Nossa Senhora Aparecida

São 298 anos de devoção à Padroeira do Brasil. Foi num outubro de 1717 que três pescadores acharam nas águas do Rio Paraíba, na cidade de Aparecida do Norte, interior paulista, os dois pedaços da imagem de Nossa Senhora: primeiro o corpo; depois a cabeça. Daí, então, a pescaria que antes não tinha rendido nada, deu de vento em poupa; João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia encheram as redes de lambaris, e os corações com a fé na imagem negra da Virgem Maria.

De lá para cá a sequência de milagres não parou e o número de devotos nunca mais deixou de crescer. O Brasil ganhava a sua padroeira. O decreto oficial veio apenas em 1930, com o Papa Pio XI. 50 anos depois, São João Paulo II consagrava a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, a maior basílica mariana de todo o mundo.

Neste dia dedicado à Virgem, unamos as nossas preces em favor do povo brasileiro, pedindo a Jesus, pelas mãos de Maria, que as nossas necessidades mais urgentes cheguem ao coração do Pai, tanto no contexto nacional (política, economia, emprego), quanto em nossas vidas em particular. Vamos rezar juntos a jaculatória?

Senhora Aparecida, milagrosa Padroeira, sede nossa guia nesta mortal carreira! Ó Virgem Aparecida, sacrário do Redendor, daí à alma desfalecida vosso poder e valor. Ó Virgem Aparecida, fiel e seguro norte, alcançai-nos graças na vida, favorecei-nos na morte! Amém!

 

Já são 40 dias de adoração ao Deus Imenso, e as manifestações de louvor devem continuar até a Festa de Pentecostes.

Durante todo este período os fiéis não medem esforços, ultrapassam os obstáculos e usam  as mídias sociais como grande aliada para demonstrar unidade e amor. Alguns estão a milhares de quilômetros de distancia mas é a oração que os une cada dia mais.

Os horários são escolhidos pelos participantes desta rede de intercessão que dedicam uma hora do seu dia para rezar e interceder pelos pedidos de oração que chegam todos os dias através do e-mail deusimenso@cancaonova.com

Um exemplo disso são os gestos dos  participantes de varias regiões do Brasil como, Claudina e Marco Antônio de Jundiaí (SP), Glória Siqueira de São Paulo (SP), Regina Freitas de Brusque (SC)  e outras dezenas de intercessores que enviaram suas fotos ao lado de um pequeno altar que foi decorado em um cantinho especial de suas casas, e que agora é usado para a oração, uma verdadeira manifestação de fé e comprometimento em rezar pelos mais necessitados.

O encerramento deste tempo de Adoração a Deus Imenso será no próximo dia 25 de Maio e a casa de missão da Canção Nova em Queluz já começa a se preparar para acolher dezenas pessoas que irão participar da Missa de encerramento que será celebrada pelo Padre Aluízio Ricardo Aleixo em ação de graças a Deus por tantas graças e milagres alcançados.

 








 

 

 

 

O olhar de minha mãe

Olhar doce, tão singelo,

Penetrante e discreto.

Envolve-me a alma, o teu olhar

Olhos que me fazem descansar.

Olhar o teu olhar, e por ti, Mãe, me deixar guiar…

 

Teu olhar no meu olhar…

Semblante assim quero ter!

Quero me deixar olhar.

Pois gostas de zelar pelo que é teu.

Dou-te meu olhar, todo ele é teu.

Dou-te meu viver, todo o meu ser.

Cuidas de mim, como do Cristo

Mas, quero um olhar como o teu,

Pois sei que é o mesmo que destes ao Cristo.

Olhar pobre, despojado, que nada retém,

Que dá tudo, pois concentra em si toda a riqueza!


Teu olhar me cala, e ao mesmo tempo me faz falar.

Teu olhar me aquece, me protege.

É um olhar vivo, é materno.

É assim o olhar de minha Mãe:

Olhar que fala por si só,

Que exorta, corrige, e anima.

Olhar que encoraja, olhar que me ama!

 

Meu olhar já embaçado… pelas lágrimas a rolar,

Enquanto te vejo me olhar…

Olhar sofrido, olhar sincero.

Olhar pureza.

Olhar que me calou, no seu doce piscar.

Olhar que mata o mal em mim,

Olhar de mãe… de espera… olhar que vela.

