Saiba o que são as três vindas de Jesus Cristo e qual a importância da Virgem Maria em cada uma delas.

No Tempo do Advento, aprofundamos o tema das três vindas de Jesus Cristo, que está intimamente ligado a Santíssima Virgem Maria. No entanto, antes de tratar desta ligação, é importante sabermos com clareza o que são essas três vindas de Jesus. Duas delas são realizações de promessas de Deus. Mas, uma dessas vindas ainda está por se cumprir e nela, como nas outras, Nossa Senhora tem uma missão fundamental.

Saiba o que são as três vindas de Jesus Cristo e qual a importância da Virgem Maria em cada uma delas.

Nossa Senhora da Anunciação

A primeira promessa nos foi dada pelo profeta Isaías: “uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7, 14); e se cumpriu no mistério da Encarnação do Verbo de Deus, no ventre da Virgem de Nazaré (cf. Lc 1, 26-38). A segunda nos foi dada pelo próprio Cristo, quando disse: “Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem” (Lc 12, 40; cf. Mt 24, 44). Há dois mil anos, a Igreja vive na expectativa da segunda vinda de Cristo. Podemos até pensar que foi perda de tempo viver nessa expectativa, mas não foi, pois o Senhor também prometeu: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28, 20). Esta é a terceira vinda: Jesus está conosco e nos visita de modo particular, às vezes nos momentos em que menos esperamos. Continue lendo…

Para melhor conhecer Jesus Cristo, meditemos sobre a Sua dependência e submissão a Virgem Maria no tempo e na eternidade.

Nesta terceira semana de preparação para a consagração, para conhecer melhor nosso Senhor Jesus Cristo, meditemos sobre a Sua dependência e submissão a Santíssima Virgem Maria no Mistério da Redenção da humanidade. Para tanto, nos voltemos para a mariologia de São Luís Maria Grignion de Montfort, contida particularmente no “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”. Segundo o Santo, Maria Santíssima tem sido insuficientemente conhecida até agora e esta é uma das razões por que Jesus Cristo não é conhecido como deve ser1Para melhor conhecer Jesus Cristo, meditemos sobre a Sua dependência e submissão a Virgem Maria no tempo e na eternidade.

A primeira lição que aprendemos com o Divino Mestre é que, antes de sua vida pública, Ele permaneceu a maior parte de sua vida na casa de Maria. Com a Virgem de Nazaré, o Menino Jesus aprendeu a dar seus primeiros passos, ouviu as primeiras passagens das Sagradas Escrituras, conheceu a história e a cultura do Povo de Deus. Na escola de Maria, Jesus aprendeu a depender e ser submisso principalmente através do exemplo de sua Mãe Santíssima. Pois, em tudo Nossa Senhora era dependente e submissa, em primeiro lugar a Deus, mas também ao seu esposo São José. Desta forma, na casa de Maria, Jesus se preparava para a dependência total de Deus e a submissão plena à Sua vontade. Continue lendo…

Saiba os motivos pelos quais devemos pedir a graça do conhecimento da Virgem Maria.

Na segunda semana de preparação para a consagração, pediremos ao Espírito Santo a graça de conhecer a Santíssima Virgem Maria e aplicaremos todas as nossas orações e boas obras de cada dia nesta intenção1. Faremos isso porque, segundo São Luís Maria Grignion de Montfort, no “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, nossa Mãe Maria Santíssima tem sido insuficientemente conhecida até agora e esta é uma das razões de Jesus Cristo não ser conhecido como deveria2. “Na primeira vinda de Jesus Cristo, Maria quase não apareceu, a fim de que os homens, ainda pouco instruídos e esclarecidos sobre a pessoa de seu Filho, não se afastassem da verdade, apegando-se muito intensa e grosseiramente a Ela”3.

Conheça a Associação da Medalha Milagrosa, que nasceu das aparições de Nossa Senhora das Graças a Santa Catarina Labouré.

Nossa Senhora da Medalha Milagrosa ou Nossa Senhora das Graças

Passados dois mil anos, Deus quer revelar e manifestar Maria, a obra-prima das Suas mãos, nesses derradeiros tempos4. Pois, se aproxima cada vez mais a vinda definitiva de Jesus Cristo, que será por meio da Virgem Maria. “Se sempre discorrer sobre Maria foi essencial para a fé cristã, hoje é indispensável e urgente como talvez em poucas outras épocas da história da Igreja”5. Este conhecimento da Mãe da Igreja torna-se ainda mais indispensável e urgente para nós que vamos fazer ou renovar nossa consagração a Jesus por Maria. No entanto, nos empenhemos todos no estudo e na oração para conhecermos, pela graça do Espírito de Deus, a Santíssima Virgem. Continue lendo…

Saiba por que a busca do autoconhecimento é de suma importância para quem faz ou renova a sua consagração a Virgem Maria.

Na primeira semana de preparação para consagração, depois dos doze dias preliminares, São Luís Maria Grignion de Montfort, no seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, recomenda que apliquemos todas as nossas orações e atos de piedade para pedir o autoconhecimento, o conhecimento de nós mesmos, e o arrependimento de nossos pecados, em espírito de humildade1.

Saiba por que a busca do autoconhecimento é de suma importância para quem faz ou renova a sua consagração a Virgem Maria.

A Virgem Maria e São Pedro, arrependido por ter negado Jesus Cristo.

Nestes dias de preparação2, devemos recorrer à Santíssima Virgem Maria, pedindo a ela a grande graça do autoconhecimento, que deve ser o fundamento de todas as outras que nos serão necessárias para a consagração3. Este conhecimento de nós mesmos é necessário porque a nossa alma, manchada pelo pecado original e pelos pecados atuais, precisa ser renovada para receber o vinho novo4 da graça de Deus. Para tanto, precisamos nos despojar do “homem velho”5, e revestir-nos do “homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade”6. Continue lendo…

Saiba por que o desapego do espírito do mundo é uma das exigências da consagração total a Virgem Maria.

Nos doze primeiros dias de preparação para a consagração total, ou escravidão de amor, a Jesus Cristo pelas mãos da Virgem Maria, somos chamados a desapegar-nos do espírito do mundo, que é contrário ao Espírito de Deus1. A escravidão de amor, à qual somos chamados, nos torna livres das cadeias do pecado, mas para isso é necessário romper com o espírito mundano, de tudo aquilo que nos aprisiona e nos afasta de Deus. Este desapego é necessário a todo verdadeiro cristão, especialmente se queremos nos consagrar a Nossa Senhora ou já somos consagrados a ela.

Saiba por que podemos dizer que a Virgem Maria foi a primeira discípula missionária.

Nossa Senhora de Guadalupe

A respeito do espírito do mundo, Papa Francisco diz: “É realmente ridículo que um cristão verdadeiro, que um padre, um freira, um bispo, um cardeal, um papa, queiram percorrer esta estrada do mundo, é uma atitude homicida. O mundano mata, mata a alma, as pessoas, mata a Igreja”2. Por isso, peçamos ao Senhor, pela intercessão de Maria, a coragem de nos despojar do espírito do mundo, “que é a lepra e o câncer da sociedade, é o câncer da revelação de Deus. O espírito do mundo é o inimigo de Jesus”3. Dessa forma, não há dúvidas que devemos romper com o espírito mundano. Mas, na prática, o que é este espírito do mundo? Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com