_20140220_163257Meu nome é Éderson José, tenho 30 anos e estou fazendo o meu discipulado na Comunidade Canção Nova. Estou na Casa de formação em Queluz conhecida como a Casa de Maria, santuário do carisma Canção Nova e gostaria de partilhar a minha experiência com ela aqui neste tempo, dizem que ela caminha nesta casa, isso é fato. Esta é a descoberta que fiz aqui na Casa de Maria, então, quero usar o jardim como referência para que você possa entender melhor a minha experiência. Gosto muito de pisar onde tem terra, me sinto bem assim, me sinto dentro do carisma, dentro da simplicidade. A Comunidade Canção Nova começou aqui neste chão de terra que piso.

A casa de Maria e também o jardim é assim simples e discreto. O jardim da casa da Virgem não possui muitas flores, como disse ele é discreto, talvez você não consiga entender um jardim com poucas flores. Mas com muitas ou poucas flores ele será sempre um jardim, por isso nunca desista do seu jardim mesmo que hoje ele se encontre com poucas flores. Ele continuará sendo sempre esse jardim.

Neste ano de discipulado estou disposto a ser esse jardim nas mãos de Maria, estou disposto a nascer de novo no ventre da Mãe. Neste tempo eu tenho a possibilidade de nascer de novo para o Carisma Canção Nova. Quero começar pequeno, um broto, como diz em Isaías 11,1: “Um broto vai surgir do tronco seco de Jessé, das velhas raízes um ramo brotará”’. Jesus começou sendo pequeno, um broto que nasceu da descendência de Davi. Eu também quero ser esse broto que vai surgindo no dia a dia o homem novo. Quando chegar a primavera, final do discipulado, esse ramo brotará, como brotou Jesus no ventre de Maria.

No ventre de Nossa Senhora tem um lugar pra você, no jardim dela tem um lugar pra você. Seja bem vindo! Não tenha medo de ser jardim nas mãos de Maria! Ela, todo dia, bem discreta, pela manhã terá a sensibilidade de regar esse seu jardim – de muitas ou poucas flores – com seu regador que é a pureza e a santidade. Hoje esse jardim sou eu e você. Precisamos de muita terra e de muita água que é o Espírito Santo. Mas não se preocupe, ela que é mãe e mestra conhece tudo sobre jardim, sobre você. Na Canção Nova ela tudo fez, na sua vida não vai ser diferente.

Maria é muito simples, tão simples que continua usando as mesmas palavras que usou com Jesus nas Bodas de Caná da Galileia e me diz ao coração: “Éderson José, ‘fazei tudo aquilo que Ele vos disser’” (cf. Jo 2,5). A mãe hoje fala pra você que gosta ou não de jardim: “meu filho, minha filha, fazei tudo aquilo o que Ele vos disser”. Convido você a, todos os dias, seguir os passos de Jesus, de Maria e também de São José, que conhecia muita coisa sobre jardim, principalmente sobre lírios, sobre pureza.

No seu jardim que é o seu coração não poderá faltar esta flor, o lírio. A pureza precisa habitar neste jardim. No jardim da Virgem, São José sempre estará presente. Hoje você é um lírio nas mãos de Deus, dentro ou fora do jardim, na pureza ou não, Ele te acolhe novamente. Entretanto, muito cuidado, flor que não permanece no jardim não recebe cuidado, fica sem água e, sem água, ela não sobrevive.