Que vê além das nuvens que por vezes me cobrem,

Olhar que penetra minh’alma como espada sem fim…

E paralisa-me o pensar, de um jeito assim…

 

Que olhar é esse?

Vê o que não vejo e se adianta em meu auxílio.

Teu olhar me faz cantar…

Faz-me viver um novo canto…

No teu olhar me envolve

E me devolve a graça do respirar!

Continue… me olhe!

Preciso ser olhado, e o quero!

Ensina-me também, a olhar assim…

Olhando teu olhar de Mãe,

Sempre sobre mim…

 

Diác. Edmilson Dias

Comunidade Canção Nova

_20140220_163257Meu nome é Éderson José, tenho 30 anos e estou fazendo o meu discipulado na Comunidade Canção Nova. Estou na Casa de formação em Queluz conhecida como a Casa de Maria, santuário do carisma Canção Nova e gostaria de partilhar a minha experiência com ela aqui neste tempo, dizem que ela caminha nesta casa, isso é fato. Esta é a descoberta que fiz aqui na Casa de Maria, então, quero usar o jardim como referência para que você possa entender melhor a minha experiência. Gosto muito de pisar onde tem terra, me sinto bem assim, me sinto dentro do carisma, dentro da simplicidade. A Comunidade Canção Nova começou aqui neste chão de terra que piso.

A casa de Maria e também o jardim é assim simples e discreto. O jardim da casa da Virgem não possui muitas flores, como disse ele é discreto, talvez você não consiga entender um jardim com poucas flores. Mas com muitas ou poucas flores ele será sempre um jardim, por isso nunca desista do seu jardim mesmo que hoje ele se encontre com poucas flores. Ele continuará sendo sempre esse jardim.

Neste ano de discipulado estou disposto a ser esse jardim nas mãos de Maria, estou disposto a nascer de novo no ventre da Mãe. Neste tempo eu tenho a possibilidade de nascer de novo para o Carisma Canção Nova. Quero começar pequeno, um broto, como diz em Isaías 11,1: “Um broto vai surgir do tronco seco de Jessé, das velhas raízes um ramo brotará”’. Jesus começou sendo pequeno, um broto que nasceu da descendência de Davi. Eu também quero ser esse broto que vai surgindo no dia a dia o homem novo. Quando chegar a primavera, final do discipulado, esse ramo brotará, como brotou Jesus no ventre de Maria.

No ventre de Nossa Senhora tem um lugar pra você, no jardim dela tem um lugar pra você. Seja bem vindo! Não tenha medo de ser jardim nas mãos de Maria! Ela, todo dia, bem discreta, pela manhã terá a sensibilidade de regar esse seu jardim – de muitas ou poucas flores – com seu regador que é a pureza e a santidade. Hoje esse jardim sou eu e você. Precisamos de muita terra e de muita água que é o Espírito Santo. Mas não se preocupe, ela que é mãe e mestra conhece tudo sobre jardim, sobre você. Na Canção Nova ela tudo fez, na sua vida não vai ser diferente.

Maria é muito simples, tão simples que continua usando as mesmas palavras que usou com Jesus nas Bodas de Caná da Galileia e me diz ao coração: “Éderson José, ‘fazei tudo aquilo que Ele vos disser’” (cf. Jo 2,5). A mãe hoje fala pra você que gosta ou não de jardim: “meu filho, minha filha, fazei tudo aquilo o que Ele vos disser”. Convido você a, todos os dias, seguir os passos de Jesus, de Maria e também de São José, que conhecia muita coisa sobre jardim, principalmente sobre lírios, sobre pureza.

No seu jardim que é o seu coração não poderá faltar esta flor, o lírio. A pureza precisa habitar neste jardim. No jardim da Virgem, São José sempre estará presente. Hoje você é um lírio nas mãos de Deus, dentro ou fora do jardim, na pureza ou não, Ele te acolhe novamente. Entretanto, muito cuidado, flor que não permanece no jardim não recebe cuidado, fica sem água e, sem água, ela não sobrevive.

