O que acontece quando, na consagração total, entregamos a Virgem Maria os nossos bens interiores?

Na consagração ou escravidão de amor ao nosso Senhor Jesus Cristo e a Santíssima Virgem Maria entregamos os nossos bens interiores, o valor de nossas boas obras passadas, presentes e futuras[1]. Ao saber disso, podemos pensar que ficaremos desamparados. Podemos ainda pensar que, ao dar a nosso Senhor, pelas mãos da Santíssima Virgem, o valor de todas as nossas boas obras, orações, mortificações e esmolas, nos impossibilitará de socorrer as almas de nossos parentes, amigos e benfeitores.

O que acontece quando, na consagração total, entregamos a Virgem Maria os nossos bens interiores?

Nossa Senhora de Fátima e os três Pastorinhos.

Para responder a estas e a outras questões, veremos primeiramente qual é valor espiritual de nossas boas obras. Depois, veremos o que acontece quando entregamos esses valores a Nossa Senhora e, por fim, saberemos se ficaremos desamparados ou não ao entregar nossos bens espirituais a Jesus Cristo, pelas mãos da Virgem Maria.

Inscreva-se e receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Qual é o valor de nossos bens interiores?

Em todo ato de virtude que fazemos, em toda a boa obra, Deus nos recompensa de três formas.

A primeira forma com a qual o Senhor nos recompensa é o chamado valor meritório. Mas, o que é o valor meritório? Este é o valor que faz com que cresçamos em méritos diante de Deus. No Céu, não somos todos iguais. Deus está acima de todos. Nossa Senhora está acima do restante dos santos. E entre os santos, há graus de glória diferentes, conforme a busca de Deus que empreenderam aqui na Terra.

O segundo valor que recebemos por um ato de virtude é o chamado valor satisfatório. O que é o valor satisfatório? É aquele valor que redime ou diminui o nosso sofrimento no purgatório. O valor satisfatório reduz a nossa pena no purgatório. Por isso, podemos diminuir a nossa pena no purgatório fazendo jejum, penitência… Estas obras têm um valor satisfatório.

Mas, existe ainda um terceiro valor, que é o chamado valor impetratório. O valor impetratório de nossas obras é aquele que podemos oferecer pelo bem de uma pessoa ou por uma intenção particular.

Na consagração, entregamos a Virgem Maria todos os valores: meritório, satisfatório e impetratório, de nossas boas obras presentes, passadas e futuras[2]. Por isso, a consagração é um ato heroico. Mas, perdemos alguma coisa com isso?

O que acontece quando entregamos nossos bens interiores?

Quando Nossa Senhora recebe o valor das boas obras que lhe entregamos na consagração, ela faz três coisas.

A primeira coisa que ela faz é multiplicar o valor daquilo que lhe entregamos. Sabemos que uma boa tesoureira tem o dom de multiplicar o dinheiro. Então, a primeira coisa que Nossa Senhora – a tesoureira do Céu – faz é multiplicar o valor de nossas boas obras.

A segunda coisa que Maria Santíssima faz com o valor de nossas boas obras é purificar. Pois, mesmo as obras boas que fazemos sempre têm um fundo de pecado, de maldade, de imperfeição. Fazemos uma penitência e já nos orgulhamos, caímos na vaidade de achar que somos santos, que estamos nas mais altas moradas. Percebemos sempre uma vaidade ou uma segunda intenção quando fazemos uma boa obra. Por isso, Nossa Senhora limpa, purifica, as nossas boas obras de todo o pecado. Isso faz com que o valor de nossas obras se multiplique ainda mais.

A terceira coisa que Nossa Senhora faz com nossas boas obras é a mais maravilhosa de todas. Ela mistura o valor de nossas obras com o valor das suas. Imaginemos a santidade imaculada da Virgem Maria se misturando com a nossa pequenez. O que acontece é que a santidade da Santíssima Virgem faz com que o valor de nossas boas obras se multiplique ainda mais.

A obra que fazemos – que poderia converter uma pessoa – nas mãos de Nossa Senhora pode converter um milhão de pessoas. Ela usará o valor de nossas boas obras em favor de muitas pessoas que não conhecemos. Isso é a consagração!

Nossa Senhora disse em Fátima: “Muitas almas vão para o inferno porque não há quem se sacrifique e se ofereça por elas”. Na consagração, nos oferecemos a Jesus e a Maria pela salvação das almas e, por isso, salvaremos muito mais almas do que salvaríamos sem a consagração.

Assista ao vídeo do Padre Francisco Amaral intitulado: “Afinal, o que é a Consagração Total a Virgem Maria?”:

Não ficaremos desamparados ao entregar nossos bens interiores?

Depois que nos consagramos, não oferecemos mais o valor de nossas boas obras, pois estas já não nos pertencem. Por exemplo: esse jejum é para a conversão de fulano. Pois, pode ser que outra pessoa precise mais. Por isso, deixamos que Nossa Senhora escolha para quem serão aplicadas as nossas obras.

Isso significa que não posso mais pedir coisas a Deus? Claro que podemos. O pedido é uma sugestão. Podemos dizer assim: Mãezinha, eu te dei todo o valor de minhas obras – Ela sabe o que vai fazer com ele – mas, sugerimos que atenda a esta causa ou a esta pessoa. Podemos continuar pedindo, intercedendo. Mas, o valor das obras: jejum, penitência, oração, não será aplicado para as intenções que escolhemos. Deixaremos que Nossa Senhora escolha como será usado o valor de nossas obras.

Podemos fazer a seguinte objeção: sendo assim, sofremos mais no purgatório? Pois, o valor que teríamos para não passar pelo purgatório não temos mais. Então, quer dizer que sofreremos mais no purgatório sendo consagrados? O próprio São Luís Maria responde esta objeção: “De modo algum: é para com essa alma [consagrada…] que Nosso Senhor e sua Santa Mãe são mais liberais neste mundo e no outro na ordem da natureza, da graça e da glória”[3]. Não temos mais o valor de nossas obras, mas Nossa Senhora tem nas mãos dela o valor de todos os consagrados do mundo, multiplicados, purificados e misturados com o valor de suas obras. Então, ela tem nas suas mãos esses valores incontáveis e usará desses para nos salvar.

Podemos ainda perguntar: não podemos fazer mais oferecer jejuns pelos nossos familiares? Não. Faremos diferente. Nós ofereceremos nossos familiares a Nossa Senhora, em vez de oferecer jejuns por eles, com a certeza de que ela cuidará melhor deles do que nós mesmos.

Nossa Senhora fez uma grande promessa em Fátima: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!” E o que ela precisa para o seu Coração triunfar? Ela precisa ter nas mãos dela todo esse arsenal que são os valores dos bens interiores de todos os consagrados do mundo. Por isso, ensinamos as pessoas a se consagrar, a se entregar a Nossa Senhora, a rezar, a fazer penitência, a se doar. Assim, quando ensinamos e vivemos a consagração, fazemos diretamente aquilo que ela pediu em Fátima, ajudamos o seu Imaculado Coração triunfar!

Transcrição e adaptação de trecho da homilia do Padre Francisco Amaral, sacerdote da Arquidiocese de Cuiabá-MT e vigário da Paróquia Santo Antônio de Várzea Grande. 

Siga no: Facebook | Instagran | Youtube.

Links relacionados:

TODO DE MARIA. A consagração a Maria passo a passo.
TODO DE MARIA. A consagração, o uso do véu e a modéstia.
TODO DE MARIA. As correntes e a consagração a Nossa Senhora.

Referências:


[1]  Cf. SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, 121.
[2]  Cf. idem, ibidem.
[3]  Idem, 133.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com