Conheçamos e rezemos o Rosário meditado de São Luiz Maria Grignion de Montfort, grande apóstolo de Nossa Senhora.

São Luiz Maria Grignion de Montfort, grande mestre da espiritualidade mariana, nos ensina a importância da meditação do Santo Rosário e como praticar esta valorosa devoção: “O Rosário constitui-se de duas realidades: a oração mental e a oração vocal. No Rosário, a oração mental é nada mais que uma meditação sobre os principais mistérios da vida, morte e glória de Jesus Cristo e de Sua Santíssima Mãe”1. A oração vocal consiste em rezarmos quinze dezenas de Ave-Marias, cada dezena precedida por um Pai-Nosso, enquanto que, ao mesmo tempo, meditamos e contemplamos as quinze virtudes principais que Jesus e Maria praticaram, nos quinze mistérios do Santo Rosário2:

Nas cinco primeiras dezenas nós devemos honrar Jesus e Maria nos cincos Mistérios Gozosos e meditá-los; nas segundas cinco dezenas os Mistérios Dolorosos e no terceiro grupo de cinco, os Mistérios Gloriosos. Assim, o Rosário torna-se uma mistura bendita de oração mental e vocal pela qual honramos e aprendemos a imitar os mistérios e as virtudes da vida, paixão, morte e glória de Jesus e Maria3.

Conheçamos e rezemos o Rosário meditado de São Luiz Maria Grignion de Montfort, grande apóstolo de Nossa Senhora.

São Luiz Maria Grignion de Montfort

A respeito da oração vocal e mental, o que a Santíssima Virgem disse ao Beato Alano de La Roche nos ajuda a compreender a importância da meditação dos mistério do Rosário da Virgem Maria:

Quando os fiéis rezem as cento e cinquenta Ave-Marias e os e os quinze Pai-Nossos, muito me agradam e esta devoção é eficaz para se obter graças. Mas a eficácia aumenta muito mais e me agradarão mais ainda se, enquanto se rezar, meditar na Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, pois a meditação é a alma desta devoção4.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

O Rosário meditado de São Luiz Maria Grignion de Montfort

Tendo em vista a importância da meditação do Santo Rosário, aprendamos o Rosário meditado com São Luís Maria. Descubramos como este grande mestre de espiritualidade mariana a rezar e meditar com grande fervor e devoção esta oração mariana e, ao mesmo tempo, cristocêntrica, ou seja, que tem Cristo como centro:

No início, fazemos o sinal da cruz: em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Rezamos três vezes o “Creio”:

1º Para professar a nossa fé na presença de Deus;

2º Para professar a nossa fé no Evangelho;

3º Para professar a nossa fé e obediência ao Papa como Vigário de Jesus Cristo.

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos a unidade de um só Deus vivo e verdadeiro.

Reza-se três Ave-Marias:

1ª Em honra do Pai Eterno, que engendra [gera] seu Filho contemplando-Se;

2ª Em honra do Verbo Eterno, igual ao Pai, que com Ele produz o Espírito Santo;

3ª Em honra do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho por via de amor.

Mistérios Gozosos

1º Mistério: contemplamos a Anunciação da Encarnação do Verbo

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a imensa caridade de Deus.

Rezamos a Ave-Maria para lamentar:

1. O desgraçado [privado da graça] estado de Adão desobediente, sua justa condenação e a de todos os seus filhos.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

2. Os desejos dos Patriarcas e dos Profetas que pediam o Messias;

3. Os desejos e as preces da Santíssima Virgem, que apressaram a vinda do Messias;

4. A caridade do Padre Eterno, que nos deu seu Divino Filho;

5. O amor do Filho, que Se entregou por nós;

6. A embaixada [Anunciação] e a saudação do Arcanjo São Gabriel;

7. O temor virginal de Maria;

8. A fé e o consentimento da Santíssima Virgem;

9. A criação da Alma e a formação do Corpo de Jesus Cristo no seio de Maria, pelo Espírito Santo;

10. A adoração do Verbo Encarnado, pelos anjos, no seio de Maria.

2° Mistério: contemplamos a Visitação da Santíssima Virgem a Santa Isabel

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos na adorável majestade de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. O gozo do Coração de Maria e a morada, durante nove meses, do Verbo em seu seio;