Discípulo Éderson José

São José Valei-nos

CAM00670Com a graça de Deus, nesse dia 24 de janeiro de 2014, dia de São Francisco de Salles, faço 18 anos que cheguei na Canção Nova, a Casa de Maria, vim para fazer o noviciado, hoje dizemos “discipulado” nessa casa, a Casa de Maria em Queluz. Uma simples menina, do interior do Paraná, que tinha apenas 17 anos, mas no coração um profundo desejo de fazer a Vontade de Deus, de corresponder ao chamado que Ele me fez e continua a me fazer. Nesta casa, durante o ano do discipulado, pude fazer lindas experiências, a presença de Nossa Senhora nesta casa, é muito forte, sentia sua presença de Mãe que me amava, me acolhia, e me consolava muitas vezes quando a saudade da minha família, principalmente da minha mãe apertava no coração. Fiz a experiência de sentir Nossa Senhora também como amiga, mulher, que me formava para ser uma grande mulher de Deus, como eu era uma jovem que saia da sua juventude para abraçar a idade adulta, sentia ela me formando a saber como agir e lidar com os desafios próprios da vida de adulto, sabendo fazer as escolhas certas, nas horas certas, saber como dar uma resposta diferente, diante dos sofrimentos. Fiz também a experiência da Virgem Maria como Mestra do carisma CN, ela que foi me preparando e me gerando dentro desse carisma e gerando o carisma em mim, fazendo que ele crescesse e tomasse corpo dentro de mim, até o momento de ele ser visível para aqueles que se aproximassem de mim. Fui trabalhando minha história, meu processo de cura interior, fui crescendo na minha vida de oração aprendendo a ser fiel as 5 pedrinhas, que nos sustenta no carisma, nas regras de vida próprias da CN, nos nossos estatutos que como diz nosso pai fundador, Monsenhor Jonas Abib, é o nosso código de santidade, se eu vivê-lo na fidelidade ordinária, eu poderei chegar no céu, ele pode me fazer santa.

No ano de 2003, depois de ter passado 5 anos na missão da CN em Portugal, em que fui em 1998 para abrir a missão, eu voltei para a casa de Maria aqui em Queluz, foi um tempo em que fui regenerada como pessoa e no carisma, foram 9 meses, tempo suficiente para o Senhor me restaurar pelas mãos de Sua Santíssima Mãe.

Agora em 2014, volto a Casa de Maria para fazer uma nova experiência, para começar com mais 3 irmãs , a casa contemplativa da CN, uma casa de intercessão, ainda estamos dando os primeiros passos, mas sinto que a Virgem Maria nos acompanha e está conosco. Conto também com sua intercessão para este novo tempo, que pode ser que futuramente eu volte a escrever desta minha experiência.

Um grande abraço… Que Nossa Senhora o guarde sempre!

Roselaine Iria Ribeiro

CN – Casa de Maria – Queluz.

roselaine@cancaonova.eu

Homilia do Padre Aluísio Ricardo: A santidade do Senhor envolve nossa fragilidade

O Senhor reina de tal forma que nossa vida vai ficando moldada por Ele. Nesses 50 dias de adoração, nós realmente constatamos que  ELE REINA. Jesus reina, Jesus é Rei, Jesus é Rei na minha e na sua vida.

Reze com o salmo que diz: “REINA O SENHOR, REVESTIU-SE DE ESPLENDOR”! É assim que nós queremos celebrar o Deus Imenso. Ele quer revestir-nos também do esplendor da Sua glória, da Sua santidade. A santidade do Senhor nada mais é do que servir.

[ + FOTOS deste grande evento no fb.com/CNQueluz ]

Nós aprendemos, nesses 50 dias, que a santidade do Senhor envolve a nossa fragilidade e que, o nosso corpo frágil e limitado, não resiste à potência da ressurreição diante de nós. De forma que nossas forças estão Nele e não mais em nós.

É uma escola de fé adorar ao Senhor. E quem quer ser aprendiz deve saber que o que você aprende do Senhor você deve ensinar aos outros. Na adoração aprendemos muito com o Senhor e precisamos transmitir aos outros.

Nesses 50 dias nós estávamos no monte e contemplamos a glória de Deus. E muitos se uniram a nós nesse período e constataram que Deus Imenso nos ensina, silenciosamente, duas importantes coisas da nossa vida: estar diante Dele e voltar para o povo com aquilo que de Deus colhemos.

