Saiba o que são as distrações involuntárias durante os momentos de oração e quais são as suas causas.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo trata das distrações involuntárias na oração e das suas causas. Anteriormente, vimos qual é a natureza das distrações, ou seja, o que é uma distração. Agora precisamos ver quais são as suas causas; por quê? Porque não existem somente as distrações voluntárias, ou seja, colocamo-nos numa tentativa de rezar, mas a nossa cabeça começa a “voar” para tantas coisas e preocupações; por quê? Pode ser porque não temos virtude, ou seja, não estamos querendo tomar as rédeas de sua vida espiritual.

Saiba o que são as distrações involuntárias durante os momentos de oração e quais são as suas causas.

Jesus, Pedro, Tiago e João no horto das Oliveiras

Bom, se a distração fosse somente isso, estava resolvido o problema. Era só promover a nossa virtude e então ficaremos sempre concentrados. Mas, infelizmente, não é somente isso. Não existem somente as distrações voluntárias. Existem distrações involuntárias, das quais nós não somos culpados. É importante saber quais são essas distrações e quais são as suas, para que não fiquemos nos torturando. Porque senão, propomo-nos a rezar, mas as distrações acontecem e então dizemos: “puxa vida, eu sou um pecador mesmo…”, não é? E vamos nos confessar de uma coisa que, no fundo, no fundo, não temos culpa alguma. Continue lendo…

Saber o que é recolhimento e o que é distração pode ser a chave para descobrir como nos concentrar na oração.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo nos mostrará como nos concentrar na oração. Num primeiro momento, veremos em que consiste o recolhimento, ou seja, o que é estar concentrados em um momento de oração. Pois, a concentração, a aplicação pura e simples da nossa inteligência, não significa recolhimento.

Saber o que recolhimento e o que é distração pode ser a chave para descobrir como nos concentrar na oração.

Nossa Senhora do Rosário de Fátima

Num segundo momento, trataremos da dolorosa experiência das distrações durante a oração. Mas, antes de conhecer a origem das distrações, os tipos de distração e como combater as distrações, nós precisamos gastar um tempo para entender o que é distração. Pois, a maior parte das pessoas acha que sabe o que é distração, mas, na verdade, não sabe. Continue lendo…

Descubra como podemos saber se estamos progredimos na espiritualidade, mesmo no tempo da aridez.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo nos explica como saber se progredimos na vida espiritual. Primeiramente, veremos o que é progresso espiritual. Pois, podemos nos enganar achando que progredimos espiritualmente porque sentimos consolações. Ou, às vezes, podemos pensar que retrocedemos na vida espiritual porque vivemos um tempo de aridez.Descubra como podemos saber se estamos progredimos na espiritualidade, mesmo no tempo da aridez.

Num segundo momento, veremos o que é o amor e como reconhecer se amamos de verdade. Pois, se não sabemos o que é o amor, também não saberemos se estamos progredindo ou não na vida espiritual. Por fim, veremos como reconhecer o nosso progresso espiritual em tempos de aridez, de sofrimento. Dessa forma, saberemos como nos portar diante da consolação e também da desolação. Continue lendo…

Saiba qual a diferença entre aridez e tibieza e o que fazer nos tempos de aridez espiritual.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo nos diz, com muita clareza, o que devemos fazer em tempos de aridez espiritual. Primeiramente, veremos o que diferencia a aridez espiritual da tibieza. Pois, saber qual é a diferença entre esses dois estados da nossa alma é fundamental antes de tomar qualquer atitude.

Saiba qual a diferença entre aridez e tibieza e o que fazer nos tempos de aridez espiritual.

Agonia de Jesus Cristo no horto da Oliveiras.

Depois de sabermos o que diferencia a aridez da tibieza, conheceremos as causas da aridez espiritual. Veremos também qual deve ser nossa atitude em tempos de aridez. Pois, ao contrário do que parece, os tempos de aridez podem ser muito fecundos para nossa vida espiritual. Sendo assim, tomar as atitudes certas nos tempos de aridez pode fazer a diferença entre o fracasso e o êxito no caminho espiritual. Continue lendo…

Saiba o que é a aridez espiritual que é consequência da tibieza ou mornidão.

Nesta aula do curso “Ensina-nos a Orar”, Padre Paulo Ricardo nos ensina o que é a aridez espiritual consequente da tibieza, também conhecida como mornidão. Primeiramente, veremos quais são as verdadeiras causas da aridez, para que saibamos enfrentar esse mal espiritual. Essa aridez pode ter na sua raiz a frouxidão, a tibieza. Se não for combatida, essa tibieza, que a princípio se manifesta de forma muito sutil, pode nos fazer abandonar completamente a fé e os propósitos que assumimos diante de Deus.

Saiba o que é a aridez espiritual que é consequência da tibieza ou mornidão.

Santa Teresa d’Ávila de François Gérard

Quando começamos a ter uma vida de oração, é muito comum que, como principiantes, tenhamos uma série de consolações. Aos poucos, vamos descobrindo que Deus é um Deus vivo e que, realmente neste trato de amizade que é a oração, encontramos um amigo que alimenta e consola o nosso coração. Acontece que, com o tempo, esta parte de consolação espiritual tende a acabar e segue-se um período de aridez. Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com