Discípulo Éderson José

São José Valei-nos

CAM00670Com a graça de Deus, nesse dia 24 de janeiro de 2014, dia de São Francisco de Salles, faço 18 anos que cheguei na Canção Nova, a Casa de Maria, vim para fazer o noviciado, hoje dizemos “discipulado” nessa casa, a Casa de Maria em Queluz. Uma simples menina, do interior do Paraná, que tinha apenas 17 anos, mas no coração um profundo desejo de fazer a Vontade de Deus, de corresponder ao chamado que Ele me fez e continua a me fazer. Nesta casa, durante o ano do discipulado, pude fazer lindas experiências, a presença de Nossa Senhora nesta casa, é muito forte, sentia sua presença de Mãe que me amava, me acolhia, e me consolava muitas vezes quando a saudade da minha família, principalmente da minha mãe apertava no coração. Fiz a experiência de sentir Nossa Senhora também como amiga, mulher, que me formava para ser uma grande mulher de Deus, como eu era uma jovem que saia da sua juventude para abraçar a idade adulta, sentia ela me formando a saber como agir e lidar com os desafios próprios da vida de adulto, sabendo fazer as escolhas certas, nas horas certas, saber como dar uma resposta diferente, diante dos sofrimentos. Fiz também a experiência da Virgem Maria como Mestra do carisma CN, ela que foi me preparando e me gerando dentro desse carisma e gerando o carisma em mim, fazendo que ele crescesse e tomasse corpo dentro de mim, até o momento de ele ser visível para aqueles que se aproximassem de mim. Fui trabalhando minha história, meu processo de cura interior, fui crescendo na minha vida de oração aprendendo a ser fiel as 5 pedrinhas, que nos sustenta no carisma, nas regras de vida próprias da CN, nos nossos estatutos que como diz nosso pai fundador, Monsenhor Jonas Abib, é o nosso código de santidade, se eu vivê-lo na fidelidade ordinária, eu poderei chegar no céu, ele pode me fazer santa.

No ano de 2003, depois de ter passado 5 anos na missão da CN em Portugal, em que fui em 1998 para abrir a missão, eu voltei para a casa de Maria aqui em Queluz, foi um tempo em que fui regenerada como pessoa e no carisma, foram 9 meses, tempo suficiente para o Senhor me restaurar pelas mãos de Sua Santíssima Mãe.

Agora em 2014, volto a Casa de Maria para fazer uma nova experiência, para começar com mais 3 irmãs , a casa contemplativa da CN, uma casa de intercessão, ainda estamos dando os primeiros passos, mas sinto que a Virgem Maria nos acompanha e está conosco. Conto também com sua intercessão para este novo tempo, que pode ser que futuramente eu volte a escrever desta minha experiência.

Um grande abraço… Que Nossa Senhora o guarde sempre!

Roselaine Iria Ribeiro

CN – Casa de Maria – Queluz.

roselaine@cancaonova.eu

A Casa de Maria possui uma graça própria de nos levar a experiência com Cristo

Morei na Casa de Maria durante um ano, em 2009, e em cada lugar desse território experimentei a presença de Deus que se move ao nosso favor, ao nosso encontro.O que Deus faz é para sempreTodos os dias não media esforços em subir o monte, para que do alto contemplar as maravilhas da criação e assim me encontrar com o Criador.

Do alto eu me sentia mais próxima de Deus! [ leia também: Disposição para subir… ]

Amava ficar olhando as nuvens e os desenhos que se formavam no céu pela força do vento; o sol que com seu brilho iluminava as montanhas a ponto de revelar detalhes deixados nas rochas pelo tempo; os pássaros cheios de cores More »

Experiência de cura, superação, vida nova!

Cristiane Rocha Canção NovaEm 2002 vivi uma experiência muito forte em Queluz na casa de Maria da Canção Nova. Fiz uma Jornada onde fui totalmente tocada por Deus com relação a minha experiência com minha mãe.

Sou filha de pais separados desde os meus 5 anos. Sentia uma rejeição com relação a minha minha, me sentia abandonada. Por isso, fui vendo em minha história que ainda trazia, naquela época, marcas com relação a minha mãe. Por isso eu tinha certa dificuldade de me relacionar mais íntimamente com Nossa Senhora.

Quando começou o retiro fui me desarmando e senti muito forte a presença da Virgem Maria como mãe que cuida, que zela. Fiz a experiência de sentir o Seu amor de Mãe. Fui percebendo a sua presença em muitos fatos da minha vida. Ali estava a presença de Nossa Senhora me amparando e cuidando de mim.

Lembro-me que fui na gruta de Nossa Senhora e lá eu fui me abrindo a esta presença discreta e marcante de Nossa Senhora. Me senti curada e restaurada com relação a maternidade.