[ + ÁUDIO desta homilia e oração de clamor ]

A liturgia de hoje nos convida à oração. Precisamos saber que não dá para separar a oração da fé. Quando se reza sem fé, nada acontece e não tem como ter fé sem oração. Por isso oração e fé andam juntas! E nós andamos num mundo onde a fé está em crise, está abalada. Quantos de nós está como o homem do Evangelho que diz: Senhor, eu tenho fé, mas ajuda-me!

Com a oração aprendemos a enxergar com o olhar espiritual. Quem não enxerga com o olhar espiritual só vê que nada vai bem e que não há no que crer. Mas quem está com o olhar aberto da alma, renova suas forças porque sabe que a esperança está no coração.

Todas as mudanças que o homem tenta provocar no mundo não se compara ao poder que a oração levanta no mundo e que transforma todas as coisas. O lugar onde nós descobrimos como está a nossa fé é diante de Jesus sacramentado.


[ Oração com padre Edimilson encerrando a homilia ]

Quando o Senhor subiu ao céu, os discípulos ficaram admirados olhando com saudade o Senhor que se foi. E hoje, todos nós da casa de Maria já estamos com saudade do Deus Imenso que “se vai” para que o Seu Espírito permaneça conosco. More »

Mérito? Não! Puramente, graça de Deus…

O título deste texto é uma expressão que não é estranha para muitas pessoas, mas escolhi-o, porque fala daquilo que eu, Márcia Costa, membro da Comunidade Canção Nova há 22 anos, fiz quando nela vivi, durante quatro anos consecutivos.

Mas, antes de falar desta vivência, foi também na Casa de Maria, onde tive o primeiro atendimento com o meu acompanhador vocacional no ano de 1990, além de outros encontros vocacionais no mesmo ano.

Contudo, nesta pequena partilha, quero ressaltar a minha experiência nesta casa, onde durante quatro anos, trabalhei com os jovens que chegavam à Canção Nova para o seu primeiro ano de formação. Foram momentos fortes de experiência com Deus pelas mãos de Nossa Senhora, através de coisas muito simples, mas também, através de longos momentos de atendimento, onde a graça de Deus ia atuando na história de cada um, curando e libertando.

Deus fez muito na vida de cada um que foi dócil. Não foi mérito, mas foi pura graça de Deus, agindo durante os momentos de adoração, nas longas horas de oração comunitária, nos atendimentos, nos momentos comunitários de trabalhos na cozinha – que eram ótimos – nos momentos de recreação na segunda-feira a tarde. Enfim, na casa da Mãe, Ela age através das coisas simples, mas também em momentos muito fortes de formação, através de quem aplicava, como momentos com o nosso Pai-Fundador monsenhor Jonas Abib, que ao longo dos anos de 1994 a 1997 (foi o tempo em que vive nesta casa) sempre buscava estar conosco após as suas viagens missionárias. Podíamos sempre contar com a presença dele em nossa casa e com ele rezar, partilhar, receber tudo o que Deus queria nos dizer.

Foi nesta casa, que um dia, ao final de uma etapa formativa, ele disse algo que não me esqueço até hoje: Quanto mais difícil é uma vocação, mais vocação ela é! Ele falava isso, mostrando o quanto foi difícil a sua vocação como motivação para os noviços (nomenclatura usada na época) ao final de um ano de caminhada. Mas, como esta frase, muitas outras foram ditas e marcaram muito a nossa história.

Para mim, falar da Casa de Maria é falar de um privilégio de ser a primeira a Márcia Costa - consagrada na Comunidade Canção Novacontemplar a obra de Deus no coração das pessoas que me foram confiadas. Sou muito grata a Deus por me permitir fazer tal experiência.

Mas, na casa da Mãe, todos os filhos são muito bem-vindos e vi também o quanto Deus fez na vida de muitos que estavam para passar o final de semana, os que iam para os retiros, enfim, quem chega não sai de mãos vazias.

Esse é um pouco do que vivi na Casa da Mãe, onde Ela quis se servir de mim, para fazer na vida dos Seus filhos.

Depois destes quatro anos na Casa de Maria, Nossa Senhora me traz para estar novamente mais perto Dela, no Altar do mundo. Mérito? Não! Puramente, graça de Deus.

Bendito seja Deus por conceder-me tal graça.

