Nossa Senhora de Lourdes nos transmite uma mensagem significativa, especialmente para esta Quaresma.

Neste ano de 2016, é muito significativo que a festa de Nossa Senhora de Lourdes, celebrada em 11 de Fevereiro, seja no dia seguinte à Quarta-feira de Cinzas, já no tempo Quaresmal. Pois, nessas aparições da Virgem Maria, que se revelou a Imaculada Conceição a Santa Bernadette Soubirous, suas mensagens têm tudo a ver com a Quaresma. Dentre estas, três pedidos que Nossa Senhora transmitiu a Bernadette fazem parte da essência das aparições e assumem particular importância neste tempo: a conversão, a oração e a penitência pelos pecadores.

Nossa Senhora de Lourdes nos transmite uma mensagem significativa, especialmente para esta Quaresma.

Imagem de Nossa Senhora de Lourdes na gruta de Massabielle

Em 2008, na celebração do 150º aniversário das aparições de Lourdes, o então Papa Bento XVI no recordava esta verdade, que nos coloca no itinerário quaresmal: “Seguindo o percurso jubilar na esteira de Bernadette, é nos lembrado o essencial da mensagem de Lourdes. Bernadette é a filha maior de uma família muito pobre, que não possui ciência nem poder, e é frágil de saúde. Maria escolhe-a para transmitir a sua mensagem de conversão, oração e penitência, em plena sintonia com a palavra de Jesus: ‘Escondeste estas coisas aos sábios e aos entendidos e as revelaste aos pequeninos’12.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Lourdes e o chamado de Nossa Senhora à conversão

Uma das palavras que ecoam das aparições de Nossa Senhora em Lourdes, na França, é a “conversão”. Por isso, celebrar as aparições de Lourdes nesta Quaresma se torna bastante significativo. De fato, a Virgem Maria não somente pediu orações e penitências pela conversão dos pecadores, mas também aconteceram muitas conversões a partir das aparições.

O Padre Peyramale, pároco de Lourdes, preocupava-se muito com os acontecimentos sobrenaturais e o pedido de procissões até o lugar das aparições, mas à cada dia ele se convencia da veracidade das aparições. O Pároco se preguntava que vento era aquele que atingia Lourdes. Era um vento de loucura ou um vento de Pentecostes? Para ele, era difícil discernir o que acontecia nas as almas dos fiéis. No entanto, “a impressão que dia a dia se impunha ao Pároco de Lourdes era que a árvore dava bons frutos: oração, fervor, conversões. Era um fato que estes frutos se confirmavam e multiplicavam”3.

Em Lourdes, compreendemos que “conversão é o termo que expressa de forma mais específica o significado de peregrinação. Mais que uma terra de milagres, Lourdes é uma terra de conversões”4. Se as curas físicas são numerosíssimas em Lourdes, muitos mais numerosas ainda foram, e continuam a ser, as conversões na gruta de Massabielle, a partir das peregrinações. Naquele Santuário, “o amor materno da Virgem Maria desarma toda a forma de orgulho; torna o homem capaz de se olhar como é, e inspira-lhe o desejo de se converter para dar glória a Deus”5. Dessa forma, com os corações mais abertos à graça, aconteciam, e acontecem ainda hoje, numerosas conversões de peregrinos em Lourdes.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre “A impressionante história de Nossa Senhora de Lourdes”:

Lourdes e o apelo da Virgem Maria à oração

As numerosas conversões em Lourdes são frutos principalmente das orações e penitências que Nossa Senhora pediu que se fizesse pelos pecadores. Todos precisamos de oração, pois o pecador mais próximo de nós somos nós mesmos. Se as curas corporais são a exceção, a cura da alma está aberta a todos, a cada um de nós segundo o estágio da vida espiritual, “já que a vida cristã é feita de sucessivas e progressivas conversões, a partir da primeira, que normalmente coincide com o Batismo”6.