2. O sacrifício que Jesus Cristo fez de Si mesmo ao Pai, ao entrar neste mundo;

3. As complacências de Jesus no seio humilde e virginal de Maria, e de Nossa Senhora, no gozo de seu Deus;

4. A dúvida de São José acerca da maternidade de Maria;

5. A eleição dos escolhidos, combinada entre Jesus e Maria, em seu seio;

6. O fervor de Maria na visita a Santa Isabel;

7. A saudação de Maria e a santificação de São João Batista e de sua mãe, Santa Isabel;

8. A gratidão da Santíssima Virgem para com Deus, no Magnificat;

9. A sua caridade e humildade em servir sua prima;

10. A mútua dependência de Jesus e de Maria, e a que devemos ter para com Ele e com Ela.

3° Mistério: contemplamos o Nascimento de Jesus Cristo, Deus feito homem

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos a infinita riqueza de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. Os desprezos e as injúrias feitas a Maria e a São José, em Belém;

2. A pobreza do estábulo onde Deus veio ao mundo;

3. A alta contemplação e o excessivo amor de Maria no momento de dar à luz;

4. A saída do Verbo Eterno do seio de Maria sem romper o selo de sua virgindade;

5. As adorações e cânticos dos anjos no Nascimento de Jesus;

6. A formosura arrebatadora de sua divina infância;

7. A vinda dos pastores ao estábulo, com seus presentes;

8. A circuncisão de Jesus Cristo e suas dores amorosas;

9. A imposição do Nome de Jesus e suas grandezas;

10. A adoração dos Reis Magos e seus presentes.

4° Mistério: contemplamos a Apresentação de Jesus e a Purificação da Virgem Maria

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a sabedoria eterna de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A obediência de Jesus e de Maria à Lei;

2. O sacrifício que ali fez Jesus de sua Humanidade;

3. O sacrifício que ali fez Maria de sua honra;

4. O gozo e os cânticos de Simeão e de Ana, a Profetisa;

5. O resgate de Jesus pela oferenda de duas rolas;

6. A matança dos Santos Inocentes;

7. A fuga de Jesus para o Egito, pela obediência de São José à voz do Anjo;

8. A estadia misteriosa no Egito;

9. A sua volta, para Nazaré;

10. Seu crescimento em idade e sabedoria.

5º Mistério: contemplamos a perda e o encontro de Jesus no Templo de Jerusalém

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos na incompreensível santidade de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. Sua vida oculta, laboriosa e obediente na casa de Nazaré;

2. Sua pregação e encontro no Templo entre os doutores;

3. Seu jejum e tentações no deserto;

4. Seu batismo por São João Batista;

5. Sua pregação admirável;

6. Seus milagres portentosos;

7. A eleição de seus doze Apóstolos e os poderes que lhes dá;

8. Sua transfiguração maravilhosa;

9. O lava-pés dos Apóstolos;

10. A instituição da Sagrada Eucaristia.

Mistérios Dolorosos

1º Mistério: contemplamos a agonia de Jesus no horto das Oliveiras

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a essencial felicidade de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. Os divinos retiros que fez Jesus em sua vida, principalmente no Horto;

2. Suas orações humildes e fervorosas durante sua vida e na véspera da Paixão;

3. A paciência e doçura com que suportou seus Apóstolos, particularmente no Horto;

4. O tédio de sua Alma, durante toda sua vida, principalmente no Horto;

5. Os rios de Sangue que a dor fez brotar de seu ser adorável;

6. O consolo que houve por bem aceitar, de um anjo, na Agonia;

7. Sua conformidade com a vontade do Pai, apesar das repugnâncias da natureza;

8. Sua traição por Judas e prisão pelos judeus;

9. O valor com que saiu ao encontro dos algozes, e a força da palavra com que os lançou por terra e os levantou;

10. O abandono que sofreu de seus Apóstolos.

2º Mistério: contemplamos a flagelação de Jesus atado à coluna

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a admirável paciência de Deus.