Márcia Costa
Missionária da Canção Nova em Fátima – Portugal
www.cancaonova.pt

Na ótica de uma mãe…

Margarida Gomes de Melo é mãe de uma discípula em formação inicial na Canção Nova. Ela visitou a Casa de Maria onde sua filha vive neste tempo e fez questão de registrar sua experiência:

Mamae Margarida mae da IngridAgradeço a Deus pela oportunidade de conhecer esta casa e experimentar o que sempre está escrito no blog: ‘Maria caminha nesta casa’.

Na Casa de Maria tudo exala amor, carinho, ternura, simplicidade. A começar pelos nossos filhos, funcionários, colaboradores, formadores… até aquela plantinha tratada com muito carinho, detalhes do belo jardim, a horta, pedras escritas com palavras ou frases que nos fazem refletir.

Caminhos que nos levam a vivenciar novas experiências, bem como paisagens belas de montanhas envolvendo todo o lugar, cantinhos para reflexões, a gruta de Nossa Senhora…

‘Quem quer deixar tudo: pai, mãe, irmãos, emprego, namoro e dar um ano de sua vida ao Senhor?’ foi naquela mesma sala que pela primeira vez participei de uma aula de Libras, foi muito bom, uma nova experiência em minha vida.

As capelas nos dão uma sensação de acolhimento maior por serem arredondadas, certeza de que cada vez mais possamos nos achegar ao colo materno da Mãe.

"é preciso criar raízes onde Deus nos plantou" padre Jonas AbibTrago essas experiências no coração e na memória para ‘ser uma Casa de Maria’ onde vivo hoje

ttp://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?&dia=11&mes=7&ano=2012

Uma descoberta com frutos para toda a vida

A maior experiência que tive em 2011 foi de um Deus que é mais íntimo de mim do que eu mesmo. Um Deus que é pai e amigo, tão próximo que se torna poupável.

Falar da vivência na Casa de Maria, em Queluz, é falar de um Deus que se revela no amor e na simplicidade; que conhece meu interior tão profundamente onde ninguém jamais pôde conhecer, nem eu mesmo.Cruz Capelinha

É Ele que primeiramente buscou a intimidade comigo e eu ao permitir esta aproximação, deste pai e amigo, pude conhecê-Lo. Ao conhecê-Lo me comecei me conhecer porque Ele mesmo revelou quem eu sou. Deparei-me, então, com meu nada e descobri Quem é meu tudo.

Foi na intimidade com Deus que meus afetos, minha história e meus relacionamentos cresceram em purificação e cura. Deus me curou no amor e na oficina da vida. More »

Sempre é tempo de adorar

Desde o domingo de Páscoa a Casa de Maria em Queluz (SP) e toda Canção viveram um tempo de graças. Foram 50 dias de adoração diante do Deus Imenso.

Encerrando essas 1.200 horas de intercessão e louvor a Deus, nesta segunda-feira, 28, houve uma noite de oração para concluir este tempo.

Missa encerramento Deus Imenso[ + FOTOS no fb.com/CNQueluz ]

O evento, que foi transmitido pela internet, contou com 4 horas de duração entre hora santa, procissão, benção solene do Santíssimo Sacramento e o coroamento com a Santa Missa presidida pelo padre Aluisio Ricardo. Em sua homilia o sacerdote destacou que: “Se nossos diálogos com o Senhor forem sobre eternidade, tudo terá resposta”. [ Ouça esta homilia na íntegra ]

Mais de 700 pessoas acompanharam pela internet [ assista na íntegra ] e cerca de 300 foram conduzidas, por iniciativa do Próprio Deus, para participar deste evento. Foi o caso da jovem pernambucana Mauricéia Anunciada [de rosa, na foto ao lado]: “Me senti amorosamente convidada pelo próprio Deus para estar no encerramento deste tempo forte de adoração. Desde a Páscoa que tentei vir participar dessa adoração mas não consegui, porém acredito que tudo aconteceu conforme a Divina Providência. Agora entendo que foi o próprio Deus que me quis aqui hoje. A iniciativa foi Dele.Me marcou a frase da homilia: ‘na adoração é o olhar de Deus que se volta para nós’. Assim fiz a experiência de deixar-me olhar pelo Deus imenso que por amor se deixa alcançar”.

Agora é tempo assumir as graças do Deus Imenso que são constantes sobre seu povo.

.

Veja também:

.: TUDO o que foi postado sobre o Deus Imenso

.: ADORAÇÃO: caminho para a cura” padre Jonas Abib