Saiba por que o Ano Mariano é um tempo muito oportuno para fazer a nossa consagração a Jesus por Maria.

Ao perguntar-nos por que fazer a consagração neste Ano Nacional Mariano, nós temos que ter em conta que todo o tempo dedicado a Virgem Maria é um tempo de graça. Tanto que o Verbo Eterno de Deus não quis vir ao mundo na idade de homem perfeito, independente de qualquer pessoa, mas veio como uma pobre e pequenina criança, dependente dos cuidados e do sustento de sua Mãe Santíssima. Poderíamos pensar que sua vida oculta foi um tempo perdido, que Jesus Cristo poderia ter aproveitado melhor seu tempo aqui na Terra, para pregar e consequentemente converter mais pessoas, realizar mais milagres, curar mais enfermos, libertar mais possessos.

Saiba por que o Ano Mariano é um tempo muito oportuno para fazer a nossa consagração a Jesus por Maria.

Papa São João Paulo II em sua primeira visita ao Santuário Nacional de Aparecida (1980).

No entanto, o Filho, “esta Sabedoria Infinita, que tinha um desejo imenso de glorificar a Deus, seu Pai, e de salvar os homens, não achou meio mais perfeito nem mais rápido para o fazer do que submeter-se à Santíssima Virgem”[1]. A submissão de Jesus a Maria era em todas as coisas, e não somente durante os oito, dez ou quinze primeiros anos, como as outras crianças, mas durante os trinta anos de sua vida escondida. Sendo assim, sigamos o Seu exemplo, sejamos também submissos e consagremos toda a nossa vida terrena a Nossa Senhora, pela salvação dos homens e para a maior glória da Santíssima Trindade.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Escravos do pecado e de Satanás ou de Jesus Cristo

No ano de 1717, o contexto histórico no qual aconteceu o encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição era de escravidão. Não podemos negar que a devoção a esta pequena imagem, pobre e enegrecida, era um sinal do Céu para que acabássemos com a escravidão daqueles pobres homens trazidos da África. Um fato que simboliza o desejo de Deus de que acontecesse essa libertação foi o milagre do escravo Zacarias. Mas, esta libertação da escravidão corporal era apenas um sinal da libertação espiritual, muito mais profunda, que a Providência divina queria realizar.

Muito pior do que a escravidão do corpo é a escravidão da alma. Por isso, mais do que a libertação da escravidão corporal, Deus quer a libertação da escravidão espiritual, ou seja, Ele quer libertar-nos da escravidão do pecado e de Satanás. Nesse sentido, a escravidão que vivemos hoje talvez seja muito pior do que a do passado. Pois, os africanos vindos para o Brasil, apesar da escravidão corporal, estavam sendo evangelizados e, dessa forma, libertos dos seus costumes e cultos pagãos. Mas, em nossos dias, apesar de não haver mais a escravidão do passado, mais do que nunca um novo paganismo está presente em nossa sociedade, e talvez até mesmo em nossas casas, colocando muitas pessoas sob a escravidão do pecado e do demônio.

Neste contexto histórico, depois de 300 anos, Deus quer servir-se da consagração a Jesus por Maria para nos libertar da escravidão do pecado e de Satanás. Esta consagração – segundo o método do livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, de São Luís Maria Grignion de Montfort – chama-se também de escravidão de amor. Muitos se escandalizam desse nome. Mas, como dizia São Paulo, livres do jugo do pecado, devemos nos fazer escravos de Deus (cf. Rm 6, 22). Antes de receber o sacramento do Batismo, éramos escravos do demônio. O Batismo libertou-nos do pecado e do demônio e nos fez escravos de Jesus Cristo. Sendo assim, nós cristãos só temos duas opções: voltar à escravidão do pecado e do demônio ou permanecer fiéis escravos de Cristo[2]. E não há forma mais perfeita de pertencer a Jesus Cristo do que a consagração ou escravidão a Santíssima Virgem[3].

A devoção a Jesus Cristo e a Virgem Maria

No dia 6 de agosto de 1936, a Virgem Maria apareceu a Maria da Luz e a Maria da Conceição, sob o título de Nossa Senhora das Graças, no Sítio da Guarda, situado no distrito de Cimbres, na atual cidade de Pesqueira, no estado de Pernambuco. Nessas aparições, a Santíssima Virgem revelou às duas meninas os perigos do Comunismo, que estava por vir para o Brasil, se o povo não fizesse oração e penitência. Infelizmente, este alerta de Nossa Senhora caiu quase que no esquecimento e consequentemente o que vemos em nosso país é o marxismo cultural, herança do Comunismo, que de todos os modos quer manipular e corromper a sociedade brasileira e destruir a Igreja Católica desde dentro.

Para saber mais a respeito das aparições, Padre José Kehrle perguntou a Nossa Senhora através das videntes: “Quais as devoções que se devem praticar para afastar esses males [causados pelo Comunismo]?” Por sua vez, a Virgem Maria respondeu: “Ao coração de Jesus e a mim”[4]. Há 80 anos, a Mãe de Deus nos pediu a devoção ao seu Filho Jesus Cristo e a ela, para livrar-nos do domínio de um governo que acabaria com a liberdade de expressão, com a família e com a Igreja Católica no Brasil.