Cada vez que estou na Casa de Maria é esta experiência de filha que faço: me abandonando em seus braços maternos e me deixo em tudo conduzir por Ela.

Estive nesta casa há poucas semanas e novamente foi renovado em mim este cuidado da Mãe que ampara.

Realmente estar na casa de Maria é estar em seu colo de Mãe e ser inteiramente restaurada por seu cuidado materno.

.

Cristiane Rocha
Missionária da Canção Nova em Vitória da Conquista/BA

Sem dúvida, as experiências que vivi na Casa de Maria, estão entre as mais brilhantes que já vivi nesses anos de Canção Nova. Foi na Casa de Maria que verdadeiramente descobri o meu chamado a ser missionária, totalmente de Deus.

Conheci a Casa de Maria em 1994. Logo já senti ali um pedacinho do céu. Eu estava sentada em uma das mesas do refeitório, e em meio a tantas conversas, a tantas pessoas diferentes, sentou uma pessoa extraordinária com seus olhos azuis fitando os meus, e perguntou: Você é de onde? Está nos visitando? Eu inocentemente comecei a falar de mim relatei toda minha história. E a pergunta foi: Por que você não faz um caminho vocacional com a Canção Nova?

No mesmo instante o meu coração disparou, eu senti no mais profundo do meu ser:  “aqui eu posso doar a minha vida para sempre, até a morte”. E como ficará, Senhor, a minha família? Eles não entenderão nada do que eu vivi aqui nesse lugar, Casa de Maria – Queluz!

Essa era a pergunta que ressoava dentro de mim, pois o meu único apego era os meus familiares, minha linda família que tanto amo. Resumindo… isso foi em junho/1994, e já em agosto/1994 escrevi minha primeira carta, onde fiz um acompanhamento por carta, em março/1995 iniciei meu caminho vocacional, em janeiro/1996 eu estava entrando na Comunidade Canção Nova na Casa de Maria em Queluz.

Tive a graça de  minha família prestigiar todo o primeiro momento da minha entrega, minha consagração de vida a esta Obra de Deus.

As experiências vividas lá, nesse um ano, foram de conversão. Descobri verdadeiramente, a partir do momento que fui trabalhando minha história de vida, quantas curas eu precisava deixar que o Senhor operasse em minha vida, enquanto isso Nossa Senhora passava a frente e esclarecia tudo. Ela foi a luz, para que eu conversasse com Jesus e deixasse Ele me curar e me converter.

Posso dizer com propriedade: eu nasci de novo. Lá me fiz uma nova mulher. Mulher que morreu para o pecado e nasceu para a vida nova. Mulher nova, para formar um mundo novo.

E na Casa de Maria a dona deste lar apresentou-me o meu esposo Lúcio Domício, Familia do Lúcio Domícioe foi realizado o batizado do meu primeiro filho Gabriel Domício, onde nasceu para Deus.

Sabe aquela pessoa que contei que se sentou na mesa comigo de olhos azuis? Era o meu pai-fundador Monsenhor Jonas Abib. E posso dizer que Deus deu minha família de sangue, meu fundador, me deu uma nova família Eto, Luzia e Filipe: COMO É LINDA A NOSSA FAMÍLIA!

A mensagem para você que lê, hoje, “A PESSOA É O MAIS IMPORTANTE” (Monsenhor Jonas Abi) – eu vivi essa experiência, e se o Monsenhor Jonas Abib, não estivesse feito aquele apelo, aquele convite, eu não seria uma consagrada. Mas naquele momento, naquele lugar, naquela situação ele me viu como “A PESSOA É O MAIS IMPORTANTE”! E agora eu estou na luta diária de aprender os passos do meu fundador!

Rezemos uns pelos outros!

Andréia Gisélia
Missionária Canção Nova

Uma descoberta com frutos para toda a vida

A maior experiência que tive em 2011 foi de um Deus que é mais íntimo de mim do que eu mesmo. Um Deus que é pai e amigo, tão próximo que se torna poupável.

