A primeira mulher matemática do mundo foi… uma freira Católica! 

maria-gaetana-agnesi

Hoje é celebrado o 296º aniversário de Maria Gaetana Agnesi, (Milão, 16/05/1718 a 9/01/1799) matemática, filosofa e linguista reconhecida por ter escrito e tratado o cálculo diferencial e o integral, e ter sido a primeira professora universitária do mundo, sendo nomeada, em 1750, como catedrática de Matemática Superior e Filosofia Natural na Universidade de Bolonha – primeira universidade do mundo e fundada pela Igreja Católica. Agnei é considerada uma das mais importantes cientistas do século XVIII. Em 1739, aos 21 anos, Maria queria entrar para um convento, mas seu pai se opôs. Ela obedeceu e não o fez, mas rejeitou toda a vida pública, levando uma vida retirada e piedosa. Ela se concentrou em estudar livros religiosos e de matemática, em casa. Além, do contexto familiar e sócio-econômico, podemos dizer que os valores cristãos auxiliaram Maria Gaetana em sua trajetória acadêmica? Considerando como hipótese, podemos dizer que a inteligência é uma recompensa da fé? É possível chegar a Verdade também pelo uso da razão? Quem tem fé em Deus é mais feliz?

Fé (fides). Para falar de fé, quero partir de uma das maiores pesquisas já realizadas, pelo Andrew Clark, da PSE – Paris School of Economics (Escola de Economia) de Paris, e co-autor Dr. Orsolya Lelkes do Centro Europeu para a Política de Assistência Social e Pesquisa que foi divulgada em 2009, revisou 42 estudos sobre o papel da espiritualidade na saúde, que envolveram mais de 126 mil pessoas.

O resultado mostrou dados interessantíssimos, veja abaixo:

  • Tem 7 anos a mais de expectativa de vida
  • 40% menos chance de desenvolver hipertensão
  • 47% menos chance de cometer suicídio
  • 85% menos chance de torna-se fumante
  • 3 vezes mais chance de sobreviver após um transplante de fígado
  • Exercer a fé torna as pessoas mais amigáveis
  • Aumenta de 2 a 3 vezes a propensão em participar da vida pública
  • Quem considera o casamento sagrado é 42% mais feliz
  • Tende a fazer 2 vezes mais doações e caridade
  • Realiza 2,5 vezes mais trabalhos voluntários que aqueles que não vão
  • Possui renda familiar até 40% maior do que as famílias que não creem em Deus
  • A fé aumenta a felicidade: dentre os que creem 43% disseram ser “muito felizes”. contra apenas 26% dos céticos.
  • Em média, indivíduos que cultivam a fé tem uma tendencia 3 vezes maior a ver o lado bom das coisas.

 

Razão (ratio). Agora, voltando aos escritos de Maria Agnesi, destaco no campo da matemática, a “Curva de Agnesi”, atribuída a ela e descrita no seu livro Instituzioni analitiche ad uso della gioventù italiana. A curva tem a seguinte descrição:

300px-Agnesi
………………………………………………………
Fixada uma circunferência, toma-se um ponto O nela. De qualquer outro ponto A da circunferência, traça-se a secante OA. Seja o ponto diametralmente oposto a O. A interseção entre a reta OA e a reta tangente à circunferência no ponto M é o ponto N. Por A, traça-se uma reta paralela a MN, e por N uma reta paralela a OM. Seja P a interseção entre essas duas retas. O caminho que P faz ao variarmos é a chamada curva de Agnesi

Cálculos e formulas não é muito minha praia, mas quem estuda ciências exatas (engenharias e afins), deve conhecer muito bem!

Segundo a história, quando seu pai morreu ela tinha 34 anos, o que a levou a mudar seus estudos da Matemática para a Teologia. Assim, abraçando a pobreza, começou a cuidar de seus irmãos e praticando a piedade cristã para os pobres e miseráveis​​, que viviam na pobreza total. Dedicou os últimos 28 anos de sua vida trabalhando no hospício Trivulzio, que ela mesma fundou, e onde morreu em 1799. Ela deixou toda a sua fortuna aos pobres.

Por que, as vezes, parece tão difícil entender o evangelho pela razão? 

Porque é simples. São João Paulo II escreveu na carta Fides et Ratio que “a fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade”, em outro trecho advertiu a necessidade de avançarmos nesta compreensão, ao afirmar que “a pensamento filosófico é frequentemente o único terreno comum de entendimento e diálogo com quem não partilha a nossa fé” (…) “a filosofia é como que o espelho onde se reflete a cultura dos povos. Uma filosofia que se desenvolve em harmonia com a fé e aceitando o estímulo das exigências teológicas, faz parte daquela ‘evangelização da cultura’ que Paulo VI propôs como um dos objetivos fundamentais da evangelização. Pensando na nova evangelização, cuja urgência não me canso de recordar, faço apelo aos filósofos para que saibam aprofundar aquelas dimensões de verdade, bem e beleza, a que dá acesso a palavra de Deus.”

acaso-nao-existeCerta vez, durante uma das aulas que tive com Prof Felipe Aquino, recordo-me que ele citou a seguinte frase o acaso – ou coincidência – é apelido que dão a Deus aqueles que não têm coragem de pronunciar o Seu Nome. Concordo plenamente! É preciso beber direto da fonte e não somente do recipiente que se é oferecido. O racionalismo é o uso extremo da razão e o fideísmo é a utilização extrema da fé: ambos os casos nos afastam da verdade. Assim, partindo da definição de Etienne Gilson “a fé busca, mas é a inteligência que encontra: a inteligência é a recompensa da fé”.

Finalizo citando novamente São João Paulo II e pedindo sua intercessão para “que a Sede da Sabedoria seja o porto seguro para quantos consagram a sua vida à procura da sabedoria! O caminho para a sabedoria, fim último e autêntico de todo o verdadeiro saber, possa ver-se livre de qualquer obstáculo por intercessão d’Aquela que, depois de gerar a Verdade e tê-La conservado no seu coração, comunicou-A para sempre à humanidade inteira”

Que neste dia, inspirado(a) nos santos Doutores da Igreja – homens e mulheres que chegaram ao equilíbrio saudável entre a fé e o conhecimento, você não tenha medo de confrontar sua razão diante do mistério. Faça perguntas, busque respostas: Quem sou eu? De onde venho e para onde vou? Porque existe o mal? O que é que existirá depois desta vida? Fazer perguntas não significa reflexo de uma “mentalidade mundana”, mas uma via de acesso à compreensão da própria existência e do sentido da vida.

Fonte:

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Gaetana_Agnesi
  • http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/5972/4551
  • http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_14091998_fides-et-ratio_po.html
  • http://super.abril.com.br/ciencia/ciencia-fe-774643.shtml
  • http://www.parisschoolofeconomics.com/clark-andrew/LUPJuly08.pdf

 O caso de Maria Gaetana Agnesi é um dos muitos casos que mostra que não há nenhum conflito entre Fé e Ciência. E aí, qual sua opinião?


Que Deus nos abençoe.
Até a próxima.

Veja também:

 

Cleber dos Santos Rodrigues
Comunidade Canção Nova