Padre Paulo Ricardo nos fala da pobreza espiritual própria dos consagrados e de como entregar nossos bens espirituais a Virgem Maria.

Devemos entregar nossos bens espirituais a Jesus, mas, como fazer isso?Padre Paulo Ricardo nos fala sobre a pobreza espiritual própria dos consagrados e ensina como entregar nossos bens espirituais a Virgem Maria. Os protestantes ficam muito escandalizados de chamarmos Maria de Nossa Senhora, porque o título de Senhor se deve dar somente a Deus. Só que a gente deve lembrar que Jesus nasceu da Virgem Maria e no início da sua vida espiritual nesta terra, os trinta anos de sua vida em Nazaré, Ele foi submisso a Maria e a José (Lc 2, 51). Se ela era aquela à qual o Senhor do universo chamava de Senhora, eu acho que posso chamá-la de Senhora. Não tem problema nenhum ser submisso a ela e a escravidão quer dizer isso. Então, todos os meu bens não são meus, é dela e isso vai fazendo com que a gente modele a nossa vida. Entenderam a docilidade, o método? Com aquele jeitinho de Mãe ela vai pedindo conversões e você vai dando passos. Essa é a questão espiritual, interna, que precisa ser vivida na consagração.

Como vivemos na prática essa entrega total, a pobreza espiritual da consagração?

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Quando você tem uma amizade, como é este amigo de Maria? A amizade não é mais sua. O amigo ou amiga que você tem é de Nossa Senhora. Se você tem seu esposo, seus filhos, eles não são mais seus, são de Maria. Você não sabe o alívio que é isso. As pessoas dizem: Padre Paulo, o senhor formou muitos padres, olha, são seus filhos. Isso dá um medo por causa da responsabilidade. Então, já não é mais meu, é da Virgem Maria. Eu tenho minha parte na responsabilidade, mas devo perguntar: como é que ela quer que eu cuide dos filhos dela? Da mesma forma, tudo que nós fazemos, inclusive a nossa vida espiritual, devemos perguntar a Maria.

Por mais que sejamos pecadores, temos nossos méritos espirituais: o jejum que eu faço, a indulgência que eu recebo, o sacrifício que eu faço, a oração que eu faço. Eu vou rezar Missa, mas esta não é mais minha, é da Virgem Maria. Então, como é que ela se dirige a seu Filho? A oração é dela. O que ela pediria? Vou rezar ao Santo Padre Pio de Pietrelcina, mas a oração não é mais minha. Por isso, devo perguntar: que é que eu vou pedir? O que Maria pediria? Você precisa ter a consciência de que a sua vida de oração já não é mais sua, é da Virgem Maria. Na oração, devemos perguntar: o que Maria pediria? Pois a oração é dela. Maria pediria para livrar de tal cruz, de tal sofrimento? Ou pediria a graça para poder carregá-la?

Dessa forma, você vai fazendo seu exame de consciência, pois a vida de oração não é mais sua, é da Virgem Maria e os méritos que você acumular já não estão à sua disposição. Porém, a consagração não altera em nada os deveres no seu estado de vida. Eu, como Padre, preciso oferecer a Missa pelas intenções que vocês pedirem. Esse é o meu dever e isso não altera. Só que quando eu celebro a Missa, tenho intenções minhas. Então, eu ofereço a Missa a Virgem Maria. Ela vai oferecer a Missa para aquilo que ela quiser. Nós tivemos, no fim do jubileu do centenário da diocese, a benção papal, que foi concedida pelo nosso Arcebispo, por um decreto da penitenciaria apostólica e nós recebemos a indulgência plenária. Eu não posso recebê-la e dizer que ofereço a tal pessoa, porque é tudo dela. Ela sabe o que fazer.