Falar da vivência na Casa de Maria, em Queluz, é falar de um Deus que se revela no amor e na simplicidade; que conhece meu interior tão profundamente onde ninguém jamais pôde conhecer, nem eu mesmo.Cruz Capelinha

É Ele que primeiramente buscou a intimidade comigo e eu ao permitir esta aproximação, deste pai e amigo, pude conhecê-Lo. Ao conhecê-Lo me comecei me conhecer porque Ele mesmo revelou quem eu sou. Deparei-me, então, com meu nada e descobri Quem é meu tudo.

Foi na intimidade com Deus que meus afetos, minha história e meus relacionamentos cresceram em purificação e cura. Deus me curou no amor e na oficina da vida. More »

Deus fala comigo através dos fatos, da natureza e dos irmãos

O lugar da Casa de Maria que mais gosto fica ao lado da capela: onde por muitas vezes eu parei para fazer meu estudo Bíblico, embaixo de uma grande árvore. Seus galhos são enormes e dão uma impressão de crescimento contínuo. Parece que eles brotam desde a raiz.

Recordo-me de uma tarde, quando me sentei na varanda e fiquei olhando para aquela árvore. Observei sua estrutura, suas raízes e comecei a rezar, pedindo a Deus, que firmasse em mim raízes profundas e inabaláveis, como as daquela árvore.

arvore da Casa de Maria - Canção Nova Queluz

Parece que aquela árvore continua crescendo sem parar. Pelo menos foi essa a sensação que eu tinha no momento da minha oração. Assim, pedi ao Senhor que eu também vivesse um crescimento na presença de dELE e no carisma Canção Nova. More »

Ser gerado no carisma Canção Nova

Em 2009 morei na Casa de Maria, em Queluz (SP) no perído de formação inicial da Canção Nova, chamado “Discipulado”. É um tempo onde os candidatos em discernimento vocacional debruçam-se intensamente sobre o carisma CN e nos escritos do pai e fundador da comunidade, monsenhor Jonas Abib.

Fiz grandes descobertas em minha história de vida e criei laços profundos com Deus através dos momentos de adoração pessoal e comunitária.

Fui impactado com muito amor de Deus por mim, através da presença da Virgem Maria e pela história desta casa.

A amizade foi um dos meios que Deus usou para me formar. A vida fraterna e a sadia convivência entre moças e rapazes me fizeram aprofundar em meu processo de cura inteiror e, com isso, resignificar o valor da amizade, da presença e do diálogo.

A frase que mais ressou naquele tempo foi “A Virgem é boa” – que rendeu até música composta por meu irmão Thiago Teodoro.

Assim como o “barro nas mãos do oleiro”, durante o discipulado eu me senti moldado a cada dia, e não foi fácil! Heloisa Paiva que o diga! :-) Foi preciso tirar as arestas e, muitas vezes, começar tudo de novo.

Contudo, brotava uma força do meu interior e me impulsionava a não parar em minhas limitações, pois o “homem novo” nasce de uma vida permeada de escolhas e decisões, que passam por nossa humanidadee e que precisam estar sempre em sintonia com o coração de Deus.

Tivemos a graça de ter 3 padres conosco: padre Reinaldo Cazumbá que os formava diariamente com suas homilias e frases impactantes; padre Bruno Costa que nos alegrava com sua presença e fraternidade e depois moramos com padre Roger Luis que nos levou a receber muitas graças nos momentos de oração.

Viver na Casa de Maria, também conhecida como o Santuário do Carisma Canção Nova, me possibilitou experimentar milagres: vi pessoas se transformando e sendo curadas. Mas é claro, que para isso acontecer cada um trilhou um caminho. Foi preciso muita coragem para deixar Deus tocar e curar as feridas da história…

Só posso concluir ressaltando como é belo contemplar no final de um tempo forte em nossa vida, como foi 2009 para mim, a transfiguração do “homem velho” para o “homem novo” que foi gerado no ventre de Maria e é alimentado por Deus com a intercessão Dela.

Mauricio do Nascimento Cataldo
Missionário CN atualmente na WebTVCN
fb.com/mauriciocataldo @cataldocn

.