Santa Bernadette, obediente a Maria Santíssima, se colocava de joelhos publicamente e rezava pelos pecadores. Sua oração tem muito a dizer para nós nesse tempo Quaresmal, pois tinha duas características fundamentais: a humildade e a pobreza. Estas não eram simplesmente virtudes devidas à sua condição economicamente difícil, por vezes reduzida quase à miséria. Mas, dizem respeito de modo particular à humildade e à pobreza de coração, com as quais rezava insistentemente pelos pecadores e, por isso, suas orações eram muito agradáveis a Deus. A pobreza de Bernadette também se fazia presente nas palavras com as quais rezava. A única oração que conhecia e estava familiarizada era o Rosário. Além disso, “nas horas tranquilas e nas horas difíceis, repetia com agrado umas frases em francês cujo sentido se lhe escapava, porém que lhe bastavam para unir-se a uma presença [de Deus] intuída”7. Na vida desta Santa, a Palavra do Senhor, segundo a qual “Deus resiste aos soberbos, mas dá sua graça aos humildes”8, se cumpre extraordinariamente.

A gruta de Massabielle “tornou-se, assim, a sede de uma admirável escola de oração, onde Maria ensina a todos a contemplar com um fervoroso amor o rosto de Cristo”9. Esta escola de oração tem como marcas fundamentais a humildade e a pobreza, que também devem marcar profundamente a nossa oração, especialmente na Quaresma. Dessa forma, aprendemos que o Rosário e algumas palavras simples, humildes, talvez pobres de significado aos ouvidos dos homens, podem ser muito mais eficazes, e agradáveis a Deus, que longas e complicadas orações.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre a “Oração de joelhos”:

Lourdes e o pedido insistente da Imaculada à penitência

A penitência que foi pedida por Nossa Senhora em Lourdes está intimamente ligada com a oração, pois ambas tinham como intenção a conversão dos pecadores. Em uma de suas aparições, a Virgem Maria pediu a Bernadette que “se ajoelhasse e beijasse o solo como penitência pelos pecadores”10. Também como penitência, Nossa Senhora pediu a Santa que comesse ervas do chão, que bebesse e se lavasse na gruta, em sinal de penitência, porém lá não havia água. Depois de relutar um pouco, ela começou a cavar onde a Virgem Santíssima lhe pediu e a água começou a jorrar milagrosamente do solo. Apesar de tantas humilhações, Bernadette não se lamentava, senão por demorar em obedecer.

Ao ser questionada se não se incomodava de que a estavam chamando de louca, Bernadette, impregnada de uma doce tristeza, apenas dizia: “pelos pecadores”. A Santa compreendera, no fundo de seu coração, que “no mundo só havia uma coisa verdadeiramente triste: o pecado”11. Por isso passou a fazer as penitências que lhe eram pedidas pela Virgem Santíssima sem inquietação ou hesitação alguma.

Certa vez, quando já estava próxima da Gruta, Bernadette começou a caminhar de joelhos, com agilidade e rapidez espantosas. A Santa caminhava “de joelhos como se o fizesse sobre os pés. De vez em quando beijava o solo”12. A isto, uma mulher protestou em alta voz: “quando vai acabar esta comédia?”13 Sem se importar com essa reação, Bernadette murmurou baixinho, tanto que quase não se podia ouvir, como num eco, três vezes a mesma palavra: “penitência, penitência, penitência”14. Esta palavra deve também ecoar em nosso coração, especialmente nesta Quaresma. Dessa forma, a nossa penitência produzirá frutos abundantes de conversão, não somente em nós, mas em muitos outros pecadores, como tem acontecido em Lourdes.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre “A Penitência Quaresmal”:

A mensagem de Lourdes: auxílio no caminho de conversão

Nesta Quaresma, a mensagem de Nossa Senhora em Lourdes será para nós um poderoso auxílio em nosso caminho de conversão, de mudança de vida, se a acolhermos no fundo de nosso coração, como fez Bernadette. Que à semelhança dela, sejamos impregnados de uma doce e santa tristeza pela única coisa triste deste mundo: o pecado. Assim, desejemos ardentemente a conversão dos pecadores, dos quais o mais próximo somos nós mesmos.

