Conheça o poema à Virgem da Caridade do Cobre, do Padre Jesus Bermejo, hino oficial da Igreja de Cuba.

Poema à Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba

Virgem da Caridade do Cobre

O poema à Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, foi escrito pelo Padre Jesús Bermejo, CMF (In memoriam), durante sua estadia em Cuba. Os poemas do Sacerdote versavam, em sua maior parte, sobre os milagres ou as parábolas do Evangelho. Escreveu também poemas sobre São José, o carpinteiro de Nazaré, o esposo da Santíssima Virgem Maria, e sobre ela mesma, seu grande amor depois de Jesus Cristo. Padre Jesús morreu em Vic, na Espanha, aos 71 anos de idade. Bermejo foi um dos maiores conhecedores da vida e da obra de Santo Antônio Maria Claret, fundador da Congregação Claretiana1.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Padre Jesús Bermejo nasceu em Tornavacas, em Cáceres, na Espanha. Professou nos claretianos em 1960 e foi ordenado Sacerdote em 1968. Bermejo exerceu vários ministérios, como formador dos seminaristas e mestre de noviços, até ser enviado para Roma como responsável pelo Secretariado Claretiano em 1976.

Jesús Bermejo fez uma pesquisa importante e preparou, com a colaboração do Padre José María Viñas, CMF, a edição dos Escritos Pastorais e a Autobiografia de Santo Antônio Maria Claret. Ele também foi o responsável pela publicação do Epistolário, uma seleção de cartas do Santo, os Escritos Espirituais e os Escritos Marianos de Claret.

Em 2010, Bermejo foi designado para o Centro de Espiritualidade Claretiana Vic (CESC), onde estava organizando e preparando a publicação de todo o material coletado em Cuba, durante três anos, sobre a vida e o ministério do Arcebispo Claret, na Arquidiocese de Santiago de Cuba.

Assista vídeo do Canção Nova Notícias sobre a visita de Bento XVI a Cuba: “Papa fala aos fiéis no Santuário da Virgem do Cobre“:

Durante a sua estadia em Santiago de Cuba, inspirado pelo seu amor à Nossa Senhora, Padre Bermejo escreveu a belíssima letra do hino oficial da Igreja de Cuba, dedicado à sua padroeira, a Virgem da Caridade do Cobre2:

Tesouro da nossa terra e pérola do nosso mar,

Dai-nos a graça e a fortaleza para poder caminhar.

Doce pastora “mambisa”3, dai-nos sua imensa piedade,

Que seu povo precisa da brisa para navegar.

Mãe de Deus encarnado, fonte de vida sem par,

Renova nossos lares com a luz da sua bondade.

Virgem da Eucaristia, dai-nos seu vinho e seu pão,

Fruto sagrado e bendito de seu seio virginal.

Mãe que tanto nos amas, pomba da liberdade,

acolhei-nos nos teus braços e ensinai-nos a sonhar.

Tu que sempre nos prodigas sua ternura maternal,

enche de amor teus filhos, virgem da caridade.

Por quatro séculos de história tem brilhado seu esplendor,

mostrando-nos teu Filho, nosso Rei e Salvador.

Abre os nossos corações à graça do perdão.

Inspirai-nos hoje e sempre teus gestos de compaixão.

Fonte: ECOLOGÍA DEL ESPÍRITU. POETA EVANGÉLICO Y EXCAVADOR DE LA HERENCIA DE CLARET: en memoria de Jesús Bermejo, CMF.

Tradução: Angela Maria Cabel Garcia, missionária da Comunidade Canção Nova.

Referências:

2 A Virgem da Caridade do Cobre foi declarada oficialmente Padroeira de Cuba no ano de 1916, pelo papa Bento XV, e sua festa é comemorada no dia 08 de setembro. Cf. REISER, Márcio Antônio. A História dos Santos.

3 A denominação Virgem “Mambisa”, transmitida oralmente de geração em geração, não tem uma explicação unânime, mas, segundo a tradição popular, Nossa Senhora acompanhava e protegia os cubanos na sua luta pela independência. Cf. ROTH, Daniel Shoer. A Jesús por María: La Caridad nos une.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com