Conheça a importância da devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria em nossos dias.

Em suas aparições, a Virgem Maria indicou-nos a devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao seu Imaculado Coração como remédios para os males de nosso tempo. Em 1917, no local conhecido como Cova da Iria, na cidade de Fátima, em Portugal, Nossa Senhora apareceu aos três pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta, de Maio a Outubro, sob o título de Nossa Senhora do Rosário. Este título está relacionado com seus insistentes pedidos para que rezemos diariamente o Terço e, se possível, o Rosário. Além disso, Nossa Senhora pediu que fizéssemos penitências e sacrifícios pela salvação das almas dos pecadores. Nesses pedidos, não havia nenhuma novidade se os compararmos com os de outras aparições. Até que, a Virgem de Fátima pediu a devoção ao seu Imaculado Coração para conter o crescimento do Comunismo em todo o mundo.

Conheça a importância da devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao seu Imaculado Coração de Maria em nossos dias.

O Imaculado Coração de Maria e o Sagrado Coração de Jesus

Quase duas décadas depois, a Santíssima Virgem apareceu, no dia 6 de agosto de 1936, a duas meninas: Maria da Luz e Maria da Conceição, no Sítio da Guarda, situado no distrito de Cimbres, na cidade de Pesqueira, no estado de Pernambuco. Nessas aparições, sob o título de Nossa Senhora das Graças, a Virgem Maria revelou às duas meninas os perigos do Comunismo, que estava por vir ao Brasil, se o povo não fizesse oração e penitência. Novamente, Nossa Senhora pediu a oração do Terço, penitências e sacrifícios. Mas, diferente da sua aparição em Fátima, pediu a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Ademais, fez ainda outro pedido, que provavelmente é o ponto mais importante para a eficácia de nossas súplicas a Deus.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Jesus Cristo e a Virgem Maria: um Coração e devoção

Santa Margarida Maria de Alacoque compreendeu tão bem a íntima ligação entre as devoções aos Corações de Jesus e de Maria que considerava as duas como uma só devoção. Por isso, ela tinha o hábito de rezar esta jaculatória: “Divino Coração de Jesus eu Vos adoro e Vos amo do modo como viveis no Coração de Maria e Vos peço que vivais e reineis em todos os corações”1. Outros grandes santos, devotos do Sagrado Coração de Jesus, como Santa Brígida, São Francisco de Sales e São João Eudes, referiam-se ao Coração de Jesus e de Maria, no singular, para evidenciar a perfeita união de sentimentos e disposições entre os Sagrados Corações. Este vínculo entre os Corações da Mãe e do Filho também se faz presente no lema “Per Mariam ad Cor Iesu” (Por Maria ao Coração de Jesus), dos Missionários do Sagrado Coração e das Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração.

Nas aparições de Fátima, no dia 13 de junho de 1917, a Virgem Maria disse à pequena Lúcia: “Jesus quer estabelecer no mundo a devoção do meu Imaculado Coração”2. Depois de ouvir estas palavras, os três pastorinhos viram a Virgem Santíssima com o coração na mão, cercado de espinhos. Eles compreenderam que aquele era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que necessitava de reparação. Mas, somente sete anos depois, no dia 10 de dezembro de 1925, em Pontevedra, na Espanha, Nossa Senhora revelou a Irmã Lúcia a devoção reparadora dos Cinco Primeiros Sábados.

Em Portugal, foi Jesus que pediu, através da Virgem Maria, a devoção ao Imaculado Coração. No Brasil, Nossa Senhora que indicou-nos a devoção ao Sagrado Coração de seu Filho. Dessa forma, compreendemos que o Coração de Jesus nos leva ao Coração de Maria e o Imaculado Coração nos leva ao Sagrado Coração. Os Sagrados Corações de Jesus e de Maria estão tão intimamente unidos que podemos falar de um só Coração. Por isso, ao ser questionada a respeito de quais as devoções que deveríamos praticar para afastar os males que estavam por vir, a Virgem Maria responde: “Ao coração de Jesus e a mim”3. Perguntaram-lhe se não bastava uma das devoções, mas Nossa Senhora respondeu categoricamente que não. Ao contrário, ela insistiu que praticássemos as duas. Além disso, pediu que propagássemos estas devoções.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre “O alerta de Maria para o Brasil”:

