Meditemos sobre as razões de a Virgem Maria glorificar a Deus com um trecho do comentário de São João Eudes ao Magnificat.

No final de sua vida, São João Eudes terminou sua obra sobre o Coração admirável da Santíssima Virgem Maria, na qual nos deixou seu comentário ao Magnificat, também conhecido como o Cântico de Maria, no qual ela glorifica a Deus, seu Senhor e Salvador.

Fundador da Congregação de Jesus e de Maria, atualmente conhecida pelo nome de Congregação dos Eudistas, São João Eudes consagrou sua vida a suscitar e desenvolver a devoção aos dois Corações que abraçava no mesmo amor, o do Filho de Deus e o de sua Bem-aventurada Mãe, tão estreitamente unidos no mistério da Encarnação.

Meditemos sobre as razões de a Virgem Maria glorificar a Deus com um trecho do comentário de São João Eudes ao Magnificat.

A visitação da Virgem Maria à sua prima Santa Isabel.

O comentário de São João Eudes ao Magnificat foi extraído do capítulo 10 da obra intitulada “O Coração admirável da sacratíssima Mãe de Deus”, que trata detalhadamente das razões de ser da devoção ao Coração de Maria. O capítulo em questão foi terminado algumas semanas antes de sua morte. “Hoje, vinte e cinco de julho de 1660, escreve ele, Deus me fez a graça de terminar o meu livro”, com sentimentos de uma paz profunda e de uma confiança sem limites na misericórdia de Jesus e de Maria. Continue lendo…

Saiba por que o Terço ou Rosário deve ser nosso companheiro de viagem em nossa peregrinação pelos caminhos deste mundo.

São Domingos de Gusmão recomendava vivamente que tivéssemos o Terço Mariano ou Santo Rosário como nosso companheiro de viagem em meio aos perigos e às angústias deste mundo. Certa vez, São Domingos pregava o Santo Rosário, como tinha ordenado a máxima santa entre as santas, a Santíssima Virgem Maria. Com esse sermão, lançava a rede como um pescador e pescava quase toda a cidade de Paris. A pregação dava tantos frutos que a prática, o culto e a veneração do Saltério Mariano, como costumava chamar o Santo Rosário, começaram a crescer e a se espalhar por todas as partes da França, em todas as famílias e casas do povo.

Saiba por que o Terço ou Rosário deve ser nosso companheiro de viagem em nossa peregrinação pelos caminhos deste mundo.

Nossa Senhora do Rosário

O fervor desse sermão fez com que a sábia juventude, sob o influxo do Espírito de Deus, avançasse para metas mais altas. Abdicando à vida secular, muitos jovens se consagraram na Ordem de São Domingos, tendo o Santo como mestre de vida. Naquele tempo, começou a pregar exatamente no convento de Paris. “Aquela construção engrandeceu-se como ainda hoje pode-se ver: tendo ajudado muitíssimo o Bispo, o Rei, a Cidade e principalmente toda a Academia desse lugar, em vantagem de Deus e da Mãe de Deus”[1]. Depois desta breve apresentação, vejamos por que São Domingos pregava o Rosário da Virgem Maria com tanta veemência e o recomendava como nosso companheiro de viagem nos caminhos deste mundo, por vezes cheios de perigos e sofrimentos. Continue lendo…

Conheça um pouco mais o mistério sublime e elevado da Ave-Maria, que nem mesmo os homens mais santos e doutos são capazes de compreender e expressar em sua plenitude.

A Ave-Maria, também conhecida como “Saudação Angélica”, é um mistério tão sublime e elevado que o Beato Alano de la Roche julgou que nenhuma criatura pode compreendê-la e que somente nosso Senhor Jesus Cristo, nascido da Santíssima Virgem Maria, pode explicá-la na sua totalidade. A excelência da Ave-Maria se deve principalmente a Virgem de Nazaré, – a quem esta oração foi dirigida, na Anunciação do mistério da Encarnação do Verbo (cf. Lc 1, 28) – para quem foi trazida dos Céus, e ao Arcanjo São Gabriel, que a pronunciou pela primeira vez.

Conheça um pouco mais o mistério sublime e elevado da Ave-Maria, que nem mesmo os homens mais santos e doutos são capazes de compreender e expressar em sua plenitude.

Anunciação do Arcanjo São Gabriel a Virgem Maria.

A Ave-Maria é de uma profundidade tal que resume toda a teologia católica sobre Nossa Senhora. Nesta saudação do Anjo, temos um louvor e uma invocação. O louvor contém tudo o que faz a verdadeira grandeza da Virgem Mãe de Deus e a invocação contém o que devemos a ela e tudo o que podemos esperar de sua bondade maternal em relação a nós. Continue lendo…

Conheça os sublimes mistérios, a beleza inefável e os frutos extraordinários da Ave-Maria.

A Ave-Maria, ou Saudação Angélica, é tão celestial, tão mística e incompreensível a nós, em sua profundidade de significado, que o Beato Alano de La Roche acreditava que nenhuma criatura humana comum pudesse compreendê-la, e somente Jesus Cristo, o Filho de Deus, que se encarnou e nasceu da Santíssima Virgem Maria, pode realmente explicá-la.

A Saudação Angélica deve sua excelência primeiramente a Virgem de Nazaré, a quem foi dirigida a oração, à finalidade da Anunciação da Encarnação do Verbo de Deus, pelo qual esta oração foi trazida do Céu, e também ao Arcanjo São Gabriel, que foi o primeiro a pronunciá-la. Continue lendo…

A Ave-Maria é uma oração que muito agrada o coração de Nossa Senhora, pois lhe renova a alegria da Anunciação.

Ave-Maria: oração agradável a Nossa Senhora

Nossa Senhora da Anunciação

A Ave-Maria muito agrada Nossa Senhora, pois por esta oração renovamos a alegria que ela sentiu quando o Anjo lhe anunciou que fora eleita para ser Mãe de Deus1. Por isso, na intenção de renovar a alegria da Anunciação no coração da Virgem de Nazaré, devemos saudá-la muitas vezes com a Ave-Maria. “Saudai-a com a Ave-Maria, diz Tomás de Kempis, porque ela gosta muito dessa saudação. Que não lhe podemos dirigir saudação mais agradável, do que com a Ave-Maria, disse-o a Virgem a Santa Matilde”2. Se saudamos a Mãe do Senhor com a Ave-Maria, seremos também saudados por ela e receberemos dela uma nova graça. Pois, como atestam os santos, é impossível que Nossa Senhora recuse uma graça a quem se aproxima dela com a Ave-Maria. “A Santa Gertrudes prometeu a Mãe de Deus tantos auxílios na hora da morte, quantas Ave-Marias lhe tivesse recitado em vida. Alano de Rupe afirma que, ao ouvir essa saudação angélica, alegra-se o Céu, treme o Inferno e foge o Demônio. Com feito, atesta-o Tomás de Kempis, pois com uma Ave-Maria pôs em fuga o Demônio que lhe aparecera”3. Mas, como praticar com fruto a piedosa devoção da Ave-Maria? Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com