a união desta duas realidades, anjos e coisas materiais. Outras realidades como  os esportes, os olímpicos, neste momento os de inverno, observamos estas duas realidades virem a tona. Ainda outro exemplo são as irmãs de Madre Teresa nas ruas de Calcutá, acolhendo os sofredores de Rua em sua totalidade, com alegria, com sorriso, com doçura tocando as condições tenebrosas materiais, trazendo a luz da caridade em sua essência.

                  Nós seres humanos somos chamados a trazer as realidades espirituais e materiais em perfeito senso e sermos luz para o mundo que toca as duas realidades.

                  Nesta realidade vem a palavra pecado, do alemão sünde, do inglês         sin, que faz com estas duas realidades sejam quebradas.   Pecado sempre       se relaciona com Divisão. Esta divisão que      separa a realidade material e      a espiritual. São Paulo dizia que       havia uma batalha dentro dele entre o   material e o espiritual,      emocional e carnal e por isso durante a          Quaresma,    identificarmos nossos pecados é primordial para que         possamos   alcançar uma ascese de verdade.

                  Um dos marcos desta nossa essência pecadora é isolar os perigos das     extremidades da nossa existência, como Freud descrevia com a vida pelo prazer, beba hoje, porque amanhã vai morrer de qualquer jeito. O perigo         dos hedonismos, da vida pelo prazer. Muitas pessoas vivem desejando viver    apenas pelo lado material, ou seja pelo lado animal, mas o resultado disso é o vazio e a depressão pois não se pode preencher o coração apenas com o lado material das coisas, a balança tenderá para um lado só, vida de playboy. Nós precisamos nos alimentar do alimento dos anjos, do nosso lado espiritual em  equilíbrio com o material em harmonia. Os animais podem viver pelo seu lado material, mas seres humanos não! Nós necessitamos para nossa alma, nossa mente, alimentos espirituais. Também viver pelo lado espiritual apenas, puramente espiritual leva ao dualismo, puritanismo e que não é capaz de preencher o coração do ser humano. O corpo, o lado animal é necessário, sexualidade vivendo com dignidade é sagrado. Portanto o equilíbrio precisa existir para o ser humano ser pleno.

         Voltando a Marcos, a primeira tentação é sobre o lado animal, carnal do ser humano, e as outras duas sobre o lado espiritual. A lição que tiramos de como Jesus suplanta todas as tentações é o equilíbrio entre os animais selvagens e servido pelo anjos, assim é o equilíbrio. Jesus é o balanço perfeito de tudo o que nós procuramos nesta vida e Ele nos ensina como vencermos as tentações e vencermos a nós mesmos para estarmos entre os animais selvagens e os anjos sendo a imagem e semelhança de Deus! Dominando-os!

 

 

                 

Oremos: Abbá (Pai) Amado, eu te peço hoje, o dom da Temperança, do estar em equilíbrio entre corpo e alma, seguindo os seus passos e rejeitando o pecado em mim. Sim, Senhor, somos pecadores mas essencialmente vocacionados para a Santidade e a Santidade está em se derramar nas mãos do Pai, que nos auxilia em nossas tentações mais humanas, e por isso eu clamo:  Pai em tuas mãos entrego meu Espirito!

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém

 

         Deveres e obrigações são vistos frequentemente como limites ou restrições. Eles nos restringem a fazer aquilo que queremos e sermos capazes de apreciar a vida. Mas isso é necessário e preciso! Na verdade, para nós o compromisso com o dever é um dom…E ser capaz de realizar este comando é um poder.

        

Buscando livros interessantes sobre Guerras, especialmente Segunda Guerra pois está mais perto de nós, um livro que me chamou a atenção foi Cidadãos e Soldados, escrito por Eliot Cohen, que descreve os combates na Europa com a participação dos Estados Unidos e especialmente a batalha mais vasta e mais longa da história desta guerra, onde toda a miséria que meninos de 18 a 20 anos, no meio de uma batalha longa, com todo o inverno, com os desafios de se colocar as vidas deles em perigo, em comum  todos tinham em mente o desafio de cumprir o dever, mesmo que custasse a vida deles. Eu era capaz de cumprir meu dever, isso não foi dito por um americano e sim por um australiano que se alistou para estar pelos americanos lutando, a isso se chamou em seu relatório de CALL OF DUTY, o que inspiraria anos depois o videogame.

                  Dever e obrigação neste tempo que vivemos parece que virou algo que tira nossa liberdade de fazermos o que queremos. Nos Estados Unidos, nestes tempos atuais, as pesquisas mostram que os jovens agora acham que não tem mais obrigação mais com nada do que não querem, pois odeiam a palavra dever e obrigação.

                  Cada pessoa que nós já lemos sobre alguém fora de série, alguém história, ou alguém que se tornou um herói, todos foram marcados por serem alguém que sabia do Seu DEVER!

