Saiba o que é a consagração, quais são as melhores datas e se podemos ou não nos consagrar a um título ou nome da Virgem Maria.

Graças a Deus muitos de nós temos uma profunda devoção a Santíssima Virgem Maria e, por isso, queremos nos consagrar a um determinado título relacionado a ela. É muito comum que nossos leitores nos perguntem se podemos nos consagrar a Nossa Senhora das Graças, a Nossa Senhora Aparecida e tantos outros títulos de nossa querida Mãe.

Primeiramente responderemos a pergunta: podemos ou não nos consagrar a um título da Virgem Maria? Depois, esclareceremos quais os motivos de nossa resposta, que estão intimamente ligados com a essência da consagração. Ao final, daremos dicas de algumas datas significativas para nos consagrar a Santíssima Virgem.

Receba o conteúdo deste blog gratuitamente em seu e-mail.

Podemos nos consagrar a um título de Nossa Senhora?

Nossa Senhora é venerada por diversos nomes e a maioria de seus devotos tem predileção a este ou aquele título de nossa querida Mãe! Algumas pessoas têm uma devoção especial a um título e querem consagrar-se a Maria por esse título. Há devotos que querem se consagrar a Nossa Senhora Aparecida. Outros querem se consagrar a Nossa Senhora das Graças. Não poucos são devotos que desejam se consagrar a Nossa Senhora do Carmo. Estes são apenas alguns exemplos, diante da multiplicidade de devoções, aparições e títulos marianos na Igreja Católica.

As devoções aos diversos títulos e privilégios da Virgem Maria são muito salutares e recomendáveis a todos nós, católicos. No entanto, quando vamos nos consagrar segundo o método do livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, de São Luís Maria Grignion de Montfort, é necessário esclarecermos alguns pontos. Primeiramente, devemos saber que a consagração segundo esse método não é feita a um título da Virgem Maria. A consagração, segundo ensina São Luís Maria, é feita à pessoa de Nossa Senhora e não a um nome ou título dela. É bom que saibamos disso, para não correr o risco de compreender a consagração apenas como um aumento da nossa devoção a um determinado título. Por exemplo: uma pessoa pode achar que a consagração apenas a tornará mais devota a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

É verdade que a consagração normalmente nos faz amar ainda mais a Santíssima Virgem e a participar com profunda devoção das suas festas, especialmente daquelas que somos mais devotos. Isto é uma consequência da consagração. Entretanto, a consagração é muito mais do que um aumento da nossa devoção particular a um título de Maria.

O que é a consagração a Virgem Maria?

São Luís Maria define o que é a consagração da seguinte forma: “Esta devoção consiste, portanto, em entregar-se inteiramente à Santíssima Virgem, a fim de, por ela, pertencer inteiramente a Jesus Cristo”[1]. Isto significa que o fim último da consagração a Nossa Senhora é seu Filho Jesus Cristo:

A consagração é feita conjuntamente à Santíssima Virgem e a Jesus Cristo; à Santíssima Virgem como ao meio perfeito que Jesus Cristo escolheu para se unir a nós e nós a ele; e a Nosso Senhor como o nosso fim último, ao qual devemos tudo o que somos, como a nosso Redentor e nosso Deus[2].

Como vimos, a consagração é feita, ao mesmo tempo, às pessoas de Jesus e de Maria. Por isso, dizer que nos consagramos a este ao aquele título não condiz com a essência da consagração. Ser consagrado é muito mais do que ter devoção a um título de Nossa Senhora, recitar algumas orações em sua honra e participar das suas festas. Como consagrados, entregamos a Jesus, pelas mãos de Maria, tudo o que temos e somos:

1º nosso corpo com todos os seus membros e sentidos;

2º nossa alma com todas as suas potências;

3º nossos bens exteriores, que chamamos de fortuna, presentes e futuros;

4º nossos bens interiores e espirituais, que são nossos méritos, nossas virtudes e nossas boas obras passadas, presentes e futuras.

Numa palavra, tudo que temos na ordem da natureza e na ordem da graça, e tudo que, no porvir, poderemos ter na ordem da natureza, da graça e da glória, e isto sem nenhuma reserva, sem a reserva sequer de um centavo, de um cabelo, da menor boa ação, para toda a eternidade, sem pretender e nem esperar a mínima recompensa de sua oferenda e de seu serviço, a não ser a honra de pertencer a Jesus Cristo por ela e nela, mesmo que esta amável Senhora não fosse, como é sempre, a mais liberal e reconhecida das criaturas[3].