Depois de refletir sobre o passado, voltemos o nosso pensamento para o presente – que indicará qual será o futuro de nosso país, de nossa sociedade, de nossas famílias – e, neste Ano Mariano, façamos a nossa consagração a Jesus, pelas mãos de Maria, para que a nossa devoção alcance de Deus a graça de nos ver livres dessas influências maléficas e de sermos prisioneiros do Senhor (cf. Ef 3, 1). “Pois o escravo, que foi chamado pelo Senhor, conquistou a liberdade do Senhor. Da mesma forma, quem era livre por ocasião do chamado, fez-se escravo de Cristo” (1 Cor 7, 22).

A consagração e as graças especiais do Ano Mariano

Este Ano Nacional Mariano será certamente um ano de muitas graças para todo o povo brasileiro. Pois, Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil, que não deixou que seu povo perecesse em outros tempos, seguramente não deixará de nos amparar em nossos dias. Sendo assim, confiemos a Virgem Maria as nossas necessidades e entreguemos a ela o futuro da nossa nação e do povo brasileiro.

Neste Ano Mariano, principalmente nós católicos somos chamados a confiar a Nossa Senhora o momento histórico em que vivemos. Aproveitemos este tempo de graça, que é o Ano Mariano, e confiemos tudo que temos e somos a Mãe da Igreja. Entreguemos a ela a política e a economia de nosso país, que passam por grandes e sérias dificuldades. Confiemos a Santíssima Virgem a nossa sociedade e as nossas famílias, que sofrem com os divórcios, o aborto, a ideologia de gênero e tantos outros males. Entreguemos a Mãe de Deus a Igreja Católica no Brasil, os seminários, as congregações religiosas, as novas comunidades e os novos movimentos. Confiemos a ela principalmente aqueles membros mais fracos, que necessitam da nossa oração.

Por fim, neste Ano Mariano, em que a Santíssima Virgem certamente derramará muitas graças, entreguemo-nos a ela de todo o coração. Consagremos a Mãe de Deus o nosso corpo e a nossa alma, tudo o que temos e somos, na certeza de que a ela podemos nos confiar inteiramente. Façamo-nos escravos de Jesus Cristo, pelas mãos da Virgem Maria, conforme nos ensinou São Luís Maria. Neste ano, em que comemoramos 300 anos de Aparecida e 100 anos de Fátima, consagremo-nos para honrar Nossa Senhora e consequentemente nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, se o próprio Filho de Deus se fez submisso a esta amável Senhora durante a maior parte de sua vida terrena (cf. Lc 2, 51), não Lhe agradaremos sendo inteiramente submissos a ela por toda a vida?

Oração do Papa João Paulo II a Nossa Senhora Aparecida

Senhora Aparecida, um filho vosso que vos pertence sem reserva – totus tuus! – chamado por misterioso Desígnio da Providência a ser Vigário de Vosso Filho na terra, quer dirigir-se a Vós, neste momento.

Ele lembra com emoção, pela cor morena desta Vossa imagem, uma outra representação vossa, a Virgem Negra de Jasna Gora!

Mãe de Deus e nossa, protegei a Igreja, o Papa, os Bispos, os Sacerdotes e todo o Povo fiel; acolhei sob o vosso manto protetor os religiosos, religiosas, as famílias, as crianças, os jovens e seus educadores!

Saúde dos Enfermos e Consoladora dos Aflitos, sede conforto dos que sofrem no corpo ou na alma; sede luz dos que procuram Cristo, Redentor do Homem; a todos os homens mostrai que sois a Mãe de nossa confiança.

Rainha da Paz e Espelho da Justiça, alcançai para o mundo a paz, fazei que o Brasil tenha paz duradoura, que os homens convivam sempre como irmãos, como filhos de Deus!

Nossa Senhora Aparecida, abençoai este vosso Santuário e os que nele trabalham, abençoai este povo que aqui ora e canta, abençoai todos os vossos filhos, abençoai o Brasil. Amém[5].

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós!

Links relacionados: 

PADRE PAULO RICARDO. O Ano da Virgem Maria.

TODO DE MARIA. Propósitos penitenciais para o Ano Mariano.

TODO DE MARIA. Um convite para o Ano Nacional Mariano.

Referências:


[1]  SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, 139.

[2]  Idem, 73.

[3]  Idem, 75.

[4]  EDITORA NOVATERRA. O Diário do Silêncio.


Natalino Ueda é brasileiro, católico, formado em Filosofia e Teologia. Na consagração a Virgem Maria, segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort, explicado no seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, descobriu o caminho fácil, rápido, perfeito e seguro para chegar a Jesus Cristo. Desde então, ensina e escreve sobre esta devoção, o caminho “a Jesus por Maria”, que é hoje o seu maior apostolado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com