                  Esta formação de hoje vem a meditação sobre obrigação e dever, que parece que nós pensamos que obrigação vai contra nossa liberdade. Obrigação vem de algo que nós demos um grande SIM. Por isso nós entendemos que o que vivemos e aprisionamos  nossa liberdade é porque damos sins para muitas coisas e não para as prioritárias, e caímos no perfeccionismo de que nunca acabamos com coisas que assumimos de forma errada! Por outro lado, quando damos um Grande SIM, então decorrem os deveres e as obrigações com propósitos definidos. O contrário é o perfeccionista que quando algo dá errado se sente culpado e frustrado pois ninguém consegue fazer tudo dar certo, daí o fracasso. São Paulo dizia que : Eu semeei e Deus irrigou e fez brotar.

                  Outro conceito errado que temos de obrigação é apenas nos apresentar lá por obrigação e não por que sabemos que é um valor estar ali. Os melhores treinadores sabem que é importante o treino exaustivo, mas o descanso necessário. Quando temos a impressão errada de obrigação achamos que não podemos descansar.

                  As pessoas muitas vezes estão dentro de um time e é fácil  notar que está lá com o coração e os que não estão. Por quê? Pois quem não está jamais dá o valor naquilo que está sendo pedindo e é capaz de responder quando a situação solicita mais esforço para aquele dia, sabendo o valor do DEVER.

                  Quando meu filho decidiu que iria estudar e jogar futebol e deu seu grande SIM a isso, todos nós sabíamos o sacrifício que seria acompanha-lo nos torneios nacionais, estar juntos mesmo debaixo de um sol escaldante tudo para que conseguisse sua bolsa pelo futebol para estudar fora. Quando damos um grande SIM sabemos as consequências que dão significado a isso o dever e a obrigação inerentes a este SIM.

                  Os pais dos alunos de futebol nos Estados Unidos vão a todos os jogos possíveis mesmo no calor na chuva ou no frio e na neve. Todos fazem por que sabem que isso é um valor  e não algo que se faz sem sentido , por obrigação vazia.

                  Independência é bom por um tempo, mas não dura muito tempo, porque há um vazio na independência. Alguém confia em você quando há uma obrigação. Mas quando é Deus quem confia em nós!!! Pronto! Foi assim com os Apóstolos, especialmente com São Paulo que ele mesmo reconhece e proclama com todo Amor e coração.

                  Quando seguramos um filho no colo, sabemos que Deus nos confiou esta criança, mas não é somente uma obrigação simples, mas um Valor, uma honra cuidar desta criança que Deus nos confia.

                  Todo discípulo disse Sim a Jesus e Ele responde dizendo Eu confio em você! Muito forte e real esta confiança. Quando Jesus faz coisas incríveis naquela cidade da Galileia, na manhã seguinte antes do sol nascer, Ele se retirava a um lugar quieto para Rezar e ser reabastecido por Deus! Homem e Mulher de Deus estejam com Deus todas as manhãs antes do combate para que as batalhas a serem vencidas sejam já endereçadas ao Senhor que combate conosco!

                  Ter um Dever para com Deus é um privilégio e não uma obrigação vazia. É uma honra combater pelo Senhor! Realizar este Dever para com Deus é uma Liberdade! Somos nós que mantemos nossas obrigações com Deus, a hora que desejamos, a hora que estabelecemos. Somos livres para isso. Sabendo que  o nosso SIM, iniciou tudo isso.

                  Diga a Deus assim: Senhor, eu comecei tudo isso por um principio, agora eu o mantenho em nome de uma pessoa:- Jesus!

         Eu me recordo sempre do meu Sim para todos dias caminhar até o fim, Eu sempre sou lembrado em todas as manhãs a quem eu dei meu coração e permaneço firme nos meus deveres! Sei em quem pus minha confiança!

                  Finalizo com a historia de João e Mariana, casados há 46 anos. Ele era o mais cotado para ser o Diretor de uma importante Universidade,  quando tem seu caminho desafiado pelo diagnóstico em sua esposa, Mal de Alzheimer. No momento do seu discurso de afastamento Ele disse: – A quem eu dei meu grande SIM, recebe mais uma vez a renovação dele e por isso me aposento para cuidar da pessoa que mais amei na vida, porque esta é a minha escolha, meu dever e meu reconhecimento.

                  Em todo momento ele foi livre para escolher até mesmo fazer as duas coisas, mas o dever está acima de tudo, e para servir precisamos decidir por alguém! E agir com liberdade! O discípulo age com liberdade pois tem no coração o DEVER!

                 

 

                 

                           Oremos: Abbá (Pai) Amado, eu te peço hoje, eu me entrego a ti, Senhor, Eu me rendo a ti Senhor! Te dou e renovo o meu SIM. Para mim viver é Cristo morrer é lucro, como diz São Paulo! Abençoa este meu caminho e minhas encruzilhadas, onde a tentação me faz vacilar! Fortalece-me nos dias difíceis onde meus pés vacilam. Renova todas as manhãs meu desejo de orar e me colocar diante do Senhor para mais um dia na sua presença de na realização dos deveres que me são confiados. Pai que o meu cansaço a outros descanse. Vem em socorro das minhas fraquezas

Pai em tuas mãos entrego meu coração! Cura-me Senhor, Liberta-me, Restaura-me Senhor!  Amém