Edição do texto: Cleber Rodrigues (atualmente discípulo CN)

O verdadeiro Santuário do Carisma Canção Nova

Tive a alegria de morar em Queluz – Casa de Maria – em 2010. Neste Lugar vivi o meu Discipulado, um tempo intenso de formação dos membros da Comunidade Canção Nova. Nessa casa fui gerado para a Igreja, para que minha vida fosse entregue toda através do Carisma Canção Nova. É o lugar onde está o fundamento da minha vocação, da minha oferta.

A capela desta casa é testemunha da minha história. Nela me debrucei sobre a minha vida, meu passado. Ali a minha história ganhou um novo sentido, uma nova direção.

Um lugar histórico e especial para mim é a sala de palestras, a “Sala do Chamado”, onde o nosso pai fundador Monsenhor Jonas Abib, OUSOU, na festa de Cristo Rei de 1977, desafiar um grupo de jovens a dar um ano da sua vida para Deus. Naquele lugar ainda ecoa a voz de Padre Jonas Abib: “Quem está disposto a deixar a sua casa e vir viver em comunidade”?. Ali aconteciam as nossas formações. Ali fui formado para viver uma vida nova.

Monsenhor Jonas no livro “Canção Nova uma obra de Deus”, ao falar do nome dado a casa, Casa de Maria, diz que ela só podia ter este nome, porque ali as pessoas nascem para uma vida nova, ali são formados os filhos de Deus. Sou fruto desta formação, desta vida nova.

Como canta o diácono Nelsinho Correa, “nas montanhas resplandece  a Glória de Deus”.

O lugar que  mais gostava da casa, o lugar do meu encontro com Deus, era o ponto mais alto do terreno onde a Casa de Maria está localizada. De lá eu via toda a Casa de Maria, a curva do Rio Paraíba,  as lindas montanhas em frente a casa, que foram fonte de inspiração para a música “Compromisso”. Um lugar de inspiração para a minha intimidade com o Criador de toda aquela beleza.

De lá via os carros que passavam pela rodovia. No fim daquela estrada se encontra minha terra natal, a cidade de São Paulo, lugar das minhas origens. Por essa estrada carros seguiam para o lugar que eu deixei, mas eu me decidia em continuar ali, para encontrar a minha verdadeira origem: os desígnios do coração de Deus para mim. Eu sabia que Deus tinha um projeto, que era melhor, MUITO melhor que os meus. Ali me encontrava. Derramava lágrimas e me alegrava ao ver a obra que Deus estava realizando na minha vida.

Faz um ano que me mudei desta casa, enviado a “Ir e Pregar o Evangelho!” Sinto a cada dia a voz que ressoa na Casa de Maria, voz das origens da Canção Nova. Essa voz de Deus, ecoada pela boca do profeta Jonas Abib, que me impulsiona a seguir, a entregar a minha vida, minha juventude para a Evangelização.

Hoje atuo como missionário no departamento de Engenharia de Rádio e TV da Canção Nova. Faço parte da missão Revolução Jesus e sou realizado. A missão hoje é mais eficaz por que o berço da minha vocação é  a Casa de Maria, por Maria fui formado.

Sou consagrado da Casa de Maria!

Wagner Ponciano
Comunidade Canção Nova
fb.com/poncianocn @poncianocn

.

Edição de texto: Mônica Maria (atual discípula CN)

Ontem, hoje e sempre: Maria presente!

Ingressei na Comunidade Canção Nova em 1998, na Casa de Maria, em Queluz (SP). Era o tempo de viver o Noviciado, hoje chamado Discipulado: a Formação Inicial no Carisma Canção Nova.

Na mesma semana em que cheguei, tive um sonho que me deixou constrangida. Sonhei que estava grávida! Pensei comigo, “nossa, que absurdo”! Partilhei com a nossa Mestra de Noviciado (a formadora da casa), e ela me disse: “Mas, é verdade! Você está mesmo grávida! Está gerando a mulher nova”! Ali começou a minha experiência com Nossa Senhora, na Casa de Maria. Era ela quem estava me ajudando a gerar a mulher nova, a mulher do Carisma Canção Nova. Eu estava gerando e sendo gerada no ventre de Maria, como chamamos essa casa tão preciosa!