Com este profundo desejo de conversão, mergulhemos numa vida de oração simples, humilde, pobre, mas, ao mesmo tempo, agradável a Deus. Tomemos o Rosário como nosso companheiro de todos os dias. Ademais, procuremos nos colocar diante de Deus a todo momento, com palavras simples, humildes, que inspiradas por Deus brotarem do fundo do coração. Peçamos insistentemente, em nossas orações, pela conversão dos pecadores, pois esta é a maior obra que Nossa Senhora quis e quer realizar em Lourdes e em todo mundo, mas principalmente em cada um de nós.

Por fim, a penitência está intimamente ligada à oração e ambas tem o mesmo fim: a conversão dos pecadores. Por isso, façamos de nossa penitência quaresmal um exercício docemente triste, por causa do pecado, mas, ao mesmo tempo alegre, por que temos como fim a conversão dos pecadores. Não tenhamos vergonha de fazer penitências, que por vezes podem escandalizar as pessoas, como aconteceu em Lourdes. Pois, como disse Bernadette, a única coisa verdadeiramente triste, e que deve nos envergonhar, é o pecado.

Natalino Ueda, servo de Jesus por Maria.

Oração de São João Paulo II em Lourdes

“Ave Maria, Mulher pobre e humilde, abençoada do Altíssimo!

Virgem da esperança, profecia dos novos tempos, nós nos associamos ao teu hino de louvor para celebrar as misericórdias do Senhor, para anunciar a vinda do Reino e a libertação integral do homem.

Ave Maria, humilde serva do Senhor, gloriosa Mãe de Cristo!

Virgem fiel, santa morada do Verbo, ensina-nos a perseverar na escuta da Palavra, a ser dóceis à voz do Espírito, atentos aos seus apelos na intimidade da nossa consciência e às suas manifestações nos acontecimentos da história.

Ave Maria, Mulher da dor, Mãe dos viventes!

Virgem esposa junto da cruz, nova Eva, sê nossa guia pelos caminhos do mundo, ensina-nos a viver e a propagar o amor de Cristo, ensina-nos a permanecer contigo, junto das numerosas cruzes nas quais teu Filho ainda é crucificado.

Ave Maria, Mulher de fé, primeira entre os discípulos!

Virgem, Mãe da Igreja, ajuda-nos a dizer sempre a razão da esperança que nos anima, tendo confiança na bondade do homem e no amor do Pai. Ensina-nos a construir o mundo a partir do interior: na profundidade do silêncio e da oração, da alegria do amor fraterno, na fecundidade insubstituível da Cruz.

Santa Maria, mãe dos crentes, Nossa Senhora de Lourdes, intercede por nós. Amém”15.

Links relacionados:

PADRE PAULO RICARDO. Conversão e a luta contra o pecado.

PADRE PAULO RICARDO. Formas de penitência e suas razões.

TODO DE MARIA. A Quaresma contemplada com a Virgem Maria.

Referências:

1 Mt 11, 25.

4 Idem, p. 279.

6 RENÉ LAURENTIN. Op. cit., p. 279.

7 Idem, p. 25.

8 Tg 4, 6; cf. Pr 3, 34.

10 RENÉ LAURENTIN. Op. cit., p. 126.

11 Idem, p. 137.

12 Idem, p. 131.

13 Idem, ibidem.

14 Idem, p. 132.

15 PAPA JOÃO PAULO II. Op. cit.

1 comentário

  1. Nossa Senhora de Lurdes, cubra os meus filhos Isabela e Arielson e esposo libertando de todos tipos de drogas e de todo mal do mundo. Passa na frente de um trabalho para o meu filho Arielson que está precisando. Nossa confiança está no nosso Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com