Rezamos as Ave Marias para honrar:

1. As cordas com que Jesus foi atado;

2. A bofetada que recebeu em casa de Caifás;

3. As negações de São Pedro;

4. As ignomínias que sofreu em casa de Herodes quando Lhe puseram a veste branca;

5. O despojamento de suas vestes;

6. Os desprezos e insultos que sofreu, de seus verdugos, pela sua nudez;

7. As varas espinhosas e os açoites cruéis com que foi golpeado;

8. A coluna a que foi atado;

9. O sangue que derramou e as chagas que recebeu;

10. Sua queda pela fraqueza, pelo Sangue que derramou;

3° Mistério: contemplamos a coroação de espinhos de Jesus

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos a respeito da inefável formosura de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. O despojamento de suas vestes pela terceira vez;

2. Sua coroa de espinhos;

3. O véu com que Lhe vendaram os olhos;

4. As bofetadas e escarros com que Lhe cobriram o rosto;

5. O andrajo [trapo velho] que Lhe puseram sobre os ombros;

6. A cana que Lhe puseram nas mãos;

7. A pedra pontiaguda sobre a qual O sentaram;

8. Os ultrajes e insultos que Lhe fizeram;

9. O Sangue e os suores que saíam de sua cabeça adorável;

10. Os cabelos e a barba que Lhe arrancaram.

4° Mistério: contemplamos Jesus carregando a pesada cruz na subida do monte Calvário

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a onipotência de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A apresentação de Nosso Senhor diante do povo com o “Ecce Homo” [eis o Homem];

2. O haver sido preferido a Ele, Barrabás;

3. Os falsos testemunhos que contra Ele deram;

4. Sua condenação à morte;

5. O amor com que abraçou e beijou a Cruz;

6. O trabalho espantoso que teve em carregá-la;

7. As quedas de pura debilidade sob seu peso;

8. O Encontro doloroso com sua Santa Mãe;

9. O véu da Verônica, no qual seu rosto se estampou;

10. Suas lágrimas, as de sua Santa Mãe e das piedosas mulheres que O seguiam até o Calvário.

5° Mistério: contemplamos a crucifixão de morte de Jesus Cristo

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos na espantosa justiça de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. As cinco chagas de Jesus e o Sangue que derramou na Cruz;

2. Seu Coração transpassado e a Cruz em que foi crucificado;

3. Os cravos e a lança que O atravessaram, a esponja, o fel e o vinagre que Lhe deram a beber;

4. A vergonha e a infâmia que sofreu, sendo crucificado nu entre dois ladrões;

5. A compaixão de sua Mãe Santíssima;

6. Suas sete últimas palavras;

7. Seu desamparo e seu silêncio;

8. A aflição de todo o universo;

9. Sua morte cruel e ignominiosa;

10. A descida da Cruz e sepultamento.

Mistérios Gloriosos

1º Mistério: contemplamos a Ressurreição de Jesus Cristo

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos quanto a eternidade sem princípio de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A descida da Alma de Nosso Senhor aos Infernos;

2. O gozo e a saída das almas dos Santos Padres que estavam no Limbo [mansão dos mortos];

3. A reunião de sua Alma e de seu Corpo no Sepulcro;

4. Sua milagrosa saída do Sepulcro;

5. Suas vitórias sobre a morte, o pecado, o mundo e o demônio;

6. Os quatro dons gloriosos de seu Corpo5;

7. O poder que Lhe deu seu Pai no Céu e na Terra;

8. As aparições com que honrou sua Santa Mãe;

9. As conversações sobre o Céu e a Ceia que fez com os Apóstolos;

10. A autoridade e missão que lhes deu, para que fossem pregar por toda a Terra.

2° Mistério: contemplamos a Ascensão de Jesus Cristo aos Céus

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a imensidade sem limites de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A promessa que Jesus fez aos Apóstolos de lhes enviar o Espírito Santo, e a ordem que lhes deu de se prepararem para O receber;