A devoção em reparação ao Imaculado Coração da Virgem Maria

Para cumprir fielmente esta devoção reparadora, durante os cinco primeiros Sábados de cinco meses seguidos, na intenção geral de reparar nossos próprios pecados e os de toda a humanidade, cometidos contra o Coração Imaculado de Maria, devemos fazer quatro atos de piedade:

1 – A Confissão: deve ser feita de preferência no primeiro Sábado. Entretanto, se for impossível ou muito difícil, pode-se confessar antes, mesmo que seja com oito dias ou mais de antecedência. De qualquer modo, recordamos que é necessário estar em estado de graça, para cumprir o ato principal da devoção, que é a comunhão reparadora. Da mesma forma que em todos os outros atos de piedade, é muito importante confessar-nos na intenção de reparar as ofensas contra o Coração Imaculado de Maria. Esta intenção reparadora não precisa ser dita ao confessor, mas apenas colocada em oração diante de Deus, antes da Confissão. No caso de esquecermos, Jesus Cristo disse a Irmã Lúcia que podemos colocar a intenção reparadora na Confissão seguinte, aproveitando a primeira ocasião que tivermos para nos confessar;

2 – O Santo Rosário: devemos rezar a tradicional oração do Rosário da Virgem Maria, também conhecida como Terço Mariano, igualmente na intenção da reparação da ofensas contra o Imaculado Coração de Maria. Nossa Senhora pediu que rezemos pelo menos o Terço. No entanto, se tivermos tempo, recomendou que rezássemos todos os mistérios;

3 – Os 15 minutos de meditação dos mistérios do Rosário: Nossa Senhora pediu que fizéssemos companhia a ela, pelo menos durante 15 minutos, meditando sobre os 15 mistérios do Rosário4, em espírito de reparação ao seu Imaculado Coração. No entanto, não precisamos meditar todos os 15 mistérios, ou 20, se acrescentarmos os Mistérios Luminosos. Podemos meditar apenas um, dois, três… quantos mistérios quisermos, até mesmo todos, conforme a nossa escolha pessoal. Como nos recomenda o Magistério da Igreja, podemos meditar os mistérios do Rosário conforme o Tempo Litúrgico. Por exemplo: no Tempo do Advento, podemos meditar preferencialmente os Mistérios Gozosos; no Tempo da Quaresma, os Mistérios Dolorosos; no Tempo Pascal, os Mistérios Gloriosos; no Tempo Comum, podemos meditar aqueles Mistérios que mais dizem respeito à Liturgia do dia ou da semana.

4 – A comunhão: é o ato essencial desta devoção reparadora. Para compreender bem o significado desta devoção, nos ajudará conhecer a comunhão reparadora das nove primeiras Sextas-feiras, em reparação das ofensas contra o Sagrado Coração de Jesus, e a comunhão milagrosa concedida pelo Anjo da Guarda de Portugal aos três Pastorinhos, em de Fátima, no outono de 1916. Este caráter eminentemente reparador evidencia-se na oração, repetida seis vezes, três vezes antes e três vezes depois da comunhão: “Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu vos adoro profundamente e vos ofereço o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido; e pelos méritos infinitos de seu Sacratíssimo Coração e do Imaculado Coração de Maria, peço-vos a conversão dos pobres pecadores”5. Como nesses dois casos, a intenção reparadora, não somente na comunhão, mas na devoção dos Cinco Primeiros Sábados como um todo, é muito importante, porque as ofensas contra o Imaculado Coração de Maria também ofendem gravemente o Sacratíssimo Coração de Jesus.

Todos os atos de piedade desta devoção reparadora ao Imaculado Coração da Virgem Maria podem também ser feitos no Domingo que se segue ao primeiro Sábado, desde que seja por motivo justo, com a autorização de um Padre.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo sobre “Em que consiste a devoção dos cinco primeiros sábados do mês em honra à Virgem de Fátima?“:

A devoção em reparação ao Sagrado Coração de Jesus Cristo

No século XVII, a devoção reparadora ao Sagrado Coração de Jesus foi revelada pelo próprio Senhor a Santa Margarida Maria. Numa de suas aparições, a jovem religiosa viu o Coração de Jesus completamente cercado por chamas, rodeado por uma coroa de espinhos, transpassado por uma ferida profunda e encimado por uma cruz. Neste dia, Jesus Cristo revelou a Irmã Margarida a devoção reparadora das Nove Primeiras Sextas-feiras.

