Descubra como fazer da oração uma entrega total, uma doação de amor, a Jesus Cristo.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a orar”, Padre Paulo Ricardo nos ensina que a oração é uma doação, é uma entrega de amor para nosso Senhor Jesus Cristo. A oração é uma resposta a Jesus, que se doa inteiramente a nós. Nela, somos chamados a responder a essa entrega amorosa de Deus a cada um de nós em particular.

Descubra como fazer da oração uma entrega total, uma doação de amor, a Jesus Cristo.

A última ceia, de Juan de Juanes (1562).

“Deus é amor” (1 Jo 4, 8.16), é doação total, a todos e, ao mesmo tempo, a cada um de nós, individualmente. Mas, nós não somos amor, tampouco conseguimos nos doar a Deus, amá-Lo de volta. Nossa natureza humana, que sofre as consequências do pecado original, precisa lutar contra a carne, o demônio e o mundo para nos doar, nos entregar inteiramente a Jesus Cristo.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

A oração como presença e doação a Jesus Cristo

A oração vocal não é somente recitação de orações. Ela é também a oração espontânea, é amizade, é trato de amizade com Cristo ressuscitado. Esta amizade, ou relação, para que ela seja presença mútua, ela precisa ser doação. Quando vamos rezar, precisamos estar presentes e Jesus também. Da parte d’Ele, sempre está presente, mas será que nós estamos presentes?

Nós somos limitados, não conseguimos estar presentes por inteiro. Onde está o Paulo Ricardo do passado? Ele não está presente; é somente uma memória. Onde é que está o Padre Paulo do futuro? Ele não está presente; é somente uma esperança. Onde está o Paulo Ricardo de hoje? Ele não está presente, por causa da minha soberba ou da minha dispersão. Soberbos, facilmente nos dispersamos, e assim não conseguimos estar presentes, porque não conseguimos nos doar completamente a Cristo.

A doação como atributo da Santíssima Trindade

O Filho e o Pai, no Céu, na eternidade, são presença infinita, porque Se doam mutuamente. Existe essa relação mútua, intensa, de amor, que tem um nome: Espírito Santo. Então, o Pai e o Filho são essa relação de amor.

Quando o Filho se encarna, não o faz por “esporte”. Ele se encarna para cada um de nós em particular. Ele se encarna para Se doar, ou seja, a presença de Jesus aqui na Terra é uma presença de doação. Ele está aqui para se entregar por nós, por mim, por você. Por nós homens e pela nossa salvação, Ele está presente para se doar. Na Eucaristia, Jesus está presente por cada um de nós, particularmente.

Assista ou ouça aula do Padre Paulo Ricardo sobre “Oração vocal – Onde você está enquanto reza?”:

A comunhão eucarística como doação de amor

Quando recebemos a Comunhão, é um momento extraordinário para fazer oração vocal. Principalmente quando estamos começando a nossa vida de oração, precisamos esforçar-nos para fazer-nos presentes para o Cristo e “ver” a presença d’Ele. A presença de Cristo é infinita, porque ela é doação infinita para nós. Na Eucaristia, Jesus ressuscitado, com Sua alma e Seu corpo, está Se doando a nós. Mas, e nós, estamos nos doando a Ele, num ato de fé, que transborda num ato de amor?

Quando comungamos, precisamos falar com Jesus, doar-nos para Ele. Precisamos receber esse Amor infinito, na fé, e dar amor de volta, ser presença para Ele, ser doação. Cristo está presente para mim e devemos estar presentes para Ele na oração. O momento fundamental, o mais importante que temos para fazer nossa oração vocal, especialmente para os principiantes, é a Eucaristia. Ela é uma espécie de “muleta” da fé. Quando crescemos espiritualmente, podemos fazer esse contato com Cristo ressuscitado sem a comunhão eucarística. Mas, principalmente no início da vida espiritual é importante comungar bem. É importante que, ao receber a Comunhão, em estado de graça, sejamos presença para o Cristo.

Por que é importante estar em estado de graça na Comunhão? Porque, se estamos em pecado mortal, não estamos nos doando ao Cristo. Estamos com medo de nos entregar. Ele está na Eucaristia se doando a nós inteiramente. E nós, vamos nos dar totalmente a Ele? Ou não? Façamos a oração vocal. Falemos com Jesus. Doemo-nos, entreguemo-nos a Ele.

A oração vocal e a doação a Jesus na Eucaristia

É importante iniciar com a oração vocal. Queremos começar pela oração mística, sem dar os primeiros passos da oração vocal. Pensamos que estamos numa oração contemplativa. Na verdade, estamos numa sonolência piedosa, muito mais sonolenta do que piedosa. Achamos que estamos rezando. Mas, isso não é oração. Por quê? Porque a maioria de nós ainda não foi elevada por Deus à oração contemplativa. Comecemos no começo. Não sejamos soberbos, pois Deus resiste aos soberbos. Sejamos humildes. Comecemos pelos passos humildes da oração vocal. Doemo-nos a Jesus. “Usemos” a Eucaristia, pois Ela é refeição espiritual. Depois, quando formos mais crescidos no caminho de oração, vamos conseguir reproduzir isso fora da Comunhão. No entanto, independentemente de nossa fase na vida espiritual, não desprezemos a Comunhão, se possível diária, na qual nos encontramos com Cristo. Ele está totalmente presente para nós, doando-se a nós. E nós, onde estamos, quando não estamos na presença de Deus?

Transcrição e adaptação: Natalino Ueda, escravo inútil de Jesus em Maria.

Links relacionados:

PADRE PAULO RICARDO. Caminho de Perfeição.

TODO DE MARIA. Mudar de vida com o Projeto Segunda Morada.

TODO DE MARIA. Padre Paulo Ricardo ensina-nos a orar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com