2. A reunião no Monte das Oliveiras;

3. A bênção que lhes deu ao Se elevar da Terra aos Céus;

4. Sua gloriosa e admirável ascensão por sua própria virtude até o Céu Empíreo;

5. O recebimento e o triunfo que Lhe fez Deus, seu Pai, e toda a corte celestial;

6. O poder triunfante com que abriu as portas do Céu, onde nenhum mortal havia entrado;

7. Seu assento à direita do Pai, como seu Filho querido, igual a Ele mesmo;

8. O poder que Lhe deu de julgar os vivos e os mortos;

9. Sua última vinda sobre a Terra, na qual seu poder e majestade aparecerão em todo o seu esplendor;

10. A justiça queimará no último Juízo, recompensando os bons e castigando os maus por toda a eternidade.

3º Mistério: contemplamos a vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos

Rezamos o Pai-Nosso: meditando a respeito da providência universal de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A verdade do Espírito Santo, Deus que procede do Pai e do Filho, e que é o Coração da Divindade;

2. O dom do Espírito Santo pelo Pai e pelo Filho sobre os Apóstolos;

3. O grande estrondo com que desceu, sinal de sua força e seu poder;

4. As línguas de fogo que enviou sobre os Apóstolos, para dar-lhes a inteligência das Escrituras, o amor de Deus e do próximo;

5. A plenitude de graças com que distinguiu a Maria, sua fiel esposa;

6. Sua conduta maravilhosa, com os santos e com o próprio Jesus Cristo, a quem guiou durante toda a vida;

7. Os doze frutos do Espírito Santo6;

8. Os sete dons do Espírito Santo7;

9. Para pedir em particular o dom da sabedoria e a vinda de seu reino aos corações;

10. Para obter a vitória sobre os três espíritos malignos que Lhe são opostos, a saber: o espírito da carne, do mundo e do demônio.

4° Mistério: contemplamos a Assunção de Nossa Senhora aos Céus

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a inenarrável liberalidade de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A predestinação eterna de Maria, como obra-prima das mãos de Deus;

2. Sua Conceição Imaculada, a plenitude das graças e o uso da razão no seio de sua mãe;

3. Sua natividade, que regozijou todo o Universo;

4. Sua apresentação e sua vida no Templo;

5. Sua vida admirável e isenta de todo pecado;

6. A plenitude de suas virtudes singulares;

7. Sua virgindade fecunda e seu parto sem dor;

8. Sua maternidade divina e sua aliança com a Santíssima Trindade;

9. Sua morte preciosa e cheia de amor;

10. Sua Ressurreição e Assunção triunfante.

5° Mistério: contemplamos a coroação de Nossa Senhora como Rainha dos Céus e da Terra

Rezamos o Pai-Nosso: meditamos sobre a inacessível glória de Deus.

Rezamos as Ave-Marias para honrar:

1. A tríplice coroa com que a Santíssima Trindade coroou Maria8;

2. O gozo e glória nova que recebeu o Céu por seu triunfo;

3. O reconhecimento de Maria como Rainha do Céu e da Terra, dos anjos e dos homens;

4. A tesoureira e dispensadora das graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo;

5. A Medianeira e Advogada dos homens;

6. A destruidora e a ruína do demônio e das heresias;

7. O refúgio seguro dos pecadores;

8. A mãe e nutriz dos cristãos;

9. A que é o gozo e doçura dos justos;

10. A que é o asilo universal dos vivos, consolo todo-poderoso dos aflitos, dos moribundos e das almas do Purgatório.

Ao final, fazemos o sinal da cruz: em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre “O Santo Rosário”:

Por que devemos rezar o Santo Rosário meditando os mistérios de Jesus e de Maria?

Assim, a oração do Santo Rosário tem uma extraordinária eficácia sobrenatural e nos obtém incontáveis graças. Esta eficácia do Rosário se torna ainda maior quando o rezamos meditando os mistérios de Jesus Cristo e da Virgem Maria. Além disso, a meditação desses mistérios é muito agradável ao Coração Imaculado de Nossa Senhora e certamente também muito agradável a Deus. Por tantos motivos, rezemos com fervor e devoção o Rosário da Virgem Maria, meditando nos mistérios da salvação, e exemplo de São Luís Maria.