Para cumprir fielmente a comunhão das Nove Primeiras Sextas-feiras, em reparação das ofensas contra o Sacratíssimo Coração de Jesus, há cinco condições essenciais:

1 – Receber a Santa Comunhão;

2 – Na primeira Sexta-feira do mês;

3 – Por nove meses seguidos;

4 – Aproximar-nos da Comunhão, em estado de graça e sem más intenções, com a intenção de honrar o Sagrado Coração de Jesus, que pediu esta comunhão em reparação da ingratidão e do abandono de muitas almas para com Ele;

5 – Renovar a intenção de cumprir a devoção das Nove Primeiras Sextas-feiras em cada comunhão6.

Lembramos que, se interrompermos as Nove Primeiras Sextas-feiras, ainda que seja por um motivo justo, deveremos começar tudo de novo, desde o início. Pois, o Sagrado Coração de Jesus expressa, de modo claro e preciso, que é indispensável comungar nas nove primeiras Sextas-feiras de nove meses consecutivos7.

Assista ou ouça programa do Padre Paulo Ricardo com o tema “A comunhão das nove primeiras sextas-feiras garante a salvação?“:

A devoção aos Sagrados Corações de Jesus e de Maria e a nossa responsabilidade

Portanto, nestes dias nos quais vivemos uma crise política e econômica gravíssima, principalmente por causa das ideologias comunistas, que estão em fase de implantação em nosso país, somos chamados a rezar cada vez mais o Rosário, a fazer penitências, e a praticar a devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria. Pois, se a fizermos, Nossa Senhora garantiu que o Comunismo não dominará o Brasil.

Nós católicos temos uma responsabilidade imensa diante de Deus e do povo brasileiro como um todo. Pois, a Santíssima Virgem, sob o título de Nossa Senhoras das Graças, avisou-nos deste terrível mal, muito antes que acontecesse. Além disso, ela também nos indicou os remédios contra este mal. Cabe a nós usar destes remédios, com muita fé e devoção, para extirpar de nosso meio a escravidão ideológica, política, econômica e também espiritual, que os governantes querem nos impor através das mudanças na política, na economia, na educação, na saúde, na cultura, na religião.

Infelizmente estamos diante da implantação de um novo paganismo, no qual querem: banir, ou pelo menos neutralizar, a Igreja Católica; tirar as crianças dos pais cada vez mais cedo, para doutrinar suas mentes; tornar a sociedade estéril, com a ideologia de gênero, o controle de natalidade e o aborto; levar à falência o sistema de saúde, prisional, educacional; e acabar com a economia e a política deste país. Não deixemos que tudo isso aconteça, pois temos uma alta responsabilidade diante de Deus e dos homens. Que os Sagrados Corações de Jesus e de Maria nos inspirem a decidir pela oração do Santo Rosário e pela penitência, pela prática da devoção das Nove Primeiras Sextas-feiras e dos Cinco Primeiros Sábados, e nos ajudem a perseverar em nossos propósitos com fidelidade e confiança.

Natalino Ueda, servo inútil de Jesus por Maria.

Links relacionados:

PADRE PAULO RICARDO. Marxismo Cultural e o Comunismo.

TODO DE MARIA. A devoção ao Coração de Jesus e o Coração de Maria.

TODO DE MARIA. A devoção dos cinco primeiros sábados.

TODO DE MARIA. Nossa Senhora e a Nova Ordem Mundial.

TODO DE MARIA. O desagravo ao Imaculado Coração de Maria.

Referências:

1 ASSOCIAÇÃO APOSTOLADO DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. A íntima vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria.

3 SACRALIDADE. Os 3 grandes castigos!

4 Na época, o Rosário tinha apenas quinze mistérios. Hoje, podemos acrescentar também os cinco Mistérios Luminosos, conforme nos foi transmitido pelo saudoso São João Paulo II.

5 CAPELA. Op. cit.

6 FREI SALVADOR DO CORAÇÃO DE JESUS. A grande promessa do Sacratíssimo Coração de Jesus, p. 11.

7 Idem, p. 10.

4 Comentários

  1. muito bom o texto, excelente, mas pq ele colocou ali servo inútil ali no final??

    • Natalino Ueda

      Caro Sandro,
      Salve Maria!
      O servo inútil no final do texto é uma alusão à passagem do Evangelho segundo Lucas: “Assim também vós, depois de terdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, como quaisquer outros; fizemos o que devíamos fazer.” (Lc, 17, 10).
      Deus o abençoe!

  2. Ricardo Martins Peres

    Assim seja

Deixe uma resposta para joana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com