Você pode rezar pelas pessoas. O que você não pode é oferecer. Você pode dar uma sugestão: lembra do fulano. Porém, quem vai decidir é ela. Devemos colocar tudo nas mãos dela, ter essa pobreza espiritual, pois, ela sabe onde melhor usar isso tudo, ela é a nossa estrategista, ela é o general. O soldado faz o que o general manda e fica quieto. Você quer ser um estrategista, você quer mandar, mas você faz parte de um exército. Por isso, você tem que por tudo nas mãos dela, e ela quem vai fazer. Ela é quem sabe o que é melhor. Nós devemos assinar a folha em branco e colocar na mão de Deus, mas a gente fica com o pé atrás, por causa do pecado original. Então, coloca na mão da Mãe, ela sabe o que vai fazer. Ela sabe o que é melhor pra você. Siga os conselhos dela e a coisa vai funcionar.

Este é o terceiro artigo da série “Como fazer a consagração?”, retirado de palestras do Padre Paulo Ricardo no I Consagra-te de Cuiabá, em 2011. Leia também o primeiro artigo, intitulado “Qual é o segredo para a felicidade?“, e o segundo, “Como entregamos os bens materiais a Virgem Maria?


Natalino Ueda é brasileiro, católico, formado em Filosofia e Teologia. Na consagração a Virgem Maria, segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort, explicado no seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, descobriu o caminho fácil, rápido, perfeito e seguro para chegar a Jesus Cristo. Desde então, ensina e escreve sobre esta devoção, o caminho “a Jesus por Maria”, que é hoje o seu maior apostolado.

13 Comentários

  1. cledison costa nunes

    SO TENHO A H AGRADECER PELA VIDA QUE TENHO PELA
    FAMILIA E OS AMIGOS ,POIS SEMPRE COLOCO NOSSA SENHORA
    A FRENTE EM TUDO QUE VOU FAZER OBRIGADO MEU DEUS
    PELA MINHA MAE MARIA….

  2. viviannejeronimo

    gostaria de oração pelo meu retorno a Pacatuba, meu trabalho, e oração pra que Nossa Senhora cuide do meu chefe, Dr. Rodrigo.

  3. ola, quero pedir oração pra toda minha familia. amem

  4. Quero tirar uma duvida sobre a consagração. Me explique como e essa cadeiazinha que se trata no livro?

    • Natalino Ueda

      Caro Eduardo,
      Essa cadeiazinha, mencionada no Tratado, é uma corrente que é um “sinal da sua Escravidão de Amor” (TVD 236). As cadeias são um sinal, em primeiro lugar para nós mesmos, pois facilmente nos esquecemos das coisas. Elas também são um sinal exterior para os outros, o que identifica-nos e muitas vezes estas nos une espiritualmente às pessoas e, às vezes, podemos ser para elas o auxílio da Virgem Maria. Essas cadeias nos ajudam a vencer as tentações, os pecados e a não nos desviar da vontade de Deus. São Luís Maria valoriza muito aquelas pessoas que usam devotamente estas correntes: “Mas os escravos de amor sacudiram as cadeias vergonhosas da escravidão do demônio, a que o pecado original e talvez os pecados atuais os tinham reduzido. Por isso não posso deixar de louvar aqueles e aquelas que se sujeitaram voluntariamente à gloriosa escravidão de Jesus Cristo, e se gloriam, com São Paulo, de estar em cadeias por amor de Jesus Cristo (Ef 3, 1). Estas cadeias são mil vezes mais preciosas, embora de ferro e sem brilho algum, que todos os colares de ouro dos imperadores” (TVD 236). Recomenda-se o uso corrente de ferro ou outro material não precioso, como o ouro ou a prata. Esta deve ser abençoada e colocada no dia da consagração.

  5. Gostei muito,alem do Padre Paulo Ricardo,que sou fa,amo muito Nsa Sra. e costumo rezar direto a Maria passa na frente em tdas as intençoes que tenho,pois tbem acredito que so ela sabe com oferecer minhas oraçoes muitas vezes inperfeitas.Paz e Bem em Jesus e Maria.