O Santo Rosário é uma das seis práticas exteriores da consagração, ou escravidão de amor, a Jesus por Maria, ensinada por São Luís: “Rezar com modéstia, atenção e devoção o Santo Rosário composto de quinze dezenas de Ave-Marias, em honra dos quinze principais mistérios de Jesus Cristo, ou o Terço de cinco dezenas, que é a terça parte do Rosário e honra os cinco mistérios gozosos, dolorosos ou gloriosos”9.

São Luís Maria pede instantemente, pelo amor que tem para conosco em Jesus e Maria, que não nos contentemos em rezar a Coroinha de Nossa Senhora, mas que rezemos o Terço todos os dias e, se tiveres tempo, o Rosário quotidiano. Às pessoas que acolherem seus pedidos e rezarem o Rosário, ou pelo menos o Terço, o Santo profetiza e faz uma promessa: “Se o fizeres, bendirás na hora da morte o dia e o momento em que me acreditaste. Depois de teres semeado nas bênçãos de Jesus e Maria, recolherás bênçãos eternas no Céu”10.

Natalino Ueda, escravo inútil de Jesus em Maria.

Links relacionados:

TODO DE MARIA. O Rosário: a oração da família.

TODO DE MARIA. O Rosário e os males do nosso tempo.

TODO DE MARIA. Os Papas e o Rosário de Nossa Senhora.

Referências:

1 SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. O Segredo do Rosário, p. 10.

2 No tempo de São Luís Maria não havia os Mistérios Luminosos, que foram instituídos pelo Papa João Paulo II no dia 16 de outubro de 2002, através da Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae.

3 SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. O Segredo do Rosário, p. 10.

4 Idem, p. 41.

5 Os quatro dons do corpo glorioso de Cristo são: imortalidade, impassibilidade, agilidade e beleza.

6 PAPA BENTO XVI. Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, 390. Os frutos do Espírito Santo são perfeições plasmadas em nós como primícias da glória eterna. A tradição da Igreja enumera doze: “Caridade, alegria, paz, paciência, longanimidade, bondade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência, castidade”.

7 Idem, 389. Os dons do Espírito Santo são disposições permanentes que tornam o homem dócil para seguir as inspirações divinas. São sete: sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus.

8 Nós devemos rezar o Rosário a fim de que nós mesmos recebamos as três coroas de Jesus e de Maria: a primeira é uma coroa de méritos durante nossa vida; a segunda, uma coroa de paz em nossa morte; e a terceira, uma coroa de glória no céu.

9 SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, 116.

10 Idem, 254.

8 Comentários

  1. “No tempo de São Luís Maria não havia os Mistérios Luminosos, que foram instituídos pelo Papa João Paulo II no dia 16 de outubro de 2002, através da Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae.” Então como faremos hoje a meditação de cada mistério contidos nestes Mistérios Luminosos?

    Atenciosamente,

    Maria do Carmo

  2. Podemos incluir os mistérios luminosos no rosário?

    • Natalino Ueda

      Cara Juliana,
      Certamente que você pode incluir os Mistérios Luminosos no Rosário. Estes só não são orbigatórios, como disse o Papa São João Paulo II em sua Carta Rosarium Virginis Mariae. Mas, podem rezar tranquilamente, pois nos ajudam a contemplar os mistérios de Jeuss Cristo, que são o centro da oração do Rosário.
      Natalino.

  3. No final da oraçao do terço é obrigatorio rezar a ladainha de nossa senhora? E devo segurar o rosario sempre com as duas maos?

    • Natalino Ueda

      Cara Graciele,
      Na oração do Terço, não é obrigatório rezar a Ladainha de Nossa Senhora, mas é meritório, ou seja, tem um valor espiritual para nós e para Deus. Além disso, a Ladainha é enrioquecida com indulgência parcial. Sendo assim, vhá varios motivos para rezar a Ladainha da Santíssima Virgem.
      Quanto a segurar o Terço, não há nenhuma regra rígida a esse respeito. Mas, de qualquer modo, o importante é segurar o Terço e rezá-lo com piedade e devoção.
      Deus abençoe.
      Natalino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com