Maria sempre foi uma presença marcante em minha vida; mas, nesta casa, eu convivia com ela de forma discreta, desde as coisas mais simples do dia a dia, como as mais complexas. Era um convívio diário e maravilhoso!

Maria era minha companheira nas escalas de serviço, quando lavava os banheiros, quando passava pano no chão, tirava a poeira, quando lavava a louça, quando fazia a grande faxina… Com ela, eu fui vencendo os meus medos de não dar conta do recado; o medo de não fazer bem feito, de ser criticada.

Era a minha companheira na vida de oração, quando rezava o terço, principalmente na Grutinha [foto abaixo]; quando fazia meu Estudo da Palavra. E, quando ia para a Capela rezar, ou fazer Adoração ao Santíssimo, ela estava lá, me esperando de braços abertos, pronta para me dar a sua benção materna, todos os dias, através da imagem da Virgem de Fátima.

Era a amiga com quem partilhava tudo, e com quem aprendi a viver ainda mais a transparência na partilha com meus irmãos e formadores.

Na Casa de Maria, aprendi com a Mãe, a essência da fraternidade, do cuidado com o outro. Aprendi a ser mulher, a me cuidar melhor; através de uma irmã muito querida, vi Nossa Senhora mudar todo o meu guarda-roupas, ensinando-me a vestir-me de forma mais feminina.

Era minha companheira no Apostolado, na Missão, na Catequese; Nossa Senhora me encorajava a ir em frente, com ousadia!

Era ali, no colo de Nossa Senhora, Mãe e Mestra, a imagem que fica na varanda, que eu me colocava todas as vezes que tinha saudade de casa, da família, dos amigos.

Foi também na Casa de Maria, que eu descobri “o meu José”, o homem que o Senhor tinha reservado para mim; mas eu guardava no meu coração, pois não era tempo de viver esse relacionamento. Então, era no Coração de Nossa Senhora de Fátima, na capela, que eu colocava o que estava sentindo, pedindo a ela, que, se aquele sentimento fosse de Deus, que ela me colocasse do coração daquele rapaz também. Tudo bem guardadinho no Coração da Virgem; e hoje, aquele rapaz, é o meu amado esposo Fábio Lira.

Nossa Senhora cuidou de tudo. Guardou minha vocação e eu fui gerada Canção Nova, no Seu Ventre Materno!

Em uma oração comunitária o Senhor me deu uma imagem, na capela: Era um anjo entregando-me um violão e uma folha, escrito a palavra “Profecia”. E o Anjo dizia-me: “Toque e cante a profecia”! Não compreendi por completo o que Deus quis me dizer naquele tempo. Mas, no decorrer dos anos de vivência na Comunidade, tenho me lembrado dessa imagem. E hoje compreendo que Nossa Senhora, ali, na Casa de Maria, ensinou-me, e tem me ensinado, a “tocar e a cantar essa Profecia” chamada Canção Nova.

Maria tem me levado a tocar o Carisma Canção Nova na minha vida, e cantar esse mesmo Carisma na vida dos meus irmãos.

Na minha vida, e de maneira especial, na minha vocação, foi Ela, Maria, a Mãe e Mestra da Canção Nova, que tudo fez! Sou muito grata a ela, por sua presença em minha vida. Sou grata a Deus por tudo o que Ele permitiu-me viver, na Casa da Mãe, o Santuário do Carisma Canção Nova.

Gilmara Maria Lira
Missionária, casada, mãe de 4 filhos
Atualmente roterista dos programas infantis da TVCN
fb.com/gilmaracn @gilmaracn

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

“Me chamo Cineide Maria e nesse ano de 2012 vivo meu discipulado na Casa de Maria. Fui a primeira pessoa da casa a ler seu texto Gilmara e fiquei impressionada de como Deus usou da sua partilha para falar comigo. Ao ler, senti que você escreve com o coração, com sentimentos. Muito do que você viveu nesta casa há 14 anos atrás, estou vivendo hoje. Obrigado. Deus abençoe sua família linda”!
[Deixe também seu COMENTÁRIO]