Nas aparições de Fátima, Nossa Senhora confiou aos pastorinhos uma mensagem que permanece mais que atual para os nossos dias.

No ano de 1917, Nossa Senhora apareceu em Fátima, Portugal, a três crianças: Lúcia, Francisco e Jacinta, para revelar ao mundo uma mensagem muito significativa para aquele tempo, no qual o Nazismo e o Comunismo ameaçavam dominar o mundo. Entretanto, como previu a Virgem Mãe de Deus, a sua mensagem não perdeu a sua importância até os dias de hoje. Em seu livro “Luz do mundo”, o Papa Emérito Bento XVI explica que a mensagem de Fátima nos ajuda a “entender um momento crítico na história: aquele no qual se desencadeia toda a força do mal, que se cristalizou nas grandes ditaduras e que, de outra maneira age ainda hoje”1. Estas duas grandes ditaduras, o Nazismo e o Comunismo, que juntas mataram centenas de milhões de pessoas, devastaram a Europa e a Ásia, deixando um rastro de morte e destruição até então inimaginável. Depois da aparente queda das ditaduras, estas espalharam seus erros por todo mundo, como profetizou a Virgem de Fátima.

Nas aparições de Fátima, Nossa Senhora confiou aos pastorinhos uma mensagem que permanece mais que atual para os nossos dias.

Imagen de Nossa Senhora do Rosário de Fátima

O Papa Bento XVI, de maneira muito lúcida e clara, diz que a resposta desafiadora a todos esses erros “não consiste em grandes ações políticas, mas ultimamente pode chegar somente da transformação dos corações. […] Neste sentido, a mensagem de Fátima não está concluída, mesmo que as duas grandes ditaduras tenham desaparecido”2. Mais do que nunca na história da humanidade, permanece o sofrimento da Igreja, de tantos católicos e outros cristãos perseguidos. Em muitos países, por todo o mundo, se faz presente a ameaça às pessoas, às famílias e à sociedade como um todo, não somente através da perseguição, da violência, da escravidão, da morte, como vemos principalmente no mundo islâmico e nos países comunistas, mas também através das ideologias: o relativismo, o feminismo, a ideologia de gênero, a cultura de morte e tantos outros erros, como as drogas, a imoralidade, a prostituição, a violência, que corrompem as culturas, as sociedades e as famílias por todo o mundo.

Diante de todos esses males, a Mensagem de Fátima se mantém atual, não somente como previsão, mas também como resposta que nos foi dada pelos Céus. As orientações que Nossa Senhora nos deu, através de Lúcia, Francisco e Jacinta, permanecem surpreendentemente válidas até hoje. Como profetizou a Virgem Maria, nossos dias estão marcados por grandes e dolorosas tribulações e perseguições. Hoje, o poder das trevas, presente nos regimes totalitários e nas ideologias, ameaça pisotear a nossa fé de todas as formas possíveis. Por isso, atualmente, como outrora, são mais que necessários os ensinamentos que a Senhora do Rosário transmitiu para a Igreja, por meio dos três pastorinhos.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

A mensagem de Fátima e a penitência pela salvação dos pecadores

Em 13 de Julho de 1917, Nossa Senhora concedeu aos pastorinhos uma experiência que marcou as suas vidas para sempre. O acontecimento foi registrado na carta que ficou conhecida como “o terceiro segredo de Fátima”. As três crianças tiveram uma visão extraordinária, que nos ajuda a compreender a importância da penitência especialmente para o nosso tempo. Na documentação de Fátima, a Irmã Lúcia descreve o que os três viram naquela ocasião:

…vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fogo na mão esquerda; ao cintilar, despendia chamas que parecia iam incendiar o mundo; mas apagavam-se com o contato do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro: O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência!3

A palavra penitência aparece, nada mais nada menos que, 57 vezes na “Documentação Crítica de Fátima”. Em suas aparições, a Virgem do Rosário recomendou insistentemente que todos fizessem penitência, inclusive as três crianças, videntes das aparições. Na época, Lúcia tinha dez anos de idade, Francisco, nove e Jacinta, sete. Estas três crianças fizeram duras penitências, principalmente pela conversão e salvação dos pecadores.

Entre as penitências que Nossa Senhora de Fátima pediu, tem particular importância os sacrifícios. A palavra sacrifício aparece por 38 vezes na Documentação das aparições, e também é muito importante para compreender a Mensagem de Fátima. Na 4ª aparição, no dia 19 de Agosto de 1917, Nossa Senhora deu uma ordem expressa aos pastorinhos: “Rezai, rezai muito, e fazei sacrifícios pelos pecadores”, dizia ela, pois “muitas almas vão para o Inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas”4. O sacrifício é um dos meios que a Mãe de Deus nos revelou para afastar os males do mundo.