  6. oracao por toda minha familia que maria com seu exercito proteja de todo o mal…amen

  7. Pingback: Como viver a consagração a Maria ? | Grupo de Oração São José 1

  8. Queria. Que vcs explicassem claramente , sobre poder rezar pela pessoa e nao oferecer , queria um exemplo , pois nao entendi

    • Natalino Ueda

      Cara Larissa,
      Você pode rezar na intenção de qualquer pessoa ou por qualquer situação que você queira. A única coisa que muda é que os valores das suas orações é que você não pode oferecer. Você pode rezar um terço na intenção de um amigo doente. Mas, o valor dessa oração é da Virgem Maria e ela pode usar dos valores da sua oração como bem entender. Com isso, não devemos temer, pois Nossa Senhora é Mãe e ela sabe daquilo que precisamos melhor do que nós. Por isso, não tenha medo de entregar tudo a ela, mas ao mesmo tempo você pode e deve colocar as suas intenções,as suas necessidades, pois a Virgem Maria é Mãe e cuidará de todas as coisas, especialmente quando se refere à nossa salvação e a salvação daquelas pessoas que nós lhe confiarmos. Deus te abençoe e a Virgem Maria seja sempre seu auxílio e proteção.
      Natalino,
      Blog Todo de Maria.

  9. me desculpe não entendi, se rezo por uma pessoa, mas o valor da oração é da VIRGEM MARIA?
    estou lendo o livro já pela segunda vez e agora achei estas explicações, era o que eu precisava, mas ainda preciso saber a diferença da oração e o valor da oração.

    • Natalino Ueda

      Cara Antonia,
      Quando nos consagramos a Nossa Senhora, os valores das nossas orações e boas obras pertencem ela. Nós podemos sempre colocar intenções nas nossas orações, na participação da Santa Missa, em nossos atos de caridade, mas como e quando Maria vai atender os nossos pedidos depende dela. Nossa Senhora é Mãe e sabe o que é melhor para nós. Por isso, somos chamados a entregar tudo em suas mãos maternas, nossos bens materiais e espirituais, na certeza de que ela cuidará de tudo muito melhor do que nós mesmos. Pela consagração entregamos tudo nas mãos de Maria e com isso pensamos que perdemos tudo, mas ao contrário, ganhamos tudo, pois Nossa Senhora fará tudo para o nosso bem, para a nossa salvação e para a salvação daqueles que nos são próximos. Não tenha medo de entregar tudo para a Virgem Maria, pois ela cuidará de todos os seus bens materiais e espirituais, te levará pelo caminho de Jesus Cristo, que é o caminho da salvação eterna. Nossa Senhora do Bom Sucesso, rogai por nós!

  10. Tiago Henrique Macieira de Souza

    Amigo Natalino.
    Pergunto algo que não faz parte diretamente do conteúdo desta leitura sobre consagração dos bens espirituais a Nossa Senhora.
    Mas talvez possa me esclarecer porque você muito fala sobre o livro escrito por São Luiz de Montfort.
    Pois bem, o que ele quer dizer com “mortificação dos sentidos”?

    • Natalino Ueda

      Caro Tiago,
      Esta mortificação dos sentidos é o primeiro passo buscar a semelhança de amor com Deus, ou seja, a santidade. Segundo São João da cruz, primeiramente, é necessário purificar os sentidos, através da “noite ativa dos sentidos”, com penitências e mortificações, procurando não sentir gosto ou prazer em nada que venha dos sentidos.
      O próprio São Luís Maria dá um exemplo disso no Tratado, quando fala do modo de praticar a devoção ensinada por ela na santa comunhão:
      “Lembrai-vos que, quanto mais deixardes Maria agir em vossa comunhão, mais será Jesus glorificado; e tanto mais deixareis agir Maria para Jesus, e Jesus em Maria, quanto mais profundamente vos humilhardes, e, então, os ouvireis em paz e silêncio, sem vos afligirdes para ver, degustar, nem sentir, pois, em toda parte, o justo vive da fé, e especialmente na santa comunhão que é um ato de fé: “Iustus meus ex fide vivit” (Hb 10, 38)” (TVD 273).
      Caso queira aprofundar o tema purificação dos sentidos, segue o link de um artigo sobre a purificação da inteligência, da memória e da vontade, que são os passos seguintes no caminho de santificação:
      blog.cancaonova.com/tododemaria/purificar-inteligencia-memoria-e-vontade/
      Deus te abençoe e a Virgem Maria te guarde.
      Natalino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com