A mensagem das aparições de Nossa Senhora Rosa Mística e os recentes casos de abuso sexual nos ajudam a compreender a necessidade da oração, do sacrifício e da penitência.

Os recentes casos de abuso sexual por parte de membros da Igreja Católica, principalmente contra crianças, nos recordam das aparições de Nossa Senhora Rosa Mística, nas quais ela falou dos pecados cometidos por padres e religiosos. Os casos mais escandalosos aconteceram na Irlanda e nos Estados Unidos. Somente na Pensilvânia, nos EUA, um relatório de mais de dois anos de investigação relata casos de abusos sexuais cometidos por mais de 300 padres contra mais de 1000 vítimas em seis das oito dioceses católicas do estado: Allentown, Erie, Greensburg, Harrisburg, Pittsburgh e Scranton[1].

A mensagem das aparições de Nossa Senhora Rosa Mística e os recentes casos de abuso sexual nos ajudam a compreender a necessidade da oração, do sacrifício e da penitência.

Nossa Senhora Rosa Mística

No ano de 1947, a Virgem Maria apareceu a Pierina Gilli no Hospital de Montechiare, onde trabalhava como enfermeira. Ela rezava na capela do Hospital quando viu Nossa Senhora. Na primeira aparição, a Santíssima Virgem tinha três espadas cravadas em seu peito. Na segunda, ela trazia três rosas, na altura do peito, de três cores diferentes: branco, vermelho e dourado. Veremos o significado das três rosas e das três espadas, para compreendermos a necessidade da oração, do sacrifício e da penitência, especialmente pelos sacerdotes e religiosos. Continue lendo…

No mês das vocações deste Ano do Laicato, meditemos sobre a vocação universal à santidade.

Neste Ano do Laicato[1], no mês de agosto, dedicado às vocações, é muito oportuno falar da vocação universal à santidade, manifestada explicitamente no Concílio Vaticano II através da Constituição Dogmática Lumen Gentium: “…os cristãos de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade”, ou seja, à santidade. Falar sobre a vocação universal à santidade é ainda mais oportuno neste domingo em que celebramos a vocação dos leigos.No mês das vocações deste Ano do Laicato, meditemos sobre a vocação universal à santidade.

Na Igreja Católica, os fiéis leigos são a maioria e, por isso, é muito importante falar da vocação de todos nós, católicos, à santidade. Ademais, as vocações ao sacerdócio e aos ministérios ordenados, bem como ao matrimônio, à família e à vida consagrada, tem sua origem entre os fiéis leigos. A maioria dessas vocações inclusive é dos leigos, pois somente os bispos, sacerdotes e diáconos fazem parte do clero. Os que responderam ao chamado de Deus à vocação religiosa, missionária, matrimonial ou celibatária são leigos. Continue lendo…

Nossa Senhora é Rainha e Mãe de misericórdia e nós, pobres pecadores, somos a coroa de sua glória no Reino dos Céus.

A Sagrada Tradição da Igreja Católica atribui a Nossa Senhora a figura bíblica da Rainha Mãe, que teve sua origem no gesto profético de Salomão que, ao ser coroado Rei, pediu para a sua mãe um trono à sua direita: “Positusque est thronus matri regis, quae sedit ad dexteram eius – Foi posto um trono para a mãe do rei, a qual se assentou à sua mão direita” (1 Rs 2, 19). Isto é bastante razoável, pois, se nosso Senhor Jesus Cristo prometeu que prepararia para nós, pobres pecadores, um lugar no Reino dos Céus (cf. Jo 14, 2), certamente que prepararia um lugar especialíssimo para sua Mãe Santíssima. Esse lugar é o trono glorioso de Nossa Senhora Rainha, Mãe de Misericórdia.

Nossa Senhora é Rainha e Mãe de misericórdia e nós, pobres pecadores, somos a coroa de sua glória no Reino dos Céus.

Coroação da Virgem, de Gentile da Fabriano.

Santo Afonso Maria de Ligório nos ensina que: “O ofício da Santíssima Virgem no céu é compadecer-se dos miseráveis e socorrê-los, pois que exatamente para este fim o Senhor a constituiu Rainha de Misericórdia”[1]. Sendo assim, se quisermos nos salvar, recorramos com confiança a esta amada e misericordiosa Mãe. Quanto mais profunda for a nossa miséria, maior deve ser a nossa confiança, porque os miseráveis são destinados a ser a sua coroa de glória no paraíso celeste. Entretanto, para que sejamos a coroa de glória da Virgem Maria nos Céus, faz-se mister que tenhamos o firme propósito de nos emendar, de mudar de vida. Continue lendo…

Meditemos sobre o mistério da Assunção da Virgem Maria e a sua glória no Reino dos Céus: “…me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo” (Lc 1, 48-49).

Na primeira Leitura da solenidade da Assunção da Santíssima Virgem Maria aos Céus, a Liturgia saúda a Mãe de Deus aplicando-lhe as palavras do livro do Apocalipse de São João: “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas” (Ap 12, 1). Nesta visão profética, essa Mulher excepcional aparece grávida, esperando um filho, e em luta contra o “dragão” o eterno inimigo de Deus e dos homens (v. 2-3).

Meditemos sobre o mistério da Assunção da Virgem Maria e a sua glória no Reino dos Céus: “...me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo” (Lc 1, 48-49).

Guido Reni, Assunzione di Maria Vergine, 1615-1620, Chiesa di S.Ambrogio, Genova.

Este contraste entre a luz e as trevas, entre a glória e a guerra, faz-nos pensar nas palavras dirigidas por Deus à serpente enganadora: “Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar” (Gn 3, 15). Tudo isto se realizou por meio de Maria Santíssima, a Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, contra quem se precipitou Satanás, que foi definitivamente vencido por seu divino Filho. Continue lendo…

Vejamos como rezar a tradicional Quaresma de São Miguel Arcanjo, a fim de honrar a Deus, a Virgem Maria e a São Miguel Arcanjo, e alcançar muitas graças.

Neste dia em que celebramos a solenidade da Assunção de Nossa Senhora aos Céus[1], somos convidados a começar a rezar a tradicional Quaresma de São Miguel Arcanjo. Trata-se de um período de 40 dias de oração e de penitência (excluídos os domingos), que começa no dia 15 de agosto e termina no dia 28 de setembro, na véspera da Festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael.

Vejamos como rezar a tradicional Quaresma de São Miguel Arcanjo, a fim de honrar a Deus, a Virgem Maria e a São Miguel Arcanjo, e alcançar muitas graças.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que não devemos fazer a Quaresma de São Miguel Arcanjo de forma supersticiosa, com a ideia de que recitando algumas orações a São Miguel as coisas magicamente vão mudar sem nenhum esforço ou abertura a Deus de nossa parte. A Quaresma de São Miguel é um tempo de penitência e de conversão, por isso, é necessário que façamos propósitos de mudança de vida, de nos afastar do pecado e de nos aproximar de Deus, para que não seja vã a nossa devoção. Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com