Alguns sacrifícios foram ensinados aos três pastorinhos pela própria Virgem Maria: rezar de joelhos, fazer jejuns e abstinências. No entanto, outras práticas foram as três crianças que tiveram a inspiração, como aconteceu certa vez, quando encontraram uma corda áspera no caminho por onde passavam. Os pastorinhos tomaram a corda e repartiram para usar na cintura como um cilício5, dia e noite. Nossa Senhora aprovou a prática durante um tempo, mas depois pediu que usassem somente durante o dia.

Nas aparições de Fátima, Nossa Senhora confiou aos pastorinhos uma mensagem que permanece mais que atual para os nossos dias.

Os três pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta.

Nossa Senhora e o Santo Rosário pela salvação das almas

O Rosário da Virgem Maria tem particular importância na mensagem de Fátima. O próprio título com o qual a Mãe de Jesus se apresentou revela a grande importância desta oração mariana para a Igreja, especialmente em nosso tempo. Em Fátima, Nossa Senhora apresentou-se aos três pastorinhos sob o título de “Senhora do Rosário”. Este nome aparece por 121 vezes na Documentação oficial das aparições. O termo “Rosário” aparece por 282 vezes, e o nome “Nossa Senhora do Rosário” tem 51 ocorrências no Documento.

A devoção a Nossa Senhora do Rosário começou a crescer muito depois da construção de uma capela dedicada e ela na Cova da Iria, local das aparições, como foi o desejo da própria Virgem. Com a crescente peregrinação dos fiéis à chamada “Capelinha das Aparições”, e pelo desejo manifesto dos peregrinos, foi construída a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que posteriormente foi elevada a Santuário.

Nossa Senhora do Rosário de Fátima pediu que Lúcia, Francisco e Jacinta rezassem o Terço mariano, em primeiro lugar pelos próprios pecados, mas também e principalmente pela salvação dos pecadores. Nossa Senhora pediu insistentemente que os três pastorinhos rezassem o Santo Rosário, de modo particular, pela salvação das almas da condenação eterna no Inferno. A princípio, Lúcia, Francisco e Jacinta não levaram tão a sério o pedido da Santíssima Virgem. Os três rezavam rapidamente para ter mais tempo para as brincadeiras comuns às crianças da idade delas. No entanto, depois de algum tempo, passaram a rezar com grande fervor o Santo Terço. Pois, compreenderam a grande importância do Santo Rosário para a salvação das almas.

O desagravo dos pecados contra o Imaculado Coração da Virgem Maria

Em 13 de junho de 1917, na segunda de suas aparições em Fátima, Nossa Senhora confiou uma missão especial a Irmã Lúcia, justamente no dia no qual ela pediu para levar os três para o Céu:

…a Santíssima Virgem respondeu: sim a Jacinta e o Francisco levo-os em breve, mas tu ficas cá mais algum tempo; Jesus quer servir-se de ti para me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração; a quem a abraçar prometo a salvação e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por mim a adornar o seu trono. Fico cá sozinha?, disse com tristeza. Não, filha, Eu nunca te deixarei, o meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus6.

Depois de ouvir estas palavras, os três pastorinhos viram Nossa Senhora com um coração na mão, cercado de espinhos. Lúcia, Francisco e Jacinta compreenderam que aquele era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que necessitava de reparação. No dia 13 de julho de 1917, Nossa Senhora repetiu as mesmas palavras da aparição anterior e disse que voltaria para pedir a devoção reparadora dos primeiros sábados. Conforme a sua promessa, sete anos depois, no dia 10 de dezembro de 1925, em Pontevedra, na Espanha, a Virgem Maria revelou a Irmã Lúcia, então postulante no Instituto de Santa Doroteia, a devoção reparadora dos cinco primeiros sábados. A princípio, a Irmã ficou perplexa e não quis expor o fato nem mesmo às pessoas mais próximas. Somente em dezembro de 1927, por ordem de seu confessor, Lúcia escreveu as palavras que lhe dirigiu a Santíssima Virgem na aparição:

Olha, minha filha, o Meu Coração cercado de espinhos, que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam com blasfêmias e ingratidões. Tu, ao menos, vê de Me consolar, e dize que todos aqueles que durante cinco meses, no primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço, e Me fizerem quinze minutos de companhia, meditando nos quinze mistérios do Rosário, com o fim de me desagravar, Eu prometo assistir-lhes, na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas7.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo com o tema “Em que consiste a devoção dos cinco primeiros sábados do mês em honra à Virgem de Fátima?”:

A mensagem de Fátima e o remédio contra os males do nosso tempo

Portanto, a mensagem de Nossa Senhora de Fátima, que teve grande importância naquele momento histórico, quase cem anos depois, mantém-se mais atual. Nos dias de hoje, mais do que naquele tempo, as penitências e sacrifícios são remédios eficazes contra o mal da busca desenfreada pelo dinheiro, pelo prazer, pelo poder. O Santo Rosário é uma “arma” contra o poder dos demônios. E a devoção dos primeiros sábados, em reparação das ofensas contra o Imaculado Coração de Maria, é o caminho seguro para salvar muitas almas do Inferno e levá-las para o Reino dos Céus.

Mais do que nunca, as grandes ditaduras continuam agindo em nossos dias, através das ideologias, das falsas religiões, das lutas pelo poder e pelas riquezas. Estas ameaçam as famílias, as sociedades, as nações, o mundo inteiro. Em Fátima, a resposta que nos é dada pela Virgem Maria para vencer os poderes das trevas presentes no mundo não consiste em grandes ações políticas, mas na transformação dos corações, através da penitência e do sacrifício, da oração do Santo Rosário e da devoção ao Imaculado Coração de Maria.

Se ouvirmos os apelos de Nossa Senhora e formos obedientes, veremos no Brasil e em todo o mundo, aquilo que o Papa Bento XVI presenciou na sua visita ao local das aparições: “Em Fátima, vi centenas de milhares de pessoas que, através daquilo que Maria havia confiado a crianças, neste mundo cheio de obstáculos e fechamentos, reencontram de algum modo o acesso a Deus”8. Este encontro dos filhos de Maria com o Senhor será o grande triunfo profetizado pela Santíssima Virgem: “por fim o meu Imaculado Coração triunfará”9.

Oração do Papa João Paulo II ao Imaculado Coração da Virgem Maria

Confiando-Vos, ó Mãe, o mundo, todos os homens e todos os povos, nós Vos confiamos também a própria consagração em favor do mundo, depositando-a no Vosso Coração materno.

Oh, Coração Imaculado! Ajudai-nos a vencer a ameaça do mal que tão facilmente se enraíza nos corações dos homens de hoje e que, nos seus efeitos incomensuráveis, pesa já sobre a nossa época e parece fechar os caminhos do futuro!

Da fome e da guerra, livrai-nos!

Da guerra nuclear, de uma autodestruição incalculável e de toda espécie de guerra, livrai-nos!

Dos pecados contra a vida do homem desde os seus primeiros instantes, livrai-nos!

Do ódio e do aviltamento da dignidade dos filhos de Deus, livrai-nos!

De todo o gênero de injustiça na vida social, nacional e internacional, livrai-nos!

Da facilidade em calcar aos pés os mandamentos de Deus, livrai-nos!

Dos pecados contra o Espírito Santo, livrai-nos, livrai-nos!

Acolhei, ó Mãe de Cristo, este clamor carregado do sofrimento de todos os homens!

Carregado do sofrimento de sociedades inteiras!

Que se revele, uma vez mais, na história do mundo, a força infinita do Amor misericordioso!

Que ele detenha o mal! Que ele transforme as consciências!

Que se manifeste para todos, no Vosso Coração Imaculado, a luz da Esperança!

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, rogai por nós!

Natalino Ueda, escravo inútil de Jesus por Maria.

Links relacionados:

TODO DE MARIA. Nossa Senhora e o apelo à penitência.

TODO DE MARIA. A atenção e a devoção na oração do Rosário.

TODO DE MARIA. A devoção dios cincio primeiros sábados.

Referências e notas:

2 Idem, ibidem.

3 CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ. A mensagem de Fátima.

5 “O cilício é um objeto que se utiliza para incomodar a pele, podendo ser constituído por tecidos ásperos, sacos de estopa ou mesmo pequenos ferros que, longe de perfurar a pele, causam certo incômodo, sendo eficazes na mortificação do sentido do tato”. PADRE PAULO RICARDO. A Igreja ainda aprova o uso do cilício?

7 Idem, ibidem.

8 PAPA BENTO XVI. Op. cit., p. 196.

9 CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ. Op. cit.


Natalino Ueda é brasileiro, católico, formado em Filosofia e Teologia. Na consagração a Virgem Maria, segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort, explicado no seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, descobriu o caminho fácil, rápido, perfeito e seguro para chegar a Jesus Cristo. Desde então, ensina e escreve sobre esta devoção, o caminho “a Jesus por Maria”, que é hoje o seu maior apostolado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com