A consagração a Jesus por Maria é uma perfeita renovação dos votos ou promessas do santo batismo[4]. Todos nós, antes do Batismo, éramos escravos do demônio, pois pertencíamos a ele em consequência do pecado original. No Batismo, renunciamos a Satanás, às suas pompas e obras, por nós mesmos ou por nosso padrinho ou madrinha, e tomamos Jesus Cristo como nosso Mestre e soberano Senhor, passando a depender d’Ele, na qualidade de escravo por amor. Na consagração, além de renunciarmos ao demônio, ao mundo, ao pecado e a nós mesmos, entregamo-nos inteiramente a Jesus Cristo pelas mãos da Virgem Maria. Além disso, fazemos até algo mais. Pois, quando somos batizados nos primeiros anos de vida, o padrinho ou a madrinha que faz essas renúncias por nós. Nesta devoção, nós as fazemos por nós mesmos, voluntária e conscientemente. Outra diferença é que, no Batismo não é pelas mãos de Nossa Senhora que nos entregamos a Jesus Cristo, pelo menos de modo expresso. Nele também não doamos a Jesus o valor de nossas boas ações. Depois do Batismo, ficamos inteiramente livres para aplicar o valor de nossas boas obras a quem quisermos ou conservá-lo para nós. De modo diverso, pela consagração entregamos absolutamente tudo a Jesus Cristo pelas mãos da Virgem Maria, inclusive o valor de todas as nossas ações.

Assista ou ouça palestra do Padre Paulo Ricardo com o tema “O Papa de Maria!“:

Podemos nos consagrar no dia da festa de nossa devoção?

Apesar de a consagração não ser feira a um título, mas à pessoa da Virgem Maria, é possível consagrar-nos no dia de uma festa de nossa particular devoção. Até mesmo recomendamos que a consagração seja feita em uma data mariana de nossa devoção. Mas, podemos também nos consagrar em uma data mariana que não seja de nossa devoção. Pois, como consagrados, devemos ter um particular apreço às festas da Santíssima Virgem, a fim de honrá-la, independente do nosso gosto pessoal.

A consagração pode ser feita também no dia de um santo. Pois, a tradição da Igreja atesta que todos os santos, sem exceção, foram grandes devotos da Virgem Maria, a começar por São José, o maior devoto da Virgem Maria. Dentre os santos, podemos escolher aqueles que mais temos devoção, como Santa Teresinha do Menino Jesus, Santo Antônio, São Francisco e tantos outros que são muito venerados na Santa Igreja. Podemos ainda escolher aqueles que foram consagrados a Virgem Maria pelo método do Tratado, como o próprio São Luís Maria, que celebramos no dia 28 de Abril, ou o Papa São João Paulo II, que tem sua festa litúrgica no dia 22 de Outubro. João Paulo II ficou conhecido como “o Papa de Maria”. A devoção a Nossa Senhora era tão marcante em sua vida que o Santo Padre tinha como lema de seu pontificado as palavras “totus tuus”, que significam “todo teu” ou “todo de Maria”.

Podemos também nos consagrar em alguma festa de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, como dissemos, a consagração é feita conjuntamente a Jesus e a Maria. Dentre as celebrações do Senhor, podemos escolher aquela que mais temos devoção, como a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, que é celebrada na Sexta-feira da semana seguinte à festa de Corpus Christi; a solenidade Natal ou da Páscoa. Podemos até mesmo nos consagrar em um Domingo, pois este é o Dia do Senhor.

Por fim, recomendamos que a consagração seja feita em um dia que seja significativo para nossa vida e vocação. Pois, todos os anos, ao menos uma vez, São Luís Maria nos ensina que devemos renovar a consagração nessa mesma data[5]. Sendo uma data significativa, mais facilmente nos lembraremos de renovar nossa consagração. Além disso, para as pessoas que não têm a Santa Missa em dias de semana ou em certas festas em suas comunidades, recomendamos que escolham aquela data que mais facilmente é possível participar da Eucaristia. Pois, é recomendável que a consagração e a renovação sejam feitas na Missa ou logo depois dela. Mas, caso não seja possível fazer a consagração ou renovar na Santa Missa, podemos fazê-las em particular, na nossa própria casa ou em uma capela, diante de uma imagem de Jesus ou de Maria.

Nossa Senhora das Mercês, rogai por nós!

Links relacionados:

TODO DE MARIA. A consagração e os três inimigos da alma.

TODO DE MARIA. As modas do mundo e a perdição dos cristãos.

TODO DE MARIA. O Demônio e o espírito do mundo.

Referências:


[1]  SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, 121.

[2]  Idem,125.

[3]  Idem, 125.

[4]  Cf. idem, 120.

[5]  Idem, 233.


Natalino Ueda é brasileiro, católico, formado em Filosofia e Teologia. Na consagração a Virgem Maria, segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort, explicado no seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, descobriu o caminho fácil, rápido, perfeito e seguro para chegar a Jesus Cristo. Desde então, ensina e escreve sobre esta devoção, o caminho “a Jesus por Maria”, que é hoje o seu maior apostolado.

1 comentário

  1. Muito lindo,devemos msmo amar cada vez mais santíssima Virgem Maria!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com